UMA CRÍTICA AO GNOSTICISMO MODERNO.

Se infiltrar em uma organização é possível conhecer um pouco sobre seus objetivos e suas tendências. De fato, muitas sociedades secretas sofreram com pessoas infiltradas.

Isso aconteceu com a maçonaria, com os Illuminati e com diversas outras organizações.

O gnosticismo não é uma sociedade secreta. De fato, é aberta ao mundo e a todas as religiões. Apesar de carregar uma simbologia e um esoterismo igual a qualquer outra entidade ou sociedade secreta.

O gnosticismo é a “prostituta” de todas as religiões. De fato, tudo é valido dentro do gnosticismo como veremos.

O gnóstico é aquele que interpreta o corpo e a mente como morada da alma e do que há de divino em nosso corpo. Trabalhando o auto-conhecimento, a consciência e a espiritualidade é possível crescer espiritualmente como teriam feitos grandes líderes religiosos do passado e alguns atuais.

Sob o ponto de vista do gnosticismo cristão que surgiu após a morte de Cristo a proposta gnóstica é muito mais legítima, interessante e talvez menos destrutiva do que o cristianismo absolutista que floresceu ao longo da história criando grandes manchas negras.

O gnosticismo atual atua como uma prostituta. Tudo serve para alcançar a consciência máxima e a aproximação divina.

Quando refiro a tudo, é tudo que há no mundo e não unicamente as religiões.

Em algumas palestras organizadas por uma associação gnóstica que me infiltrei falou-se muito sobre os segredos dos povos Tibetanos e sobre os Incas. Sob a perspectiva histórica e organização social e cultural as palestras são extremamente construtivas.

Mas sob o ponto de vista religioso e sob a filosofia espiritual que a gnose apresenta é simplesmente “prostitutiva”.

Os Incas tinham um conhecimento pleno de grandes arquiteturas, como vemos na cidade de Macchu Pitcchu e suas construções megalíticas nas linhas de Nazca no Peru. Bem como os egípcios que construíram suas pirâmides gigantescas. As civilizações antigas são cheias de mistérios. Sob o ponto de vista cultural, envolvendo as tradições, religioso e científico. O fato de existir mistérios não implica em recorrer a explicações sobrenaturais (veja mais aqui).

O mito da criação dos Incas é semelhante ao visto a passagem do Gêneses cristão.

De fato, o que o gnosticismo propõe é que o alcance do grau máximo de espiritualidade seja feito não com base em um livro sagrado mas em todos os livros sagrados das antigas civilizações, absorvendo tudo que há de bom em todas as grandes religiões do mundo, na ciência, filosofia e interpretando-as sempre de forma metafórica.

O gnóstico moderno faz essa ponte, ele busca a construção da sua identidade espiritual permeando todas as religiões, o esoterismo, a simbologia das sociedades antigas que eram vistas como o auge de espiritualidade.

Os Incas recorriam muito as forças da natureza para explicar os fenômenos naturais e a influencia deles no seu dia a dia. A mãe natureza (Pachamama) e a representatividade animal nesses povos eram grandes.

Pachamama

Os Incas adoravam os condores, as serpentes e o jaguar. Eles representavam os três reinos existentes.

As tradições Incas permeavam a metempsicose ou transmigração das almas de acordo com as ideias vedanistas do hinduísmo e muito de sua filosofia era semelhante a vista nas tradições gregas pitagóricas e órficas. Muito do totenismo que os Incas praticavam respaldavam no ocultismo e animismo.

A sociedade era extremamente complexa, mas essencialmente justa.

Até que ponto o ritual místico deixa de ser uma tradição cultural interessante e passa a abrigar teorias estúpidas e infundadas?

O fato dos Incas construírem cidades como Macchu Pitcchu de forma tão especial sob o ponto de vista da engenharia ou do sistema hidráulico e sanitário não é especial a tal ponto de suportar interpretações absurdas.

O problema das interpretações gnósticas é dado justamente pela promiscuidade ao se interpretar o que existe no mundo.

Para o gnóstico moderno tanto a ciência, antropologia, filosofia, religião, tudo serve como mecanismo que sustenta a busca da espiritualidade em sua plenitude.

O fato de interpretar que os Incas eram muito mais espiritualizados e gnósticos do que o homem moderno não prova que eles tinham regalias sobrenaturais.

De fato, o desafio já se inicia em saber administrar interpretações teológicas diferenciadas. Como sustentar uma crença em comum com tradições ocidentais e orientais?

Na maçonaria o primeiro estatuto obrigatório exigido para fazer parte da ordem é acreditar em Deus. Na maçonaria ele é chamado de Grande Arquiteto e independe de qual religião as pessoas frequentem, pois nos templos não se discute teologia e sim outros temas, de cunho filosófico.

No gnosticismo moderno tenta-se conciliar tudo, e por isso apresenta-se como religião promiscua.

O grande problema é que muitas dessas interpretações são conflitantes. Se por um lado o mito da criação Inca que é baseado no deus Viraconcha que é semelhante ao cristianismo; como separar os pontos conflitantes?

Viraconcha, principal Deus Inca. Também é uma reverência ao Sol.

Ou seja, como conciliar o ocultismo Inca com as tradições jesuíticas cristãs já que são tão antagônicas?

O ocultismo recebeu uma visão totalmente estereotipada graças ao cristianismo.

A tradição crista conseguiu associar ocultismo como sinônimo de satanismo.

Satanismo ou satã é uma palavra de origem hebraica; satã cuja tradução significa simplesmente inimigo.

Obviamente esse conceito foi transmitido com o caráter do mal metafísico que se materializa e induz a inversão de valores, promovendo o mal moral.

Mas o ocultismo não é essencialmente o satanismo. Existem muitas culturas que são ocultistas e que não são satanistas e respaldam suas crenças no paganismo, xamanismo, druidismo e animismo.

É exatamente o que os Incas faziam. Interpretam a Terra como a mãe Pachamama e recorriam a forças da natureza como o condor, serpente e o jaguar. Muitas tradições indígenas, inclusive no Brasil são totalmente ocultistas (o deus Nhanderu e outras forças xamãnicas que tive o prazer de conhecer em uma tribo Tupi no sul de]a região metropolitana de São Paulo) sem ao menos conhecer o conceito de cristianismo, Jesus ou satanás. O que não significa que devemos converte-las, mas sim preserva-la como um patrimônio histórico do país.

Outra questão bastante interessante vem dos mistérios que cercam as antigas civilizações.

O fato de existir pirâmides gigantescas no Egito que o homem atual com sua engenharia moderna seja incapaz de recriar não prova que as pirâmides foram criadas por seres extraterrestres. Apenas prova que não sabemos como elas foram criadas. Mistérios não solucionam mistérios.

Guerras, miséria, surtos patológicos e destruição são acontecimentos que destroem conhecimento tecnológico e científico. Muitas delas ocorrem nos últimos 10 mil anos, inclusive após a criação do Crescente Fértil.

O fato de uma trilha por dentro da mata ser feita por Incas em três horas e por nós modernos em três dias não comprova que os Incas tiveram uma mãozinha de seres extraterrestres.

De fato, o gnosticismo moderno considera a existência de seres extra-terrestres que nos visitaram no passado a tal ponto de nos ensinar tudo o que sabemos hoje, inclusive o dom do teletransporte.

Uma das alegações gnósticas tenta conciliar ciência e religião e a ideias de que os Incas usavam portais dimensionais, como a quarta, quinta ou sexta dimensão para construir suas cidades.

Muitas dessas dimensões, usadas como acesso para universos paralelos eram alcançadas graças aos altos estágios de espiritualidade, de auto-conhecimento que a gnose proporcionava nessas civilizações antigas.

O fato de que os beduínos tinham conhecimento do cimento não é levando em consideração na construção das pirâmides ou que apesar de antigos os povos eram extremamente inteligentes a tal ponto de construir tais pirâmides é fundamental para sabe qual a real situação na qual essas grandes construções foram feitas.

Uma das alegações é que o homem atual apenas esta descobrindo cientificamente essas dimensões que já eram utilizadas por Incas no passado graças aos seres extra-terrestres. A Relatividade de Einstein só estaria provando o que o gnosticismo previa, suportando a ideia de teletransporte e telepatia.

Essa interpretação que beira muito a noética é puramente absurda pelo simples fato de que a acessibilidade a outras dimensões (se é que é possível acessar os multiversos) é dada por elementos físicos e não pelo alcance de alto grau de espiritualidade ou auto-conhecimento.

O que promove os buracos de minhocas ou a troca de papeis entre o espaço e o tempo no universo é o choque de corpos celestes que são gravitacionalmente colapsados e não graças a um estagio de espiritualidade alto.

Como seria possível o auto-conhecimento pleno, absoluto abrir um portal dimensional?

Da mesma forma cabe a astrologia. Como poderia o posicionamento dos astros definir a personalidade das pessoas?

Não há evidência alguma. O alinhamento planetário e galáxico que esta para acontecer no final de 2012 segundo os Maias alterará somente cerca de um milímetro do nível do mar no planeta Terra. Uma interferência sem significado algum na relação astronômica do planeta com o Sol e sem relação alguma como a nossa neuropsicobiologia.

Se a terceira guerra mundial estourasse hoje e sobrevivessem somente alguns milhares de homens certamente em alguns milhares anos seriamos idolatrados como seres abençoados por entidades terrestres quando os restos de carros de corrida e ônibus espaciais fossem encontrados como relíquias arqueológicas.

O mistério permanecerá sobre a sociedade que viveu na nossa época moderna.

O mistério sobre a nossa sociedade atual dará asas a mitologias como as que hoje fazemos sobre os Incas, Maias, Astecas e tantas outras.

1) Escrita feita com letras alongadas. 2) quando olhada sob um determinado ângulo fica nítido o que esta escrito. Algo semelhante foi feito nas linhas de Nazca para que orientasse os membros da sociedade Inca com o uso de desenhos.

As linhas de Nazca representam exatamente isso. Mas todos se esquecem de que elas foram feitas na lateral de montanhas, que favorecem a visualização total dos desenhos e não a velha interpretação de que seriam marcações para o pouso de naves espaciais.

 .

Scritto da Rossetti

Palavra chave: NetNature, Rossetti, Incas, Peru, Gnosticismo, Gnose, Pachamama, Nazca.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s