A SEDA

A seda é um produto natural fibroso produzido por estruturas glandulares e que está presente em diversos animais que muitas vezes não parecem apresentar parentesco evolutivo próximo. A presença da seda dentro da evolução das diversas formas de vida ganhou diferentes funções de acordo com a biologia e ecológica de cada animal. A proteção e o comportamento de predação são os mais evidentes.

Onicóforo - Peripatoides sp

Um dos primeiros animais a conquistarem o ambiente terrestre foi o Onychophora (Peripatoides sp), um pequeno animal estranho e desajeitado que se alimentava inicialmente de pequenas plantas a 540 milhões de anos atrás. Até hoje este animal preserva estruturas muito semelhantes a de seus ancestrais. Este grupo de animais possivelmente deu origem aos primeiros insetos, que atualmente faz parte de seu cardápio. O onicóforo é um animal noturno que não enxerga e só percebe a presa quando a toca. Quando tocada, o onicóforo ejeta um muco fibroso formado por seda que aprisiona a pobre presa. Então o predador começa a comer novamente a seda com a presa envolvida.

As aranhas, que atualmente compreendem mais de 40 mil espécies surgiram no Devoniano a aproximadamente 400 milhões de anos. No caso das aranhas a seda que compõem os fios é armazenada na forma líquida no abdômen. É formada por proteínas fibrosas com seqüências de aminoácidos repetitivas (alanina e glicina) que se entrelaçam ao passarem pelas fiandeiras formando fibras. Nesta passagem pelas fiandeiras ocorre a formação de cristais que conferem resistência da teia e as propriedades elásticas pelo afrouxamento das fibras aminoácidas. Desta forma, a elasticidade somada á resistência da teia pode quebrar a energia cinética proveniente do choque de uma presa sobre os fios e informar a aranha as condições de ataque. A seda também é utilizada como uma forma de proteção para os ovos das aranhas envolvendo-os em uma estrutura chamada ooteca.

Plesiometa argyra

Entretanto, alguns organismos oportunistas tiram vantagem desta seda para se reproduzir. Na costa rica a aranha Plesiometa argyra é parasitada por um tipo de vespa. O parasita fica conectado no abdome da aranha sugando seus fluídos internos. Então a larva da vespa libera hormônios que levam a aranha a construir uma teia geometricamente não funcional. A larva então devora seu sistema nervoso e usa a seda da própria teia da aranha para construir um casulo para posteriormente se tornar uma vespa. As propriedades da seda tais como a elasticidade também são usadas pelas aranhas Hyptiotes sp da (família Uloboridae) durante a predação, mantendo o fio de seda esticado, tenso e preso a teia triangular, quando uma presa se choca a aranha solta o fio e a seda afrouxada envolve a presa.

Os dípteros compreendem mais de 120 mil espécies, são animais cosmopolitas, entretanto, uma larva de um díptero da

Arachnocampa luminosa

espécie Arachnocampa luminosa que vive na Nova Zelândia se fixa no teto da caverna de Wautona. Este organismo tem suas origens datadas em 300 milhões de anos e produz uma luminescência. Este díptero produz fios de seda com gotas pegajosas que ficam penduradas, semelhante a um colar. Esta luminescência atrai as presas que ao tocar o cordão pegajoso ficam presas, permitindo que a díptera pesque a sua refeição.

As borboletas compreendem a ordem dos lepidópteros e surgiram a 250 milhões de anos o período denominado Permiano e abrange mais de 180 mil espécies. Geralmente os lepidópteros liberam suas ovas sobre a folha de determinadas plantas, muitas vezes plantas com desenhos e estruturas semelhantes ao de suas ovas para esconde-las de determinados parasitas. Entretanto, a borboleta Ceraeochrysa cubana produz um fio de seda que deixa suas ovas penduradas na folha evitando sua predação por formigas uma vez que esses animais adoram carregar ovas de borboleta para seus formigueiros.

O bicho da seda Bombyx mori é a larva de uma mariposa e também é classificado como um lepidóptero. O bicho da seda utiliza a seda para se fixar em um local e formar a crisálida onde ocorrem os processos de alomorfia ou metamorfose. A seda também traz implicações a tecnologia, uma vez que e um excelente material que amortece impacto e existem rotas da seda criadas para facilitar o comercio deste produto a mais de 4 mil anos na China que é pioneira em sua produção. A descoberta desta fibra como uma forma de tecnologia foi descoberta em 2700 a.c, cem anos antes do início da construção da muralha da China.

A seda é uma fibra que surgiu em diferentes animais com diferentes funções e que tem um papel evolutivo muito importante na biologia de cada animal e uma ferramenta importantíssima nas mãos dos cientistas para elucidar um pouco mais sobre a história evolutiva de cada uma dessa formas de vida

Do ponto de vista biológico a presença da seda nestes animais trás implicantes questões para a ecologia evolutiva. A única semelhança entre esses animais é que todos são artrópodes, embora haja uma distinção clara de dois grupos deles, os insetos e os aracnídeos. Determinadas características são preservadas nestes animais porque conferem um valor adaptativo muito forte, ou seja, nada menos do que permitir a sobrevivência diante de algumas situações ecológicas adversas. Não sou entomologista, mas aposto que a capacidade de produzir seda nestes animais surgiu em um momento em que a história evolutiva destas espécies era uma única. Houve um ancestral em comum entre elas que apresentou essa característica, e que posteriormente foi preservada e passada adiante para as linhagens que derivaram essas espécies. Aposto também que os “intermediários” dessas espécies atuais que vemos hoje em sua maioria já estão extintos.

Outra questão fundamental para se pensar é que animais com as aranhas, que apresentam um sistema nervoso simples tem a capacidade de elaborar em estrutura tão complexa como as teias. Como um animal com simples gânglios nervoso tem a capacidade de elaborar essa complexa trama? Como ela consegue adaptar e expressar um o determinado comportamento diante de determinadas situações específicas? Não seriam essas peculiaridades das aranhas muito mais fabulosas obras da natureza do que a consciência que os humanos têm? Será que cada animal da natureza tem sua peculiaridade e são tão especiais quando a seda ou a consciência? Não sei, mas são perguntas interessantes que devem ser feitas.

Scritto per Victor Rossetti.

One thought on “A SEDA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s