MUTAÇÃO DE PROTEÍNA NO ESPERMA PODE CAUSAR INFERTILIDADE MASCULINA. (comentado)

A fertilidade dos homens examinados que apresentavam a mutação caiu 30%

Washington – A mutação de um gene de uma proteína que recobre o esperma poderia ser a causa de grande parte dos casos de infertilidade masculina, segundo um estudo publicado nesta quarta-feira na revista Science Translational Medicine.

O relatório redigido por uma equipe internacional de pesquisadores liderada pelo professor Gary Cherr da Universidade da Califórnia Davis poderia abrir novos caminhos para resolver os problemas de infertilidade dos casais.

Os cientistas coletaram amostras de DNA nos Estados Unidos, Reino Unido, China, Japão e África, e descobriram que um quarto dos homens tem um gene defeituoso que afeta a proteína DEFB126, que por sua vez, se encarrega de recobrir a superfície do esperma e o ajuda a penetrar na mucosa do colo do útero da mulher.

Os homens que têm esta variante da proteína DEFB126, não apresentam o Beta Defensina 126, o que dificulta o processo do esperma de nadar através da mucosa e eventualmente unir-se a um óvulo, indicam os cientistas que apontam que esta variação genética “possivelmente é responsável por vários casos de infertilidade sem explicação até o momento”.

Ao examinar 500 casais chineses recém-casados, os cientistas descobriram que a falta do Beta Defensina 126 em homens com a mutação DEFB126 diminuiu a fertilidade em 30%.

O professor Associado de Urologia da Universidade da Califórnia Davis e coautor do estudo, Ted Tollner, indicou em comunicado que esse novo descobrimento poderia abrir novas pesquisas para fazer um estudo mais amplo do papel desta mutação na infertilidade.

Tollner assinalou que em comparação com o esperma dos macacos e outros mamíferos, os espermatozoides humanos são em geral de má qualidade, nadam devagar e têm uma alta taxa de células defeituosas.

O professor Cherr, por sua vez, assinalou que a questão pode estar relacionada ao fato que nos seres humanos, ao contrário da maioria dos mamíferos, a perpetuação da raça se sustenta em uma relação monogâmica e “a qualidade do esperma simplesmente não importa muito”.

Fonte: Estadão

 .

Resenha do autor

Alguém tem alguma dúvida em relação a seleção natural punir com a morte, ou no caso com a incapacidade de reproduzir-se quando os genes se tornam defeituosos?

No caso dos outros mamíferos e principalmente nos primatas, o que determina a qualidade dos espermatozóides é justamente a competição dentro dos grupos sociais que eles estão inseridos. A quantidade e qualidade do espermatozóide de um macho é uma característica que determina o seu sucesso reprodutivo.

Se um grupo de chimpanzés tem um líder forte obviamente e ironicamente ele não precisa ter os testículos grandes a tal ponto de produzir uma quantidade excessiva para copular com as fêmeas, embora hajam os dois casos nessas sociedades. Entretanto em grupos mais promíscuos como os de bonobos, onde uma fêmea copula com vários machos obviamente que aquele que produz maior quantidade de espermatozóides e de qualidade tem maiores chances de se tornar pai.

O primatologista Frans de Waal em seu livro Eu, Primata! mostra que essa disputa excessiva no grupo de chimpanzés tendeu a gerar uma característica evolutiva distinta a do homem que por ventura apresenta os testículos 10 vezes menor que a do chimpanzé e como vimos acima com uma qualidade inferior. Isso ocorre por que nossa espécie adotou um estilo de sociedade e de relação reprodutiva distinta, a monogamia. Esses caminhos evolutivos distintos criam sociedades distintas. Chimpanzés mantém a liderança de um grupo com o uso da violência, com disputas radicais; os bonobos com o uso do sexo e da promiscuidade e os seres humanos de forma monogâmica estabelecendo a família nuclear (dependendo da cultura).

Nossos ancestrais masculinos não dependiam de tamanha disputa para conseguir uma fêmea. Sem a disputa excessiva não há porque ter uma quantidade excessiva de espermatozóides e de grande qualidade. A monogamia e a criação de uma família nuclear é evidenciada até mesmo nos australopitecinios e tem sido modelo para investigações tanto sociológicas quanto na psicologia evolutiva.

Scritto da Rossetti

Palavras chave: Netnature, Rossetti, Sexo, Monogamia, Família nuclear, Chimpanzés, Bonobos, Seres humanos, Espermatozóide, Primatas.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s