ANÁLISE DO GENOMA DA TARTARUGA OFERECE UMA LUZ SOBRE O ANCESTRAL E A EVOLUÇÃO DO CASCO

A partir de que antepassados as ​​tartarugas evoluiram? Como eles conseguiram seu casco? Novos dados fornecidos pelo Joint International Turtle Genome Consortium liderado por pesquisadores da RIKEN no Japão, BGI na China e o Wellcome Trust Sanger Institute no Reino Unido forneceram evidências de que as tartarugas não são répteis primitivos, mas que pertencem a um grupo irmão dos pássaros e crocodilos. O trabalho também lança luz sobre a evolução da morfologia intrigante da tartaruga e revela que o casco da tartaruga evoluiu através do recrutamento de codificação de informação genética dos membros.

Tartaruga e plano corporal de frango durante o desenvolvimento. (Crédito Cortesia da imagem de RIKEN)

Tartaruga e plano corporal de frango durante o desenvolvimento. (Crédito Cortesia da imagem de RIKEN)

Tartarugas são freqüentemente descritas como animais evolutivos, com um único plano corporal e um escudo que é considerada uma das mais intrigantes estruturas do reino animal.

As tartarugas são interessantes porque oferecem um caso excepcional para compreender as grandes mudanças evolutivas que ocorreram na história dos vertebrados segundo o Dr. Naoki Irie do Centro Riken de Biologia do Desenvolvimento que liderou o estudo. Usando sequenciadores de DNA de última geração, os pesquisadores de 9 instituições internacionais têm decodificado o genoma da tartaruga verde e tartaruga da China (Pelodiscus sinensis) e estudaram a expressão da informação genética no desenvolvimento de tartaruga.

Os resultados foram publicados na revista Nature Genetics e mostram que as tartarugas não são répteis primitivos como se pensava anteriormente, mas estão relacionados com o grupo composto por aves e crocodilianos, que também inclui os dinossauros extintos. Com base nas informações do genoma, os pesquisadores previram que as tartarugas devem ter dividido a partir deste grupo de cerca de 250 milhões de anos atrás, durante um dos maiores eventos de extinção deste planeta.

Agora o pesquisador espera que esta pesquisa motive ainda mais trabalho para elucidar a possível conexão causal entre estes eventos, a extinção em massa, separação das tartarugas da linhagem dos dinossauros e aves e a origem do casco.

O estudo também revela que, apesar de sua anatomia única, tartarugas seguem o padrão básico durante o desenvolvimento embrionário. Ao invés de se desenvolver diretamente em uma forma específica do corpo com o casco ela primeiro estabelece o plano básico do corpo dos vertebrados e em seguida entrar numa fase de desenvolvimento específico. Durante esta fase de especialização tardia o grupo encontrou vestígios da expressão de que o gene relacionado a formação dos membro esta também na formação do casco no desenvolvimento embrionário. Isso indica que o casco da tartaruga evoluiu a partir de um recrutamento de parte do programa genético utilizado para a formação dos membros.

Apesar do trabalho não só fornece insights sobre como as tartarugas evoluíram, também dá dicas de como os programas de desenvolvimento de vertebrados podem ser alterados para produzir grandes novidades evolutivas. Outra constatação inesperada foi que tartarugas possuem um grande número de receptores olfativos e, portanto, tem a capacidade para sentir uma grande variedade de substâncias. Os pesquisadores identificaram mais de 1.000 receptores olfativos na tartaruga da China que é um dos maiores números encontrados em um vertebrado não-mamíferos.

Journal Reference:

* Zhuo Wang, Juan Pascual-Anaya, Amonida Zadissa, Wenqi Li, Yoshihito Niimura, Zhiyong Huang, Chunyi Li, Simon White, Zhiqiang Xiong, Dongming Fang, Bo Wang, Yao Ming, Yan Chen, Yuan Zheng, Shigehiro Kuraku, Miguel Pignatelli, Javier Herrero, Kathryn Beal, Masafumi Nozawa, Qiye Li, Juan Wang, Hongyan Zhang, Lili Yu, Shuji Shigenobu, Junyi Wang, Jiannan Liu, Paul Flicek, Steve Searle, Jun Wang, Shigeru Kuratani, Ye Yin, Bronwen Aken, Guojie Zhang, Naoki Irie. The draft genomes of soft-shell turtle and green sea turtle yield insights into the development and evolution of the turtle-specific body planNature Genetics, 2013; DOI: 10.1038/ng.2615

Fonte: Science Daily

Scritto da Rossetti

Palavra chave: NetNature, Rossetti, Tartarugas, Evolução, Genética, Casco, Genes.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s