ESTUDO DA NASA INOCENTA ASTEROIDE POR EXTINÇÃO DOS DINOSSAUROS (comentado)

Observações realizadas com instrumentos infravermelhos da sonda Wise afastaram a possibilidade de que asteroide Baptistina tenha sido culpado pelo desaparecimento desses répteis.

Os cientistas têm certeza de que um grande asteroide atingiu o planeta há 65 milhões de anos e provocou a morte dos répteis gigantes, mas desconhecem sua origem exata. Em 2007, um estudo realizado com telescópios terrestres, feito pelo Instituto de Pesquisa de Southwest, no Colorado, apontou como suspeito pela extinção dos dinossauros um corpo celeste do tipo Baptistina, situado no cinturão de asteroides entre Marte e Júpiter.

Segundo essa teoria, o corpo celeste se chocou contra outro asteroide do cinturão há 160 milhões de anos, que se despedaçou em fragmentos gigantescos. Um deles acabou atingindo a Terra, no que hoje é península de Yucatã, no México, e causou a morte dos répteis.

No entanto, observações realizadas com instrumentos infravermelhos da sonda Wise afastaram essa possibilidade, deixando sem resposta um dos grandes mistérios da Terra.

Durante mais de um ano uma equipe da Nasa estudou 120 mil asteroides, entre eles 1.056 da família Baptistina, e constatou que a quebra do asteroide cujo pedaço atingiu a Terra aconteceu há 80 milhões de anos, metade do tempo sugerido anteriormente.

A pesquisa mostrou que se esse asteroide fosse o culpado da extinção, ele teria que ter se chocado contra a Terra em menos tempo do que se acreditava anteriormente. Segundo a principal cientista do projeto, Amy Mainzer, não houve tempo para que o corpo celeste provocasse o fim do período Cretáceo.

Fonte: Estadão

 .

Resenha do autor

Ao se determinar verdades em ciência deve se tomar muito cuidado para não transformá-la em um dogma. Um dogma é uma verdade absoluta. Sob determinados pontos a ciência realmente alcançou determinados dogmas.

Entre ciência e religião existem diferenças gritantes e que nem sempre ficam claras embora ambas busquem a verdade por trás dos eventos universais, cada uma trabalha sob uma esfera distinta de atuação, e até mesmo metodológica.

A ciência se baseia na metodologia cientifica (empirismo) e produz respostas temporárias. Portanto a ciência explica e não justifica os eventos. A religião tem como base a crença, cujo suporte é a fé. As evidencias são desnecessárias para se crer que Maria realmente era Virgem por exemplo. As verdades religiosas são os dogmas, absolutas e incontestáveis embora a religião deva trabalhar na esfera do que se entende por moralidade, o que faz da bíblia um livro poético e claramente simbólico.

Propor uma verdade absoluta prematura em ciência é um risco muito grande que pode por em risco a reputação da ciência, principalmente com a onda de fanatismo religioso anti-cientifico que existe em alguns pontos do mundo, Enxergando os paradigmas da ciência como profecias e não modelos explicativos. É o caso do aquecimento do global, que por mais que haja ainda grandes vieses é visto pela comunidade cientifica (principalmente americana e européia) como um fato consolidado.

O mesmo ocorre com a questão da extinção dos dinossauros. Grande parte das evidências apontam para um asteróide como responsável por tal catástrofe. Com o presente viés apontado em determinadas situações que indicam outro agente causador de tal extinção é fundamental que passemos e enxergar novamente novas explicações.

A proposta de que o fim dos dinossauros ocorreu por outros motivos existe a muito tempo. Uma proposta diz que o fim dos dinossauros foi causado por um processo de eutrofização em grande escala global, outros ligados a problemas na dieta e a constipação desses animais.

Enfim, existem outras explicações, um tanto coerentes e um tanto absurdas. O que a ciência deve tomar cuidado é o quanto de fixas ela aposta em uma determinada teoria, pois nem tudo que reluz é ouro. Dependendo do quanto se investe numa teoria e o quanto ela é exposta para o mundo, pode ser vista como um dogma científico/religioso. Aqui no Brasil e em grande parte do mundo são poucas as pessoas que tem noção de como a ciência funciona, como trabalha, seu método de aplicação.

Parece absurdo dizer que a ciência não trabalha com verdades e sim com verdades substitutivas, pois a verdade precisa ser buscada e não cai do céu escrita em nossas mãos.

 .

Scritto da Rossetti

Palavras chave: Netnature, Rossetti, Dinossauros, Eutrofização, Yucatã, Dogma, Método cientifico, Paradigma, Extinção.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s