DESCOBERTA DE VIDA EXTRATERRESTRE ATÉ 2020. (comentado)

Sem dúvida esse é um dos assuntos mais polêmicos e mais debatidos desde que a humanidade começou a se interrogar sobre sua origem. Mesmo sendo acusado de cético por alguns e visionário por outros, vou partir de uma premissa válida, já apontada por Carl Sagan, de que existe sim vida em outros planetas – caso contrário seria um tremendo desperdício de espaço, considerando as fantásticas dimensões do nosso universo.

E para restringir um pouco a polêmica, abordarei a descoberta de vida em outros planetas em suas formas mais primitivas: bactérias, protozoários, fungos, algas, musgos, etc. Deixarei o debate sobre a equação de Drake, paradoxo de Fermi e outros aspectos da possibilidade de civilizações extraterrestres tecnologicamente evoluídas para mãos especializadas – os ufólogos.

Colocada esta condição de contorno, ouso fazer minha aposta:

– Até 2020 a ciência oficial irá anunciar a descoberta de vida extraterrestre.

Provavelmente um organismo extremófilo a ser encontrado em alguma caverna de Marte ou em um dos célebres satélites de Júpiter e Saturno (tais como Europa ou Titã respectivamente), cujos oceanos, mesmo a baixíssimas temperaturas poderiam muito bem abrigar um extremófilo policelular, como o krill antártico, por exemplo.

Apenas recordando nossas aulas de biologia, é considerado extremófilo todo o organismo cujo habitat encontra-se em condições geoquímicas extremas, prejudiciais à maioria das outras formas de vida na Terra, tais como fontes de água muito quente ou muito gelada, rios, lagos ou mares muito salinos, muito ácidos ou muito alcalinos, pântanos (onde produzem metano) ou ambientes ricos em gás sulfídrico, arsênio, ou com extremos de temperatura ou com elevada radioatividade.

Listo aqui alguns exemplos:

  • Micro-organismos do domínio Archea que se assemelham às bactérias e são encontrados nas águas ferventes da maior fonte geotermal do mundo o “Grad Prismatic Spring” (foto) do parque nacional de Yellowston (EUA).
  • Verme de Pompéia (Alvinella pompejana): um poliqueta vermiforme extremófilo, encontrado em águas profundas, especificamente em fontes hidrotermais do Oceano Pacífico.
  • Insetos da ordem dos Grylloblattodea que vivem em dobras de bancos de neve e cavernas de gelo e geralmente em elevadas altitudes.
  • Bactérias da família Halomonadaceae encontradas no lago Mono (EUA), de altíssima salinidade e rico em um célebre veneno – o arsênio.
  • Krill antártico – um artrópode, primo do camarão, que sobrevive em águas cujas temperaturas estão próximas de 0oC e mesmo assim representa, em termos de biomassa, uma das espécies mais bem sucedidas em nosso planeta.
  • Fungos radiotróficos que usam a radiação gama para viver da mesma forma que as plantas utilizam a luz, tais como as espécies Cladosporium sphaerospermum, Wangiella dermatitidis e Cryptococcus neoformans que foram encontrados recentemente formando uma espécie de bolor nos restos mortais do reator de Chernobyl na Ucrânia e sobrevivem em um ambiente cujo nível de radiação é pelo menos 500 vezes maior que o normal.

É lógico, portanto, intuir a possibilidade iminente de algumas das diversas sondas enviadas para os mais diversos pontos de nosso sistema solar, encontrar organismos unicelulares ou mesmo policelulares adaptados a essas condições extremas. A meu ver é só uma questão de tempo.

Eu fiz minha previsão. Qual é a sua?

Fonte: Hypescience

.

Resenha do autor

Apesar de brilhante, Carl Sagan faz uma afirmação bastante incomum para alguém que é ateu “caso contrário seria um tremendo desperdício de espaço”. Não gosto muito da linha de pensamento de Sagan em seu livro Bilhões e Bilhões na qual ele deixa de lado a astronomia e discute pobremente a questão ambiental.

Sagan, ao afirmar que seria um grande desperdício de espaço a vida existir somente na Terra é uma afirmação antes de tudo teleológica, tão religiosa quando o cristianismo que tanto criticava. Afinal, quem disse que o universo deveria ser preenchido por vida?

A vida em si é uma improbabilidade, e por assim ser, é improvável (talvez impossível) que exista em todas (ou algumas) galáxias do universo. O fato de estarmos aqui, presentes e pensantes, conscientes, cientes de que somos cientes das possibilidades reais de tais eventos, não implica em dizer que a vida é obrigatória nos quatro cantos do universo, tão pouco a consciência. A nossa consciência, sob a definição do reconhecimento de que somos e estamos vivos e de que somos conscientes é um mero pingo no tempo de existência do Universo.

Por ser consciente presumimos que vida não seja unicamente o que vivemos, precisamos de motivos para suportar a ideia de que não somos os únicos flutuando como um pólen no mar, segundo o “movimento browniano” da existência do ser. Presumimos que a felicidade é um direito e que a justiça humana ou divina existe. Ora, o mundo é cruel, a vida é destruída cotidianamente das formas mais cruéis possíveis e se a ciência dessa realidade é uma decepção para nossas convicções pessoais criamos argumentações teleológicas.

Não há qualquer motivo para estamos aqui, para acreditar que a vida tem um sentido. A vida tem o sentido que quisermos dar a ela. Casar ou ter filhos e satisfazer nossa sede de procriação, ou que estamos aqui para cumprir uma missão divina. A vida tem o sentido que utopicamente quisermos dar a ela pelo simples fato de que a vida é o mero resultado do desenvolvimento do universo desprovida de qualquer finalidade, razão pela qual nossa espécie e a vida em si terminará um dia de acordo com a própria senescência do universo e da lei da termodinâmica.

O universo atua como um grande laboratório químico. Nada mais especial do que olhar para o espaço e ver nebulosas, berçários de estrelas e corpos se formando.

Mas a origem da vida ou a presença de vida extraterrestre parece estar ligada a limites muito evidentes. O que concordo com Sagan é que devemos sempre buscar vida inteligente fora do planeta. Pela simples necessidade de diminuir ou aumentar as chances de saber se elas existem. Particularmente não acredito e duvido que Sagan acreditasse que a vida inteligente como a humana existe igualmente em outros planetas ou galáxias. Isso ocorre por uma improbabilidade clara.

É improvável e talvez até impossível que a vida inteligente exista em outros pontos do planeta. Não somente pela equação de Drake ou o paradoxo de Frame. Sob o ponto de vista da vida inteligente dotada de sabedoria (inclusive para construir discos voadores) é impossível pelo simples fato de que a conformação anatomica desses seres é tipicamente humana. Seria muito presunção achar condições para isso ocorrer. Vejamos os fatores que dificultam essa proposta.

Para que haja um ser vivo dotado de inteligência superior, ou telepatia e uma anatomia dividida em cabeça, tronco e membros é necessário que os processos de origem da vida sejam exatamente os mesmos que ocorreram na Terra (supondo que a vida surgiu aqui).

Para que esse ser exista ele precisaria originar-se de um ser unicelular que por ventura tenha passado pelos mesmos processos de origem bioquímica que a vida na Terra. Ou seja, sua constituição corporal deve ser feita com base na presença de células e de material genético, o DNA seguindo o sistema de códons e a maquinaria celular semelhante a da vida terrestre.

Dificilmente isso aconteceria novamente. Isso tem implicações até na astrobiologia porque afirmar que encontrar planetas com condições físico/químicas semelhantes a Terra não implica que a vida necessariamente haja ali. Digo isso pelo simples fato de que a vida não surgiria em uma Terra atual. A vida na Terra surgiu em um contexto ambiental distinto, onde a temperatura do sol era pelo menos 25% menor que a atual e a temperatura média da Terra era de 16°C graus. As condições químicas dos oceanos e dá atmosfera eram distintas, o oxigênio era nulo.

Portanto a probabilidade disso acontecer novamente seria remota. Ainda mais remota seria a vida surgir seguindo o mesmíssimo “contrato” bioquímico que o de nossa espécie. A outra questão é; qual a chance dessa vida convergente surgir em outra galáxia e se desenvolver anatomicamente como seres humanos? Como membros com dedos e articulações, uma cabeça com olhos e sistema nervoso idêntico aos nossos pode ter surgido igualmente em outro ponto do universo? Provavelmente nenhuma, mesmo com 200 bilhões de estelas em cada uma das 100 bilhões de galáxias existentes no universo segundo as estimativas mais modestas.

Ainda há outra questão; se existe vida tão inteligente como a nossa e que talvez tenha dado origem a nossa civilização ela necessariamente precisaria ter sido originada anteriormente a nós. Portanto sua origem extrapolaria o limite de tempo de existência do universo que é de 13 bilhões de anos. Isso ocorre pelo simples fato de que toda a vida tem como base química o carbono que é formado a partir do colapso das primeiras estrelas. Portanto a vida deve ter se originado essencialmente a partir de 5 bilhões de anos, ou seja, menos de 1/3 do tempo de existência do universo. Dificilmente uma vida teria surgido e evoluído tão rápido quanto a nossa espécie.

Particularmente não vejo base estatística no paradoxo de Fermi que estuda a aparente contradição entre as altas estimativas de probabilidade de existência de civilizações extraterrestres e a falta de evidências para um contato. Não há base porque não vejo altas probabilidades de existência de civilizações extraterrestres inteligentes.

Ora, a equação de Drake já reduz a existência de vida inteligente a uma única possibilidade. A equação de Drake é dada por N = T x Fp x Np x fv x fi x fc x v , onde T é a taxa de formação de estrelas, pois quanto mais estrelas maior a probabilidade de existência de vida; Fp é a fração de estrelas com sistemas planetários; Np representa o número de planetas ecologicamente aptos a origem da vida, ou seja, parecidos com a Terra primitiva; Fv é fração onde a vida realmente surge; Fi a fração onde a inteligência pode ter surgido; Fc onde a fração onde a vida inteligente produz conhecimento tecnológico para se comunicar com outras formas de vida em função de V que é o tempo de vida da civilização tecnologicamente viva. O cálculo dessa estimativa é 1, ou seja, uma única civilização poderia desenvolver tais características juntas, que por sinal é a nossa civilização.

Mesmo que haja bilhões de bilhões de estrelas nem todas tem planetas e nem todas os planetas semelhantes a Terra tem a mesma composição química ou seguirá os passos que a vida seguiu para se originar na Terra. O paradoxo de Fermi não representa evidencia alguma devido a essas improbabilidades estatísticas e mesmo porque as evidências visuais apresentadas pelos ufólogos na maioria das vezes, 95% dos casos são fenômenos já catalogados pela ciência e pelos próprios ufólogos.

Somente 5% dos objetos voadores são realmente não identificados, o que novamente não implica em dizer que sejam naves espaciais, mas simplesmente fenômenos ainda desconhecidos. Por essas razões que acredito que estudos como este devem conduzidos por astrofísicos e astrobiólogos especialistas em exobiologia, pois estes já tem certeza absoluta da inexistência de vida inteligente. Mesmo que houvesse tais civilizações e que eles tenham capacidade de entrar em contato com a nossa civilização ainda sim a chance é mínima dada a distancia entre os planetas de nossa galáxia e dada a distância entre galáxias que tende a aumentar com a expansão do universo.

Entretanto, existe a possibilidade da vida microbiológica existir em planetas próximos a da Terra, ou de nosso sistema solar. Isso porque teoricamente é possível que elas viajem de um planeta a outro, dada a distância que é relativamente curta, independente da vida ter surgido aqui ou em algum outro planeta de nosso sistema solar. De fato, precisam ser extremófilas, semelhantes as Archaea para atravessar grandes distancias no espaço. O texto acima comete um erro. As Archaea tem um relacionamento evolutivo muito mais próximos aos eucariotos de acordo com uma análise molecular que aproximou-os as arqueas Euryarchaeota.

Se a vida surgiu em outro ponto do nosso sistema solar as estimativas de origem da vida inteligente em outras galáxias se tornam ainda mais desconhecidas pois os cálculos são feitos de acordo com a teoria de que a vida surgiu aqui. O que temos como certeza até o momento é que a vida inteligente extraterrestre é mera especulação e reflete antes de tudo convicções teleológicas sem fundamentação alguma já que a não há finalidade alguma na composição do universo.

Saiba mais em UMA PERSPECTIVA HISTÓRICA SOBRE A FINALIDADE, OU SUA FALTA NA COMPOSIÇÃO DO UNIVERSO.

 .

Scritto da Rossetti

Palavra chave: NetNature, Rossetti, Exobiologia, Astronomia, Carl Sagan, Teleologia, Ufologia, Extra-terrestres, Terra.

5 thoughts on “DESCOBERTA DE VIDA EXTRATERRESTRE ATÉ 2020. (comentado)

  1. Caro Rossetti, estamos falando das respectivas crenças de cada um. Quem nunca foi a Paris, há algumas décadas ou séculos, tinha que acreditar no que alguém contava, MESMO QUE FOSSE UMA MIRAGEM OU IMAGINAÇÃO. Hoje temos meios de conhecer Paris sem precisar ir lá, É A FUNÇÃO OU UTILIDADE DA CIÊNCIA, mostrar de fato o que pode ser mostrado. Algumas “revelações de ontem” que já são fato hoje para a ciência, ainda que mera “ficção” para os cientistas:

    a) SÓ NOS É PERCETÍVEL MENOS DE 5% DA MATÉRIA DO UNIVERSO. Isso já está escrito na doutrina espírita há 160 anos atrás, e até hoje ainda não se acredita, mas se acredita nos “5%”, um mero cálculo “imaginativo”!!
    b) A ciência ainda hoje não ‘sabe’ o que seja a Vida ou o ser-vivo, QUE É A DUALIDADE DE ESPÍRITO E CORPO MATERIAL, isso está escrito há 4 mil anos em qualquer religião, mas a ciência continua procurando vida dentro do cérebro, um mero computador sofisticado!.
    c) A ciência “jura por Deis” que a Vida é uma mera ocorrência ocasional da própria natureza, AINDA QUE SUA PRÓPRIA LEI DIZ QUE ISSO É IMPOSSÍVEL, mas é nisso que os evolucionistas acreditam, e bastaria apenas entender que ORGANISMO MATERIAL NÃO PODE SE TORNAR VIVO POR SI MESMO. Se não é possível, A RELIGIÃO ESTÁ CERTA?
    d) A ciência está querendo descobrir “organismos materiais” semelhantes aos da Terra, como se a vida fosse esses “organismos materiais”..A doutrina espírita diz há 160 anos que HÁ VIDA EM TODO O UNIVERSO, INCLUSIVE ENTRE NÓS MESMOS E QUE SEQUER NÃO PERCEBEMOS exatamente por utilizar matéria que não nos é perceptível, APENAS OS 95,4% NA REALIDADE! Que os organismos não são necessariamente iguais aos nossos, que é apenas “um projeto terráqueo” como minha conclusão. Mas só se crê no que se vê!!
    e) Parte-se da “ilusão científica” de que encontrando “células” em algum lugar, LOGICAMENTE SE ENCONTRARÁ VIDA, e nem se presta atenção na própria vida na terra. UMA CÉLULA SÓ SE TORNA VIVA DENTRO DE OUTRO SER-VIVO E PELO TRABALHO DE OUTROS MICRO-ORGANISMO, que fisiologicamente são exatamente iguais à célula. Seria como “descobrir” que havendo átomos, e há no Universo inteiro, HAVERÁ VIDA, e a “matéria orgânica” que confundimos com vida, É FEITA DOS MESMOS ÁTOMOS DA MATÉIRA INERTE, é isso exatamente que a doutrina diz. A questãos é a Vida é um “projeto”, e sendo projeto, É INTELIGENTE, e sendo inteligente, NÃO PRECISA SER NECESSARIAMENTE IGUAL EM QUALQUER PARTE. É só olhar para os artefatos que o homem faz! Mas precisamos acreditar no que doutores pardais sonham!!
    f) A “curiosidade humana” tem duas vertentes, A CURIOSIDADE QUE SE SATIFFAZ PROVISORIAMENTE COM A CRENÇA, e a CURIOSIDADE QUE SE SATISFAZ EM “REIINVENTAR A RODA”, ISTO É, SÕ ACREDITA NO QUE VÊ, e somos tão cegos que vemos menos do quase qualquer outra espécie “menos evoluída”. Se vermos algo, não precisa mais ser inventada, essa é a ingorância do “inventor mal informado”!
    g) Quem de fato “descobre” não é o “doutor Pardal” que inventa, MAS QUEM PAGA AO “ARTISTA’ PARA FAZER SUAS EXPERIÊNCIAS. E nunca o retorno vem do que se inventa, MAS DA UTILIDADE QUE QUEM PAGA ENCONTRA DO ARTEFATO DE QUEM INVENTA.
    h) De prático, é claro que existe mais “organismos vivos” no Universo, e até mesmo entre nós, e só teremos condições de “ver”, quando estivermos suficientemente moral, ética e intelectualmente evoluídos para tal. Por enquanto, somos como crianças que aprendem usar briquedos e bricandeiras para aprender, esse é o estágio real de nossa ciência. Estamos descobrindo o DNA que JÁ FUNCIONA HÁ 4 BILHÕES DE ANOS NA TERRA. É o orgulho do ignorante que pensa que já sabe correr quando apenas aprendeu a andar!
    i) A mente evolui também pelo “sonho”, que nada mais é do que a “memória espiritual”, como também está escrito na doutrina espírita, e é claro que cada pode acreditar no “sonho que lhe parecer melhor”. Podemos “sonhar” acreditando que de fato seja sonho, ou sonhar acreditando no que apenas é nosssa ignorância!!
    j) QUAL A UTILIDADE PRÁTICA DE ALGUÉM DESCOBRIR VIDA IGUAL À NOSSA NOUTRO PONDO UNIVERSO? E por acaso, esse alguém se existir, NÃO JÁ NOS ENCONTROU, apenas ainda “escondido” na nossa própria ignorância?
    l) Qual a base “científica” de que até 2020 encontraremos vida em alguma lugar? PORQUE ESTÁ-SE DESOBRINDO ÁGUA, OU VESTÍGIO DELA? E água não hidrogênio e oxigênio, que sabemos existir no universo inteiro? QUAL É A DESCOBERTA? Confunde-se água matéira, COM ÁGUA E MAR, ÁGUA E RIO, ÁGUA E CHUVA OU NUVEM, que são PROJETOS TERRÁQUEOS. E projeto sem inteligência, só na cabeça de “céticos”!

    Sem juntar os conhecimentso das Artes, da Religião e da Ciência, estamos ainda como Alice no seu mundo de sonhos, porque estamos na infãncia do conhecimento. O difícil é admitir o óbvio. Ai os “doutores pardais” vendem seus sonhos, para quem tem dinheiro colocar neles, e quem tem o dinheiro sabe que o retorno nunca estará nos sonhos, que afinal de contas não servem para nada, O QUE SERVIRÁ PARA NÓS DESCOBRIR QUE EXISTE UM “MARCIANO” EM MARTE? Mas sabe no tempo que a utilidade dos sonhos surge onde eles de fato não atingem, É ASSIM COM TODAS AS INVENÇÕES HUMANAS. Atira-se no que se vê, e se acerta no que não se vê, essa é a utilidade dos ‘doutores pardais” sonhadores, que os empreendedores sabem por “instinto”!! Sabem o que o LHC vai descobrir? Os cientistas não sabem e nem vão saber com um elefante branco feito de matéria que se “vê”, para desscobrir matéria que não se “vê”! MAS OS LABORATÓRIOS JÁ SABEM QUE VÁRIOS ARTEFATOS E DESCOBRIMENTOS LÁ, VÃO SERVIR PARA SUAS RESPECTIVAS INDÚSTRIAS. Essa é a grande utilidade dos ‘sonhadores’ que só acreditam no que podem ver!! É SERVIREM para o que não conseguem ver! ESSE É O PARADIGMA DAS ARTES, ONDE FAZ SENTIDO O “DEUS INFINITO”, que é, portanto, paradigma das artes, não da religião como crença e muito menos da ciência como mera descrença!!
    Os cientistas inventores, são de fato SONHADORES ACORDADOS, e essa é a grande contribuição que de fato trazem à ciência e à humanidade! Míopes que com um “estilingue” nas mãos, miram o que vêm, e acertam no que não vêem. E nem adianta alguém dizer que estão “mirando errado”!

    Bom texto para conjecuras, evidentemente.
    arioba.

  2. Existe sim, mais evoluídos nãos no estado compacto do ser humano, existindo muitas civilizações avançadas que não usam dinheiro tem um conceito moral e ético melhor do que o nosso, se alimentam das particula proviniente do universo, não precisam percorer distancia com automoveis, o etado da matéria para eles já é um estado ultrapassado, ajudam civilizações que querem ajuda, para eles os terraqueos perdem muito tempo dinheiro, com política e guerras armamentistas…

    • Se estão em um estado distinto da matéria como podem ser percebidos cientificamente? Como provar cientificamente que tudo isso que voce disse realmente existe e não é uma mera intuição?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s