CONSIDERAÇÕES A RESPEITO DO TEMPO GEOLÓGICO. REAVALIANDO O CALENDÁRIO CÓSMICO DE CARL SAGAN.

Em Os dragões do Éden (1978) Carl Sagan trás uma interpretação do tempo bastante interessante que merece uma atenção especial.

O calendário cósmico de Sagan é uma suposição. Se comprimirmos os 13,7 bilhões de anos de existência do universo em um único ano poderíamos ter uma dimensão melhor dos principais eventos que ocorreram na historia da vida.

Ou seja, se o nascer do Sol do dia primeiro de janeiro representa a origem do Universo em que momento o homem surgiria?

Sigamos em uma análise bastante resumida

01 de Janeiro  Big Bang
01 maio            Origem da Via Láctea
09 setembro   Origem do sistema solar
14 setembro   Formação da Terra
25 setembro   Origem da vida sobre a Terra
02 outubro       Formação das mais velhas rochas
12 outubro       Plantas fotossintéticas
15 novembro   Primeiras células

Então o desenvolvimento das primeiras formas de vida e sua evolução somente ocorreria no mês de Dezembro.

01 dezembro   A atmosfera se desenvolve
16 dezembro   Primeiros vermes
17 dezembro   Invertebrados
18 dezembro   Plânctum oceânico. Trilobiotas
19 dezembro   Peixes e primeiros vertebrados
20 dezembro   Plantas vasculares
21 dezembro   Insetos e animais terrestres
22 dezembro   Anfíbios e insetos alados
23 dezembro   Árvores e répteis
24 dezembro   Dinossauros
26 dezembro   Mamíferos
27 dezembro   Pássaros
28 dezembro   Primeiras flores
29 dezembro   Cetáceos e primatas
30 dezembro   Primeiros humanóides
31 dezembro   Primeiros humanos

Se detalharmos o dia 31 de dezembro e usarmos o ser humano como uma mera referência então teríamos:

 31 dezembro as 22:30                        Primeiros humanos
31 dezembro as 23:00′                       Uso dos utensílios de pedra
31 dezembro as 23:46′                       Domesticação do fogo:Pequim
31 dezembro as 23:56′                       Último período glacial
31 dezembro as 23:59′                       Pinturas pré-históricas Europa
31 dezembro as 23:59’20”                Invenção da agricultura
31 dezembro as 23″59’35”                Período neolítico
31 dezembro as 23:59’50”                Sumer, Ebla e Egito
31 dezembro as 23:59’53”                Metalurgia do bronze
31 dezembro as 23:59’54”                Metalurgia do ferro
31 dezembro as 23:59’55”                Nascimento de Buda
31 dezembro as 23:59’56”                Nascimento de Cristo
31 dezembro as 23:59″57″               Nascimento de Maomé
31 dezembro as 23:59’58”                Cruzadas
31 dezembro as 23:59’59”                Renascença na Europa
31 dezembro as 23:59’59″59          Agora

Obviamente que a evolução não parou e nem teve como foco a construção do homem como ponto final de uma estação de trem.

Uma coisa é verdade, não temos dimensão do que são 10 mil anos, então como poderíamos acreditar que o mundo teria milhares de anos ou milhares de milhões de anos?

Uma tartaruga vive 140 anos e para nós é muito tempo. Se pudéssemos voltar no tempo e nos posicionarmos no momento em que Jesus viveu na Terra teríamos a impressão totalmente diferente a de hoje. Naquela época os costumes e as tradições eram totalmente diferentes das atuais. Não havia vida noturna, as pessoas ficam dentro de suas casas tomando vinho e dormiam cedo. As únicas pessoas nas ruas eram os soldados romanos e ladrões. As moedas eram de prata, Davi que matou Golias de Gatte usava armaduras de cobre e latão enquanto Golias já possuía armaduras de ferro. Possivelmente foi derrotado graças a estratégias de ataque bastante distintas se é que Golias eram um gigante e se é que os filisteus eram gigantes.

As vezes não conseguimos imaginar como era 2 mil anos atrás, ou 10 mil, 100 mil, 1 milhão, 100 milhões e um bilhão de anos. Só porque não estivemos la não significa que não existiram.

O ex-ministro Paulo Renato morreu e não viu Itamar Franco morrer. Carl Sagan que morreu em 1996 e não viu as Torres gêmeas serem destruídas, não viu o surgimento do Iphone ou de tablets mas nem por isso esses aparelhos deixaram de existir.

Darwin que morreu em 1882 e não viu nada disso, nem o surgimento da TV, nem do telefone nem a construção e nem a queda das Torres gêmeas e muito menos imaginaria computadores e Ipads.

Galileu morreu e não viu os satélites mostrando suas descobertas em tempo real, não viu o homem pisar na lua e nem nada do que Darwin, Sagan viram.

Aristóteles morreu sem ter noção de que suas idéias perpetuariam por mais de 2 mil anos após sua morte.

Aristóteles não viu a divisão do Reino Macedônico em três impérios, nem Alexandria se tornar o pólo intelectual período helenístico, nem os Muçulmanos dominarem o Egito, nem o Auge da Expansão Romana nem em 264 a.c, nem os Romanos dominarem Cartago e em 149, a Macedônia, a Grécia em 147a.c, nem em 129a.c os Romanos invadirem a Ásia.

Aristóteles também não viu Guerras civis em Roma, Mário conquistar a Numídia, Silas promovendo a ditadura militar até 78 a.c. e sua queda em 72, nem em 49 a.c César ganhar de Pompeu. Nem o surgimento do Império Romano em 27 a.c., muito menos o processo de desagregação do Império em 235 d.c.. Ele nunca conheceu os Imperadores Diocleciano, Constantino, Teodósio, nem Divisão do império Romano em 395 d.c. e a queda de Constantinopla dominada pelos Turcos e Otomanos em 1453 d.c. nem Da Vinci nem Galileu e nem o que os outros exemplos que abordei.

De fato, o homem que desenhou nas paredes da caverna LesChateaux a mais de 30 mil anos nunca soube que sua espécie um dia lançaria uma sonda para marte. Provavelmente não sabia que Marte existia e talvez não soubesse nem o que era um planeta, ou que estava em um muito peculiar. Talvez não tivesse noção de que o que torna a Terra peculiar é a sua existência, se bem que talvez não tivesse a noção de existência. Teria ele noção do que significa a palavra noção?

Só porque não estamos no passado não significa que ele não existiu. Na realidade seremos parte do passado um dia, alias já somos, o início dessa frase já é passado para você que esta lendo. O seu nascimento esta no passado.

Foto de Tilacino

Só porque nunca vimos uma vitrola não significa que elas não existem. As crianças que nasceram hoje poderão jamais assistir um desenho do pica-pau em uma fita cassete e provavelmente desfrutarão de tecnologias e aparelhos eletrônicos que eu e você jamais sonharíamos que existiria.

Só porque eles nunca viram uma fita cassete não significa que nunca existiram. Os lobos marsupias da Tasmânia chamados de Tilacinus não mais existem. Seu último exemplar morreu no Zoológico de Hobart em 7 de setembro de 1936, mas não significa que ele não existiu. De fato há relatos de que ele existiu, basta olhar as fotos e vídeos antigos. Da mesma forma existiram dinossauros, trilobitas e em algum momento as coisas surgiram, basta olhar os fósseis.

Comprimir o tempo geológico é uma maneira de termos a dimensão dos eventos universais em um único ano. Comprimir todos esses eventos em apenas 10 mil anos de forma didática é uma coisa acreditar que 10 mil anos seja um tempo correspondente a real idade do universo é no mínimo anacrônico.

Scritto da Rossetti

Palavras chave: Rossetti, Netnature, Tempo geológico, Calendário cósmico, Carl Sagan, Darwin, Galileu, Aristóteles.

2 thoughts on “CONSIDERAÇÕES A RESPEITO DO TEMPO GEOLÓGICO. REAVALIANDO O CALENDÁRIO CÓSMICO DE CARL SAGAN.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s