CONSTANTES DO UNIVERSO, UMA RESPOSTA NATURAL OPOSTA AO PRINCÍPIO ANTRÓPICO E AO ARGUMENTO DO DESIGN – Parte 7 (Conclusão)

A SuperNova 1987A (Foto: ESO/L. Calçada) Clique para ampliar

A SuperNova 1987A (Foto: ESO/L. Calçada) Clique para ampliar

CONCLUSÃO GERAL

O Cosmos tem um design? Sim, tem é esse design se dá conforme as suas propriedades que atualmente vêm sendo estudas, seja pela teoria das cordas como pela gravidade em loop quântico.

Embora sejam teorias ainda com evidenciação completamente indireta, suas respostas se apresentam bem mais satisfatórias que postular um projeto atrás do qual há um projetista.

Como teorias, são falseáveis. Já um projetista não se falseia. Se aceita ou não se aceita e eu prefiro não aceitar.

Ciência não é baseada em crença e por isso o argumento do design não pode ser compreendido como ciência, mas como mera questão de crença, em um ser que veio sei lá de onde, com um objetivo que ninguém sabe, criou tudo e desapareceu sem deixar rastros.

Nenhuma teoria científica tem veracidade. Imaginar essa veracidade no corpo de uma teoria é um erro crasso em filosofia da ciência.Todas elas têm aceitabilidade conforme o número de evidências que elas apresentam. Essa aceitação as tornam próximas a uma verdade sem que jamais atinjam tal status.

Teorias físicas que envolvem estudos sobre o universo, bem como partículas subatômicas se fundam em modelos matemáticos. O modelo matemático é uma forma indireta de evidência que dá aceitabilidade a uma teoria.

A comunidade científica é cética a muitas coisas. Quanto ao projeto por design inteligente, ela nem comenta nada, pois se trata de uma hipótese sem o mínimo de credibilidade. Logo, no que se refere ao argumento do design ela tem certeza de não passar de pseudociência.

NEM TUDO SE DEMONSTRA NO LABORATÓRIO. Muitas coisas são respondidas por modelos. Grandes exemplos: explosão de uma supernova (por que ela explode e como ela explode), nascimento de uma estrela, formação de uma galáxia, inflação cósmica, big bang, como a matéria interage para formar substâncias – Teoria dos orbitais químicos é um modelo quântico matemático que responde bem por que as ligações químicas ocorrem, solvatação de íons, as causas das diferentes constantes radioativas dos elementos, o poder de frenagem de uma partícula dentro da matéria e vai por ai afora. Isso tudo são modelos matemáticos que explicam como essas coisas acontecem e não dá para na vida real testá-los plenamente e atestá-los.

Explicar por que há vida inteligente na Terra, foge ao escopo deste debate, pois para tal teríamos de nos remeter ás origens da vida, periferia das galáxias, origem do sistema solar, estudo de zonas goldlocks, formação da Lua, espectro da radiação solar, prazo de vida de estrelas e evolução das espécies, principalmente a humana.

Este planeta e o universo não foram feitos para nós. Nós somos consequência do ambiente em que evoluímos para viver e esse ambiente é bem restrito.

Quem não acreditar, faça o seguinte:

Tente ficar um minuto com a cabeça enfiada numa piscina. Tente sair em um ambiente gelado ou desértico sem proteção adequada.

Tente entrar em uma lagoa sulfurosa. Tente nadar em alto-mar ou em um rio com uma correnteza forte. Fique em torno de uma duas horas dentro da água para vc ver o que acontece com a sua pele.

Nem vou mencionar ir à Lua sem equipamento, mas despressurize a cabine de um avião para ver o que acontece.

Pois é, aqui apresento fatos e, contra fatos não há argumentos. Logo, princípio antrópico não passa de uma bobagem e nosso ambiente é a causa de sermos como somos.

O ajuste fino do universo existe? Sim existe; para quem vive dentro dele. Mude as condições desse ajuste e terá uma gama incrível de ajustes finos.

O intuito do criacionismo e idéias análogas é transformar o DI e o PA como teorias default uma vez que para seus proponentes teorias científicas não explicam nada por não serem empiricamente testáveis.

Quanto ao DI, nem demonstrações indiretas plausíveis existem acerca dessa hipótese, exceto a subjetividade e as falsas percepções de seus proponentes.

Como já vimos anteriormente, a pretensão de um projeto inteligente não passa de uma falácia, pois por circunstâncias fáticas da natureza claramente vemos que isso não existe.

Ou seja, de acordo com o Popperismo, caso vejamos uma e apenas uma discordância, toda a teoria cai por terra. E, existem toneladas de evidências que fragilizam a ideia de projeto inteligente.

Design na natureza existe? Sim ele existe. Existe um designer? Sim existem vários:

Para o Universo, são as 4 forças fundamentais:

  • gravitacional, que molda as galáxias, estrelas e planetas;

  • nuclear forte, que molda prótons e nêutrons para fazer o átomo;

  • nuclear fraca que permite o decaimento de nêutrons em prótons e permite a fusão nuclear e a transmutação dos elementos;

  • eletromagnética, que permite que as ligações químicas ocorram.

Na biologia esse designer se chama seleção natural com descendência modificada, ou seja, evolução das espécies.

E, para a origem e moléculas da vida, esse designer se chama redução entrópica local.

Resumindo na concepção dos tedeístas ou criacionistas requentados o designer é algo como uma entidade sobrenatural. Mas pode ser que não.

Esta entidade faz projetos inteligentes, mas nem sempre pois admitem falhas.

Que e teoria [SIC] é esta que admite mais exceções que regras? Resumo não passa da mais pura PSEUDOCIÊNCIA. Eu diria que o que existe na natureza, em alusão a Neil de Grasse Tyson: o que existe na natureza é um “STUPID DESIGN”.

Escrito especialmente por Elyson Scafati

One thought on “CONSTANTES DO UNIVERSO, UMA RESPOSTA NATURAL OPOSTA AO PRINCÍPIO ANTRÓPICO E AO ARGUMENTO DO DESIGN – Parte 7 (Conclusão)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s