O DIA DO JUIZO FINAL SE ENCAIXA NO CONTO DE FADAS A QUE HAWKING SE REFERE.

Mais uma profecia bíblica não se concretizou. O site criacionista We can know vem anunciando que o fim do mundo se daría no dia 21 de maio de 2011. Os estudos apologéticos foram feitos baseados em Daniel 11:33, Neemias 8:8, Lucas 24:45, Isaias 30:20, Amós 3:7). Veja o site http://www.wecanknow.com/.

Passei o dia do julgamento sentado em minha cadeira de praia escutando Evil ways de Carlos Santana e Dire straits. Infelizmente não foi dessa vez, mais uma vez.

Pois bem, mais uma vez o fim do mundo não ocorreu e eu me pergunto, de onde os criacionistas tiram tanta informação errônea? Como posso acreditar em profecias nas quais não há evidência alguma de que vão acontecer?

Muitos se baseiam nas previsões escatológicas e são seguidores das propostas de Sir Isaack Newton, mas nem mesmo ele parece ter acertado isso.

De fato, o que vemos na internet referente a escatologia newtoniana são coisas absurdas como o fato de os criacionistas adorarem usar as propostas de Newton mas rejeitarem o fato dele ser maçon (ESCATOLOGIA OPORTUNISTA. CONHECENDO JEAN THEOPHILUS DESAGULIER – https://netnature.wordpress.com/2011/04/25/escatologia-oportunista-conhecendo-jean-theophilus-desagulier/) ou as evidências históricas de várias previsões apologéticas sobre o fim do mundo que jamais se concretaram (O FIM DA ESCATOLOGIA E DA EPOLOGÉTICA. MAIS SINAIS PARA O FIM DO MUNDO? – https://netnature.wordpress.com/2011/03/25/o-fim-da-escatologiae-da-epologetica-mais-sinais-para-o-fim-do-mundo/).

A escatologia e a apologética são mais uma daquelas pseudociências adotadas pelos criacionistas que não tem evidência alguma de sua ocorrência. Sob a luz da ciência realizada no ambiente acadêmico o cristianismo pseudo-cientifico também chamado de criacionismo esta em pé de igualdade com a cristalomancia, espiritismo, a ufologia e tantas outras pseudociências das quais ela mesmo critica.

Recentemente encontrei um comentário em um site criacionista que me fez refletir sob como é a atuação do criacionismo, ingênua e contraditória.

O texto se referia ao comentário de Stephen Hawking a respeito da vida após a morte. Hawking disse que “A crença no paraíso ou na vida após a morte é um conto de fadas“. De fato, não há evidências da existência de vida após a morte. Obviamente que a não existência de vida após a morte não nos permite dar certeza de sua não ocorrência, mas deixa no ar grandes dúvidas sob; como um design inteligente, sobrenatural atua no natural mas não evidencia de sua existência ou não evidencia a vida após a morte?

De fato, concordo com a posição de Hawking e concordo que seja um conto de fadas proposto por uma visão mística e inconsistente.

Alguns criacionistas poderiam dizer que ele dá sim, e por isso o criacionismo é uma ciência, porque trata essas evidências.

Bem, uma alegação feita por esse mesmo site criacionista que comentou sobre as afirmações de Hawking começa em sua primeira frase dizendo:

“É frustrante (pra não dizer irritante) ver gênios da ciência e do pensamento querendo dar respostas para questões que são claramente “irrespondíveis” pela ciência.” 

Se o criacionismo é uma ciência e baseia-se (supostamente) em evidências então como gênios da física não conseguiriam responder essas perguntas? Note que o autor propõem que questões como essa são irrespondíveis, o que nos leva a crer que a sua credibilidade só pode ser alcançada ao nível da fé, que por definição é a crença sem evidências. Se não há como responder a pergunta sobre a origem do universo a crença parte para a fé, que por sua vez é o oposto da ciência.

Afinal, temos razão para crer que existe vida após a morte? Segundo esta linha de pensamento não. Então porque considerar o criacionismo uma ciência? Não seria mais uma vertente cristã pseudo-cientifica baseada na fé e mascarada em ciência para engambelar as pessoas já que estão em decadência assim como a igreja católica que vem beatificando papas para sobreviver ao mundo moderno? Afinal os “milagres” hoje vem sendo realizados pela ciência (desambiguação de milagre logo abaixo). A ciência tem muito mais chance de curar alguém com Alzheimer do que Waldomiro Santiago ou Malafaia ou Romildo Ribeiro Soares.

Até que ponto as verdades bíblicas podem ser interpretadas e confirmadas como verdades no nosso cotidiano?

Seria cientificamente possível criar o tudo em apenas 6 dias segundo Gênesis? Seria maios uma pergunta irrespondível? Pode ser que sim, mas evidências cientificas vem iluminando os caminhos do Big Bang á alguns anos descartando o mito reducionista de gênesis.

O criacionista é uma visão totalmente reducionista. Cotidianamente os criacionistas afirmar de forma bem reducionista e errônea que “é impossível o homem vir do macaco”. Cientificamente os biólogos evolutivos jamais disseram isto. A visão reducionista criacionista da evolução humana induz as pessoas a acreditarem que um casal de macacos-pregos cruzaram e nasceu um loiro de olhos azuis. Algo bastante semelhante ao proposto por Gêneses.

Veja como a visão reducionista criacionista leva ao pensamento leviano. Esse mesmo site criacionista apontado acima trás uma reportagem sobre quem veio primeiro, o buraco negro ou as galáxias. A conclusão proposta pelo autor é:

Coevolução, interdependência entre buracos negros e galáxias… Assim como ocorre na biologia, se essa teoria astrofísica estiver correta, isso me parece outra evidência de design inteligente (cósmico) e, guardadas as proporções, complexidade irredutível.”

O que ele propõem é que não importa a resposta cientifica que há por trás de tudo, por que no final das contas quem criou foi um design, assim se resposta qualquer resposta do mundo, de forma errada ou não.

A chuva cai porque o design quis assim, o Sol brilha porque assim foi feito, as folhas secam porque o design assim quis. O homem mata, rouba e destrói não porque o design quis, mas porque o homem tem liberdade e por assim dizer é atentado pelo obscurantismo luciferiano.

A We Can Know apostou em uma data para o fim do mundo. Sob minha concepção foram extremamente corajosos e admiro terem feito isto mesmo que tenham errado, afinal os fundamentos para sua previsão apologetica foi um livro sem bases cientificas e místico e por isso estão sujeito a erros considerando que isso provavelmente nunca acontecerá conforme esta escrito em Apocalipse.

A chance de uma previsão apologeta do fim do mundo estar certa é a mesma que a dada por uma previsão em uma bola de cristal.

Obviamente que o fim do mundo baseado nas revelações de João da ilha de Patmos não oferecem precisão alguma, de certa forma é uma proposta apologeta covarde que se esconde atrás das inconsistências bíblicas, considerando que meus pais e avós já escutavam essas verdades absolutas apocalípticas desde muito tempo atrás e desde muitos registros históricos.

A crença da We can Know e das vertentes cristãs a respeito das passagens bíblicas, da apologética são todas baseadas em fé. Desde o mito da criação, ao dilúvio, a baleias engolindo pessoas e ao caráter milagreiro de cristo. Recentemente a ciência vez um milagre bastante consistente, com estímulos elétricos fez um paraplégico ficar em pé e movimentar suas pernas (http://noticias.terra.com.br/ciencia/fotos/0,,OI155117-EI238,00-Paraplegico+consegue+andar+apos+estimulo+eletrico+na+espinha.html). Entretanto a duas pontuações que se fazem necessárias.

A primeira é que isso não é um milagre, o miráculo é quando um feito extraordinário que não possui comprovação cientifica. Mas somente porque não há uma explicação cientifica não significa que seja milagre, ou seja, não significa que o sobrenatural existe, pode ser que simplesmente a ciência ainda não tenha conhecimento para explicar, afinal a ciência não é uma verdade absoluta. Trabalhando desta forma a ciência desbancou muitos milagres e muito do senso comum como o caso dos epilépticos e pessoas que sofriam a síndrome de Tourette e que foram massacradas por serem confundidos com pessoas possuídas pelo demônio.

A segunda é a visão reducionista do criacionismo afirmando que o milagre foi feito com a mão de um suposto ente sobrenatural “usando” as mãos dos pesquisadores. É a velha alegação reducionista que só é suportada pelo místico e portanto, não pode ser classificado como ciência.

A grande verdade é que até agora há nenhuma evidencia física, concreta e cientifica sobre o fim do mundo. Apenas especulações místicas e mitológicas.

Scritto da Rossetti

Palavras chave: Rossetti, Netnature, Julgamento final, We can Know, Stephen Hawking

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s