PETIÇÃO PÚBLICA DE POSICIONAMENTO SOBRE ENSINO DA TEORIA DA EVOLUÇÃO E EQUIPARIDADE COM CRIACIONISMO E O DESIGN INTELIGENTE.

Para: Ministério da Educação (MEC), Conselho Nacional de Educação (CNE), Academia Brasileira de Ciências (ABC), Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Conselho Regional de Biologia (CRBio), Sociedade Brasileira de Química (SBQ), entre tantas outras sociedades e conselhos relacionados a área científica.

Sem título

No Texas, escolas públicas estão ferindo a Constituição Americana e ensinando Criacionismo e Designer Inteligente. Um exemplo de desonestidade, ciência inconstitucional, história e valores das escolas cooperativas (Charter School). Voce quer isso no Brasil?

Prezados,

O objetivo desta PETIÇÃO PÚBLICA ONLINE não é questionar ou lutar contra uma crença – o direito à liberdade de crença é constitucional e inviolável. A petição tem como objetivo alertar contra certas tentativas de se estabelecer crenças e cosmovisões como Ciência e ensiná-los em escolas públicas, estaduais e Universidades. Buscamos evidenciar a necessidade de uma separação entre fé e ciência, não como antagonistas, mas baseado na premissa de que ciência e fé devem coexistir ocupando seus respectivos espaços na sociedade moderna.

Sem título

Outro objetivo é solicitar um posicionamento público de alguns órgãos relacionados diretamente a esse embate, como: Ministério da Educação (MEC), Conselho Nacional de Educação (CNE), Academia Brasileira de Ciências (ABC), Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Conselho Regional de Biologia (CRBio), Sociedade Brasileira de Química (SBQ), entre tantas outras sociedades e conselhos relacionados a área científica.

O Criacionismo vem ganhando forças como um movimento baseado na negação da Teoria Evolutiva através da Seleção Natural proposta por Charles Robert Darwin em 1859, e publicada inicialmente no livro Sobre a Origem das Espécies por Meio da Seleção Natural. Durante muito tempo foi um fenômeno quase exclusivamente americano, sendo estabelecido em nítido contraste com as teorias científicas, como a da evolução biológica, desde 1920. O alvo principal do criacionismo desde sua organização como movimento é a educação. Os criacionistas estão empenhados em garantir que suas ideias sejam incluídas nos programas de ciências das escolas e universidades. No decorrer dos anos, desde o seu surgimento, diversos julgamentos foram travados em uma tentativa de implementar o criacionismo como uma disciplina cientifica, sendo os casos The State of Tennessee v. John Thomas Scopes e Kitzmiller v. Dover Area School District os mais conhecidos da história americana.

Desde 1968, no entanto, os tribunais norte-americanos têm afirmado repetidamente que o “criacionismo” e o “Movimento do Design Inteligente” é um ponto de vista religioso particular e que ensiná-lo nas escolas públicas violaria a Primeira Emenda da Constituição do país. Um resumo dos processos relacionados ao embate evolução vs criacionismo pode ser obtido no link abaixo do National Center for Science Education (NCSE):

Clique AQUI

Buscando reivindicar um novo status para sua cosmovisão, criacionistas questionam o caráter científico de determinadas áreas do conhecimento e argumentam, por exemplo, que a Teoria da Evolução é apenas uma interpretação entre tantas outras. Eles acusam os cientistas de não fornecerem provas suficientes para estabelecer a teoria da evolução como cientificamente válida e baseados nessa premissa, defendem suas próprias declarações como científicas. Sem a realização de uma análise objetiva afirmam que suas meras suposições teriam o mesmo peso científico de teorias validadas pelo método cientifico.

Estamos assistindo o crescimento de modos de pensar que desafiam o conhecimento estabelecidos sobre a natureza, evolução, nossas origens e nosso lugar no universo, sem a necessidade de passar por uma metodologia de pesquisa e baseado simplesmente no conhecimento vulgar, ou de senso-comum.

Essa atitude crescente gera um real risco de confusão quando é introduzido nas mentes das nossas crianças em formação, misturando conceitos que possuem relação com convicções, crenças, ideais de todos os tipos e a ciência, dificultando o desenvolvimento do senso crítico nas mesmas graças a falsa apresentação de equiparidade. Uma atitude “todas as coisas são iguais” pode parecer atraente e tolerante, mas é de fato perigosa.

O criacionismo tem muitos aspectos contraditórios. A ideia do “Design Inteligente”, que é a versão mais recente e refinada do criacionismo, não nega um certo grau de evolução na origem das espécies. No entanto, o Design Inteligente, apresentado de uma forma mais sutil, procura retratar a sua abordagem como científica, e é aí que reside o perigo. A Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos (U.S. National Academy of Sciences) declarou que “o criacionismo, design inteligente e outras alegações de intervenção sobrenatural na origem da vida” não são ciências porque não podem ser testadas e validadas através do método científico. A Associação de Professores de Ciências dos Estados Unidos (National Science Teachers Association) e a Associação Americana para o Avanço da Ciência (American Association for the Advancement of Science) também classificaram esses movimentos como pseudociência. A Sociedade Brasileira de Genética (SBG) publicou oficialmente que não há qualquer respaldo científico no Design Inteligente e outras teorias criacionistas, explicando que esta posição é consensual na comunidade científica. Esse manifesto foi endossado pela Federação de Sociedades de Biologia Experimental (FeSBE) e afirmou que o “prejuízo que pode advir dessa postura obscurantista é incalculável, especialmente na sociedade do conhecimento em que vivemos no começo do século XXI”. Também tivemos um manifesto da Sociedade Brasileira de Paleontologia (SBP) sobre a validade da Evolução Biológica e seu ensino nas escolas do país.

Hoje essas ideais estão encontrando seu caminho no Brasil e atitudes como a realização do 1º Congresso Brasileiro de Design Inteligente, em Campinas, nos mostra que os movimentos criacionistas estão se organizando, como vem ocorrendo nos EUA desde 1920. Propostas como a criação de uma Sociedade Brasileira do Design Inteligente e a divulgação do “Primeiro Manifesto Público TDI-Brasil”, que segundo seus proponentes “abordará, entre outros tópicos, a questão do debate científico entre evolução e a TDI e o ensino da evolução e do Design Inteligente nas escolas e universidades públicas brasileiras” demonstram uma total assimilação brasileira da agenda politica propostas no documento conhecido como Estratégia da Cunha, criada por Phillip E. Johnson e mencionada de forma destacada em seu livro The Wedge of Truth: Splitting the Foundations of Naturalism.

Essa petição online tem como objetivo, como já apresentado, a solicitação de um posicionamento público dos órgãos e sociedades supracitados sobre o ensino da Teoria Evolutiva nas escolas e sua equiparidade com cosmovisões como o Criacionismo e o Design Inteligente.

Eis aqui uma lista das principais Universidades do mundo que não aceitam o criacionismo e nem o Design Inteligente como ciência e apresentam suas respectivas motivações. (Veja “TEORIA” DO DESIGNER INTELIGENTE É PSEUDOCIÊNCIA – DIZEM OS MAIORES CENTROS DE PESQUISA DO MUNDO)

No Brasil o Ministério da Educação e Cultura já se manifestou em 2008 sobre este assunto, embora seja necessária reiterar seu compromisso com a educação. (Veja MEC diz que criacionismo não é tema para aula de ciências)

Assine a petição:

Sem título

3 thoughts on “PETIÇÃO PÚBLICA DE POSICIONAMENTO SOBRE ENSINO DA TEORIA DA EVOLUÇÃO E EQUIPARIDADE COM CRIACIONISMO E O DESIGN INTELIGENTE.

  1. Assim como se erra muito ao tentar levar religião à aula de biologia, se erra mais ao levar biologia à religião. O Genesis por exemplo é um modelo proposto para retratar a origem do universo e do homem, com um único objetivo, argumentar que nada sempre existiu, só uma coisa, a qual seria Deus. Genesis argumenta claramente que houve um tempo onde o homem não existia, antecedido por um tempo onde nenhum animal existia, e antes disso oceanos não existiam e antes, a luz não existia. Ora, se quiser reprovar o argumento, pedir ajuda a Darwin ou EInstein não parece uma boa idéia. Só vai fazer melhorar o modelo. Mas se quiser ser ateu, use por outro lado o Design inteligente. A turbina sempre existiu, a asa da mosca, o flagelo bacteriano e o eucariótico, o avião,sempre existirão em todos universos que existiram ou venham a existir. O universo sempre existiu para o Design inteligente!!! Enfim, é mais preciso ensinar biologia e física na questão religiosa que o inverso!

  2. LOGO AÍ , o endereço eletrônico, da minuta, alegações de litigante, em busca de seguir o exemplo de verdadeiros paraísos terrestres quais sejam: Suécia, Dinamarca, Finlândia, Noruega, China que livraram suas SOCIEDADES de Bíblias e do distintivo do atraso civilizatório, a FÉ.  Nesse rol luminoso incluímos, também, nosso vizinho Uruguaio. Religião? Que seja para os que a querem e em  casas deles e em seus templos, mas nós? Tudo que não  queremos são  Bíblias e fundamentalistas bíblicos e fanáticos religiosos e remunerados de igrejas, ou coisas afins, como livros de cunho religioso e música góspel,  tudo em ocidentais imitações das chamadas “Charias” em prática nos países orientais governados por religiosos que podem interferir na forma de se vestir e em muitas outras maneiras de ser. E, pasmem!, em declarada misoginia, a depreciar o elemento feminino de quem tanto gostamos e em todos os exemplos de se invadir searas alheias, dando margem a pastores, mais afoitos, discriminar afrodescendentes com inaceitáveis aleivosias, tacanhas exegese pessoais,  leque de invasivas atitudes, incluindo, então, até  o reto alheio.  Cruz-credo. (www.google.com/+ AlanKevedo)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s