“TEORIA” DO DESIGNER INTELIGENTE É PSEUDOCIÊNCIA – DIZEM OS MAIORES CENTROS DE PESQUISA DO MUNDO.

De acordo com Numbers, Ronald L. (2006) da Universidade de Harvard o designer inteligente é uma forma modernizada do conhecido e tradicional argumento teleológico para a existência de Deus, obviamente adaptado com a finalidade de evitar especificações sobre a natureza ou identidade do criador. Exatamente para se apresentar como ciência e não ser desvalorizado filosoficamente, isso implica em problemas epistêmicos, metafísicos e agora científicos uma vez que teleologia não se prova cientificamente, especialmente sobre desígnios externos, especiais. Proponentes do Designer inteligente buscam no mundo natural, especialmente em estruturas biológicas, sinais de intencionalidade, propósito e planejamento. A pesquisa se foca nas evidências biológicas e não nas conseqüências das descobertas. Defensores da criação inteligente alegam que ela seja uma teoria científica, e buscam fundamentalmente redefinir a ciência para que esta aceite explicações sobrenaturais. Isto é, desejam que teleologia e metafísica seja tratada como ciência no sentido empírico, experimental e paradigmático. O que corresponde a tratar dogmas como conceito científico e experimentação como aspecto religioso. Como tais grupos não produzem artigos científicos, seu foco é reinterpretar artigos produzidos por grupos acadêmicos de prestigio em uma perspectiva criacionista, ou seja, o que a ciência diz ter ocorrido por processos naturais eles não aceitam, negam essa constatação científica e alegam anedoticamente terem sido criados por uma entidade externa a tudo e a todos.  O consenso da comunidade científica hoje é claro, de que a criação inteligente não é ciência, e sim, declaradamente pseudociência. Eis aqui a declaração dos maiores centros de pesquisa científicas do mundo que declararam ser contra o criacionismo e Designer inteligente

A Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos (NAS, 1999) já declarou que o “criacionismo, design inteligente e outras alegações de intervenção sobrenatural na origem da vida” não são ciências porque elas não podem ser testadas por métodos científicos. A Associação de Professores de Ciências dos Estados Unidos (NSTA, 2005) e a Associação Americana para o Avanço da Ciência a classificaram como pseudociência (AAAS, 2008). A Sociedade Brasileira de Genética publicou oficialmente que não há qualquer respaldo científico no design inteligente e outras teorias criacionistas, explicando que esta posição é consensual na comunidade científica (SBG, 2010). A Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA, 2005) declara que o designer inteligente é pseudo-ciência. A The National Center for Science Education também declara a mesma coisa destacando o papel negativa da pseudo-matematica usada pelos proponentes (NCSE, 2010). A The Quarterly Review of Biology (2010) destaca que o “designer inteligente é uma incoerência irredutível”. A revista Harvard Science Review (2005) que representa esta universidade afirmou que “para a maioria dos membros da comunidade científica dominante, o DI não é uma teoria científica, mas uma pseudociência criacionista”.

O Committee on Culture, Science and Education (2007) afirmou que o criacionismo e o designer inteligente são conceitos periogosos a educação afirmando e que “o criacionismo tem muitos aspectos contraditórios. A teoria do “design inteligente”, que é a versão mais recente, mais refinada do criacionismo, não nega certo grau de evolução, mas afirma que esta é a obra de uma inteligência superior e não de seleção natural. Embora mais sutil em sua apresentação, a doutrina do design inteligente não é menos perigosa que o criacionismo”. O que obviamente reflete no que já foi brevemente abordado aqui, como um tipo de analfabetismo cientifico respaldado por um fundamentalismo religioso.

A Academia Australiana de Ciências (2005) elaborou uma carta com mais de 70.000 cientistas e professores de ciências declarando abertamente que o designer inteligente não é ciência e alertando que este não deveria ser ensinado nas aulas de ciências da escola. A carta foi publicada nos principais jornais australianos.

O British Centre for Science Education (2008) destaca a estratégia criacionista na imprensa e escolas, tentando deturpar o ensino científico. No “Ensinando Ciência” um artigo da UNESCO sobre importância dos princípios e conceitos científicos na educação há declarações de que criacionismo e Designer inteligente não é considerado ciência.

A American Society for Biochemistry and Molecular Biology (2005) declara que “o design inteligente não é uma teoria, no sentido científico, nem é uma alternativa científica para a teoria da evolução….pode ​​ser apropriado para ensinar em uma religião ou aula de filosofia, mas o conceito não tem lugar na uma aula de ciências e não deve ser ensinado“.

A Botanical Society of America (2008) alega que”Os defensores do criacionismo e do designer inteligente promovem a ignorância científica sob a forma de aprendizagem. Como cientistas e educadores profissionais, afirmamos veementemente que tais esforços são tanto equivocado e falhos, apresentando uma visão incorreta da ciência, de seu entendimento e de seus processos”.

A National Association of Biology Teachers (2008) afirma que “Os cientistas firmemente estabelecem a evolução como um importante processo natural. Explicações…ou maneiras de saber que invocam mecanismos metafísicos, não-naturalista ou sobrenaturais, seja chamada de “ciência da criação”, “criacionismo científico”, “teoria do design inteligente”, “teoria da Terra jovem”, ou designações semelhantes, estão fora do âmbito da ciência e, portanto, não fazem parte de um currículo de ciências válido.”

A National Science Teachers Association (2005) declarou que “Estamos com as principais organizações científicas e cientistas do país, incluindo o Dr. John Marburger, top conselheiro científico do presidente, ao afirmar que o design inteligente não é ciência….Simplesmente não é justo para apresentar pseudociência para os alunos na sala de aula de ciências.”

Kentucky Academy of Science (2005) que é um dos lugares com maior número de criacionistas e proponentes do Designer inteligente afirma “das formas mais fortes e determinadas possíveis deploramos a decisão de substituir “a mudança ao longo do tempo” para “evolução” dos padrões de ensino do Estado, que insiste em que a redação original deve ser reintegrada, e condena qualquer tentativa de remover o ensino da teoria evolucionista básica“. Com a mesma opinião segue a Kentucky Paleontological Society (1999) e o Lehigh University Department of Biological Sciences.

A Project Steve (2008) fez uma declaração assinada por 1.200 cientistas alegando que “é cientificamente inadequada e irresponsável do ponto de vista pedagogico ensinar pseudociência criacionista, incluindo o Design inteligente e introduzi-los nos currículos de ciências das escolas públicas do nosso país”.

Royal Society (2008) confirma que “…design inteligente tem muito mais em comum com a crença religiosa no criacionismo do que tem com a ciência, que é baseada em provas obtidas através da experimentação e da observação. A teoria da evolução é suportada pelo peso da evidência científica; a teoria do design inteligente não é”.

A Intelligent Design is not Science Initiative (2007) é uma iniciativa trazida por uma coalizão organizado pela Faculdade de Ciências da Universidade de Nova Gales do Sul, representando por aqueles 70.000 cientistas australianos e professores de ciências com os signatários da Academia Australiana de Ciência, a Federação das Sociedades australianos científico e tecnológico, e a Australian Ciência Associação de Professores cuja finalidade é ratificar que “o design inteligente é uma noção teológica ou filosófica…evolução atende a todos os critérios científicos, mas D.I não atende nenhum deles. Portanto, não é ciência

A American Chemical Society (2010) aceita a evolução biológica e nega categoricamente o designer inteligente e o criacionismo, bem como a American Society of Agronomy (2005) decarando que “O design inteligente não é uma disciplina científica e não deve ser ensinada como parte do currículo K-12 ciência. O design inteligente não tem nem a base de investigação substancial, nem as hipóteses testáveis ​​como uma disciplina científica. Há pelo menos 70 resoluções de uma ampla gama de sociedades científicas e instituições que estão unidos nesta matéria“.

Há muitas outras revistas e centros de pesquisa importantes do mundo que rejeitam categoricamente o criacionismo e designer inteligente como ciência e entendem que essas ideias na verdade consolidam uma coisa só, religião e fundamentalismo. É o caso da American Association of University Professors (2008), American Astronomical Society (2006), American Geophysical Union (2005), American Institute of Physics (2008), American Psychological Association (2007), Federation of American Societies for Experimental Biology (2008), Council of Europe (2011), Elie Wiesel Foundation for Humanity Nobel Laureates Initiative (2005), Interacademy Panel Statement on the Teaching of Evolution, The International Society for Science and Religion (2008) e a Royal Astronomical Society of Canada (2007).

Como vimos, é um consenso mundial de que tal proposta não é científica, e sim puro especulacionismo. Assim, é preciso saber separar o que se “acha” do que são teorias científicas para entendermos porque o tedeísmo (TDI ou Teoria do Designer inteligente) não é científica, e portanto, não é teoria.

Diagrama de crenças sem sentido. An Organized Collection of Irrational Nonsense

Diagrama de crenças sem sentido. An Organized Collection of Irrational Nonsense (Clique para ampliar) Veja se oque voce acredita esta na lista e re-avalie reflexivamente suas convicções.

Referências

New AAAS Statement Decries “Profound Dishonesty” of Intelligent Design Movie, 2008

NSTA. National Science Teachers Association Disappointed About Intelligent Design Comments. 2005

National Academy of Sciences, 1999 Science and Creationism: A View from the National Academy of Sciences, Second Edition.

SBG – Sociedade Brasileira de Genética. MANIFESTO DA SBG SOBRE CIÊNCIA E CRIACIONISMO. 2010

Universidade da Califórnia em Los Angeles. Intelligent design is pseudoscience. 2005

The National Center for Science Education. Creationismo Controversy.

The Quarterly Review of Biology. Irreducible incoherence and intelligent design: a look into the conceptual toolbox of a pseudoscience. 85(4). p.473-482

Harvard Science Review. Focus: Science, Religion, and Politics. TROJAN HORSE or LEGITIMATE SCIENCE? 2005\

British Centre for Science Education. About the British Centre for Science Education. 2008

John R. Staver. ACADEMIA INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO UNESCO.

ASBMB President Writes to President Bush on “Intelligent Design”” (Press release). American Society for Biochemistry and Molecular Biology. 2005-08-04

Botanical Society of America’s Statement on Evolution”. Botanical Society of America. Retrieved 2008-02-08.

National Association of Biology Teachers Statement on Teaching Evolution”. National Association of Biology Teachers. Retrieved 2008-11-27.

National Science Teachers Association Disappointed About Intelligent Design Comments Made by President Bush”. National Science Teachers Association. 2005-08-03.

KAS Members Approve Resolution in Support of Evolution Press”. Kentucky Academy of Science. 2005-12-22.

Kentucky Paleontological Society Statement on the Teaching of Evolution” (Press release). Kentucky Paleontological Society. 1999-10-12.

Department Position on Evolution and “Intelligent Design”, Lehigh Department of Biological Sciences.

“NCSE Project Steve”. National Center for Science Education. Retrieved 2008-02-16.

Royal Society statement on evolution, creationism and intelligent design”. Royal Society. April 11, 2006. Retrieved 2008-01-28.

Intelligent Design is not science”. University of New South Wales. Archived from the original on 2007-08-11.

“About the American Chemical Society”. American Chemical Society. 2010. Retrieved October 11, 2010.

Committee on Culture, Science and Education. The dangers of creationism in education. 8 June 2007

 Australian Science Academy. Statement on creationism and intelligent design. 2005

Scientific societies support teaching evolution” (Press release). American Society of Agronomy. 2005-08-15.

Academic Freedom and Teaching Evolution Resolutions of the 94th Annual Meeting, American Association of University Professors. 2008

American Astronomical Society (September 2005). “Statement on the Teaching of Evolution” (PDF). Archived from the original on 2006-12-06.

President Confuses Science and Belief, Puts Schoolchildren at Risk” (Press release). American Geophysical Union. 2005-08-02.

“Statement on Evolution”. American Institute of Physics. Retrieved 2008-02-08.

APA Statement on Intelligent Design”. American Psychological Association. 2007-02-17.

FASEB Opposes Using Science Classes to Teach Intelligent Design, Creationism, and other Non-Scientific Beliefs” (PDF). Federation of American Societies for Experimental Biology. Retrieved 2008-02-08.

The dangers of creationism in education”. Council of Europe. 2011-09-17.

Victor Rossetti

Palavras chave: NetNature, Rossetti, Pseudociência, Criacionismo, Designer inteligente, Teleologia.

Anúncios

54 thoughts on ““TEORIA” DO DESIGNER INTELIGENTE É PSEUDOCIÊNCIA – DIZEM OS MAIORES CENTROS DE PESQUISA DO MUNDO.

  1. O ilustre idealizador da coleção ilustrada do irracional mirou no viu e acertou no que não viu. Um olhar mais espantado não se demora na alocação da Psicoanálise Freudiana como pseudociência, mas segue um tanto pasmo em encontrar nesse rol o vitalismo. As correntes filosóficas que se apoiam no vitalismo não só não podem ser ciência como devem também ser anti-intelectuais. Mas conceber a diferença de natureza entre o vitalismo (élan vital) e formas abstrusas lá elencadas careceria de um discernimento que somente um verdadeiro homem de ciência poderia dele dispor.

  2. Mais uma vez dando palpite sobre o que não sabe.

    Qualquer bom estudante de história e filosofia da ciência sabe que o que demarca uma explicação como cientìfica ou pseudocientífica se ampara na falseabilidade e testabilidade.

    Existem teorias não falseáveis, principalmente no campo da Física Teórica – o Dogma das Super Cordas, o Multiverso e a Teoria do Tudo, entre outras. De modo que muitos cientistas rejeitam tais hipótese, em contrapartida os proponentes obviamente a apoiam, e além disso estão pouco se importando se elas são falseáveis ou não. Vejam este debate, por exemplo: http://edge.org/3rd_culture/smolin_susskind04/smolin_susskind.html

    Neste panorama, é evidente que esta questão permeia discussões mais complexas, no caso do DI existem diversos artigos asseverando se realmente o DI estaria violando o Naturalismo Metodológico e se o sobrenatural pode ser testado. Bom, são questões ainda em debate.

    Ciência não se faz “por maioria de votos” eu, como Susskind, pouco me importo com o que cientistas ou comunidades científicas declaram, ciência se faz com resultados embasados em artigos e Livros devidamente revisados e não com declarações dispersas e superficiais. O DI realmente é promissor, artigos mesmo que aos poucos são publicados – livros também.

    Agora, o curioso é que posto a revelação destes entraves de certa forma “encobertos” o que sobra é que esta coisa de denominar o DI como pesudociência do novo criacionismo não passa de uma estratégia retórica desleal com finalidade de depreciar o DI.

    Já é hora de parar com esta choradeira porque é coisa de amador que não tem nada o que fazer, pensam que um diploma lhe dão o direito de escrever qualquer ladainha que seja.

    • Bem asseverado Alex Vinícius, excluindo o último parágrafo . Entretanto, gostaria muitíssimo que você expusesse sua opinião sobre a premente mudança de paradigma na ciência, a propósito do que nos assevera o Dogma das super cordas e a Física Quântica e seu impacto na concepção da realidade e visão do mundo para o Homem atual.

      • Este é um tema que não cabe nestes comentários, eu teria que escrever um artigo inteiro para abordar este assunto. Mas de forma resumida é o seguinte:

        O Dogma das Super Cordas (nome que eu dei carinhosamente para a Teoria das Cordas) é uma teoria que aspira explicar toda a estrutura do Cosmos, uma Teoria que se algum dia mostrar-se correta (duvido), terá conseguido o que todos os cientistas aguardam ansiosamente: Refutar a explicação do Design, em virtude de fornecer outras explicações com pressupostos materialistas/naturalistas, etc…

        Mas acontece que nestes termos, a explicação do DI é também uma explicação científica, então nem tudo é tão simples como parece.

        A mudança de paradigma do Dogma das Super Cordas é justamente querer impor uma explicação totalmente metafísica e ainda não verificada, como se fosse uma explicação científica dentro dos termos científicos atuais. Em ciência, tudo tem que ter base, tudo tem que ter evidências sólidas, não trata-se puramente de oferecer explicações e possibilidades.

        O impacto para a sociedade é o seguinte: A revolução que Darwin causou na biologia acerca das diversas visões de mundo (seja dos religiosos ou não) também seria realizada no campo da Cosmologia, com a Teoria das Cordas.

        Agora imagine você como seria? Bom, já dá para ter uma ideia bem nítida do que aconteceria.

    • “Existem teorias não falseáveis, principalmente no campo da Física Teórica – o Dogma das Super Cordas, o Multiverso e a Teoria do Tudo, entre outras.”

      A ciência é uma busca constante. Mas, você parece querer apelar ao “Deus das lacunas”, tentando se aproveitar de alguns espaços não totalmente preenchidos com respostas científicas

      “De modo que muitos cientistas rejeitam tais hipótese, em contrapartida os proponentes obviamente a apóiam”

      Será que isso se dá pelo fato do conhecimento científico não ser revelado por um ser Divino que impõe suas “verdades”? Será que isso é assim pelo fato de o conhecimento científico ser fruto do intelecto humano, em um debate constante, com opiniões contra e a favor?

      “e além disso estão pouco se importando se elas são falseáveis ou não.”

      Essa afirmação é simplesmente mentirosa.

      “O DI realmente é promissor, artigos mesmo que aos poucos são publicados – livros também”

      Só se for em Marte.

      “no caso do DI existem diversos artigos asseverando se realmente o DI estaria violando o Naturalismo Metodológico e se o sobrenatural pode ser testado. Bom, são questões ainda em debate.”

      Só se o debate for na igreja.

      “Agora, o curioso é que posto a revelação destes entraves de certa forma “encobertos” o que sobra é que esta coisa de denominar o DI como pesudociência do novo criacionismo não passa de uma estratégia retórica desleal com finalidade de depreciar o DI.”

      Essa retórica falaciosa já está envelhecida. Arranja outra.

      “Já é hora de parar com esta choradeira porque é coisa de amador que não tem nada o que fazer,”

      Por isso estou esperando você parar de chorar.

      “pensam que um diploma lhe dão o direito de escrever qualquer ladainha que seja.”

      Um diploma impediria de você usar um português tão horroroso (pode ter sido erro de digitação, eu sei). Adotando a sua proposta é melhor fecharmos as portas das grandes universidades do mundo e voltarmos todos para a igreja.

      Amigo, o DI foi massacrado no julgamento de Dover.

      • hahaha…

        O Vinícius Sena, crente que me refutou.

        Vai estudar rapaz. Não tenho tempo para embromações. Se você quer ao menos me mostrar argumentos decentes, apresente artigos científicos e referências.

        Ao contrario de você, o que eu escrevi está totalmente baseado em fontes diversas, e que eu venho estudando a um bom tempo. Se você nem as conhece, e nem sequer sabe o que eu estou argumentando (fato demonstrado pelo tom pueril das suas respostas) já é mais do que suficiente para eu lhe revogar o direito a minha réplica, pois assim só o faço com quem tem ao menos argumentos.

        Agora meu caro, só não vá me pedir pelas minhas fontes (artigos e etc..), porque senão a coisa irá ficar mais feia e constrangedora para você. Antes de tudo, tem que existir um comprometimento, comprometimento que me parece ausente de seu entendimento do assunto. Um assunto como este exige conhecimento profundo das questões tratadas, não é simplesmente um qualquer que pode sair por aí dando palpites.

        Ademais, quer me questionar de erros de digitação, quando que o próprio escreve como um estudante de primário. Lamentável!

      • Se não me engano os artigos que voce cita não afirmam nada sobre D.I. Pelo contrário. Voce os lê, e re-interpreta segundo seu comprometimento com a fé em Designer.
        Reinterpretar dados para justificar crença não é fazer ciência. Como não há artigos sobre Design inteligente, acho que esse papo de “só não vá me pedir pelas minhas fontes (artigos e etc..),” vai ficar feio é para voce Alex.
        Eu mesmo lembro quando vc mandou um artigo falando de P.A e a referência do artigo era um artigo cujo titulo dizia que Design inteligente nao era ciência. Faz mais ou menos 2 anos isto.
        AO contrario dos artigos citados no texto. As referencias estão ai. se duvidar pode consultadas. Essas universidade e Revistas cientificas rejeitam D.I e criacionismo declaradamente.
        Sera que é uma conspiração contra o D.I ou sera que de fato o D.I e cria são pseudociencias?

      • Não, não são estes artigos. E não tem nada que ver com reinterpretações.

        Além disso, sobre aquele caso. Eu me lembro disso. Você, ou não sei quem citou um livro do Victor Stenger alegando que este livro supostamente refutaria o Ajuste Fino do Universo.

        Aí eu simplesmente mencionei um artigo que refutava completamente este livro dele. Você apenas tratou de corromper o que eu escrevi (comentado que eu mencionei o artigo para apoiar o DI), quando que na realidade eu só mencionei para refutar o livro, como já escrevi.

        Você olhou nas referências e viu que tinha um artigo contra o DI ( o que é normal para qualquer artigo científico, as referências são diversas invariavelmente), teimando em querer armar uma suposta contradição de minha parte, quando que em realidade ela nunca existiu.. Aliás, foi justamente por causa deste acontecimento que eu tinha parado de mencionar artigos naquela comunidade, porque sempre vinha um almofadinha qualquer querendo corromper o que eu comentava.

        Aí como você não tem capacidade para refutar o artigo que eu apresentei, fica inventando essas bobagens, como de costume.

      • Obrigado pela sua birra, senhor Alex Vinícius. Sou um advogado escrevendo como um estudante de primário. Tentei usar uma linguagem acessível para fazer você entender alguma coisa. A simplicidade da minha escrita se deve ao fato de a pessoa a quem estou direcionando a minha fala necessitar que se escreva assim, no caso, você. Quem crê em seres imaginários que promovem genocídios e ordena matanças de inocentes não pode falar de suposta primariedade ou infantilidade de ninguém. Portanto, vai estudar você, pois eu já sou bem sucedido na minha profissão e quanto à Teoria da Evolução é bem verdade que não sou um especialista, mas não vivo distorcendo publicações científicas ou a fala dos cientistas para tentar encaixar o mundo à minha crença particular não.

        Sou feliz por ser um ex-cristão. Graças a “Alá” me livrei da farsa.

    • Diante de tanta polêmica e de minha notoria ignoracia gostaria de que algum luminar cientista me respondesse à seguintes questões:
      1. Como é que o nada explodiu ? Ou o Big Bang não é ciencia ?
      2. Os postulados(dogmas) da geometria : ponto reta e ponto são científicos ou a geometria não é ciencia ?
      3. As Leis cientificas, não demontráveis embora apenas comprováveis são cientificas, logo cabe à ciência explicar apenas o “como os fatos da batureza acontecem” e não o “porque” e muito menos as causas primarias das coisas. Estou cert ou a minha ignorancia é ainda maior do que imagino.
      Se por uma remota hipotese eu estiver certo, porque tentar esplicar no âmbito da ciência o que não faz parte de seu objeto ?

  3. Pos Modernidade: Ciência,  Política e Religião
    Por Sodré Neto
     
     

     
    RESUMO – A idade média e sua forma de dominio politico-religioso se tornou um grande monstro que teve que ser demolido e debatido na historia,  demonstrando cabalmente que  deve ser impedido de se aparelhar novamente.  Contudo, a forma exagerada como que o modernismo positivista  varreu a religião pra debaixo do tapete,  não foi uma maneira equilibrada , dando vozes ao ateísmo, imoralidade  e ao naturalismo, que hoje justifica o temível retorno da religião ao poder.
    Se por um lado os modernistas estão certos de tentar evitar tal retorno, por outro lado, a falta de discernimento das esferas de ações políticas, religiosas e científicas , e a falta de equilibrio com que se processa tal recusa, faz com que o retorno volte de maneira tão desequilibrada quanto foi varrida.
    Propor um discernimento das esferas de ação religiosa, politica e cientifica, é o objetivo do presente trabalho. 
     
    Lutero foi um dos que falaram contra a junção entre o poder temporal e o poder atemporal (Igreja) discriminando quais as esferas cada poder deveria atuar e deixar de atuar em “A Liberdade do Cristão” lançado recentemente pela editora ESCALA. 
    Neste trabalho,  Lutero destaca que o cristianismo não deve impor suas leis ao Estado, as pessoas não cristãs,  e que nem Estado e nem Igreja deveriam interferir na individualidade religiosa de  cada pessoa.
    Ou seja, em tese não precisaria de nada de Estado Ateu, educação naturalista, ciência cega ao Criador,  e outros exageros iluministas e epistemológicos evitando desajeitadamente a ci~encia  evocar o sobrenatural, pois para se estabelecer a verdade e o equilibrio entre as 3 dimensões fisiológicas (cientificas) psicologicas (politicas) e espirituais (religião), nas expressões de organização humana, bastaria um entendimento amplo e aceitação destas realidades intrísecas não somente a sabedoria religiosa, mas a sabedoria política e tb científica na realidade. 
    Os modelos de pensamentos no mundo se alternaram e determinaram a música que orquestra e domina a maioria das pessoas.
    Assim podemos distinguir o dominio da modernidade e agora, o dominio da  pos modernidade.

    • Positivismo cientifico e cientificismo….criacionista critica a ciência mas adoraria que sua crença fosse vista como ciência. kkkkkkk me poupe Sodré. Voce querendo falar de ciência e de moralidade quando voce escreve textos citando fontes nao cientificas e as que são cientificas não respaldam as citações. Acho que voce não poderia falar de moral cristã aqui….voce ja tomou cerveja até com a Silvia Gobbo a alguns anos atrás!!!!

      Por favor, limite-se a ir a sua igreja, e lá expressar sua espiritualidade e religiosidade. Religião é uma coisa, expresse ela dentro da igreja, ciência é acadêmia, coisa que vc não esta familiarizado. Se não quer aceitar uma proposta científica, é um direito seu, mas saiba que isso não é refuta-la.
      Se a religião foi para baixo do tapete deve ser porque ela mesmo o fez por merecer. Basta olhar historicamente o porque o movimento iluminista surgiu, porque essa iluminaçao pela ciência emergiu, e a supressão de anos, décadas, seculos, um milênio de idade das trevas fez!!!
      A unica treva que conheço foi a que o movimento cristão criou, seja na inquisição, seja na reforma!!!

  4. Primeiro: que cientificismo é uma postura filosófica, e não uma ciência “em si mesma”. Tem até um vídeo do Universo Racionalista criticando o cientificismo.

    Segundo cientificismo não é uma proposta cientifica, mas sim uma visão totalmente particular acerca da compreensão dos fenômenos. Como crença, ou postura filosófica, merece e deve ser criticada.

    • Terceiro, cientificista é vc, quem ta querendo provar Deus como Design em uma teoria “cientifica” são vcs. Tentando cientifizar Deus. Larga a mão de ser analfabeto cientifico e vai estudar!!!

      • Cara, o que cientificismo tem que ver com o argumento do Design? Pensa, pensa um pouco no que você escreveu, não tem o menor sentido. Cientificismo não é um adjetivo pejorativo para sair por aí “catalogando” seus opositores.

        Ninguém aqui ta querendo “cientifizar Deus” Alguns até podem, mas você não pode me incluir gratuitamente no grupo deles,

      • Tem tudo a ver. O que é o Design? Se for a interpretação de Deus o design esta tentando criar um contexto cientificista para uma crença que deveria ser baseada em fé.
        Se o D.I não é Deus, então o que é ele? Qual sua definição?
        Cientificismo se torna pejorativo quando tudo vira uma mecanica na qual se acredita que só ha uma forma de ver o mundo. Bom, se alguém tenta tornar Deus uma ciência, acho q isso e uma forma ou de converter Deus numa hipotese ou a ciência em uma crença. Isso se chama catequismo!!
        Qual vc prefere? Qual seu objetivo Alexa; transformar Deus numa Hipotese (desgraçando o metodo cientifico) ou Catequizar a ciência?

      • Cara, quanta bobagem, você não casa de escrever besteiras?

        Veja, não existe essa de “cientificismo se tornar pejorativo”, não crie neologismo aonde não lhe cabem.

        Da onde você tirou essa de converter “Deus numa hipótese científica”, para de “viajar na maionese” cara. DI pode muito bem advogar uma intencionalidade inteligente, mas daí concluir esse agente como Deus está fora de questão. Seria um salto epistemológico não justificado. E se um dia for justificado pela ciência NUNCA SERÁ UMA CRENÇA, pois a ciência como método rigoroso para a melhor explicação acerca de um fenômeno exige provas e evidências sólidas sobre o que se pretende explicar.

        E claro, não está muito longe não, o DI cara vez mais soma evidências. E só está crescendo cada vez mais.

  5. “Existem teorias não falseáveis, principalmente no campo da Física Teórica – o Dogma das Super Cordas, o Multiverso e a Teoria do Tudo, entre outras.”

    A ciência é uma busca constante. Mas, você parece querer apelar ao “Deus das lacunas”, tentando se aproveitar de alguns espaços não totalmente preenchidos com respostas científicas

    “De modo que muitos cientistas rejeitam tais hipótese, em contrapartida os proponentes obviamente a apóiam”

    Será que isso se dá pelo fato do conhecimento científico não ser revelado por um ser Divino que impõe suas “verdades”? Será que isso é assim pelo fato de o conhecimento científico ser fruto do intelecto humano, em um debate constante, com opiniões contra e a favor?

    “e além disso estão pouco se importando se elas são falseáveis ou não.”

    Essa afirmação é simplesmente mentirosa.

    “O DI realmente é promissor, artigos mesmo que aos poucos são publicados – livros também”

    Só se for em Marte.

    “no caso do DI existem diversos artigos asseverando se realmente o DI estaria violando o Naturalismo Metodológico e se o sobrenatural pode ser testado. Bom, são questões ainda em debate.”

    Só se o debate for na igreja.

    “Agora, o curioso é que posto a revelação destes entraves de certa forma “encobertos” o que sobra é que esta coisa de denominar o DI como pesudociência do novo criacionismo não passa de uma estratégia retórica desleal com finalidade de depreciar o DI.”

    Essa retórica falaciosa já está envelhecida. Arranja outra.

    “Já é hora de parar com esta choradeira porque é coisa de amador que não tem nada o que fazer,”

    Por isso estou esperando você parar de chorar.

    “pensam que um diploma lhe dão o direito de escrever qualquer ladainha que seja.”

    Um diploma impediria de você usar um português tão horroroso (pode ter sido erro de digitação, eu sei). Adotando a sua proposta é melhor fecharmos as portas das grandes universidades do mundo e voltarmos todos para a igreja.

    Amigo, o DI foi massacrado no julgamento de Dover.

  6. Eu, ao menos, tenho um argumento.

    O que vc´s escreveram até aqui são bobagens, bobagens e bobagens. Nem sequer são argumentos.

    Um pior que o outro.

    • KKKKK Ok, obrigado pela sua participação.
      Favor, não comentar nossas “besteiras” nunca mais.

      Aos outros, bem, os artigos da postagem estão disponíveis, é só pesquisar e voces mesmos verão que a besteira esta na boca dos Designers!!!

      Abraço a todos!!!!

      • Justamente por se bobagens que eu devo comentar. São muitos os que podem ser enganados com estas bobagens escritas por vocês e poucos os que realmente sabem discernir as informações verossímeis das inverossímeis.

        Então trata-se muito mais de ser um comprometimento intelectual de minha parte que visa advertir todos acerca das desinformações disseminadas por vocês, não é uma simples oposição.

        Além disso, você sequer forneceu artigos, somente referências. E mesmo se fossem artigos, certamente seriam aqueles velhos de sempre, onde teimam em errar nas mesmas questões. Ultrapassados, obsoletos.

        E quanto a este puro sinal de covardia (comentado por vc “nunca mais”), não vou nem objetar, pois a expressão em si mesma já denota o quanto são fracas as suas respostas.

      • Oh droga, vc descobriu meu plano conspiratório.
        Disse o cara que defende um design inteligente sem artigos, sem experimentos sem nada.
        Depois nós que dizemos bobagens. Minhas alegações não são fracas, eu simplesmente não debato mais exatamente por isso, voces não tem nada e querem afirmar concepções religiosas como ciência. O mesmo argumento de 1920 do Price. O que tinha que debaterja debati, agora eu não debato, só bato!!!
        Os artigos estão ai eu caro, pare de chorar e vá estudar!
        TCHAU

      • As teorias cientificas são falseáveis…(uma das premissas da ciência)
        Criacionismo e DI não…(portanto não são ciência, e sim crença…)
        Simples assim…
        (Quando o criacionismo apresentar EVIDENCIAS EMPIRICAS de pessoas com idade de 900 anos, ou mais, EVIDENCIAS EMPIRICAS de um diluvio global, EBIDENCIAS EMPIRICAS da “possibilidade” do sol estacionar ao meio dia durante um período de “24 horas”(?!?), e EVIDENCIAS EMPIRICAS da Terra sendo “criada” ANTES do sol, da lua e das outras estrelas…aí passaremos a dar crédito para essa “hipótese”, no entanto, a ciência trabalha com evidencias naturais, e não “sobrenaturais”!!!)

      • Para um hipócrita como você, sonegar artigos pró-ID é moleza. Agora, quero ver você ter capacidade para argumentar qualquer coisa decente que seja, porque desde sempre as suas tentativas de “argumentar” foram fracas, sempre com “argumentos” meia-boca.

        Aliás, você nunca debateu, o que você pensa serem argumentos de sua parte foram nada mais do que bobagens. Sempre com as mesmas estratégias ardilosas de corromper o que os outros dizem, de corromper o que comentam ou postam; com trapaças qualquer zé ruela consegue enganar os outros; o que eu não vi ainda foram argumentos series e contundentes de você, e até de seus amiguinhos estranhos também.

        Qualquer pessoa que tenha o mínimo de bom senso e inteligência sabe que você nem sequer se deu conta de suas negligências e erros, que sua vaidade o impede de compreender o quanto você é ignorante no assunto; pois bem! continue com seus vícios, continue a enganar a si próprio. Não me importo.

      • Não há artigos pró-D.I, eles não são testáveis, mensuráveis e não se encaixam no método. Há afirmações informais, anedoticas que nao correspondem a ciência. Sinto muito!
        Leia o texto acima e voce vai ver que nem eu e nem qualquer Universidade séria do mundo considera o fundamentalismo religioso do Movimento do D.I uma ciência.

        Melhoras para voce, para seu ódio, e seu ad hominem em prol do D.I!!!

      • Quem seria mais hipócrita?!?
        Quem fica de mimimi, sem apresentar um único artigo científico publicado REFUTANDO a evolução?!?
        Ou as pessoas que apresentam artigos da Nature, Science, Fapesp, Scientific Anerican, etc…?!?!?!?
        Será que as pessoas não sabem mais o que significa a palavra hipócrita?!??

  7. DI é refutável,é deve ser considerado pseudociência!

    Sobre os problemas da evolução da visão:

    Os “fios” que ligam as foto-células ao cérebro percorrem toda a superfície da retina, e com isso os raios luminosos precisam atravessar um tapete de fios reunidos em massa antes de atingir as foto-células. Isso não faz sentido.E fica ainda pior. Uma conseqüência de as fotocélulas apontarem para trás é que os fios que levam seus dados precisam dar um jeito para atravessar a retina e voltar ao cérebro. O que eles fazem, no olho dos vertebrados, é convergir todos para uma abertura específica e mergulhar através dessa passagem. A abertura cheia de nervos é chamada de ponto cego porque é cega, mas “ponto” é um termo lisonjeiro, já que ela é bem grande; está mais para um trecho cego o que também nos causa grande inconveniência graças ao software do cérebro, o nosso “Photoshop” automático. Mais uma vez, é caso de devolução, pois não só é um projeto malfeito, é o projeto de um completo idiota.

    • Exato! O processo evolucionário não precisa produzir estruturas perfeitas, ela precisa só ser funcional, ou seja, trazer vantagens na luta pela sobrevivência, se traz, então é funcional e preservado. Gambiarras evolucionarias funcionam e justamente por não serem perfeitas mas sim funcionais na luta pela sobrevivência é que são preservadas e que de fato tornam o processo interessante, e descartam a ideia de projeto inteligente.
      Duvido que um ser perfeito, inteligente, criador de tudo seria responsável por uma gambiarra desta com fios soltos e pontos cegos.

    • E a mesma picaretagem filosófica continua, mesmo depois de 2 anos rsrs

      Todos alegam o DI ser pseudociência, mas ninguém nunca jamais conseguiu refutar a Complexidade Irredutível, e além disso, nunca conseguiram provar incontestavelmente como é a origem de órgãos e sistemas complexos em geral.

      Os darwinistas se esforçam cada vez mais para se apegarem as suas utopias de forma cega do que provarem o que propõem como explicação para a origem e diversidade dos seres vivos. Acho que Darwin seria mais bem sucedido se ele tivesse parado mesmo na analogia entre bicos de pássaros e suas variações, mas eles quis com isso criar uma fantasia revestida de “ciência” – o problema e dele – e só engana quem não é capaz de usar o mínimo do cérebro.

      • “E a mesma picaretagem filosófica continua, mesmo depois de 2 anos rsrs”
        – R: Errado, a picaretagem filosófica continua mesmo depois de 2005 no julgamento de Dover!! 🙂 – (assista, quem sabe você acorda…rsrs…)

        “Todos alegam o DI ser pseudociência”
        – R: E é o que realmente é…sua divindade não pode ser demonstrada ou evidenciada…logo…(não comece com aquele papinho de ‘não citei deus nenhum e mi, mi, mi’, porque é questão de tempo até você começar a citar capítulos da ‘gi-bíblia’, então poupe-nos da enrolação)

        “mas ninguém nunca jamais conseguiu refutar a Complexidade Irredutível”
        – R: Primeiro é preciso ter um ARTIGO CIENTÍFICO PUBLICADO a respeito do tema em um periódico de impacto, e veja, com revisão por pares…você poderia fornecer o link desse artigo? – hhhhmmmm…acho que não…não vai…

        “nunca conseguiram provar incontestavelmente como é a origem de órgãos e sistemas complexos em geral.”
        – R: Cite aqui um orgão ou um sistema complexamente irredutível…mas cuidado, lembre-se que o próprio Michel Behe, defensor de tal causa, em depoimento no julgamento de Dover não conseguiu citar NADA, além de passar vergonha com uma pilha de livros de um metro de altura na sua frente e logo depois prometer revisar seu ‘artigo’, e disponibiliza-lo para uma revisão por pares…o que estão esperando até agora na comunidade científica…kKKKKK

        “Os darwinistas se esforçam cada vez mais para se apegarem as suas utopias de forma cega do que provarem o que propõem como explicação para a origem e diversidade dos seres vivos.”
        – R: Errado de novo criança, ninguém se esforça mais para demonstrar que a teoria de Darwin/Wallace ocorre e é a melhor explicação para a diversidade de espécies até agora…pode chorar o quanto quiser.
        Somente a genética, sem contar outros campos, destrói seu parágrafo acima…rsrsrs…

        “Acho que Darwin seria mais bem sucedido se ele tivesse parado mesmo na analogia entre bicos de pássaros e suas variações”
        – R: Eu acho que se Darwin tivesse parado nessa analogia de bicos de Tentilhões, Wallace teria publicado seus estudos, e vocês ‘criaNcionistas’ estariam esperneando da mesma forma. 🙂

        “mas eles quis com isso criar uma fantasia revestida de “ciência””
        – R: E TODAS as sociedades científicas, TODAS as universidades de ponta lecionam essa ‘fantasia’, TODOS eles foram enganados por mais de 150 anos, e eu me pergunto: como TODAS essas pessoas, durante TODO esse tempo, foram ingênuas não é mesmo?? E só você, sem apresentar um único artigo científico, está correto…(hhhhmmmm…acho que não…fico com as universidades e sociedades científicas do MUNDO TODO!!)

        “o problema e dele – e só engana quem não é capaz de usar o mínimo do cérebro.”
        – R: Tipo você que veio aqui, sapateou, esperneou, chorou suas magoas com essa teoria científica malvada, e não apresentou um único link sequer de um artigo científico dessa porcaria de irredutibilidade complexa..que nem Behe conseguiu publicar…(aliás, só pra você saber, Michel Behe ACEITA a teoria da evolução!! O que ele ‘contesta’, SEM apresentar uma única evidência, é como ela se iniciou…então leia mais antes de escrever um monte de bobagens depois de assistir vídeos de youtube do Adauto, Nahor, ou Eberlin – kkkkkkkkkkkk)

        Abçs!!
        🙂

    • E de repente do Nada tudo surgiu feito?

      Acho que voce precisa ler sobre cosmologia antes de dizer que do nada explodiu. O nada, na física não existe…nem mesmo na filosofia. O nada na física refere-se ao estado de menor energia de um vácuo metaestavel. 80% do peso de um átomo e formado por partículas virtuais que emergem e se desintegra.
      Sugiro que leia sobre o assunto. A “explosão” o Big Bang refere-se ao processo de expansão da singularidade e não é uma explosão, especialmente como a maioria das pessoas acha.
      Portanto: Existe a energia, do vácuo, que oscila. O que fez ela oscilar e formar a singularidade é o que os cosmólogos estudam até hoje. Note que não há um agente pessoal que começa a coisa. Ou seja, a busca é entender porque a energia oscila e porque oscilou a tal ponto de chegar a singularidade, da matéria e anti-matéria nao se aniquilarem, porque elas deixaram de ser virtuais e se formaram ocupando uma volume minimo com grande massa (densiedade).

      • DR. Rossete, Desculpe a minha ignorancia. Entendi que o Big Bang não fala do inicio mas da expansão/evolução/transformação. O universo sempre existiu apenas transformou-se. É isto ?

      • Não sou Doutor, mas posso ajudar.
        Energia sempre existiu (leia da termodinâmica). O Big Bang reflete apenas a expansão da singularidade não a origem do Universo. A origem do Universo é um fenômeno quântico, de oscilação de energia deste vácuo citado. O nada absoluto não existe!!!
        O que as pessoas chamam de nada é uma concepção errada (ou seja, é errado dizer que o Universo existiu na inexistencia, ou do nada).
        Os físicos não chamam de nada, mas de vácuo… e não é a ausência de matéria, mas sim como estado mínimo de oscilação de energia. A energia, segundo a lei da termodinâmica não é criada nem destruída: ela simplesmente se converte. Uma lâmpada é um dispositivo que brinca com isto…ela transforma energia elétrica em luminosa, por exemplo. Da mesma forma ocorre com a maça que comemos ou com a combustível químico que gera energia em forma de calor…. O que Einstein vai dizer é que Energia e massa são relacionados em sua equação E=m.a2. Ou seja, nesta expansão da singularidade em alta temperatura voce tem energia de expansão promovida pela oscilação quântica do vácuo que gerou a singularidade. Quando a expansão vai ocorrendo em direção ao infinito ou até algum momento dependente da massa do Universo (coisa que os físicos ainda discutem – Universo tende ao infinito ou ele vai entrar em Big Crunch que é a auto-implosão em direção de volta a singularidade devido a massa) neste caminho onde ela resfria forma a matéria.
        Por isto a fórmula de Einstein (E=m.a2) mostra que: energia = massa . velocidade da luz ao quadrado.
        Isto quer dizer que se vc acelera uma bola de baseball em um arremesso a velocidade da luz ela se torna energia pura, se voce desacelera a energia ela se forma e matéria (como no caso do Universo).
        Assim, a energia sempre existiu, nunca foi criada ou destruída: em algum momento ela oscilou e partículas que pipocavam virtualmente se condensaram em um ponto único onde espaço e tempo não era definido e se misturavam, formando a singularidade. Em algum momento diante de uma densidade alta e temperatura em trilhões de graus ela se expandiu (por isto chamam de Big Bang, ou vulgarmente e erroneamente “explosão”).
        A expansão começa e quando se resfria após alguns milhares de anos nos pontos mais antigos formam matéria. Esta é a nucleossíntese do Big Bang que forma os elementos mais leves da tabela periódica. Posteriormente, com a condensação da matéria e formação das primeiras galáxias com as estrelas voce tem fusão nuclear e nucleossíntese de elementos mais pesados e nas supernovas os mais pesados da tabela.

        Nucleossíntese: https://netnature.wordpress.com/2016/12/01/a-tabela-periodica-e-a-nucleossintese-dos-elementos/

      • Muito obrigado pela paciencia
        e dedicação de seu certamente
        precioso tempo em propiciar estes
        Brilhantes esclarecimentos. Ao mesmo
        Tempo me levando a refletir,neste contesto,
        Sobre os termos expadir e velocidade tendo
        em vista que me pareceu que o “expadir da
        Singularidade” que ao contrário do entendimento vulgar
        significaria ocupação do espaço adjacente, deva ser entendido
        como criação e ocupação do proprio espaço
        No caso da velocidade que implica em relatividade do movimento
        em relação a outro considerado estático, me surge a questão.
        Se tomando um como referencia o outro é que estará se movimentando
        qual dos dois é qu se tranformará em energia pura ?
        Desculpe a minha ignorancia mas gostaria muito de ouvi-lo que
        Certamente poderá finalmente ser esclarecido. Muito obrigado pela oportunidade.

      • É, tempo e espaço não existiam até a expansão. O tempo é definido pelo Sean B Carrol através da termodinâmica (a segunda lei dela… tempo é a medida em que a entropia de um sistema vai aumentando) e espaço esta na singularidade. A relatividade surge após um “piconésimo” de segundo a expansão (Big Bang) (no que é chamado de tempo de Planck) onde todas as 4 leis básicas da física (força nuclear forte e fraca, eletromagnetismo e gravidade) estavam supostamente unificadas. A briga em unificar as leis continuam até hoje e unificar a relatividade com a quântica. A briga dos físicos contínua.
        Fico feliz de te-lo levado a pensar. Espero que compreenda o que os físicos estão propondo. Boa pesquisa!!! 🙂

      • Permita-me acreditando na sua generosidade,
        solicitar:
        Alguma orientação quanto aos corpos que na
        Velocidade à velocida da luz e segundo a
        Relatividade se treasformaria. Desculpe-me
        a minha dúvida é sincera e aceitaria com
        alegria uma direção para lograr um
        esclarecimento objetivo.

      • Creio que seja melhor perguntar a um físico especificamente sobre o assunto, ou dar uma espiada na biografia de Einstein. Eu sugeriria o “Einstein – Sua vida, seu universo” de Walter Isaacson. Eu li, é um livro de 700 paginas mas conta a vida toda de Einstein, suas esposas, namoradas, teses e de onde ele se inspirou para desenvolve-las. 😉 a leitura é facil!!!

      • Obrigado pela gentileza.
        Eu li este livro e alguns outros mas não encontrei uma explicação convincente.
        Talvez eu não tenha os pressupostos para poder enteder.
        Vou procurar outras fontes.
        Em tempo : o que descobri nestes livros é que ele não acreditava na teoria quantoca.
        De qualquer forma. Muito obrigado pela atenção.

  8. É uma satisfação imensa ter encontrado este
    espaço onde pululam pessoas inteligentes,
    educadas e bem informadas sobre os temas em comento.
    Minha sugestão é que não nos permitamos enveredar para o
    caminho da intolerância, lembremos que é do debate racional
    entre as teses e as atiteses que emerge as sinteses.
    Vale lembrar que mesmo entre cientistas
    deterministas e quanticos(probabilisticos) discutem-se ainda hoje e não
    chegaram à tão desejada sintese.
    A proposito, o que que queria dizer o grande Einsten(determinista)
    que morreu sem admitir a física quantica:
    ” A religiâo sem ciência é cega e a ciencia sem religião é manca”.
    Estaria ele falando de tolerancia às conviccões dos outros ?
    E que também na ciência existe algo de fé ?
    Se assim nos comportarmos, talvez possamos tirar algum proveito deste espaço e
    estou mesmo precisando de lançar alguns temas.
    Desculpem, é só uma sugestão

  9. É verdade, em que pese a irrelevacia
    da minha humilde opinião não resisti
    em me manifestar diante de vossa lucidez.
    Malgrado aquele que acredita em verdades absolutas
    em qualquer campo que seja, diante de um universo
    tão gradioso e ainda misterioso, em
    contraposição com à nossa dramtica limitação intelectual.
    Não há nada mais falso do que qualquer crença absoluta seja
    religiosa ou científica.
    Mesmo na própria ciência,como voce brilhantemente
    demontrou, evidencia-se que crença absoluta na
    ciência soará no futuro como religião.
    MATURIDADE É INDISPESÁVEL EM QUALQUER REFLEXÃO.
    Aceite os meus humildes parabens

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s