DOCUMENTOS EGÍPCIOS AJUDARAM A VERIFICAR IDADE DO EVANGELHO DE JUDAS . (Comentado)

Texto apócrifo encontrado na década de 1970 contém tinta do século 3 d.C. Evangelho diz que apóstolo não traiu Cristo, mas teria seguido pedido pessoal.

Pesquisadores explicaram nesta segunda-feira (8), em reunião da Sociedade Química dos Estados Unidos, que a possibilidade de o Evangelho de Judas, texto que retrata o apóstolo considerado traidor de Jesus Cristo, ser realmente antigo, só foi levada a sério após a realização de análise química, que comparou o documento com escritos egípcios feitos há 1.700 anos.

Uma das páginas do documento denominado Evangelho de Judas, encontrado no Egito na década de 1970. (Foto; WolfgangRieger,Creative Commons)

Uma das páginas do documento denominado Evangelho de Judas, encontrado no Egito na década de 1970. (Foto; WolfgangRieger,Creative Commons)

Joseph Barabe, um dos cientistas envolvidos, detalhou no encontro o resultado do estudo, que foi divulgado em 2006.

O evangelho apócrifo foi encontrado na década de 1970 e teria sido elaborado pelos primeiros cristãos.

Segundo o cientista, a tinta encontrada nesses papeis tem características similares às das tintas presentes em contratos de casamento e de terras do Egito do século 3 d.C. Os documentos do Egito Antigo utilizados na pesquisa estão atualmente no Museu do Louvre, em Paris.

A descoberta deu aos pesquisadores a confiança para declarar que o documento foi produzido em 280 d.C, isentando-o de ter sido falsificado mais recentemente. O Evangelho de Judas está atualmente no Museu Copta, localizado no Cairo.

 

Processo de identificação

A partir da análise microscópica e de produtos químicos, os pesquisadores concluíram que o documento de fato é antigo – o que não significa que seu conteúdo é verdadeiro. Uma das características que mais confirma a antiguidade do texto é a maneira que a tinta estava no papel.

De acordo com a pesquisa, foi possível constatar que a tinta foi colocada no papel quando ele ainda era novo, ou seja, quando era plano (e não costumeiramente enrolado, como os demais pergaminhos). Além disso, o mesmo papel não havia passado pelo processo natural de envelhecimento quando recebeu os escritos.

Também foi feita a datação do documento pelo processo de radiocarbono, que determina a antiguidade dos compostos orgânicos pela radiação, e a análise do roteiro e do estilo linguístico.

Pedido especial de Cristo a Judas

A peça chamada de Evangelho de Judas está escrita na língua copta, utilizada no Egito Antigo, e apresenta Judas Iscariotes de uma maneira diferente dos demais Evangelhos.

O texto sugere que Jesus teria pedido ao amigo Judas que o entregasse às autoridades para execução, como parte de um plano para libertar seu espírito de seu corpo. Já nos textos aceitos pela Bíblia, Judas traiu Cristo em troca de 30 moedas de prata.

Fonte: G1

.

Comentários do autor

O evangelho de Judas é um retrato do cristianismo gnóstico que existiu concomitantemente ao cristianismo primitivo, que deu origem a tradição filosófica cristã da idade média e atual. Para o gnóstico, o auge da espiritualidade era o florescer da compreensão do que somos, quem somos e como nossa constituição emocional pode nos fornecer respostas a respeito de nossa natureza espiritual. Algo bastante semelhante a construção interna do conhecimento como a filosofia da maçonaria que faz um chamado a construção interna do templo do rei Salomão. Ou seja, ela busca a sabedoria interna. Para os gnósticos da época pós-Cristo o Deus do Velho Testamento não era o mesmo que enviou Jesus. De fato as duas divindades seriam inimigas mortais. O Deus hebraico era um sádico sanguinário e controlava apenas o mundo material, já o universo espiritual seria dominado por um Deus bondoso, pai de Jesus.  De fato há uma diferença clara entre a personalidade do Deus do velho testamento e o do Novo Testamento, parecendo tratar-se de dois seres distintos. Por volta de 170, o gnosticismo foi declarado proibido pelas autoridades eclesiásticas, e Marcião de Sínope, um dos divulgadores do gnosticismo cristão foi excomungado. Roma, que durante anos foi a maior inimiga dos cristãos tornou-se posteriormente o maior representante desta religião. Atualmente, o gnóstico é aquele que não importa se você olha para os ensinamentos cristãos, ou a passagem das quatro verdades ou do óctuplo do budismo, todas elas tem interpretação puramente metafórica e por vezes iguais, complementares. Os gnósticos do passado viam Jesus como um templo de sabedoria que conectaria a alma humana com Deus, entregar Jesus aos romanos para que fosse morte significa a libertação da alma humana para o encontro com Deus, ou seja, o alcance do auge da espiritualidade. Portanto, Judas não seria inimigo de Jesus, mas sim seu melhor amigo segundo a própria descrição do evangelho. Obviamente que dizer isso hoje soa como heresia uma vez que o que se entende por cristianismo é meramente os livros da bíblia pregados desde a Idade Média como verdade absoluta. É importante lembrar que os livros apócrifos da bíblia também fazem parte da história do cristianismo. A datação confirma a autenticidade do evangelho embora o que ali está escrito não significa ser verdade, mas a autenticidade dos livros da bíblia também foi feita e permanece como o livro de Judas; não significa que o que esta escrito na bíblia seja verdade. A bíblia é um relato teológico de uma civilização e não um relato histórico puro, cru, sem alegorias religiosas sobre da origem de tudo da vida, da humanidade e da sobrenaturalidade de seres. É exatamente por tratar de seres sobrenaturais que se enquadrada como um relato muito mais teologia e pouco histórico.

Veja o documentário o evangelho de Judas.

Scritto da Rossetti

Palavra chave: NetNature, Rossetti, Judas, Jesus, Cristianismo, Roma, Evangelho.

One thought on “DOCUMENTOS EGÍPCIOS AJUDARAM A VERIFICAR IDADE DO EVANGELHO DE JUDAS . (Comentado)

  1. Caro Rossetti, concordo com você em vários pontos, discordo de outros. A questão “gnóstica, ou agnóstica, ou crente ou atéia”, reafirmo serem qustões de sexo de anjo, significa ver a história conforme se quer vê-la.

    O fato real e constatável é que as religiões surgiram da pajelança de poder temporal, ISTO E, O PAJÉ QUE SUPOSTAMENTE TINHA A SABEDORIA, DAVA AO CACIQUE A SUSTENTAÇÃO DO PODER, QUE SIGNIFICA EXATAMENTE O SABER PARA GOVERNAR. As igrejas surgiram de fato antes das religiões. E a grande moral e ética da pajelança do poder desde Adão e Eva ou o “homem agrícola” na versão científica era e ainda é MENTIR PARA GOVERNAR. Antes disso a sociedade se liderava principalmente pelo “chefe de família”, como ainda se vê nas demais espécies). O “pai” tinha a autoridade como pai, quando se juntaram várias famílias, surgiu o “patriarca”, que como carisma pessoal, tinha que ter a faculdade de “poder”, ainda que lhe faltasse a autoridade do saber. O pajé surgiu para suprir isso, AI COMO ATÉ HOJE, SE FORMOU UM CACIQUE QUE DE FATO TINHA A LIDERANÇA: PODER E AUTORIDADE, nada muito diferente do que vemos até hoje. O patriarca era o chefe que tinha autoridade ou saber pelos pajés que o rodeavam. Pajé é sinônimo de religioso, hoje de fato é o “economês”, misto de economista com político.
    Então, a “autoridade igrejeira” foi de fato a origem da religião, À MEDIDA QUE A INTELIGÊNFCIA HUMANA EVOLUÍA. Se saiu dos “deuses guerreiros” e e se entrou de cabeça num “Deus mental infinito”, que até hoje é obejto de discussões idiotas.
    A questão desse evangelho, escrito já no final do sec. 3, tinha outra característica histórica. O cristianismo surgiu no início como os terreiros de umbanda de hoje, NO FUNDO DO QUINTAL DE ALGUÉM, os apóstolos na realidade nunca fundaram igreja alguma, mas PASSAVAM POR ELAS DANDO SEUS TESTEMUNHOS E DIZERES DE ENSINAMENTOS.
    Nessa época do tal pergaminho, o império romano já era “contaminado” pelo cristianismo, mas seria como se pensar que os “terreiros” espalhados por ai, pudessem ter ascedência politica, que aliás nem faz parte da maioria deles. Mas é evidente que já existia algo como “federação espirita”, e na realidade não era uma apenas, várias. As mais importantes estavam em Roma e Constantinopla.
    Qualquer governante por mais imbecil que seja sabe que a pajelança do autoridade religiosa sempre foi importante para qualquer povo, e é claro que o imperador romano, já no estertor de orgia, preguiça e desperdício, percebia o fim do império no andar da carruagem, e de fato aconteceu apenas alguns séculos depois. Adotar a “igreja cristã'” como religião do império, foi apenas um ato político de bom estadista, isso explica Constantino como “católico”, nada mais do que retorno à pajelança, com pajés mais “preparados”. Mas a guerrinha religiosa entre “federações” continuava, e é evidente que numa guerrinha religiosa, as armas são de fato o que se escreve. As religiões introduziram a guerra “avançada”‘ de armas pela escrita, que os tribais ainda hoje acham que funciona melhor pela guerra das armas convencionais que de fato impulsionaram a ciência até hoje, e pior aidna quando esses tribais são de fato religiosos, o tal fundamentalismo que permeou toda a Idade Média.
    Que fundo de verdade se pode entender desse escrito apócrifo, se sequer o que não é apócrifo tem ranços de invenções mentirosas?

    Então, acredito que além do crédito de um documento arquelógico de crédito, seu conteúdo tem tanto valor como algumas passagens dos evangelhos tidos como “verdadeiros”, verdadeiras joais de iditoices que Cristo com certeza não teria feito. Por exemplo, a história de secar uma figueira porque não tinha frutos, e nem ERA ÉPOCA DELES! Está claro que a doutrina cristã como um todo, não poderia ter bases tão idiotas!
    Alguém sabe de fato quem escreveu um único evangelho? Esse tal evavangelho foi escrito 3 séculos depois apenas de memória de algum iluminado crente de Cristo? Conversa para boi dormir.

    arioba.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s