EBERLIN E A DESCENDÊNCIA SEM MODIFICAÇÃO

Filha de Marcos Eberlin que é formada em química e trabalha com espectometria ganhou prêmio de melhor tese em Química em 2013. Rapidamente Marcos Eberlin postou a imagem do artigo produzido pela sua filha com os seguintes dizeres:

“Uma Eberlinformada na UNICAMP, ganha nos USA o prêmio de melhor tese em Química em 2013, simplesmente o NOBEL LAUREATE SIGNATURE AWARD da American Chemical Society, coisa grande, e é destaque na Chemical & Engineering News… E pasmem, outra defensora da TDI. Vai receber o prêmio dia 18 de Março em Dallas, Texas em um simpósio em honra a ela e mais quem? O maior de todos entre nós espectrometristas: R. Graham Cooks! Eu estarei lá… coração na mão, e lenço também…você é prova da soberania e bondade de Deus… A Ele a Glória! 

Eberlin

Além de recorrer ao argumento de autoridade note que em momento algum há qualquer defesa em relação ao Designer inteligente. Seu trabalho é sobre espectrometria de massa usando ionização de dessorção por eletrospray.

Sua posição pessoal é de defesa do DI, assim como Marcos Eberlin. Note: a tese comprova designer inteligente?  Quantos artigos os membros da família Eberlin tem comprovando cientificamente o Designer inteligente?

Absolutamente nenhuma. A defesa é meramente anedótica, informal.  Isso implica em dizer que pode ser  o melhor químico, físico ou biólogo do mundo, entretanto,  se você não tiver um, apenas um artigo aceito no ambiente acadêmico que demonstre o designer inteligente, ele nao vai passar de especulação. Sendo assim, a posição pessoal de sua filha é somente informal, não é TDI (Tedeísmo), nem mesmo hipótese de designer inteligente, é apenas uma crença pessoal, que pode ser rejeitada pessoalmente e especialmente dentro do ambiente acadêmico. Eberlin em seu comentário ainda promove algo que os defensores do Designer inteligente detestam, relacionam Designer inteligente com Deus. (Grifado acima)

Não há o que ser refutado ou discutido. Quando, e se um dia, ela tiver um artigo defendendo designer inteligente, revisado e aceito na academia e publicado, ai sim poderemos pautar isso em forma de debate, com a clareza, coerência e rigor da produção científica.

Parabéns a ela por ser uma boa química, e esperemos que sua crença pessoal não interfira em sua produção acadêmica, afinal, ela não significa absolutamente neste meio. Se ela optar pelo obscurantismo só espero que seja feliz e não caia em tentação como seu pai. Que lembre que a crença em seu Deus deve ser pela fé como destaca Hebreus 11 1,2 e3

1 Ora, a fé é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos.

2 Pois foi por meio dela que os antigos receberam bom testemunho.

3 Pela fé entendemos que o universo foi formado pela palavra de Deus, de modo que o que se vê não foi feito do que é visível.

Saiba mais em UNICAMP CANCELA PALESTRA CRIACIONISTA

Victor Rossetti

57 thoughts on “EBERLIN E A DESCENDÊNCIA SEM MODIFICAÇÃO

    • Pois é né. E essa é sua opinião!!!
      Eu chamo isso de crítica, uma crítica sadia por sinal. Não tenho porque ter inveja d Eberlin,nao tenho filhos, minha formação acadêmica é outra e tenho artigos científicos que comprovam algo que é cientificamente testável, mensurável e respeita Popper.

      Julgue voce mesmo o que é inveja e verá que estou com minha consciência em paz!!!
      Abração meu querido!!!

      • Pois é…..qualquer grupo coerente aceita críticas, ainda mais essas que foram leves. As as “viúvas de cristo” ficaram chateadas porque eu fiz uma delimitação que o Eberlin não fez em sua comemoração. Ora, o conceito de inveja é outro. Sinto muito, mas nem sou eu que estou dizendo isto, Hebreus é claro!!!
        Crença é uma coisa, ciência é outra, misturar as duas fere Hebreus. A REGRA é clara meus caros!!! Não sou eu que estou sendo xiita!!! Xiitas não aceitam críticas!!!

  1. Pai e filha, o sobrenome “Eberlin” sempre em destaque e as criticas, n importa, digno de dó, fazer o que, afinal estamos no mundo, sujeitos a td tipo de pessoas nós sabemos em Quem temos crido, Ele é poderoso, a Ele td a glória!

    • De uma outra vez ele se propôs a fazer 10 perguntas IRRESPONDÍVEIS por aqueles que pesquisam a biologia evolutiva. Não somente responderam e colocaram artigos REVISADOS POR PARES como co-argumento.

      O que Eberlin-Pai fez?

      Postou como se fosse um pastor de uma igreja pentecostal querendo tirar um demônio.

      Isso é postura de um cientista?

      Se vc, Eberlin ou 95% da humanidade se vê obrigada a acreditar em um segmento religioso, ok, parabéns. Mas estamos falando de CIÊNCIA e não vale pirracinhas e falácias. Ou vc tem um argumento pautado em experimentos (in vitro, in vivo, in loco ou in silico) ou então cala a boca e deixe quem realmente quer trabalhar de forma séria em paz!

      • Caro deslock, não te conheço, mas percebo uma tremenda falta de educação e respeito não só pelos cientistas Eberlin como por todos os que divergem de vc. E mandar alguém calar a boca não é coisa de “quem quer trabalhar sério”. Melhore seu nível !

      • Não é questão de divergir, é questão de falar besteira e atrapalhar quem está realmente fazendo algo que dê resultados.

        Se querem acreditar nas lendas, fiquem a vontade, mas fiquem quietinhos enquanto não tem nada de concreto e realmente factual.

        Abraços e bom final de semana!

    • Parabéns… agora é legal ter uma lista de publicação imensa e boa parte dela a participação deste como autor é devido a prostituição dos equipamentos de espectrometria para produzir os resultados… Não, não precisamos de ter esse tipo de crápula como modelo de cientista e faço votos para que a filha não seja mal caráter como ele.

  2. Cara,

    Tentei ler seu texto procurando esquecer o post que li do Dr Eberlin, logo que apareceu na minha timeline, para não interferir na minha interpretação da sua boa intenção.

    No entanto não vi a intenção de Eberlin em defender A ou B cientificamente (ainda mais num post de rede social). Você não conseguiu extrair essa autocritica?

    Segundo, acho que você conhece muito bem (na teoria) a tese das revoluções de Thomas Kuhn então sabe que não existe esse profissionalismo e neutralidade em qualquer comunidade científica tão respeitosa como você fala.

    Terceiro, acho que também sabe o que é fazer uma pesquisa científica: pensar na testabilidade das hipóteses e no delineamento do tema te forçam a fazer as coisas em pedaços pequenos. Depois você junta todos os pedaços para fortalecer um tema maior. Evolução é uma pesquisa científica? Dá para fazer o mesmo com o TDI? Você não conseguiu fazer essa autocritica?

    Enfim, não consigo chegar a outra conclusão.

    Além disso, essa citação de Hebreus passou desapercebido pelo grande John Stott em sua reflexão “Crer é também pensar”?

    Você sabe que a imprudência é uma variação da soberba com boa intenção?

    Inveja 3.

  3. A meu ver estas criticas e troca de farpas estão sendo direcionadas ao campo pessoal, irrelevantes à ciência e não são originais, vide Thomas Edison versus Nikola Tesla! A ciência deve seguir o seu caminho, ainda que tropece e que caia algumas de suas teorias e outras continuem surgindo, por que não!? Existem várias áreas do conhecimento em que os métodos científicos não se aplicam – ou cujos métodos transcendem os definidos pela metodologia científica – e como exemplo pode-se citar a própria Filosofia. Em ambos os casos tais áreas não se caracterizam, contudo, como áreas de estudo científicas, e no caso particular das críticas filosóficas à metodologia científica a ciência geralmente responde de forma enfática: “Ciência é o que você sabe. Filosofia é o que você não sabe” (Bertrand Russell); “A filosofia da ciência é tão útil para o cientista quanto a ornitologia para os pássaros” (Richard Feynman).

    • Ciência é uma coisa, produção cientifica com base em metodologia cientifica é outra. Filosofia, arte, ciência, religião, até senso-comum fazem parte do acervo de conhecimento da humanidade e são válidas. Aplicar metodologia científica para provar que Deus existe é outra, e não funciona. Se funcionasse DI já teria sido aceito e não haveria dúvidas sobre o caráter intelectual de Deus.
      Deus não é testável, inferir que uma molécula é divinamente projetada é uma posição pessoal. Há artigos que demonstram criação intencional de uma molécula de cafeina? A crença é pela fé, olha hebreus ai. Não há problema algum em expor qualquer manifestação de crença, mas ha limites, pessoais e epistêmicos. O que esta em pauta são os epistêmicos. Ao afirmar a competência de sua filha em química (o que não duvido) isso é válido. Tentar induzir os outros a pensar que por ela (ou ele) ser competente em química isso lhe garante a confirmação de que DI é cientificamente provado não é verdadeiro. Nenhum artigo de Eberlin é cientificamente direcionado a defesa de um Designer inteligente. Sendo assim, sua alegação é meramente informal, esta é a crítica, não tenho absolutamente nada contra a pessoa de Eberlin. Entendo que ele e a sua filha sejam bons químicos, e ponto, ponto pacífico. Não é a competência de cada um deles que esta em pauta. A crença pessoal deve ser restrita a questão da religião. É possível ser cientistas e acreditar em Deus.
      Filosofia é ciência no sentido de produção de conhecimento como faz a ciência, religião, artes, mas ela tem sua própria metodologia. A ciência tem a sua também, assim como as artes e a religião baseada na autoridade e na revelação divina, cristã etc e tal.
      Ao tentar usar a ciência para provar uma crença pessoal Eberlin deixa de crer pela fé e não faz ciência, pois não se testa Deus em um tubo de ensaio.
      Esta é a crítica, não há nada de pessoal, não há críticas a família de Eberlin, não há generalizações, nem mesmo critiquei a menina de Eberlin que parece ser um doce de pessoa. É apenas uma crítica, voces levaram para o lado pessoal, e ao que parece nem Eberlin fez isso, apenas seus discípulos. Agradeço a ele por desejar que eu seja abençoado, sem problemas ou preconceito algum. Mas críticas são perfeitamente comuns no ambiente acadêmico, ou quando se fala em ciência/religião. Estou acostumado a levar pancadas piores do que essa simples crítica suave que fiz a ele e nem por isso sou frágil como porcelana ou precisa de discípulos para me defender.
      Não aceitar críticas, e pior, tachar alguém sem ao menos conhece-la é atitude de fundamentalista.
      Acho que ele não precisa pensar mais nisto, mas seus seguidores certamente precisam!!!

  4. Me parece que houve uma certa precipitação na crítica ao texto do Eberlin por parte do blogueiro, que não conheço. Ninguém vai achar que o artigo ganhador do prêmio versa sobre DI só porque o Eberlin comentou que a autora é defensora da TDI. Se alguém fizer isso, é porque não leu direito.

    Pior ainda é achar uma suposta correlação entre o Designer Inteligente e Deus, só porque o autor do comentário encerra citando Deus.

    Quem faz essa correlação é o blogueiro, ao insistir no argumento de que Deus não se prova cientificamente. Correto. Porém a discussão da TDI é, a princípio, sobre a constatação do design – não do designER – na natureza. O autor parece ignorar ou não dar muita atenção a essa distinção sutil, mas importante. Se, a partir do design, descobrirmos alguma coisa sobre o designer, aí é outra história.

    Não conhecia este blog, mas vou passar a acompanhá-lo, já que o assunto me interessa.

    • O silogismo de Eberlin é claro QUIMICA- PASMEM ->TEORIA ->D.I. O fato dela ser boa química não simboliza que o DI seja teoria ou que seja constatável. Marcos Galvão acabou de confirmar isso em seu comentário. Essência é imaterial. Não é constatável. Pode existir, mas cientificamente não é testável. Morre ai o DI!!
      Bom, a constatação de desiGN em estruturas biológicas é explicada pela biologia, muito bem explicada por sinal Stephen Jay gould já supracita isso a muito tempo.
      Essa distinção sutil não existe que voce destaca não existe dado que os representantes do DesignER inteligente são exatamente como Eberlin, pressupõem sim que seja o Deus cristão. Eberlin faz isso, Tourinho faz isso, o documentado da cunha The Wedge deixa escapar isso de dentro do Discovery Institute, Of pandas and people também deixa isso escapar em suas edições como demonstrado em 2005 no julgamento Dover e mais, os maiores representantes do movimento do DI nos EUA são como DEMBSKI, que é cristão, ortodoxo, que dá palestras sobre DI em igrejas no Texas e afirma categoricamente que não há razão para pressupor que DI não seja o Deus cristão.

      Hamilton, essa delimitação não cola, a historia do DesignER inteligente é manchada pelo CRIACIONISMO!!!

      • O que me parece mais claro aí é que, conhecendo um pouco o jeito do Eberlin escrever, o que ele fez foi mais uma provocação dirigida a aquelas mente que, a gente ouve dizer que eventualmente andam por aí acreditando que um defensor da TDI não pode ser um bom cientista, que a religião atrasa a ciência, aquele bla-bla-blá preconceituoso ideológico de fundo naturalista-ateísta.

        Quanto à importante distinção entre Design Inteligente e DesignER inteligente, que vc insiste em eliminar, cabe dizer algumas coisas.

        Design Inteligente é o objeto de estudo da Teoria, não o Designer.

        A constatação do Design na Natureza (TDI) é científica porque lida com a observação e os dados da natureza. Não depende da fé do cientista nem é pautada em algum livro sagrado.

        O fato de alguns defensores da TDI identificarem o Designer Inteligente com Deus, não tira o atributo científico da Teoria, porque esse aspecto é defendido por cada um de acordo com sua convicção pessoal e não interfere na Teoria.
        Vc mesmo comenta no seu artigo que: “Eberlin em seu comentário ainda promove algo que os defensores do Designer inteligente detestam, relacionam Designer inteligente com Deus.”

        Embora a impressão de design na natureza seja forte o bastante para não ser ignorada, não há a menor possibilidade de se afirmar design na natureza (intenção, projeto) no âmbito do status atual da Teoria de Evolução. Haveria apenas a ilusão de design, proporcionada por soluções evolutivas aleatórias. É aí que bate a Teoria do Design Inteligente, afirmando que determinadas soluções da natureza não podem ter surgido de maneira aleatória e não intencional.

      • Alguns? A maior entidade do DI no mundo, o Discovery Institute é atolada até o pescoço no criacionismo. Deixa o cristianismo dentro do campo da religião. Não transpassem isso a pseudo-ciência. O cristianismo esta bem onde esta, quem cre, cre pela fé.

        “Eberlin em seu comentário ainda promove algo que os defensores do Designer inteligente detestam, relacionam Designer inteligente com Deus.” A estratégia da cunha é clara em mandar esconder essa relação, por isso o julgamento de Dover!!!
        INCONSTITUCIONAL!!!!

        Haveria apenas a ilusão de design, proporcionada por soluções evolutivas NÃO aleatórias. Variação nos genes é aleatoria, seleção por aptidão não, Sobrevivem aqueles cunho aparente design proporciona aptidão, seja na asa de uma borboleta, seja no élitro de um besouro,na taxa ventilatória de um guepardo ou qualquer outra estrutura. Design é constatável, a biologia faz isso, inferir inteligencia não é, é meramente interpretar uma informação biológica segundo uma crença, geralmente pessoal. Ha desenho, portanto, só pode ser Deus. Isso é religião!!!
        o DI bate ai porque pressupõem isso.
        O que o design significa então o que? Que há um desenhista? Quem é ele? O que é ele?

        Intencionalidade é uma criação nossa, nos criamos coisas com intenção. Como garantir que essa nossa premissa ocorra no universo todo quando a unica referência que temos de intencionalidade somos nós mesmos?

    • O design inteligente, desde quando foi instaurado, não busca ser uma alternativa a biologia evolutiva mas sim OBSERVAÇÕES feitas por alguns no que diz respeito a eventos em biologia molecular e bioquímica que entraram em choque com a teoria sintética da evolução clássica, esta não abordava epigenética, plasticidade fenotípica, evo-devo e outros elementos que estão sendo elucidados.

      A desonestidade intelectual que reside no Design inteligente é buscar respostas mirabolantes do que pesquisar com calma, analisar a questão em si e fornecer uma pesquisa a ser divulgada na comunidade científica. As proteínas do motor do flagelo bacteriano tem elevada homologia (sequências de aminoáciodos semelhantes e correspondência com DNA codificante) com atp sintase… essa era a complexidade irredutível?

      Se o designER inteligente não é deus, quem é o designer?

      E todos os casos aonde poderia ocorrer um design foram elucidados pela ciência, através de experimentos e protocolos rotineiros da pesquisa científica.

      Tenho curiosidade sim de conhecer o Discovery Institute. Saber se lá tem computadores de ultima geração para fazer pesquisas em bioinformática, laboratórios modernos de biologia molecular e celular e até mesmo salas com espectrômetria de massa para análise de proteínas pois, para refutar uma ciência, penso eu, tem que ter domínio de ferramentas da ciência, não com blablabla falacioso e que me faria perder tempo.

      • De fato, o DI não implica necessariamente num confronto com o conceito de evolução, como muitos dos seus detratores insistem, embora, certamente possa implicar, no mínimo, em uma redefinição do que esse conceito venha a significar, mas isso tb não é só os adeptos do DI que fazem.
        O que o DI argumenta fundamentalmente é que algumas características da natureza são melhor explicadas por um processo dirigido, intencional em lugar de um processo não dirigido e não intencional, como a seleção natural. E para isso, sim, utilizam não uma Bíblia, mas informação coletada de diversos ramos do conhecimento, como a biologia molecular, bioquímica, paleontologia, estatística, dentre outros.

        Não sei se há desonestidade intelectual na busca de respostas mirabolantes ou na rejeição sumária delas por não se enquadrarem no status mainstream da comunidade científica (não da ciência). Mas sei que há desonestidade intelectual quando o DI é nivelado sumariamente com criacionismo.

        Quem é o DesignER? A princípio a TDI não avança em responder a isso, mas a demonstrar a factualidade do DESIGN na natureza.
        O que não deveria haver – pois não é uma conduta científica – é uma rejeição sumária e a priori da Teoria do Design Inteligente, por conta de um receio ideológico, materialista ou mesmo ateísta em relação à identidade do designer.

        O Discovery Institute é uma instituição modesta, sem grandes aportes de verbas nem patrocinadores de peso. De qq modo, é uma instituição de coordenação e divulgação, não de pesquisa. Por isso não é necessária a existência de laboratórios e equipamentos ali, já que isso é feito por cada cientista em seus respectivos locais de trabalho.

      • Hamilton:

        Se uma ideia opositora a outra é OBVIO que não dará conforto, mas para vc falar que “algumas características da natureza são melhor explicadas por um processo dirigido, intencional…” ae seria da minha contrapartida pedir que vc enumere estas características que obedecem a esta regra e, como se trata de uma argumentação científica, que seja acompanhada de um ou mais artigos científicos que justifiquem a sua posição.

        Se vc menciona biologia molecular, bioquímica, posso lhe falar que sou formado em ciências biológicas e estou me formando em biotecnologia (lida MUITO MAIS com biologia molecular, bioquímica e bioinformática) e afirmo que todas essas ciências NÃO DÃO SUPORTE a presença de um design ou designer. Acesse Stryer, Lehgninger, Albert e Watson. Observará após leitura breve dos mesmos que o seu argumento fora refutado.

        Sobre: “… Mas sei que há desonestidade intelectual quando o DI é nivelado sumariamente com criacionismo.”

        http://www.annualreviews.org/doi/abs/10.1146/annurev.genom.4.070802.110400

        Quem é o DesignER? Se o pessoal não quer responder, ótimo… anyware…

        Mas:”mas a demonstrar a factualidade do DESIGN na natureza.” Se TODOS os argumentos POSSÍVEIS e INDAGADOS por Behe foram postos a prova, o DI não somente se provou como fracassado mas tb, ironicamente, ajudou a pesquisas em biologia molecular a entender alguns mecanismos que não eram originalmente abordados pela TSE… a ciência agradece todo dia por alguém que abala os pilares para que sejam construidos outros mais firmes, mas estes nunca seriam construidos sobre mitos, crenças e folclores.

        Seria interessante vc pesquisar melhor sobre o Discovery Institute… vc está pagando de ingênuo sem necessidade.

  5. A precariedade de sua interpretação bíblica me deixa um tanto estupefato ,já lestes Romanos 1:20 ? tu conheces princípios de interpretação bíblica ? irei citar para ti o retrocitado versículo :Pois desde a criação do mundo os atributos invisíveis de Deus, seu eterno poder e sua natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendidos por meio das coisas criadas, de forma que tais homens são indesculpáveis. o que podemos extrair desse texto é o simples fato que a complexidade e funcionalidade do universo evidencia de forma pujante a existência de uma mente inteligente ,além disso a vida como todos sabemos é essencialmente informação ,a informação na sua essência é imaterial ,ela apenas é expressada materialmente ,ou seja em um mundo governado por percepções absolutamente materialistas chegamos a inevitável conclusão que a origem da vida é imaterial ,e sabemos que a materialidade não pode criar a imaterialidade ,pois informação habita o universo das ideias ,planos ,instruções,o mundo abstrato ,lide com os fatos como são e sua vida e serás recompensado com a verdade .

    • Isto é fé. Quando vc diz “essencialmente informação ,a informação na sua essência é imaterial” voce esta ATESTANDO com todas as palavras que a essência não é testável. Não significa que Deus não existe, significa que é uma questão insolúvel a metodologia da ciência, portanto não é TEORIA de D.I, é a sua ideia de que essa essência imaterial existe, e ela é informal, é um pensamento pessoal, é sua opinião.
      É exatamente ai que falha Eberlin, como voce mesmo acabou de demonstrar!!!

      Fé, é crer nessa interpretação de Romanos, a ciência constata, mas isso que voce disse é constatado?
      Não.
      Se “a complexidade e funcionalidade do universo evidencia de forma pujante a existência de uma mente inteligente” porque isso não foi aceito cientificamente?
      Ora, porque não é escancarado do ponto de vista empírico?

      • Empiricamente falando ,é perfeitamente observável e constatável que diariamente que todos os complexos aparatos humanos e códigos são feitos com informações produzidas por mentes inteligentes ,já as absurdidades do do tipo (produção de informação aleatoriamente ) são especulações altamente questionáveis que de tão absurdas são descartadas pela lógica ,como pode uma instrução ser criada aleatoriamente se ela própria está encadeada com uma multiplicidades de ideias interdependentes ?enfim é insanidade ,só para não ser injusto até tentam produzir tal especulativo cenário ,mas usando a lógica algorítmica que em essência exige inserção de informação ,ou seja só provam que até para produzir “aleatoriamente” informação existe a necessidade criar informação ,e sua inocência é impressionante ,obvio que é uma questão de orgulho ferido ,o triunfo materialista ruiu quem dentre os materialistas irá admitir que a origem da vida já não descança mais no campo da absoluta materialidade ?a informação mal pode ser definida ou conceituada por materialistas que só sabem classifica-la quantitativamente e alguns por incrível que pareça não percebem que a volição a a informação são interdependentes ,alguns nem sabem o que fazer com ela ,mas o fato é que a informação contida no código da vida é inevitavelmente perceptível e denuncia que a origem da vida é imaterial ,o que sabemos abundamentamente e empiricamente meu caro é que códigos derivam dos devaneios psíquicos ,ignorar tal fato é simplesmente uma vilania contra lógica pura .

      • Diariamente? Voce esta flando de coisas produzidas por nós….projetar isso para todo o universo, toda a vida é uma argumentação teleológica. Teleologia não é ciência;

        O que vc entende por informação? Complexidade? Complexidade biológica? Delimite isto. A biologia demonstra a origem de informações geneticas, não só constatáveis empiricamente com exemplos reais de duplicação genômica em diversos artigos, procure ai no google. Bem como a teoria de informação com os trabalhos de Adamy.

        Bom, negar não é refutar, Olha para o ambiente academico e veja a produção de conhecimento cientifico biológico, totalmente baseada em evolução, a origem da vida e suas descobertas, baseada na biopoiese. Essas propostas cientificas gozam de plena saúde. Voce vai precisar mais do que dizer que é “inocência, orgulho, ferido, INVEJA, materialismo” para desbancar essas teorias científicas.

        Origem da vida imaterial é teologia e não ciência, ou vc tem como bolar um experimento que mostre a vida surgindo do imaterial ESPONTANEAMENTE. E isso que o criacionismo/DI prega, geração espontânea?

        Voce mesmo disse “é inevitavelmente perceptível e denuncia que a origem da vida é imaterial

        Códigos derivam de devaneios? Como os codigos simetricos do WOW signal? Eles são códigos, comparados teleologicamente com os nossos. Isso é referencia boa para pressupor que tudo veio de algo maior? Porque?

      • Não estou atestando a intestabilidade ,só estou afirmando que informação apesar de se em essência imaterial é claramente perceptível e funcional ,é basicamente uma instrução, uma ideia ,mas tal entidade apesar de ser imaterial da forma e funcionalidade a qualquer estrutura material ,e isso é perceptível e testável ,tente criar qualquer estrutura material complexa e funcional sem informação e conhecerás o vigor do total fracasso ,minha afirmação não está no campo da informalidade ,minha afirmação corrobora toda inventividade humana ,creio que isso seja perceptivél para ti .

      • Desculpe mas quando vc diz “essencialmente informação ,a informação na sua essência é imaterial” voce esta ATESTANDO sim. Atestando que imaterialidade nao é testavel e atestou tambem que “é inevitavelmente perceptível e denuncia que a origem da vida é imaterial

        Instrução imaterial, comprove isso com a metodologia cientifica. Vamos la!!!!Tente provar que uma estrutura complexa e funcional emerge de uma informação imaterial,externa sobrenatural inteligente que ate agora nao foi constatada cientificamente. COmo pode ser tão claro pra vc mas nao é constátavel cientificamente? Teste e prove Deus um tubo de ensaio.

        Informação de sistema binário de computador é igual informação genética?

        Ao que me parece é inevitável, é inegável que grupos biológicos sejam relacionados filogeneticamente; universidade de código, universalidade metabólica, bioquímica, molecular, cariotípicas, estruturas anatômicas e morfologicas semelhantes, semelhanças genéticas, expressão de genes, redes de genes homologas, fósseis, comportamento, embriologia….tudo isso estabelece relacionamento claro entre grupos biológicos.
        Voce nao pode simplesmente dizer que o que voce acredita é o certo, é o absoluto atestando que a informação e a essência da vida é imaterial, ou que a vida surge espontaneamente. Alegações extraordinárias exigem evidencias extraordinárias. O que pode ser alegado sem provas pode ser descartado sem provas!!!

      • Sim projetado por nós ,argumento dessa forma pois produzir informação com o nível da complexidade do DNA é uma dificuldade até para mais prodigiosa mente humana ,e informação não pode de uma forma lógica ser dissociada da teologicidade ,na verdade informação a pressupõe inevitavelmente ,por isso seria um insulto a lógica pura não utilizar tal argumento , nos não podemos deixa de citar a essencial característica teleológica da existência de um código químico ,e usando a lógica também não posso deixar de discutir a volição quando se fala de estruturas com características notoriamente teleológicas, por isso ,falei sobre uma mente pois volição é uma caracteristica exclusiva da consciência seja qual for ,sobre a TE creio que tu não estás muito consciente de suas muitas dificuldades e contrariedades ,seja no campo paleontológico e até mesmo no campo da teoria da informação que atualmente tem muitos problemas ,por fim a definição de informação é complexa ,mas um fato óbvio é que está sempre pressupoe uma sistema codificado tal como ocorre nos códigos binarios por isso utilizei tal exemplificação sobre aparatos humanos ,aliás avaliando sobre a perpectiva da codificação o DNA está em um patamar bem mais avançado do que códigos produzidos por mentes humanas ,bom é facíl comprovar sua imaterialidade ,tu podes pegar fisicamente uma instrução ,ou um plano ,uma ideia ?uma ideia é por natureza intangivél fisicamente mas é claramente perceptivél intelectualmente
        tu podes até ve-la expressa graficamente e ter contato com um papel que é um dos variados meios de transmissão de informação ,mas a ideia em si,a instrução em si não tem origem no papel muito menos pode ser definida como o próprio papel em si .
        Uma ideia pode até ser expressa na fisicalidade como por exemplo em uma estrutura complexa e funcional mas o que estrutura sua existencia é imaterial ,são instruções ,planos ,enfim informação
        Não é possivél obviamente provar Deus em um tudo de ensaio ele é imaterial ,mas a informação produzida por ele é claramente perceptivél pois estrutura toda materialidade complexa e funcional ,obs :quando se trata de informação imaterialidade não significa imperceptibilidade ou intestabilidade)é perfeitamente possivél distinguir cientificamente informação de não-informação ) então quando vejo um código não presiso ver o codificador para acreditar na obviedade que tal estrutura tem uma origem inteligente .

      • Errado, biossemiótica mostra que qualquer coisa pode proporcionar significado a qualquer ser vivo. Se tem significado tem de ser codificado e descodificado entre o emissor e o receptor. Nem toda informação é intencionalmente criada, o código binário é criado, quando vc se baseia no codigo binario de sistema de informação e diz que o DNA tem de ser teleologicamente criado esta presumindo que aquilo que nos criamos deve ser igualmente criado por algo maior para existir, e projeta isso par ao universo. Vc cria espectativas diante daquilo que voce conhece e infere ao para o que nao conhece. Se o codigo binario é criado o genetico também é? Porque? Se é intencionalmente criado, prove isso cientificamente.
        Voce disse”Não é possivél obviamente provar Deus em um tudo de ensaio ele é imaterial” Morremos aqui!!!

        A teoria de informação só tem problema nas mãos do Dembski que por sinal distorce matematicamente as coisas, e por essa razão nao tem respeito no ambiente acadêmico

        Voce diz “Não é possivél obviamente provar Deus em um tudo de ensaio ele é imaterial” então acabou nosso papo. Concordamos e algo, DI não é ciência!
        Abraço!!!

    • Sua relutância é ilógica ,não distorça minhas palavras ,eu disse que não é possível provar Deus em um tubo de ensaio ,não afirmei nada sobre evidencias de sua criação ,que são claramente perceptíveis ,a essência imaterial da informação não nega o fato que essa é um pressuposto para existência de estruturas materiais irredutivelmente complexas e funcionais ,ou seja imaterialidade não significa intestabilidade pois a informação se expressa em estruturas materiais e sua funcionalidade e teleogicidade são empiricamente testáveis.biossemiótica é uma contradição pois criar informação funcional sem intenção é o mesmo que afirmar (fiz um livro sem querer ) criar informação é bem mais complexo do que tu imaginas a psicologia engatinha em sua saga para compreender tal fenômeno melhor ,criar informação pressupõe informação pois criar informação é a síntese de múltiplas percepções dependendo do tipo de informação podem ser desde percepções espaciais ,físicas até conceituais ,é a captação do mundo abstrato e tu queres reduzir a produção de informação a uma teoria que nem sequer tem uma concepção lógica do que é informação ?
      criar informação pressupõe um encadeamento de ideias e percepções ou seja outras informações que tu já detém ,imagine vc quando tem uma ideia observe que ela se baseia em outra ideias e assim sucessivamente ,em suma produzir informação pressupõe inevitavelmente informações adquiridas .

      • Bom, nao distorci nada, vc mesm disse que nao se prova Deus em tubo de ensaio. Essencia imaterial, e espotaneidade da vida não são tstaveis. Isso portanto não é ciência. Nem mesmo complexidade irredutível que convenhamos, Behe fez feio em 2005 quando Eric Rostchild jogou aqueles 50 livros sobre a mesa dele e perguntou a behe ” Antes de inferir complexidade irredutivel vc leu esses livros que tratam da origem e evolução do sistema imunológico?” E Behe cabisbaixo diz que não!!!
        Até hoje nenhum criacionista, DI apresentou um, um exemplo sequer de irredutibilidade, nem mesmo de complexidade especificada. O flagelo bacteria fala por si só (https://netnature.wordpress.com/2014/03/06/complexidade-especificada-uma-mascara-para-um-deus-de-lacuna-parte-i/)
        Informação genética noa tem a ver com psicologia. Além disso diversos artigos retraram não somente a origem de informação genetica mas de como o codigo genetico surgiu (um exemplo: http://link.springer.com/article/10.1007/BF01659185 [isso sem citar Carl Woese e outros bioquimicos).

        Biossemiotica e os semioticistas aceitam esta ciencia como uma das propostas para conceituar vida. Sem biossemiotica, sem a concpção darwiniana sem a concepção de autopoiese voce não tem nem lista de propriedades do que vem a ser vida.

        Teleologicidade demonstra que seus desejos podem ser projetados para o que voce quer, Leia David Hume, seu livro Dialogos sobre a religiao natural de 1757 e voce vera que depois dele a teleologia perdeu força, sendo rejeitada especialmente a partir de Kant. Teleologia não tem sentido filosofico, é chutar gato morto.
        Pense comigo. Imagine vc esta andando na calçada num dia de chuva, um carro passa numa poça de água no cantinho da rua e molha voce.
        Me prove que o motorista molhou voce intencionalmente!!! A primeira coisa que vc vai pensar é que ele te molhou propositalmente!!! E vc nao consegue estabelecer se foi intencional ou não!!!

  6. As conquistas alegram o coração, compartilham bons sentimentos entre amigos e nos motivam na escalada da vida. Sou privilegiado por conhecer Marcos e Lívia, não pelos títulos, mas por quem são. marcos e Lívia, Perseverem na vida com dedicação, paciência, humildade e bondade, características de pessoas de bem como vocês.

    • Isso é uma defesa pessoal. A crítica é profissional. Gente, voces não sabem a diferença entre pessoal e profissional ou não conseguem separar mesmo?

      Eles podem ser realmente tudo isso que voce disse Adalberto, mas não estamos prestando homenagens igual no Domingão do Faustão. O tema pautado aqui é científico!!!

      Todo mundo chama de inveja porque leva pro pessoal; Alguém tem alguma colocação cientifica,que seja coerente com a crítica?

  7. Ao pessoal que ficam repetindo que é inveja o texto do Rossetti. Vejam o comentário do Eberlin, que associa o fato dela ter recebido um prêmio e ser defensora do DI. Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Ótimo ela ter ganhado o prêmio. Significa esforço e foco no trabalho dela. Mas isso não corrobora em nada sua visão de mundo pessoal (leia-se Design Inteligente).

    E é isso que o Eberlim deixa transparecer quando diz “pasmem, outra defensora da TDI.”.

    Seria bom entenderem o contexto do que ele (o Rossetti) tentou dizer. É bem nítido quando tomamos a intenção do Eberlin, que é fervoroso defensor do DI. As vezes tem que ter paciência e ser muito seletivo ao ler alguns comentários que surgem por aqui…

    • Exato Alberto. FINALMENTE!!! Esta é a frase problemática….Ganhou um bom premio de quimica (ótimo, parabens pelo esforço e dedicação)…ai vem….”e pasmem,outra defensora do TDI”

      Opa, pera lá!!!

      Finalmente alguém entendeu. A problema esta nessas palavras: QUIMICA -> PASMEM ->TEORIA ->D.I

      Só eu notei um falso silogismo? Não, Alberto notou também. ALBERTO, VC MERECE UM PRÊMIO TAMBÉM. BRILHANTE SUA PERCEPÇÃO!!!

      Alguém consegue defender o Eberlin apresentando artigos científicos sobre DI ou vai ficar na lenga lenga de “ah, é pessoal, invejoso etc e tal”

      Porque ta ridículo um monte de gente seguindo um cara que trabalha com ciência, idolatrando o cara e não apresentando um argumento sequer!!!

      Parem de choramingar e mostrem autonomia.

  8. Victor, parece que o comentário do Eberlin valida seu ponto de vista: é uma questão de fé! É justamente o que você insiste em dizer, mas mostra desconhecer: Hebreus 11.1-3!

    Eberlin não parece validar o TDI porque sua filha ganhou um prêmio. Afirmar isso é torcer demais uma frase isolada de seu contexto. O comentário de Eberlin surge no meio de hostilidades aos defensores do TDI, que insistem em relacionar o TDI com burrice. Ele apenas enfatiza que é possível uma jovem esforçada em seu trabalho e séria com pesquisa científica defender (crer no) TDI, ainda que você discorde.

    Então, ficar procurando violações a Popper em comentários de rede social é um preciosismo desnecessário e que soa insegurança.

    [Fico tranquilo em discordar de você uma vez que não é xiita e irá aceitar bem meu ponto de vista!]

    • Agradeço a voce por discordar de mim, mas especialmente por argumentar bem, com sabedoria.
      Não é uma crítica a menina de Eberlin, isto acho q já deveria estar claro. A critica é porque alguém é cientificamente competente, o que ele acredita é verdade. E essa foi a mensagem de Eberlin transpassa ao dizer “PASMEM, ELA TB DEFENDE TDI.”
      Nao é porque a menina ganhou, o efeito seria o mesmo se ele dissesse “minha filha e química (física, biologa, economista) e defende o TDI” Isso nao significa que ambos estejam relacionados, mas a forma com que ele apresentou estabelece claramente esta conexão.

      Não acho TDI burrice. Primeiro, este T esta sobrando, pois cientificamente cai em Popper, mesmo vc discordando. Segundo Designer é sinônimo de Deus sim, historicamente o movimento o DI é e sempre foi relacionado ao criacionismo, portanto, é religião.
      Fala logo que é cristão, é só isso, deixe de tentar provar Deus em um tubo de ensaio e esta tudo resolvido. É tão bonito ver alguém devotando sua fé ao cristianismo, pra que tentar provar algo que não se encaixa na metodologia científica!!!

      Obrigado por saber dialogar, ser difernte dos outros e nao pensar que isso é por inveja (a velha ladainha do orgulho ferido). Isto é apenas uma discussão cientifica e repito, não tem nada a ver com a menina ou a sua competência como quimica

  9. Acho que eu entendo um pouco do seu ponto de vista. E se o que estou entendendo é de fato o que está dizendo, eu discordo. Já de cara, digo que sou cristão e bem menos capaz que muitos defensores do DI – considerando inocentemente que alguns deles sejam capacitados! Portanto, peço paciência com meus tropeços lógicos ao longo de nossa conversa.

    Bom, você diz: “A critica é porque alguém é cientificamente competente, o que ele acredita é verdade”. Eu acredito que você tenha levado a frase do Eberlin além de suas próprias palavras e vou tentar me explicar aqui. Não me parece ter sido essa a intenção de Eberlin: validar o DI por causa do prêmio de alguém que defende o DI (ainda mais quando o prêmio não tenha vindo de uma defesa do próprio DI). E por isso eu repito: aplicar o rigor acadêmico no exame de um post de rede social é um exagero e violação do senso comum da interpretação. Até me parece que se ele dissesse à mesa “estou morrendo de fome!” você o acusaria de mentir porque ele não está de fato morrendo! Entende?! Eberlin não busca comprovar nada sobre o DI na expressão emocionada de ver a conquista de usa filha. A frase é do tipo: “ganhou um prêmio e é corintiana, e agora palmeirenses?!” Todo mundo sabe que não tem nada a ver o time dela com o prêmio, trata-se apenas de uma expressão de alegria apaixonada e até quem sabe uma “espetada” no outro lado. Portanto, a frase que você critica foi formulada por você, não por Eberlin.

    Você diz que essa é uma discussão acadêmica, mas você não me convenceu no seu post que essa é sua intenção. Digo isso por duas razões: foi você quem ataca Eberlin em seu caráter e fé: “Se ela optar pelo obscurantismo só espero que seja feliz e não caia em tentação como seu pai.” E foi você quem rebateu o conteúdo “religioso” de Eberlin com Hebreus 11.1-3 (fora de contexto).

    Victor, seu post até teve a intenção de ser acadêmico e eu não duvido disso. Porém, nós leitores conseguimos apenas avaliar o que está escrito. Você foi mal sucedido em ser estritamente acadêmico, dando até margem para ouvir ladainha. Então, quando as pessoas lhe chamarem de “invejoso” no post, não apele para a falta de rigor acadêmico por parte deles, pois você estabeleceu o tom no seu post. Se quer criticar a falta de rigor acadêmico, faça isso “dentro das regras acadêmicas” que você certamente deve conhecer muito melhor que eu!

    • Não, Eberlin usa a ciência e destaca uma vitoria, e associa a essa vitoria de sua filha, o que é valido, mas associa isso a uma concpção informal, negada academicamente. Se estamos atrelando DI a ciência, vamos ver o que o rigor da ciência tem a dizer sobre isto.

      Acho que voce o conhece, fique a vontade para chama-lo aqui e escrever por si só!!! Gostaria de ler isto dele e se eu estiver errado peço desculpa a ele sem problema alguma. Quando erro nao tenho vergonha de dizer que errei.

      Chame-o o eberlin para discutir e pede para ele trazer seus artigos. Esta é a regra da academia.

      • Não o conheço. Também não sei o que ele faz em suas palestras. Por isso que eu acredito que seu post tem muito mais paixão que razão. Você carregou tudo o que discorda de Eberlin (ou já ouviu dele) na discordância de uma declaração isolada nas redes sociais. Isso é academia? Se de fato acredita na regra da academia, faz bem de chamar artigos. Mas não foi só isso que fez no seu post. Victor, você fez mal de atacar o caráter e a fé de Eberlin no post, principalmente porque parece desconhecer a ambos (digo pela fé que conheço, não pelo Eberlin)! Parece até que quer usar do mesmo artifício que discorda para criticar o que chama de “obscurantismo”!

      • Paixão? rsrs Não, ele não faz meu tipo, eu sou hetero, e ele tb rsrsr
        Bom, nas suas palestras ele fala sobre DI, mas quando vc pede artigos científicos que ele publicou sobre o assunto, bom, nada. Por isso um debate com ele seria preferível aqui, pois podemos pedir artigos. Geralmente pedem debates em publico pq nao precisa apresentar artigos que é o que academicamente vale. Bom, além dito ele não conhece absolutamente de biologia básica, de borboletas embora tenha saído afirmando em seu livreco que não ha evidencias sobre a origem e evolução de borboletas…e por ai vai!!!! Não é paixão, é mesmo uma crítica científica. Ele se intitula o representante do Dino Brasil e diz que conhece biologia. Bom, eu gostaria de saber ate onde ele conhece biologia e até onde ele se sustenta. Infelizmente no ultimo debate com Silvia Gobbo ele fugiu na ultima hora, talvez pq saiba que o debate com ela ou qualquer pesquisador se faz com base em artigos.
        Bom, enfim, voce esta sugerindo essas coisas de paixão e pessoal, todas minhas falas aqui foram bem focadas em ciência.
        Que os futuros visualizadores dessa pagina tirem conclusões por si só.

        Abraço!!

      • Victor, você diz: “Bom, enfim, voce esta sugerindo essas coisas de paixão e pessoal, todas minhas falas aqui foram bem focadas em ciência.” Suas falas não foram focadas apenas em ciência, mas misturam críticas pessoais totalmente desnecessárias que o bom senso pede, pelo menos, um pedido de desculpas. Você diz que não tem problema em reconhecer seu erro, mas se esquiva de reconhecer seus insultos, escondendo-se atrás do debate científico. Seu discurso de foco na Ciência foi ofuscado por ladainha semelhante a que você tanto despreza. Lamentável.

        No entanto, eu reconheço que desculpas e perdão são resultados dos traços de caráter do Designer em Sua criação… É a ética chamada de bom senso que é fundamentada na crença de um Criador. Então, pode ser mesmo que minha insistência não tenha nenhum significado para você.

        Enfim, essa discussão toca em diferenças brutais de como enxergamos o mundo e interagimos com ele. DI vs. evolução transcende um laboratório… vamos ao menos reconhecer isso!

      • Não, critiquei a posição religiosa dele como se fosse ciência. Não foram criticas pessoais, não ofendi sua família, não menosprezei a carreira dele ou sua filha. Saiba separar as coisas.
        Minha critica é, religião não é ciência. Não tente provar Deus em um lab, não rola metodologicamente falando. Só isso.
        Não tente transformar isso mais do que é.

      • o post é fruto de uma tentativa de transformar um mero comentário de rede social em mais do que isso…

      • Ué, ele não usa a rede social pra falar de “ciência”? Aguenta ué, esta sujeito a críticas sobre sua “ciência”!!!
        Bom, se ele tiver alguma coisa pra falar, apresentar artigos etc e tal, manda ele vir aqui e não mandar as abelinhas!!!

      • (você ainda não acredita em mim quando falo que não conheço o Eberlin, mas tudo bem). Victor, você insiste em dizer que não errou e que foi uma crítica honesta e “puramente” acadêmica. Aí, apela para o leitor, “que eles julguem se foi certo o que fiz”; porque da sua boca não vamos escutar um pedido de desculpas. Se seu interesse por ciência é tão genuíno assim, escreva mais artigos e não se preocupe com quem não escreve. Se é tão cientista quanto defende, Eberlin não é seu adversário. Se é de fato primeira divisão da ciência, saia da várzea e se ocupe com coisas maiores. Realmente, não entendo sua “revolta.” Se tudo o que está defendendo é verdade… relaxe. A não ser que… não esteja tão certo assim!

  10. Apreciei os vários comentários aqui postados, escritos com honesta motivação e em termos predominantemente elegantes e respeitosos. Como psicólogo arrisco-me como Daniel entre leões! Entendo o entusiasmo do Eberlin pela conquista de sua filha. Ficou bem pontuado aqui, repetidas vezes, que o Eberlin trabalha bem enquanto cientista no campo da ciência, mas que sua crença pessoal se faz presente quando faz metaciência, o que não lhe tira méritos. Na psicologia, nos anos 30-70 B.F.Skinner trabalhou com rigor máximo e formulou teorias sobre aprendizagem humana e animal testáveis e aplicáveis a um sem numero de situações clinicas e pedagógicas. O behaviorismo evoluiu para abordagens mais complexas e se faz presente, hoje, nas terapias de base cognitiva, por exemplo, que ele, Skinner mesmo criticou. Quando o mesmo Skinner escreveu Walden Two – em 1942, idealiza uma sociedade do futuro, organizada segundo os princípios comportamentais que ele defendia, ele faz metateoria. Enquanto literatura é interessante, mas não é ciência. Sabendo separar os dois ofícios, evita-se confusão. Da mesma forma a militância ateia de Richard Dawkins é reflexo de sua crença pessoal que extrapola o campo científico. Quem sabe trata-se de uma questão política? Gabriel Marcel, filosofou sobre Problema e Mistério; problemas pedem rigor científico e filosófico; já o mistério, não desdenha da ciência mas pede outra atitude, uma abertura emocional e mental sobre realidades de outra ordem que a científica, como possibilidade de acercamento e percepção. Tais são as realidades referentes, por exemplo, ao campo estético e a experiência do sagrado. Tentar encaixar Deus num tubo de ensaio ou numa fórmula matemática como tarefa impossível. Agostinho de Hipona argumentava sobre o absurdo do Infinito ser conhecido suficientemente pelo finito.Volto ao J. Stott que nos convoca a unir o crer ao pensar. Acrescento: pensar e agir criticamente, segundo o rigor lógico científico e manter-se aberto ao não buscado. O Espírito soprará onde quiser.
    Ageu Lisboa

    • Ageu, concordo com vc sobre Dawkins. Sei que muitos ateus o tornam intocável, talvez por ser um bom argumentador (especialmente em zoologia, genetica e evolução) mas ele realmente falhou neste sentido e eu tenho criticas a ele em outros pontos também. Vou discorrer somente um pouco sobre essa questão do ateismo de Dawkins e porque acho que ele falhou.
      Dawkins decepcionou no Deus um delírio. As críticas dele como ateu são em alguns pontos relativamente superficiais e cometeu um erro ao usar ciência pra justificar a descrença em Deus. Ciencia produz conhecimento, ela demonstrou que o universo, a vida e a biodiversidade podem ser explicadas por um mecanismo natural, ela nao afirma que deus existe ou nao existe. Esse posicionamento independe da ciência e é muito mais filosófico.
      Enquanto ele lutava pra separar DI de ciência estava tudo certo, mas ai usar ciencia como justificativa para nao crer em Deus falhou, isto reconheço. Ele criou uma falsa ponte que pode levar as pessoas a acreditar que ciência e ateísmo andam juntas.
      Ora, é possível acreditar em Deus e aceitar a evolução biológica. A historia é cheio deste tipo de gente, a biologia tem Dobzhanski e Collins para provar isto, embora eles não se posicionem a favor de DI ou criacionismo.

      Dawkins falhou em Deus um delírio, na minha opinião, foi o livro mais fraco dele embora eu seja ateu. Tem de saber separar as coisas, para não virar o que virou o DI, uma máscara do cristianismo fundamentalista.

  11. Muito apropriado, Rosseti, sua resposta ao que aqui comentei. Há muitos anos via meu pai, Abdênago Lisboa,agrônomo e biblista dizer algo semelhante a “criação evolucionista”. Ele, de formação calvinista e em época extremamente fundamentalista sabia reconhecer os avanços científicos e sofria devido ao preconceito religioso generalizante anticiência. Agora, te pegando, acho pesado você ter dito que o DI é uma máscara do cristanismo fundamentalista. Isto e uma doxa, não episteme. Sei de vários cristãos não fundamentalista que acham plausível ou elegante o DI. Considero voces da área biológica os mais suscetíveis ao ateismo ou aderentes do evolucionismo, diferentemente de pessoal da física e da matemática, áreas que apresentam muito maior rigor que a biologia. Que tal, fazer um parêntese e estudar um pouco outras áreas, num espírito transdisciplinar? Assim saimos do atoleiro dos mesmos argumentos e contraargumentos e poderemos ser surpreendidos por insights valiosos.
    A propósito, recomendo o livro de Christian Chen, Os nùmeros na Bíblia.ELe físico nuclear, ex- USP. Já teve edição da Betânia e tbém a Editora Tesouro Abeto, de BH (esta ultima não consegui mais localizar). Edição esgotada.O montante extraordinário de “coincidencias” significativas encontradas nos textos bíblicos, quando se trata da gematria aplicada, envolvendo nomes sagrados, personagens, números, medidas, pesos e detalhes nos textos nos deixam maravilhados. Possibilidades estatísticas estrondosas que pedem algo como milhares de vezes mais que o tempo de existencia de nosso universo para ser fruto do acaso. Eventos da criação descritos no Genesis aparecem com uma lógica matemática. Alguém conheceu este autor? Deve estar beirando os 85 anos.

    • O problema não é chamar o Deus deles de Designer, ou qualquer outro nome que se queira dar. O problema é tentar atribuir a ele uma evidência científica. O DI, o neo-criacionismo tenta “cientifizar” Deus. Metodologicamente ciência é uma coisa, religião é outra. Não estou dizendo que uma é superior a outra, ou que a religião nao presta. Ela tem a sua forma de interpretar o mundo (revelação, autoridade divina) e isso caracteriza teologia e não ciência. Há uma relação de correspondência e troca de informações entre todas as diversas formas que temos de construir conhecimento (Ciência, religião, filosofia, artes, senso comum etc e tal), mas o que caracteriza cada uma delas é exatamente a metodologia usada e os seus limites epistemológicos. Ao transgredir esses limites voce tem um posicionamento radical, extremo ao que ele deveria ser naturalmente, e ao pregar isso como se fosse verdade absoluta (ou seja, pregar Deus como cientificamente provado) é fundamentalismo sim.
      Entre na internet, nas comunidade e voce vai ver claramente isso. Da mesma forma que vejo muitos deles tachando as pessoas de neo-ateu como se fosse um posicionamento acrítico ou ofensivo (o que pode ser ou nao) essa forma de acreditar que DI é cientificamente provar Deus é uma neo-criacionismo, tão acrítico e radical quanto o neo-ateísmo. Ta ai o Hebreus fazendo esta distinção clara. Crer pela fé, que além de ser mais bonito é mais convincente e coerente.

  12. Seria mais honesto da parte de Eberlin se ele tivesse escrito assim:
    “Uma Eberlin…formada na UNICAMP, ganha nos USA o prêmio de melhor tese em Química em 2013, simplesmente o NOBEL LAUREATE SIGNATURE AWARD da American Chemical Society, coisa grande, e é destaque na Chemical & Engineering News… E pasmem, ***MESMO A TESE DELA NÃO TENDO NADA A VER COM DESIGN INTELIGENT OU CRIACIONISMO***, ela é outra defensora da TDI. ”😉

    Ou seja, ele quis correlacionar a tese cientifica premiada da filha, com a crença particular dela em criacionismo/DI…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s