HUMANOS JÁ INTERAGIAM COM CÃES E GATOS NA PRÉ-HISTÓRIA, DIZ ESTUDO. (comentado)

Há 10 mil anos, cães ajudavam na caça e gatos afastavam os ratos.
Escavações foram feitas na ilha de Chipre, no Mar Mediterrâneo.

Um estudo publicado nesta segunda-feira (7) encontrou os vestígios mais antigos de fixação humana no Chipre e, de quebra, descobriu que os primeiros habitantes da ilha mediterrânea criavam gatos e cachorros.

As escavações no sítio arqueológico de Klimonas mostraram objetos e restos de animais que contam muito sobre a sociedade estabelecida entre 11,1 mil e 10,6 mil anos atrás. A pesquisa feita pela equipe de Jean-Denis Vigne, do Museu Nacional de História Natural da França, e publicada pela “PNAS”, revista da Academia Americana de Ciências.

Os melhores amigos do homem não seriam apenas animais de estimação, segundo os autores. Vestígios de porcos selvagens indicam que os primeiros cipriotas dependiam da caça. Os cachorros, então, teriam sido levados até a ilha para auxiliar nesta atividade, sugere o estudo.

A utilidade dos gatos também estava ligada à alimentação. Os habitantes cultivavam trigo, e há indícios da presença de ratos no local. Os roedores são uma praga que prejudica a produção do cereal, e os gatos teriam sido a solução encontrada para proteger as plantações.

Além da presença de gatos e cachorros, a pesquisa revelou características de uma sociedade complexa, que já tinha locais para armazenamento de alimentos, encontro da população e rituais religiosos.

A existência de uma sociedade tão antiga em uma ilha, relativamente pouco tempo após a descoberta da agricultura, mostra também que o ser humano já tinha capacidades avançadas de navegação, e que o alcance geográfico dos primeiros fazendeiros do Oriente Médio foi maior do que se pensava.

Escavações no sítio arqueológico de Klimonas, no Chipre (Foto; PNAS,Divulgação)

Fonte: G1

.

Resenha do autor

Ao que parece essa descoberta não esticou tanto assim a data da domesticação dos gatos, porcos e cães.

Os primeiros porcos domesticados realmente datavam cerca de 11 mil anos. Eles foram inicialmente domesticados no Oriente médio e posteriormente novamente domesticados na Europa. Os primeiros bovídeos também foram domesticados a cerca de 9 mil anos no Irã e posteriormente dos primeiros camelos. Existem registros arqueológicos e paleoantropológicos que mostram que homens e lobos e possivelmente cães já interagiam a cerca de 30 mil anos. Assim a domesticação dos cães pode se estender para cerca de 40 mil anos. (veja aqui)

Não há tanta distancia entre o Egito e a Ilha de Chipre. Até então, os egípcios tinham sido os primeiros a manter esses animais como bicho de estimação.

Essa domesticação parece ter sido fruto da convivência do homem com os gatos selvagens. É possível que a domesticação do gato ocorreu de forma independente em diversos pontos do planeta.

Em 2000 um grupo de geneticistas coletou amostras de DNA de gatos em diferentes pontos do mundo. Foram coletadas amostras de mais de 970 selvagens e domésticos do Sul da África, Azerbaijão, Cazaquistão, Mongólia, Europa e Oriente médio. Os estudos se concentraram em dois trechos de DNA que usaram como referência para diferenciar subgrupos de espécies, o DNA mitocondrial. Cada um desses gatos teve seu DNA analisado e classificado em 5 linhagens.

Quatro dessas linhagens correspondiam a subespécie de gato selvagem que habitam locais bastante específicos. O Felis silvestris silvestris na Europa, Felis silvestris bieti na China, Felis silvestris ornata na Ásia Central e o Felis silvestris cafra no sul da África.

A quinta linhagem incluiu não somente a quinta subespécie selvagem Felis silvestris lybica do Oriente médio mas também gatos domésticos de amostragem incluindo raças puras e híbridos.

A linhagem Felis silvestris lybica mostrou que a origem desses gatos remete a um ancestral comum que viveu no deserto de Israel, Emirados Árabes ou ainda na Arábia Saudita, e eram extremamente indistinguíveis da versão doméstica.

Uma estatueta de marfim encontrada em Israel de cerca de 3.700 anos indica que o animal era bastante comum em vilarejos.

As pinturas egípcias do Novo Império na cidade de Tebas (Egito) demonstram as melhores representações da domesticação total. Nessas pinturas pode ser visto gatos deitados em cadeiras, amarrados em coleiras, com focinheiras e com frequência comendo sobras de comida em tigelas.

Há mais de 2.900 anos, o gato doméstico se tornou a divindade oficial do Egito, segundo a forma da deusa Bastet. Muitos gatos domésticos eram sacrificados ou mumificados em homenagem a esta deusa.

.

Scritto da Rossetti

Palavra chave: NetNature, Rossetti, Domesticação, Gatos, Chipre.

.

Referências

* Stephen J. O`Brien e Warren E. Johnson. A Evolução dos Gatos. Scientific american. Agosto 2007.
* Carlos A. Driscoll, Juliet Clutton-Brock, Andrew C. Kitchener e Stephen J. O’Brien. A longa e (incompleta) domesticação do gato. Scientific american. Julho 2009.
Anúncios

3 thoughts on “HUMANOS JÁ INTERAGIAM COM CÃES E GATOS NA PRÉ-HISTÓRIA, DIZ ESTUDO. (comentado)

  1. Temporalmente não.
    Há 10 ou 30 mil anos atras, ou até mesmo a 200 o homem já era Homo sapiens, de acordo com a biologia. Não era adâmico porque sob o ponto de vista bíblico o homem e tuso que existe foi criado a 6 ou 7 mil anos.

  2. o que eu acho até engraçado… é o homem contemporâneo acha que o as gerações anteriores eram compostas apenas por antepassados burros e ignorantes… o homem sempre foi inteligente… e sempre buscou resolver os seus problemas, obter ter laser e conquistar conforto. simples assim!

  3. João Carlos A. Vargas _ A verdade se assim podemos chamar pode ser encontrada se abrimos os horizontes e fronteiras de nossa mente, rompemos com os dogmas e teorias científicas e começarmos a ver o assunto com os olhos do coração que é cósmico e não se limita a ceitar só o que alguém disse, desde claro isso não responda a perguntas clássicas que nem religião ou ciência foi capaz, a alma humana é indomável e transende os limites do cotidiano, até porque tem coisas que nos dizem ou lemos que nos dói a razão.
    Somos um somatório de esperiências consecutivas, os animais também, e os domésticos são os se aproximam muito de nós no campo dos sentimentos, interagem conosco de uma forma tão íntima, que a vezes parecem mais humanos que nós, isso é porque são nossos irmãos na corrida evollutiva que um dia com certeza em algum ponto do universo já evoluiram igual ou mais que nós, e não só no campo do intelecto, mas principalmente moralmente, são muitas as possibilidades e moradas do criador pelo infinito universo, em algum lugar humanos e outras espécies são iguais, ou até não evoluimos mais que eles.
    Temos que abrir mão de nos sentirmos especiais, pois não somos melhores do que os animais que fazemos nos servir com seu trabalho escrvo, com sua morte para nos alimentar ou que nos servem de bibelôs, como se fossem brinquedos ao nossso bel prazer, se realmente os tornarmos companheiros e os respeitar e amar estaremos dando um grande passo em nossa evolução.,
    Pensem nisso e não sejam manipulados pelos interresses econômicos da indústria alimentícia, pela mídia e outros manipuladores de consciência. O planeta dos macacos pelados tem muito a nos revelar ainda, quem viver verá, graças a Deus.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s