NÚMERO DE CATÓLICOS VOLTA A CAIR NO BRASIL; CRESCEM EVANGÉLICOS E ATEUS. (comentado)

Catolicismo é a religião de 68,4% da população, contra 73,8% em 2003; Assembleia de Deus já é a segunda maior igreja do país.

 

A Igreja Católica voltou a perder adeptos no Brasil, enquanto cresceu a quantidade de evangélicos e de pessoas que se declaram sem religião, aponta estudo publicado nesta terça-feira pelo Centro de Políticas Sociais da Fundação Getúlio Vargas.

Segundo o Novo Mapa das Religiões, coordenado pelo pesquisador Marcelo Néri, os católicos passaram de 73,8% da população em 2003 para 68,4% em 2009 – uma queda de 5,4 pontos percentuais.

Ao mesmo tempo, os evangélicos passaram a representar 20,2% da população, contra 17,9% em 2003. O grupo dos “sem religião” (ateus e agnósticos), que era de 5,1% em 2003, subiu para 6,7% em 2009.

O levantamento foi feito a partir de dados de mais de 200 mil entrevistas da Pesquisa de Orçamento Familiar (POF), do IBGE.

A queda na participação dos católicos na população vem sendo lenta, porém constante, desde o início do século passado, mas havia se mantido estável na medição anterior da FGV, entre 2000 e 2003.

“Chegamos em 2009 ao menor nível de adeptos ao catolicismo na nossa história estatisticamente documentada”, diz o estudo. “Observamos a queda na proporção de católicos em todas as faixas etárias. Essa mudança foi menor para os grupos com idade mais avançada e maior entre os jovens.”

Fonte: Estadão

 .

Resenha do autor

Esses dados trás algumas reflexões bem interessantes. Durante anos a igreja católica foi o foco das atenções sob muitas circunstâncias, dentre elas a intolerância religiosa, inclusive refletindo diretamente sob a história da ciência.

Hoje vemos o papa Bento 16 aceitando a proposta cientifica sob a origem do universo, embora essa aceitação seja parcial, ou seja, a idéias de que a grande explosão () sob o ponto de vista quântico ela foi conduzida por Deus (DEUS É RESPONSÁVEL PELO BIG BANG, DIZ PAPA BENTO 16). E a proposta da evolução também seguiu este mesmo caminho segundo a alegação do falecido João Paulo II.

Alguns afirmam que essa afirmação e a flexibilização das regras católicas sejam fruto de uma manobra desesperada para recuperar fieis perdidos. Não entrarei neste mérito, pois o que proponho aqui é em que houve uma inversão dos papeis.

Se por um lado a igreja católica tem aceitado a origem do universo, a origem da vida e sua evolução sob o ponto de vista cientifico e até mesmo o relacionamento homossexual em alguns segmentos do catolicismo, por outro os evangélicos tem condenado tais idéias e manifestado mais claramente sua intolerância.

Isso demonstra que a rigidez cristã evangélica tem muitas vezes sido refletidas em condutas fundamentalistas, radicais e intolerantes (sem a necessidade de generalizar). Aqui se justifica a laicidade, que antes de tudo é uma medida que estabelece o respeito a diversidade religiosa.

O governo precisa ser laico para não quebrar esse equilíbrio e respeito entre as religiões em um país com diferentes vertentes religiosas como o Brasil.

Os evangélicos precisam entender que a posição sexual de uma pessoa deve ser julgada não pelos seguidores do evangelho, mas sim pelo seu Deus. Se Jesus disse amai-vos uns aos outros assim como eu vos amei, significa que como o evangélico não te,m poder de condenar mas sim respeitar e tratar com igualdade todas as pessoas, acima de todos os suas virtudes ou defeitos.

Esse crescimento no número de evangélicos não deve ser negligenciado pelos governantes, pois o crescimento dessa vertente cristã pode ser um indicador de que é necessário medidas que assegurem o respeito a liberdade de escolhe e não a opressão dos grupos com mais integrantes.

Se por um lado há o “crescimento populacional evangélico” é necessário que o respeito seja assegurado além da necessidade de destacar também que o estudo não mostrou que existe um número muito grande de pessoas que optam por acreditar em Deus, mas sem seguir qualquer denominação religiosa. Esse número tem crescido assustadoramente e vem demonstrando que as pessoas tem de alguma forma suspeitado da religião como entidade que deveria fazer a manutenção do que se entende por moralidade (veja: DECADÊNCIA E CRISE NO EVANGELHO).

Outro ponto a ser destacado é o numero crescente de ateus. Destaca-se o conceito de ateu, pessoa que não acredita não existência de Deus, ou deuses. Essas pessoas do levantamento não são necessariamente conhecedoras da filosofia ateísta ou da história do ateísmo. De fato nem é preciso conhece-la, pelo simples fato de que cada pessoa tem seus motivos pessoas ou racionais para não acreditar em divindades. A história do ateísmo e sua filosofia não se faz necessária neste sentido.

Aqui cabe também ressaltar que existem diferentes pontos de vista. Alguns pensadores cristãos ainda assim acreditam que o ateísmo é uma forma de religião, mesmo que erroaneamente afirmem que o ateu é a pessoa que crê que não há um Deus para se crer. Além dessa confusão bizarra e tautológica fica evidente que não há como crer que não se crê, portanto o ateu não é aquele que crê que não há no que se crer, mas sim que ele não crê, ou descrê em entidades divinas. O que significar crer?

Crer, ou crença se define pela sensação da veracidade de uma determinada idéia a respeito de sua procedência ou possibilidade de verificação objetiva. Sob essa concepção todos somos crentes, pois ao olhar para o céu em um dia nublado acreditamos (ou cremos) que vai chover. O ateu é a pessoa que não encontra a sensação de veracidade na idéia de uma divindade, portanto ele não crê no sentido da crença divina.

Esses dados apontados na reportagem (e não no estudo) ainda podem ser relativamente levianos, pois falha ao apontar outras religiões, como as de origem africana, os muçulmanos, judeus e espíritas.

Ainda sim, pode ser que existam pessoas que são ateias e passam a se mostrar para o mundo assim que sentem segurança e a liberdade de expressar o que a pouco tempo atrás era um absurdo. A partir do momento em que a sociedade passa a ter conhecimento de que a pessoa que não acredita em Deus não é moralmente corrompida (como se acreditava) ela passa a crescer nas estatísticas. Isso é o que vem acontecendo em nosso país e em grande parte do mundo (Estudo diz que ateísmo vai tomar lugar das religiões).

Aqui sugiro as pessoas que leiam um texto escrito por mim em que faz uma digressão do ateísmo com o comunismo, que são propostas bastante distintas e que em determinados momentos acabam se tocando (muitas vezes erronemente), mas que não devem ser vista como intimamente ligadas. Conheça um pouco da não necessária filosofia ateísta. Veja  A HISTÓRIA DO ATEÍSMO E SUA DIGRESSÃO COM O REGIME COMUNISTA.

Scritto da Rossetti

Palavras chave: Netnature, Rossetti, Religião, Cristianismo, Evangélicos, Católicos, Ateus.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s