SONDA DA NASA CONFIRMA TEORIA DE EINSTEIN SOBRE O ESPAÇO-TEMPO. (comentado)

Sonda da Nasa mediu com precisão microscópica a forma sutil como o espaço e o tempo são distorcidos em volta da Terra

Quase cem anos depois, uma sonda espacial da Nasa, a agência espacial americana, confirmou previsões cruciais feitas pelo físico alemão Albert Einstein em 1915.

As observações da sonda de gravidade B (GP-B) comprovaram que a massa da Terra está muito sutilmente causando uma curvatura no tempo e no espaço ao seu redor, e até arrastando-os consigo.

Os cientistas conseguiram observar esses efeitos através do estudo do comportamento de quatro esferas super-precisas levadas dentro do satélite.

Os resultados foram publicados na revista científica Physical Review Letters.

 

Einstein 
As confirmações das previsões de Einstein são significativas não apenas por comprovar uma vez mais a genialidade do cientista alemão, mas também por trazer instrumentos mais refinados para a compreensão da física que rege o cosmos.

As descobertas também representam o ápice de uma longa jornada para os líderes da missão, alguns dos quais dedicaram mais de cinco décadas à pesquisa.

Entre eles está Francis Everitt, o principal pesquisador da missão na Universidade de Stanford, que participou da concepção da sonda de gravidade B no fim dos anos 50.

“Completamos este experimento histórico, testando o Universo de Einstein – e Einstein sobrevive”, disse ele.

A GP-B só foi lançada ao espaço em 2004 e desde então a missão da equipe é interpretar as informações e checar a correção das observações feitas.

 

Teorias confirmadas 

O objetivo da sonda de gravidade B era confirmar duas importantes consequências da Teoria da Relatividade Geral, publicada por Einstein em 1915.

As previsões descrevem a forma como o tempo e o espaço são distorcidos pela presença de enormes objetos como planetas e estrelas.

Uma delas é o efeito geodético – que trata da forma como a Terra curva o espaço-tempo – e a outra, o efeito de arrasto – sobre como a rotação da Terra distorce o espaço-tempo ao seu redor ao girar.

A sonda GP-B verificou ambos os efeitos medindo movimentos mínimos nos eixos de rotação de quatro giroscópios em relação à posição de uma estrela chamada IM Pegasi (HR 8703).

 

Precisão 
Para garantir a precisão do experimento, as esferas tinham de ser resfriadas até quase o “zero absoluto” (-273ºC) e então colocadas para flutuar dentro de um recipiente a vácuo gigante, contendo hélio superfluido. Esta e outras medidas isolavam as esferas de qualquer distúrbio externo.

Se Einstein estivesse errado, os giroscópios deveriam ter girado sem a influência de forças externas (pressão, calor, campo magnético, gravidade e carga elétrica).

Mas como o físico alemão concluiu que o espaço-tempo ao redor da Terra é curvo e distorcido pelo movimento do planeta, os cientistas esperavam um desvio, apesar das grandes dificuldades em medi-lo.

Ao longo de um ano, o desvio previsto no eixo das esferas devido ao efeito geodético foi calculado na escala de apenas alguns milhares de miliarcosegundos. O efeito de arrasto deverá ser ainda menor.

“Um miliarcosegundo representa a largura de um fio de cabelo humano visto a uma distância de 16 quilômetros. É um ângulo extremamente pequeno e este é o grau de precisão que a sonda de gravidade B tinha de alcançar”, explicou Everitt.

 

Tecnologia 
A missão foi proposta inicialmente em 1959, mas teve de esperar vários anos para que a tecnologia necessária fosse inventada.

“A GP-B, apesar de simples conceitualmente, é um experimento extremamente complexo tecnologicamente”, disse um ex-gerente de programas na GP-B, Rex Geveden.

“A ideia surgiu cerca de três ou quatro décadas antes que a tecnologia estivesse disponível para testes. Treze novas tecnologias foram criadas para a GP-B.”

As inovações criadas para a missão levaram diretamente à melhoria do Global Positioning System (GPS) e ao sucesso de outras missões espaciais da Nasa.

Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/geral,cem-anos-depois-sonda-da-nasa-confirma-teoria-de-einstein-sobre-o-espaco-tempo,715221,0.htm

.

Resenha do autor

Walter Isaacson autor de Einstein. Sua vida, seu universo além de escrever sobre toda a vida de Einstein ainda descreve o momento em que ele demonstra didaticamente como o espaço e o tempo (duas dimensões, na verdade 4, as três dimensões do espaço + o tempo que também é uma dimensão) são deformados usando como analogia uma cama elástica e uma esfera de ferro em seu centro.

Essa esfera deforma a cama elástica de tal forma que se qualquer outro objeto passar próximo a essa esfera de ferro será atraído por ela.

A deformação do espaço que um corpo celeste promove é dada pela massa. Note que um buraco negro nada mais é do que um corpo gravitacionalmente colapsado. No esquema apresentado pela reportagem vemos a terra promovendo uma suave curva na dimensão, em um buraco essa suave curva não existe, ela é uma curva que forma um grande buraco, como uma bola de golf dentro de um cone de trânsito virado de ponta cabeça. Isso ocorre porque o corpo celeste de um buraco negro tem uma densidade muito grande e concentrada, por isso tudo que passa próximo a boca deste “cone” é puxado, inclusive a luz.

Um buraco negro estelar médio é formado a partir de choque entre estrelas com aproximadamente o tamanho de 10 massas solares. Ou seja, o choque entre duas estrelas com mais de 10 vezes a massa solar de nosso sol pode gerar um buraco negro. O horizonte de eventos de um buraco negro é o local onde teoricamente não é mais possível sair da área de atuação da gravidade de um buraco negro.

É essa alta gravidade dos buracos negros que fazem corpos celestes explodirem, é possível que buracos negros puxem corpões celestes grandes como outras estrelas. Essa explosão gera nuvens de partículas inter-estelares que ficam vagando no espaço e podem eventualmente encontrar outras nuvens e formar novos corpos celestes.

Scritto da Rossetti

Palavras chave: Rossetti, Netnature, Eisntein, Espaço-Tempo, Buraco negro.

3 thoughts on “SONDA DA NASA CONFIRMA TEORIA DE EINSTEIN SOBRE O ESPAÇO-TEMPO. (comentado)

  1. TEREI QUE RESUMIR, E MUITO :

    NÃO EXISTE FLUXO DO TEMPO, NEM TEMPO. ASSIM, NÃO EXISTINDO, NÃO PODE SER DEFORMADO. O QUE CHAMAMOS DE TEMPO É APENAS UM ÍNDICE OBTIDO PELA DIVISÃO ENTRE – UMA DISTÂNCIA PERCORRIDA POR UM MÓVEL PELO ÂNGULO DE ROTAÇÃO DA TERRA, ESTE TOMADO INDIRETAMENTE POR RELÓGIOS SINCRONIZADOS COM A ROTAÇÃO DA TERRA.

    A IDEIA DE QUE O TEMPO SEJA ALGO REAL, VEM DA ANTIGUIDADE, E É TOTALMENTE FALSA.
    É UMA CRENÇA ILUSÓRIA QUE ATÉ HOJE ESQUECERAM DE QUESTIONAR QUANTO A SUAS BASES.

    ASSIM TAMBÉM NÃO É UMA QUARTA DIMENSÃO COMO SE ACREDITA. É UM ÍNDICE COMPARATIVO, APENAS, COMO O “PER CAPITA” DE RENDIMENTOS SALARIAIS DE UMA POPULAÇÃO.

    O TEMPO NÃO PASSA. O QUE PASSA SÃO OS MOVIMENTOS, E DA RELAÇÃO DESTES MOVIMENTOS COM UM PONTO DE REFERÊNCIA FAZEMOS A IDEIA DE “TEMPO”.

    O ESPAÇO É O NADA E ASSIM NÃO PODE SER DEFORMADO. SOMENTE PODE SER DEFORMADO ALGO QUE ESTEJA PRESENTE NESTE ESPAÇO COMO HIDROGÊNIO, POEIRA CÓSMICA OU CAMPOS GRAVITACIONAIS OU ELETRO-MAGNÉTICOS ETC. OU ATÉ A “MATÉRIA ESCURA” OU QUALQUER OUTRA PRESENÇA QUE DESCONHECEMOS AINDA. QUALQUER UMA DESTAS, MENOS O ESPAÇO.

    AINDA, O ESPAÇO NÃO É TRI-DIMENSIONAL. CONFUNDE-SE ISTO COM O SISTEMA TEÓRICO DE DESCARTES QUE É TRI-AXIAL. DIMENSÃO É UMA DISTANCIA ENTRE DOIS PONTOS MEDIDA SOBRE UMA ESCALA REGULARMENTE DIVIDIDA, E SÓ ISTO.

    QUEM ACHA QUE SEJA OUTRA COISA ALÉM DISTO NADA COMPREENDE DE GEOMETRIA NEM DA REALIDADE. EXPLICAR ISTO DETALHADAMENTE NÃO CABE NESTE CURTO COMENTÁRIO.

    NEM OS OBJETOS SÃO TRIDIMENSIONAIS. DIZER QUE O SEJAM É RESULTADO DE UMA SIMPLIFICAÇÃO RETÓRICA, UM EQUÍVOCO DE COLOCAÇÃO.

    POR ESTAS, DIZER QUE O ESPAÇO-TEMPO SE DEFORMA É UM DUPLO ABSURDO.

    O ÍNFIMO DESVIO DOS GIROSCÓPIOS, DEPOIS DE UM ANO, SE DEVE A IMPRECISÃO DOS SENSORES MECÂNICOS USADOS POIS QUE PRECISÃO ABSOLUTA EM SENSORES É IMPOSSÍVEL.

    ALÉM DISTO, A INFLUENCIA DE FORÇAS EXTERNAS COMO VARIAÇÕES DO CAMPO GRAVITACIONAL NA SUPERFÍCIE TERRESTRE, CAMPO GRAVITACIONAL DA LUA EM MOVIMENTO, DOS PLANETAS ETC.

    A EXPLICAÇÃO DE EINSTEIN PARA A GRAVIDADE – A PARTIR DA DEFORMAÇÃO DE UMA TELA PLANA SOBRE A QUAL SE COLOCA UMA ESFERA – É DE UMA INFANTILIDADE ATROZ.

    PIOR AINDA É TRANSPORTA-LA PARA O ESPAÇO SEM A MINIMA EXPLICAÇÃO DE COMO ISTO SE JUSTIFICA E REALIZA.

    ORA, A ESFERA DEFORMA A TELA DEVIDO A ATRAÇÃO GRAVITACIONAL DA TERRA SOBRE ELA E NÃO DEVIDO À FORÇA GRAVITACIONAL DA PRÓPRIA ESFERA, COMO DEVERIA SER, E A EXPLICAÇÃO FICA TOTALMENTE INVÁLIDA.

    E SE A TELA FOSSE RÍGIDA ? OU INCLINADA ? OU POR SOBRE A ESFERA ?
    ==============================================================================

    • Tudo bem, isso eu sabia, afinal para termos idéia de como as coisas funcionam nós precisamos de uma referencia e o tempo é uma referencia.
      Podemos interpretar simplesmente que as coisas vão acontecendo ai para definirmos a ordem destes eventos criamos o tempo, o que passou o que estamos passamos e o que poderemos passar no futuro.
      Mas se criamos uma referencia que chamamos de tempo ele passa a ser uma dimensão afinal voce desloca nele e tem a capacidade de lembrar do que passou e ter uma previsão (e não premonição) do que pode passar.A esfera deforma o espaço pela sua massa, qualquer corpo com massa deforma o espaço. O espaço não é rígido. Ele é tri-dimensional porque o Big bang explodiu sob as três dimensões e não duas ou uma. A partir desde momento os eventos veem acontecendo, e uma forma de ordenarmos estes eventos é sacar que eles não ocorreram todos ao mesmo tempo e sim em cascata, dai, para quantificar e qualificar estes eventos criamos o tempo.
      Algumas culturas principalmente na África, especificamente em Moçambique não tem perspectiva do futuro. Uma mulher grávida por exemplo só compra roupas roupas para seu filho assim que ele nascer, afinal quando ele esta na barriga ele ainda nao nasceu e ela nao sabe se ele nascera. Então não há interpretação do futuro, o planejamento destas tribos é feito durante o momento em que as coisas acontecem.

    • Mas eu cometi um erro no texto eu coloquei que a deformação ocorreria devido a gravidade quando na verdade é a massa, falta de atenção do caramba rsrrssr afinal o que deforma a cama elástica é a massa da esfera de ferro e não a gravidade que ela exerce que por sinal é muito fraca considerando o tamanho da Terra.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s