OH MEU DEUS! A TERRA NÃO É PLANA, MAS ERA, ANTES E DURANTE A IDADE MÉDIA – REFUTAÇÕES QUE SAIRAM PELA CULÁTRA.

Há pouco tempo atrás escrevi um texto (Na Idade Média a Terra era Plana) onde citava alguns importantes nomes do cristianismo que defenderam a concepção de que a Terra era plana. Ao que parece, meu texto despertou certo rancor sobre aqueles mais literalistas da bíblia. Um deles acabou dizendo que “A ideia de que todos os principais pensadores cristãos durante a Idade Média temiam uma ideia de uma terra esférica é simplesmente errada”.

Aqui tratamos novamente da concepção plana da Terra presente não só na Idade Média, mas como houve justificativa bíblica para seguir esta ideia; como a concepção da Terra plana veio compartilhada de outras culturas, e claro, como as críticas direcionadas ao meu primeiro texto não se sustentam. Em um segundo momento, tratamos da presença da sociedade terra-planista no Brasil e no mundo, das evidências da física que desconstroem esta afirmação e das questões que envolvem a filosofia da ciência sob o método de observação e dedução.

Concepção media

Concepção media

Inicialmente, pretendo começar defendendo o primeiro texto aqui publicado, e dizer que certas acusações foram feitas de modo não fundamentado. A primeira crítica ao primeiro texto sobre a Terra plana foi direcionada para por palavras que não estão no texto. Esta foi uma alegação feita por um defensor fanático do cristianismo. Segundo este autor (na qual não citarei o nome, porque ser indiferente), meu texto afirma que “todos os principais pensadores cristãos durante a Idade Média temiam uma ideia de uma terra esférica”.

Jamais foi dito isto no primeiro texto sobre a Terra plana. A afirmativa feita no primeiro texto é de que houve pensadores cristãos importantes da Idade Média defenderam a concepção de Terra plana. Não foi afirmado que todos os cristãos da Idade Média acreditavam na Terra plana. O que foi afirmado no primeiro texto é que:

“A ideia de Terra Plana não era absoluta na Idade Média, mas muitos líderes religiosos importantes a defendiam, e com uma justificativa teológica, bíblica, literalista, declarada e claramente absurda!”

Portanto, a afirmação de que a “ignorância da página [NetNature] é colossal e não é à toa que esse tipo de ingrediente pseudo-histórico alimenta o ranço dos ateístas em busca de qualquer bobagem antirreligiosa” simplesmente desperta a ira de alguém que mal entendeu o que leu, resultado de um fanatismo que mal consegue interpretar um texto simples como da Terra plana. Imagine uma análise exegética deste apologeta.

O grande problema é que existem cristãos na Idade Média que defendiam a Terra plana fundamentado-se em um literalismo extremo, e de fato, nada diferente dos que defendem a Terra jovem atualmente, sejam eles criacionistas, ou não. No caso dos criacionistas, alguns defendem que a Terra é plana e jovem (com cerca de 6 mil anos).

Em uma suposta refutação a meu texto, o autor (onde ignorarei os xingos e ad hominen) afirma que “acusar os cristãos modernos de fazer o mesmo é grosseria”.

Não é o que demonstra a Flat Earh Society e o crescente número de cristãos nos EUA e no Brasil que estão tornando-se cada vez mais adeptos da concepção da Terra plana. A Flat Earth Society é uma organização criacionista. Curiosamente, ela esta se apresentando no Brasil, de forma igualmente fanática, porém, sem o componente religioso (até o momento).

Em comunidades de redes sociedades este tipo de agrupamento acaba arrebanhando fieis e projetando teorias de conspiração. E ainda que sejam “gatos pingados”, a maioria o faz segundo uma concepção literalista da bíblia.

De fato, deixo aqui um documento bastante interessante produzido recentemente por físicos e profissionais da área na qual expõem 10 maneiras de demonstrar que a Terra é esferoide. Faço isto com a finalidade de contribuir para a extinção dessa concepção anti-científica, primitiva e que presta um grande desserviço á educação em nosso país (10 maneiras de saber que a Terra não é Plana). Discutiremos isto mais adiante!

Sem título

Houve sim nomes importantes no cristianismo que aceitavam á concepção da Terra esférica (cuja noção geoide refere-se a  gravidade e não ao formato ou superfície da Terra). Mas esta concepção nos séculos VII e VIII a.c era incomum, e mesmo com a consolidação do modelo esférico de Terra, a discussão chegou até a Idade Média com cristãos defendendo-a sob uma interpretação literal da bíblia. E de fato, os elementos que a bíblia oferece sobre a descrição da Terra faz alusão a uma planície.

Entre os primeiros trabalhos resgatados do passado e traduzidos do grego para o latim, encontravam-se as obras geográficas de Claudius Ptolomeu, do século II d.c, e de Estrabão, do I d.c. A obra de Ptolomeu se tornou logo um clássico, com suas sucessivas edições (mais de 40 nos 200 anos que se seguiram). Ela estabelece um formato decisivo na constituição da geografia ocidental moderna. Dois modos de representação geográfica vão se consagrar desde então: o cosmográfico de Ptolomeu, privilegiando a representação gráfica do mundo, e o corográfico de Estrabão, enfatizando a representação textual do mundo habitado, o ecúmeno. Estes modos de representação, resgatados da Antigüidade guardavam certas associações com duas noções conflituosas desta época: a concepção de Terra plana e a da Terra esférica (Igeo).

Durante a Alta Idade Média, vão ser elaboradas duas sínteses que conciliavam a ideia grega da Antiguidade de uma Terra esférica, com o mito bíblico de uma Terra plana: plana no plano geográfico (ecúmeno), e esférica no plano astronômico: as sínteses bíblico-cratesiana, criada a partir das idéias de Crates de Malo, por volta de 160a.c. (A cartografia e a sua evolução, 1992)

Para Randles (1994), essas duas sínteses disputavam explicar a forma do mundo naquela época e, de certo modo, conciliavam essas duas noções tornando compatível o mito bíblico, que parecia indicar a natureza plana da Terra, com a ideia grega de uma Terra esférica. Isto quer dizer que tais sínteses são medievais, com características próprias, que admitiam que a Terra seria plana no nível do ecúmeno e esférica apenas no nível da astronomia (Igeo).

Do século XII ao fim do século XV, conviviam essas duas concepções opostas dentro do mito cristão, inclusive com mapeamento do planeta segundo essas concepções plana/esférica.

Sem título

As cinco zonas. Clique para ampliar

Roger Bacon (1264) e Alberto “O Grande” (1250) afirmavam que seria possível acessar a zona tórrida (inacessível aos olhos dos medievais) e a presença de um continente austral habitável e habitado (Randles, 1994).

Segundo Randles (1994) até 1520, coexistiram várias interpretações acerca da forma da Terra, com vários desdobramentos sobre as terras possíveis de existir (como as quatro ilhas antípodas de Martianus Capella, Macróbio e o Grande Hemisfério Austral). Porém, outras interpretações de caráter geográfico desenvolveram-se e somente algumas sobreviveram até o século XVII.

A concepção das cinco zonas pré-supunha uma Terra redonda, atribuída a Parmenides (V a.c.) e partir da ideia de uma Terra esférica dividida em duas zonas geladas, uma tórrida e duas temperadas (Carvalho, 1998).

Este era o cenário da Idade média. Santo Agostinho (354d.c – 430d.c) afirmou que a Terra era esférica, ainda que se mostrasse um tanto perturbado com a ideia de pessoas de ponta cabeça habitando terras do outro lado do mundo. Em seu livro De Civitate Dei ele escreveu:

“Apesar de estar supostamente ou cientificamente provado que a Terra tem a forma esférica, disto não decorre que o outro lado do mundo seja desprovido de mares, nem decorre imediatamente que, sendo desprovido de mares, seja habitado.”

Apesar de Santo Agostinho não bater de frente com a concepção aristotélica (de que a Terra era esférica) ele pega emprestado diversos dados e elementos de sua afirmação para justificar que a Terra poderia ser esférica, mas a parte inferior seria coberta de água. Como citado no primeiro texto:

“And, indeed, it is not affirmed that this has been learned by historical knowledge, but by scientific conjecture, on the ground that the earth is suspended within the concavity of the sky, and that it has as much room on the one side of it as on the other: hence they say that the part that is beneath must also be inhabited. But they do not remark that, although it be supposed or scientifically demonstrated that the world is of a round and spherical form, yet it does not follow that the other side of the earth is bare of water; nor even, though it be bare, does it immediately follow that it is peopled”

Como era devoto do esquema cratesiano (síntese da Idade Média criada a partir das obras de Martianus Capella e Macróbio que defendia uma esfera coberta por água onde se apresentavam quatro ilhas diametralmente opostas e a extensão do oceano impedia a comunicação dentro os grupos), ele se pautou no princípio da unicidade da humanidade (origem a partir de Adão) e parte de um ecúmeno, ou seja, de um plano (área habitável da superfície terrestre), e chama de absurdo sustentar que o homem tenha passado a navegar de uma parte a outra do planeta através dos oceanos, no que, para ele, o problema dos antípodas era o obstáculo. Antípoda é o termo que designa tradicionalmente na Europa as regiões situadas do outro lado da Terra, como a Oceania.

Para resolver essa controversa sobre os antípodas, no final do século XV foi utilizada a autoridade de Agostinho e de Lactâncio para resolver a questão.

Lactâncio (265.d.c – 345.d.c), como citado no meu texto anteriormente foi conselheiro do imperador cristão Constantino I, um homem realmente importante na história do cristianismo; Se isto não é ser importante, então o que seria?

ecúmeno cristão, plano, na Idade Média era representado por um círculo dividido em três partes formando a letra "T"

O ecúmeno cristão na Idade Média era representado por um círculo dividido em três partes formando a letra “T”

Seus argumentos eram igualmente baseados em interpretações literais de metáforas bíblicas e ele era um defensor declarado da Terra plana. Portanto, sim, houve pessoas de grande importância na história do cristianismo que defendiam a Terra plana, ainda que essa não fosse uma posição absoluta.

De fato o ecúmeno cristão, plano, na Idade Média era representado por um círculo dividido em três partes formando a letra “T” onde este ascendente representa o mediterrâneo e separa a Europa da África; ambas metades são rios (Nilo e Tanais) que separam a Ásia do resto do mundo. Pedro Comestor foi um teólogo francês do século XII dizia que:

“Alguns dizem que este lugar Jerusalém é o umbigo da Terra habitável, pois todos os anos, num certo dia de verão, ao meio dia, o sol desce até a água do fundo de um poço, sem fazer sombra em lugar algum, fenômeno que os filósofos dizem acontecer em Siena”. 

Notamos então uma descrição de planície.

Diodoro de Tarso (em 394d.c) defendia a ideia de que a Terra era plana. E apesar de ter sido argumentado que ele não defendia formalmente tal concepção, ele também foi um importante cristão que se opôs ferozmente as políticas anti-cristãs do imperador romano Juliano. Ele fundou um dos mais influentes centros do pensamento cristão da igreja antiga e muitos de seus estudantes se tornaram notáveis teólogos. Portanto, temos mais um grande cristão que sim, defendia Terra plana e que foi importante na história do cristianismo.

Foi também argumentado que “Pelo menos desde o século 14, a crença em uma Terra plana entre os educados era quase inexistente”, mas; a imagem publicada acima, as referências e as discussões demonstram a presença dessa concepção na Idade Média. A grande discussão sobre os antípodas foi ocorreu em 1493. O que demonstra que apesar da grande maioria dos cristãos aceitar a esfericidade da Terra, existia uma grande discussão sobre este tema, tal como é hoje.

Sim, como é hoje, uma vez que temos evidências claras da esfericidade da Terra e conspiracionistas cristãos literalistas (e não cristãos) se apresentam como opositores de um conhecimento genuíno produzido á séculos.

Outro detalhe importante, é que a análise dos trechos bíblicos deixam margem clara para uma leitura que leva a concepção de uma Terra plana.

Uma das defesas feitas pelos críticos da bíblia é que Terra seria plana porque o Livro de Isaías afirma isto no capítulo 40:22:

”Ele é o que está assentado sobre o círculo da terra, cujos moradores são para ele como gafanhotos; é ele o que estende os céus como cortina, e os desenrola como tenda, para neles habitar”

Geralmente, os cristãos que se opõem a esta afirmativa respaldam-se na tradução da palavra do hebraico (hhug, ou חוּג pronunciado chug) entendida como um círculo, ou ainda uma esfera. Na tradução do português ás vezes é tratada (erroneamente) como globo, mas por ser uma tradução recente não corresponde ao sentido original, ou seja, no momento histórico em que foi escrito.

De acordo com a pessoa que teceu críticas ao primeiro texto aqui apresentado:

“Apesar de que a Bíblia não é um manual de astronomia avançada, não é o livro imbecil que os ateístas presumem. No oitavo século a.C., quando prevalecia o conceito de uma Terra plana, séculos antes de os filósofos gregos teorizarem que a Terra provavelmente era esférica, e milhares de anos antes de humanos verem a Terra como globo, do espaço, o profeta hebreu Isaías declarou com notável simplicidade”

Não é possível afirmar que Isaías acreditava que a Terra fosse esférica unicamente pela citação de Isaías 40:22. É uma interpretação descontextualizada feita por fanáticos que querem defender uma inerrância da bíblia. (Inerrância que é indiferente uma vez que os relatos não precisam, e na maioria das vezes não são factuais, pois a concepção bíblica – assim como outros livros sagrados – traz mensagens de sabedoria e não reportagens sobre Deus e seus supostos feitos. Tais citações foram redigidas por sentimentos de devoção e não refletem um relato histórico).

De acordo com o meu crítico, no “oitavo século a.c” (em negrito acima) prevalecia á ideia de Terra plana. O problema é que o profeta Isaías viveu entre 765 a.c e 681 a.c (Bíblia de Jerusalém, 2004) que corresponde exatamente ao período citado pelo meu crítico em que prevalecia a ideia de que a Terra era plana. Visto que o século oitavo corresponde ao período de tempo entre 800 a.c até 701 a.c.

Se de fato Isaías escreveu todas suas profecias neste período, e a visão plana da Terra era prevalente; então a tradução mais coerente com sua época era de que a Terra era um círculo referindo-se ao caráter da borda de uma Terra achatada, porém circular; e não uma estrutura esférica (tridimensional) como a vista em um globo.

Pela simplicidade da citação da palavra “circular” é fácil alterar o seu significado posteriormente na história, quando de fato se consolida a ideia de que a Terra é um globo. A citação de uma estrutura circular não implica em uma estrutura global, pois um círculo é bidimensional, assim como é uma pizza ou um disco; circular e plano.

Em uma consulta a um rabino, foi explicado que erroneamente as pessoas fazem associações entre redondo e esférico. Sendo assim, a melhor interpretação deste texto é que hhug refere-se a um perímetro, um círculo demarcado assim como se demarca com um compasso. Sendo assim, a citação de Isaías (“Aquele que está assentado sobre o círculo da terra” ou “haYoshëv al-chûg hääretz” ou em hebraico “הַיֹּשֵׁב עַל־חוּג הָאָרֶץ”) corresponde a um perímetro circular e não a uma esfera, mesmo porque não era a intenção dos judeus tratar do formato da Terra, ainda que a visão mais comum de sua época fosse de uma Terra plana.

Outro problema é que o próprio livro de Isaías é recheado de passagens que correspondem a atos proféticos de diferentes épocas, diferentes autores cuja redação final se deu por volta de 400a.c. Isso significa que 300 anos após a morte de Isaias, novas profecias foram criadas, re-editadas e revistas sobre uma perspectiva pós-exílica (já que Isaías escrevia em um momento em que a Assíria se tornara domínio dos Babilônios). O segundo livro de Isaias (onde se localiza a citação do circulo sobre a terra em 40:22) foi escrito por um profeta anônimo (Bíblia de Jerusalém, 2004).

Para piorar a situação, a igreja Católica ainda traduziu o termo de Isaías 40:22 referindo-se a Terra como um disco. Tentou-se argumentar que o formato da Terra deveria ser interpretado como circular ou esférica porque quando vista do espaço apresenta exatamente esta forma (circular no plano ecúmeno e esférica no plano astrômico). O problema é não havia nenhum recurso para se observar a Terra do espaço, e fazer alusão a esta interpretação é desconsiderar o momento histórico em que o texto foi redigido; em um oitavo século a.c cuja visão que prevalecia era a de uma Terra plana, como bem ressaltou meu crítico.

Portanto, Isaías não ajuda em nada na defesa de uma Terra esferoide quando olhamos o momento histórico em que o autor original viveu e como o livro foi re-editado segundo a perspectiva histórica do exílio. Infelizmente, Isaias é insuficiente.

De fato, é possível estender a concepção de que a Terra era plana não somente para alguns cristãos da Idade Média, nem mesmo somente para Isaías, mas é possível entender que tal perspectiva é citada pelos autores da bíblia também.

Muitas coordenadas da Terra são dadas na bíblia, ela é bem específica (inclusive em outras situações, como a marca da besta descrita no apocalipse).

Essas coordenadas criam uma representação plana e circular da Terra, de tal forma que é sim plausível presumir que não só os autores dos livros da bíblia acreditam na concepção plana da Terra, mas que isso influenciou alguns cristãos na Idade Média – ainda que Aristóteles (384 a.c – 322 a.c) e Erastótenes (276 – 194 a.c) já tivessem presumido e demonstrado o plano esferoide da Terra.

Por exemplo, a forma esferoide da Terra e sua rotação é que determina os dias e as noites. A bíblia não cita absolutamente nada sobre o movimento de rotação que é característico da forma esferoide da Terra, e que determina os dias e as noites.

De fato, a bíblia cita que o contrário, que a Terra é fixa:

Salmos 96:10 – “Dizei entre as nações: O Senhor reina; ele firmou o mundo, de modo que não pode ser abalado. Ele julgará os povos com retidão”.
I Crônicas 16:30 – “Trema diante dele toda a terra; o mundo se acha firmado, de modo que se não pode abalar”.
Jó 38:4-6 – “Onde estavas tu, quando eu lançava os fundamentos da terra? Faze-mo saber, se tens entendimento. Quem lhe fixou as medidas, se é que o sabes? ou quem a mediu com o cordel? Sobre que foram firmadas as suas bases, ou quem lhe assentou a pedra de esquina”

Na bíblia, a determinação dos dias e noites era dada pelos luminares do firmamento:

Gênese 1:14 – “E disse Deus: haja luminares no firmamento do céu, para fazerem separação entre o dia e a noite; sejam eles para sinais e para estações, e para dias e anos”
(a citação persiste até o versículo 17)

Desta forma, a concepção da Terra na bíblia, era estática e circular/bidimensional. A própria concepção de criação descrita em Gêneses demonstra que a Terra estava contida dentro de uma cúpula em abóbada (acima) onde havia água, e na porção inferior também repleta de águas no abismo.

Não há qualquer relação (ou mesmo capacidade física) de uma Terra esferoide ser acobertada por uma abóbada, o que demonstra que a visão da Terra era plana. Mesmo porque, a concepção de “Terra” citada na bíblia durante a criação não refere-se ao planeta tal como ele é, mas a concepção de terra como sinônimo de solo. Em Gêneses 1-1 Deus separa os céus e a terra (solo), ou seja, os céus (não o paraíso) da parte seca, e cria o firmamento em meio ás águas.

É importante salientar que Deus nem mesmo cria as águas, e isto fica claro em Gêneses 1-6, 2Pedro 3:5-6, Apocalipse 14:7 e Provérbios 8:22-29; onde ele (Deus) apenas separa o seco das águas (águas sempre existiram) e que permaneceram contidas no firmamento como citado em:

 Jó 37:18 – “Acaso podes, como Ele, estender o firmamento, que é sólido como um espelho fundido?

Estas águas foram contidas pelo espelho fundido. As águas do dilúvio, portanto, estavam (segundo Jó 37:18) contidas além dos céus, e nos abismos (na porção inferior da Terra plana). Sem esta proteção as águas cairiam sobre a Terra.

Este é exatamente o discurso que demonstra (mitologicamente) de onde vieram as águas do dilúvio de acordo com Gêneses 7:11.

A concepção de uma Terra plana com um firmamento em abóboda é citada na bíblia em:

Jó 22:14 – “Grossas nuvens o encobrem, de modo que não pode ver; e ele passeia em volta da abóbada do céu”.
Amós 9:6 – “Ele é o que edifica as suas câmaras no céu, e funda sobre a terra a sua abóbada; que chama as águas do mar, e as derrama sobre a terra; o Senhor é o seu nome”.

O mais interessante é que o livro de Gênesis foi redigido sob quatro fontes, ou 4 estilos literários distintos; Javista, o Elohinista, Deuteronomista e Sacerdotal, cada um contando a mesma história básica, porém, unidas por vários editores diferentes e com ideologias também diferentes (Gooder, 2000).

Alguns estudiosos modernos sugerem que Gênesis é um livro escrito nos séculos 6 e 5 a.c. (Van Seters, 1998 & Davies 1998). A concepção de uma Terra plana coberta por uma abóboda é também vista na mitologia da Mesopotâmia. Em seu conto cosmogônico o universo emerge quando Nammu, (um abismo sem forma), enrolou-se sobre si em ato de auto-criação, gerando An, o Deus do céu que forma uma cúpula sobre Antu (Ki) que é a deusa da Terra e Zuri, Deus do equilibro entre as dimensões. Em alguns pontos essa cúpula, ou abóboda é vista como algo físico e feito de algum tipo de metal.

Nammu também teve um filho, chamado Enki, deus do abismo aquático (também chamado de Absu) (Introducción a la Mitología Mesopotámica, 2012). Como é sabido que os contos de Adão e Eva e Noé tem uma profunda influência na mitologia suméria não é surpreendente que a concepção de Terra plana com uma abóbada tenha sido concebida por uma inspiração advinda dessa mesma fonte.

Concepção de Terra Plana na Mitologia mesopotâmica

Concepção de Terra Plana na Mitologia Mesopotâmica

Sem título

Concepção de Terra Plana segundo a bíblia

Os principais pontos da bíblia que demonstram claramente que existia o entendimento de uma Terra plana são citados em Daniel, Mateus, Lucas e Eclesiastes.

Daniel cita que:

Daniel 4: 10-11 – “Eram assim as visões da minha cabeça, estando eu na minha cama: eu olhava, e eis uma árvore no meio da terra, e grande era a sua altura; crescia a árvore, e se fazia forte, de maneira que a sua altura chegava até o céu, e era vista até os confins da terra”.

Daniel oferece uma determinação clara dos limites da planície terrestre, ou seja, de onde ela terminava. De fato, em Daniel 4:20 ele retoma a mesma perspectiva citada acima:

“A árvore que viste, que cresceu, e se fez forte, cuja altura chegava até o céu, e que era vista por toda a terra

Isso nos demonstra que em uma Terra, esferoide, tal qual é, pessoas ao lado oposto não poderiam ver a árvore que cresceu. Se a citação determina uma visão de toda a Terra, resguarda-se em uma concepção de planície, coberta por uma abóboda que separa as águas.

Outras citações bíblicas demonstram a mesma perspectiva de forma da Terra.

Mateus 4:8 – “Novamente o Diabo o levou a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles
Lucas 4:5 –  “Então o Diabo, levando-o a um lugar elevado, mostrou-lhe num relance todos os reinos do mundo
Eclesiastes 1:5 – “O sol nasce, e o sol se põe, e corre de volta ao seu lugar donde nasce

Nestes pontos a bíblia oferece uma coordenada do movimento que o sol faz pela lateral da Terra discoide e plana.

Para finalizar esta primeira etapa do texto, relato que o crítico do primeiro texto argumentou que a ideia de Terra plana é uma implicação ateísta para justificar falibilidade da bíblia.

Existem diversas citações bíblicas que são contraditórias e falhas, mas não é meu objetivo cita-las e deixo para os exegetas (sugiro o Fabio Sabino). Mas a principal falha que encontramos nas defesas bíblicas são dadas pelos próprios proponentes que alteram, distorcem ou descontextualizam as passagens bíblicas em defesa de causa própria. Como foi o caso da citação de Isaias sem considerar o momento histórico em que o livro foi redigido e os períodos subsequentes em que foi re-editado; ou como supracitado em uma crítica aos achados arqueológicos que supostamente corroborariam os relatos bíblicos (Veja A cautela necessária ao divulgar achados arqueológicos – por que não beber da fonte da pseudociência)

A citação abaixo foi feito pelo meu crítico voltando-se a questão da construção da ideia de Terra plana:

Sem título

James Hannam é chamado de “Filosofo de Deus” e é usado como referência para afirmar que a crença na Terra plana presente na Idade Média é uma construção conspiratória darwinista/ateísta para fins próprios.

Obviamente que isto ignora as defesas de Lactâncio, Cosmas indicopleustes, Diodoro de Tarso, Theodoro de Mopsuestia Severiano (Bispo de Gabala) sob a Terra plana. Então, a implicação não é invenção ateísta, mas uma implicação fundamentada por vários livros, como os que aqui foram citados.

O que meu crítico não percebeu (e que deixei destacado acima em vermelho) é que sua citação demonstra que o mito de que as pessoas acreditavam em uma Terra plana foi uma campanha feita pelos protestantes contra a igreja católica.

Sim, neste comentário existe uma confirmação (do meu crítico) de que a ideia foi criada por protestantes.

Ficam claros então dois pontos neste texto. Primeiro; citamos cristãos importantes que de fato defendiam a Terra plana na Idade Média, mas que não eram maioria (como sempre deixei destacado). Segundo: se houve uma construção abrangente de que os cristãos (católicos) da Idade Média acreditavam em Terra Plana, foi uma invenção protestante (feita no século 17); como destacado pelo meu próprio crítico e o “filosofo de Deus”.

Terra plana no Brasil e no Mundo – Porque a Terra não é plana?

Recentemente a Hypescience publicou um texto destacando as características dos Terra-planistas no Brasil e no mundo. Para estes, as fotos retiradas pela Nasa que comprovam a esfericidade da Terra são falsificações criadas por uma conspiração e por agências do governo. Eles afirmam que as fotos do globo são criadas no Photoshop, e que os aparelhos de GPS são fraudados para fazer os pilotos acreditarem que estão voando em linha reta sobre uma esfera quando na verdade estão voando em círculos sobre um disco. O motivo pelo qual o governo e a Nasa esconderiam isto estaria ligado a questões financeiras, com muita gente lucrando milhões de dólares por trás dessa mentira. Tal ideia conspiracionista tem crescido bastante no mundo, e no Brasil, não é diferente.

Concepção moderna de Terra plana defendida no Brasil e no mundo

Concepção moderna de Terra plana defendida no Brasil e no mundo

No Reino Unido, cerca de 200 pessoas (por ano) se tornam adeptas dessa concepção.

Ao mesmo tempo em que descartam as evidências diretas da Terra esférica, acabam irracionalmente aceitando uma seria de predições sem qualquer critério para aceita-las. Geralmente eles aceitam a presença de um disco no ártico e um muro de gelo de 45 metros de altura na borda da Terra. Tal concepção adota uma postura conspiracionista de tal modo a afirmar que os integrantes da Nasa guardam o muro de gelo para evitar que as pessoas o escalem e caiam fora do disco em direção ao abismo.

Para os terra-planistas a determinação dos dias e noites é dada pelo posicionamento do Sol e da Lua (esferas com 51 quilômetros de diâmetro) que se movem em círculos de 4.828 km sobre o plano da Terra. Desta forma, as estrelas estariam em um plano 4.988 km acima. Para explicar os eclipses uma anti-lua foi inventada e explicar tal fenômeno.

Sem título

Para este grupo, a gravidade não existe. Os objetos não são puxados para baixo, mas o disco da Terra que acelera para cima a 9,8 m/s². Entre eles ainda não há um consenso sobre a questão da relatividade existir ou interferir na aceleração do planeta, e ao que parece, as propostas de Einstein caem em uma realidade alternativa (especialmente para o grupo de terra-planistas do Brasil).

Diferente da concepção medieval, ou suméria, eles não sabem o que há abaixo da Terra, embora admitam que possivelmente sejam rochas.

O método usado para a constatação da Terra plana é o zetético; um alternativo ao científico criado por um membro da sociedade no século 19. Segundo este método as observações dos sentidos são inquestionáveis. Para eles, tal método estabelece a reconciliação do empirismo e “racionalismo”, fazendo deduções lógicas baseadas em dados empíricos.

Dentro dessa concepção zetética, a percepção da planície da Terra é uma construção dedutiva pautada somente pelo aspecto visual, onde a antilua, a conspiração da Nasa e todo o resto se apresentam apenas como ad hoc de como isto funciona na prática.

Para os terra-planistas, observar um horizonte próximo é uma prova da terra plana, mas uma imagem tirada por astronautas ou paraquedistas é falsa. O que revela o caráter conspiracionista da sociedade

Para os terra-planistas, observar um horizonte próximo é uma prova da terra plana, mas uma imagem tirada por astronautas ou paraquedistas é falsa. O que revela o caráter conspiracionista da sociedade

A dedução criada a partir de um aspecto visual e sem perspectiva científica (e obviamente, a sociedade terra-planista se pauta em uma argumentação superficial) e informal é dada pelos próprios adeptos da teoria que demonstram isto postando fotos do horizonte, como se isto por si só, comprovasse a planície terrestre. Ignorando toda a extensão do planeta, raio, diâmetro e todas as características astronômicas e especificidade do planeta, uma vez que elas são consideradas alterações propositais para esconder a verdade sobre a forma da Terra.

O que é mais surpreendente nesse conspiracionismo todo é que tal sociedade não tem dificuldade em aceitar que a Terra passa por uma crise de “aquecimento global” (apesar da maioria dos dados desta constatação serem produzidos pela própria Nasa). E há ainda aqueles que aceitam diversas teorias da ciência (método cientifico), inclusive a da evolução.

Sem título

Concepção engenhosa e criativa, porém não refuta a Teoria da gravidade

Apesar de ser uma concepção errada, grande parte desses ad hocs, e argumentos são bastante criativos em tentar justificar tal concepção. Entretanto, existem diversas maneiras de se demonstrar a esfericidade da Terra e de desconstruir a ideia de uma Terra plana.

Um dos problemas dessa visão plana da Terra é que se um indivíduo nessa planície se desloca em direção a borda dela, a gravidade do disco tende a inclinar o individuo, empurrando em um ângulo maior e maior de volta para o centro. Como demonstrado aqui e trataremos disto mais adiante:

Outra evidência da esfericidade é a sombra da Terra sobre a Lua.

Se o Sol se desloca sobre a planície da Terra (e nunca se põem), não teria como a sombra da Terra se projetar sobre a Lua. Tal modelo também não explica como ambos (Lua e Sol) giram em um mesmo sentido, e sempre mantém a mesma distância uma da outra.

No modelo esférico, a Terra está girando e a sombra oval do planeta se reproduz no eclipse lunar e demonstra a forma esferoide da Terra. Foi assim que Aristóteles pressupôs uma das mais antigas referências sobre a esfericidade da Terra.

Sem título

Sombras da Terra projetada na Lua

Aristóteles também encontrou evidências da esfericidade da Terra ao observar as diferentes constelações enquanto se movia quanto mais distante estava do equador.

Erastótenes concluiu a esfericidade da Terra a partir de cálculos e experimentos simples, que podem ser feitos por qualquer pessoa que tenha amigos em outro país.

Na sua época, Erastótenes comparou as duas noções sobre a forma da Terra com as evidências solares.

Em uma Terra plana, um determinado lugar (como Siena, por exemplo), uma vareta vertical não tem sombra, então, em qualquer outro lugar da superfície plana da Terra (Alexandria, por exemplo), qualquer vareta vertical também não terá sombra. O Sol estará sempre a pino, em todos os pontos da Terra. Se houver sombra da vareta em um dado lugar, em outro lugar qualquer também deveria haver a sombra, do mesmo tamanho.

Entretanto, se considerarmos que a Terra é esférica e possui uma curvatura planetária, é possível não haver sombra em um local como Siena, com Sol a pino, mas ter sombra em outro lugar, como em Alexandria, onde o Sol não está a pino (Física moderna, 2007).

Experimento de Erastótenes comparando a Terra plana com a Terra esférica

Experimento de Erastótenes comparando a Terra plana com a Terra esférica

Eratóstenes testou essas ideias e concluiu que a Terra era esférica, três séculos antes de Cristo, e ainda usou tal experimento para estimar o valor da circunferência da Terra.

Obviamente que para os terra-planistas Erastótenes será visto como um charlatão e não faltaram ad hocs e alternativas conspiracionistas, matemáticas e pseudo-filosóficas para justificar-se. De fato, existe um ramo da pseudociência chamado pseudo-matemática, onde valores e/ou equações são alterados para justificar críticas a modelos matematicamente organizados e concebidos. A pseudo-matemática geralmente é utilizada por criacionistas para justificar críticas á origem e fluxo de informação genética e tentar criar uma posição contra a Teoria da Evolução. Um dos criacionistas mais famosos por usar este tipo de abordagem é William Dembski (Veja aqui dois exemplos proferidos por este autor: 1 e 2).

No que diz respeito ao formato da Terra, é possível notar a sua esfericidade em situações presentes no cotidiano.

Os navios que se aproximam do litoral não se mostram simplesmente “aparecendo” fora do horizonte (como eles deveriam aparecer se o mundo fosse plano). Este é um efeito da curvatura da Terra a longas distâncias. Por exemplo, um navio de 30 metros de altura e que está a 24 quilômetros de distância não é visível do litoral. Isso porque ele é bloqueado pela curvatura da Terra.

À medida que ele se aproxima, nota-se seu “crescimento”. Assim, o navio surge no campo de visão à medida que ele se aproxima. O mesmo efeito é visto quando vemos uma cidade litorânea emergir do mar quando nos aproximamos do litoral.

Ao se aproximar de barco ao litoral notamos a cidade "emergindo" da água. Este efeito é resultado da curvatura da Terra esférica

Ao se aproximar de barco ao litoral notamos a cidade “emergindo” da água. Este efeito é resultado da curvatura da Terra esférica

Quanto maior á altitude na qual se observa o horizonte, mais evidente fica a curvatura da Terra.  Geralmente, associamos os obstáculos no terreno (casas, prédio e árvores) como um elemento que obstrui nossa visão no chão. Ao observar de um ponto alto temos uma visão mais clara da curvatura. Mesmo em um posicionamento terreno claro, sem prédios e árvores obstruindo a visão, é possível ver a curvatura ao longe somente em uma altura maior do que a vista do chão. Este fenômeno é causado pela curvatura da Terra, bem como não ocorreria se a Terra fosse plana. Por essa razão vemos a curvatura mais nitidamente quando paraquedistas saltam a mais de 3 mil metros de altura.

Observar pela janela em um vôo transatlântico é possível (na maioria das vezes), observar a curvatura da Terra no horizonte.

Ao voar de Concorde a curvatura da terra fica bem evidente. Clique para ampliar

Ao voar de Concorde a curvatura da terra fica bem evidente. Clique para ampliar

Todas as observações feitas pela ciência mostram que não só a Terra, mas todos os planetas são esféricos e dão evidências de como se formaram (Veja formação planetária e acreção e de estrelas).

Em 1610, Galileo Galilei observou as luas de Júpiter girando em torno deste planeta Ele os descreveu como pequenos planetas orbitando um planeta maior. Uma descrição feita com base na observação apurada deste astrônomo que foi muito difícil para a igreja aceitar, isto porque o modelo heliocêntrico não só desloca a Terra do centro da criação divina, mas tira o homem de tal posicionamento também. Na antiguidade, os astrônomos notaram como certas luzes se moviam no céu em relação às outras estrelas. Os antigos gregos chamaram essas luzes “πλάνητες ἀστέρες” (planetes astere, ou seja, estrelas errantes) ou simplemente “πλανήτοι” (planetoi) errantes (Liddell and Scott, 1940) a partir do que derivou a palavra atual “planeta” e não devido ao formato plano. Na antiga Grécia, China e Babilônia e, de fato, em quase todas as civilizações pré-modernas, acreditava-se quase universalmente que a Terra era o centro do universo e que todos os planetas a circundavam (Neugebauer, 1945). A razão para esta percepção era que todos os dias as estrelas e planetas pareciam girar em torno da Terra (Khun, 1957) bem como a percepção, de aparente senso comum, de que a Terra era sólida, estável e imóvel.

Galileu, com sua observação mostrou que os planetas (Júpiter, Netuno e Vênus) são todos esféricos, e todos orbitam o Sol. Um planeta plano não só mudaria tudo o que sabemos sobre a formação do planeta, mas também sobre a formação de estrelas (como o nosso Sol, que teria de se comportar de forma bastante diferente para acostumar à teoria cômoda dos terra-planistas. Especialmente ao que se refere as velocidades e movimentos no espaço). Ele alteraria órbitas de planetas, e os efeitos da gravidade.

Outra concepção que destrói por completo a ideia de Terra plana é referente à massa dos corpos celestes. A massa atrai coisas para si, e esta força de atração (a gravidade) entre dois objetos depende da sua massa e da distância entre elas.  Em uma Terra plana onde o Sol é reduzido de tamanho e esta muito próximo a Terra (cerca de 4 mil quilômetros segundo os terra-planistas), ele teria sido atraído. Negar a existência da gravidade não é refutar a existência dessa força.

Em uma esfera, não importa onde o indivíduo se posicione sobre ela, há sempre a mesma massa da esfera sob ele.

Em uma Terra plana o centro de massa de um plano está em seu centro e a força da gravidade vai puxar uma pessoa em direção ao meio da planície (como demonstrado no primeiro vídeo). Isso significa que em um indivíduo na borda do plano, a gravidade ficará puxando-o em direção ao centro, não em linha reta para baixo como na esfera normalmente se experimenta. É por esta razão que para os australianos eles não se sente de ponta-cabeça, e a maça da história “apócrifa” de Newton sempre vai cair para baixo.

Por essa razão os terra-planistas ignoram a gravidade, para que ela não se torne um incomodo a concepção pessoal enquanto crença em uma Terra achatada.

As imagens tiradas da Terra entre as décadas de 1959 e 1966 não podiam passar por PhotoShop e serem alteradas. Elas demonstram por si só, claramente apresentam um globo esferoide (Photoshop versão 1.0 foi lançado pela Adobe em 1990).

Foto 1) 14 de agosto de 1959: Primeira foto bruta da Terra do satélite Explorador VI. A foto mostrava uma área iluminada pelo sol da cobertura e nuvem oceano Pacífico. Foi tomada a partir de cerca de 17.000 milhas (27.350 km) acima da superfície. (Imagem cortesia do website NASA GRIN) Foto 2) 05 de junho de 1966: O astronauta Eugene Cernan tirou essa foto incrível do Gêmeos 9 e a Terra durante sua EVA (atividade extraveicular). A nave espacial de si mesmo e de Cernan "umbilical" (o cabo que o mantém conectado aos sistemas da nave espacial) são visíveis no topo de um fundo bonito da Terra. (Imagem cortesia do website NASA GRIN) Foto 3) 23 de agosto de 1966: A primeira vista da Terra a partir da Lua. A imagem foi feita pelo Lunar Orbiter I quando a nave espacial estava em sua órbita 16 e estava prestes a passar por trás da Lua. (Imagem cortesia do website NASA GRIN) Foto 4) 29 de dezembro de 1966: A vista espectacular sobre o nascer da Terra da Lua, tirada pela tripulação da Apollo 8, depois de sair do outro lado da Lua, aproximadamente 239.000 milhas (384.000 km) da Terra. (Imagem cortesia do website NASA GRIN) Imagens retiradas de Liberu Ciência

Foto 1) 14 de agosto de 1959: Primeira foto bruta da Terra do satélite Explorador VI. A foto mostrava uma área iluminada pelo sol da cobertura e nuvem oceano Pacífico. Foi tomada a partir de cerca de 17.000 milhas (27.350 km) acima da superfície. (Imagem cortesia do website NASA GRIN)
Foto 2) 05 de junho de 1966: O astronauta Eugene Cernan tirou essa foto incrível do Gêmeos 9 e a Terra durante sua EVA (atividade extraveicular). A nave espacial de si mesmo e de Cernan “umbilical” (o cabo que o mantém conectado aos sistemas da nave espacial) são visíveis no topo de um fundo bonito da Terra. (Imagem cortesia do website NASA GRIN)
Foto 3) 23 de agosto de 1966: A primeira vista da Terra a partir da Lua. A imagem foi feita pelo Lunar Orbiter I quando a nave espacial estava em sua órbita 16 e estava prestes a passar por trás da Lua. (Imagem cortesia do website NASA GRIN) 
Foto 4) 29 de dezembro de 1966: A vista espectacular sobre o nascer da Terra da Lua, tirada pela tripulação da Apollo 8, depois de sair do outro lado da Lua, aproximadamente 239.000 milhas (384.000 km) da Terra. (Imagem cortesia do website NASA GRIN)
Imagens retiradas de Liberu Ciência

Além de todas essas evidências claras de uma Terra esferoide soma-se o fato de que os terra-planistas não apresentam um modelo para explicar a origem da Terra, de tal formato ou do próprio Sistema Solar. Também não explica o fato do Sol ter um tamanho reduzido e a sua distância ser bem próxima a Terra, ou ainda, como o Sol e a Lua mantém a mesma distância.

Com a velocidade da luz, a distância em que o Sol esta da Terra pode ser calculada (d=v.t /onde d= distância, v = velocidade, t= tempo), e o tamanho do Sol também. No esquema terra-planista isso é desprezado. O modelo também não explica o fenômeno astronômico do Sol da meia noite que ocorre em países no Circulo polar Ártico e ao Sul Antártico onde o Sol é visível durante as 24 horas do dia nas datas próximas ao solstício de verão.

Não explica as estações do ano, as variações de tempo que os dias do ano sofrem tanto pela própria estação do ano (afélio e periélio), quanto pela distância entre países.

No Brasil, por exemplo, o Sol nasce por volta de 6:00am, enquanto no Chile por volta de 9:00am. Haveria diferenças gritantes no modelo de Terra plana.

Durante o pôr-do-sol ou o nascer-do sol vemos ele se esconder no horizonte, o que não seria possível se a Terra fosse plana. Se a Terra fosse plana, ainda que o Sol estivesse no ponto mais distante do Brasil (como no Japão, por exemplo) seus raios chegariam de forma perpendicular a nós, pois ele supostamente não desce pelo horizonte. E claro, poderíamos então, do Brasil ver o Sol iluminando o Japão.

Modelo de Terra plana é falho pois de um lado do planeta seria possível ver o sol iluminando o hemisfério oposto

O modelo de Terra plana também é falho em outros aspectos. Aqui é possível notar que de um lado do planeta seria possível ver o sol iluminando o hemisfério oposto.

Também não explica como se apresenta o período de iluminação dos outros planetas. Os terra-planistas não definem se outros planetas também são planos. Geralmente afirmam não saber por nunca terem pisado no neles; desprezando os estudos astronômicos.

Uma vez que o Sol se apresenta circulando a suposta planície da Terra os outros planetas teriam de ter sua porção plana voltada também em direção ao Sol e portanto estariam de ponta-cabeça em relação ao nosso planeta, uma vez que a concepção heliocêntrica não é aceita pelos terra-planistas. Entretanto, como a concepção da Terra plana hoje se apresenta de modo conspiracionista, ela não se pauta em evidências físicas, observações astronômicas e mensurações feitas pelo método científico, o que da margem para a atribuições ad hoc que sustentam uma concepção primitiva e infundada. De qualquer modo, serve como termostato a respeito de como certas concepções fanáticas e científico-analfabetas surgem, arrebanham indivíduos com grande déficit educacional no que diz respeito á ciência básica.

Outras duas críticas merecem ser feitas a tal modelo. Uma refere-se ao Global Positioning System (o sistema GPS) e outra a cai na filosofia da ciência.

Einstein desenvolveu uma nova teoria da gravitação, complementar a de Newton, que chamou de Relatividade geral. O conceito de gravidade na teria da relatividade geral é inteiramente distinto ao de Newton. Para ele, o espaço-tempo não é plano. A geometria dos espaços curvos tais como a superfície terrestre não é dada pela geometria eucliadiana com a qual estamos convencionalmente acostumados. Em uma superfície plana, a menor distância entre dois pontos é uma reta.

O GPS também demonstra a esfericidade da terra

O GPS também demonstra a esfericidade da terra

Desta forma, se um indivíduo pretende viajar de Nova York para Madri (duas cidade aproximadamente na mesma latitude), em uma Terra plana, a rota mais curta seria uma reta em direção ao leste e segui-la em frente por 5,966 kilometros.

Entretanto, devido a curvatura do planeta, há um caminho em que um mapa plano parece curvo, e portanto, mais longo, mas que na realidade é mais curto, pois compensa a rotação e a curvatura da Terra. O indivíduo percorrerá 5.801 kilometros e segue a rota de um círculo máximo segundo o qual o deslocamento ocorre para nordeste e posteriormente vira para leste chegando ao sudeste.

A diferença entre essas duas rotas se dá exatamente por causa da curvatura do planeta que comprova a presença de uma geometria não-euclidiana sob o globo terrestre.

As companhias aéreas traçam essas rotas não para ficar circulando sobre o um local e gastando combustível enganando a todos. Muito pelo contrário, tal rota é traçada exatamente para evitar gastos. Elas traçam as rotas dos aviões ao longo de círculos máximos sempre que for mais prático. De acordo com as leis de Newton objetos esféricos como bolas de canhão e planetas movem-se em linha reta, exceto quando sob a ação de uma força, ta como a da gravidade. Como a gravidade não é uma força como qualquer outra e sim uma consequência factual da presença de massa, ela distorce o espaço-tempo criando uma curvatura no tecido do espaço (Hawking & Mlodinow, 2011). É assim que um GPS funciona, ele traça a rota visando uma redução da distância sob uma curvatura planetária para evitar gastos excessivos da aeronave e de combustível de avião que é caro. Não existem intenções algumas em tornar uma viagem de avião mais longa voando em círculos sobre uma Terra plana para enganar as pessoas. Essa concepção nem sentido têm, é por essa razão é referida como conspiracionista.

Para finalizar, faz-se necessário uma abordagem metodológica, que cai na filosofia da ciência. Do ponto de vista da filosofia da ciência o caso da dedução feita pelos terra-planistas também falha. A lógica dedutiva sozinha não funciona como fonte de informação. Muitas vezes, como no caso dos terra-planistas, ela é feita sem qualquer rigor científico.

Eu poderia afirmar algumas premissas tais qual: 1) Todos gatos têm 5 patas; 2) Tom é um gato; 3) Tom têm 5 patas.

É uma dedução perfeitamente válida, mas as premissas 1 e 3 são falsas. A lógica dedutiva sozinha não funciona como uma fonte de afirmações válidas sobre o mundo. Ela precisa se relacionar com derivações de afirmações e serem corroboradas (Chalmers, 1993). O que os terra-planistas fazem é propor exatamente isto, uma dedução sobre a perspectiva individual do observador e parte dela como correta, e não é. Suas derivações se apresentam incoerentes com as evidências e para compensar isto atribui-se a concepção ad hocs deixando-a o menos parcimoniosa possível.

Admitamos duas máximas: “As luas de júpiter são visíveis através do telescópio”; e “A Terra é plana”.

Ambas concepções são públicas e portanto podem ser apreciadas ou criticadas por todos. A decisão de defender a primeira concepção se deu por experiências perceptivas que acompanharam visualizações telescópicas de Júpiter. A visão Terra planista foi feita com base na observação superficial do horizonte, do movimento do Sol e por questões místicas durante grande parte da historia da humanidade.

Ambas as observações são testáveis.

Os opositores de Galileu, por exemplo, argumentaram que as luas eram na verdade manchas resultado da má qualidade óptica do telescópio. Galileu contra-argumentou que se as observações fossem resultado da qualidade do telescópio então deveria ter visto luas perto dos outros planetas que também observou. Conforme o tempo passou e o aperfeiçoamento dos telescópios progrediu a concepção de Galileu sobreviveu as críticas dos céticos e negacionistas, de tal forma, que hoje esta afirmação é aceita com clareza.

A concepção de Terra plana não sobreviveu ás críticas e as inovações tecnológicas. Do ponto de vista cientifico, falsificações são descartadas pela falta de uma base observacional segura da qual elas dependem. A grande chave do esquema científico é que para uma observação que pretende descrever uma situação ela é feita em uma linguagem pública que pode ser testável e é aberta a modificação ou rejeição.

Observadores individuais, como os terra-planistas, ou mesmo os criacionistas da Terra jovem, podem ou não aceitar as proposições da observação feita de modo específico.

A sua decisão sobre o assunto será motivada pelas experiências perceptivas relevantes (e muitas vezes individuais), mas nenhuma experiência perceptiva de um indivíduo será suficiente para estabelecer a validade de uma proposição de observação.

O observador pode simplesmente ser levado a aceitar alguma proposição de observação com base numa percepção e, todavia, esta proposição pode ser falsa.

Este é o caso da defesa dos terra-planistas e é inclusive uma crítica feita aos falsificacionistas e a Karl Popper, mas esta é uma outra discussão sobre filosofia da ciência que aqui não abordarei. A terra plana apenas ofereceu um substrato para demonstrar como muitas vezes a simples lógica dedutivista e as proposições de observação podem ser falíveis.

O que temos no caso da Terra plana é uma proposta não científica, conspiracionista, que historicamente se consolidou de modo místico e que carece de plausibilidade e não se consolida diante das observações refinadas mesmo diante do potencial que a ciência tem de avaliar tal situação.

Victor Rossetti

Palavras chave: NetNature, Rossetti, Terra Plana, Terra Esférica, Aristóteles, Erastótenes, Galileu, Newton, Gravidade, Diodosio de Tarso, Agostinho, Isaías, Coasmas Indicopleustes, Bíblia, Mitologia, Mesopotâmia.

Agradecimentos especialista Wesley Condi e Sergio Guedes.

.

Referência

Bíblia de Jerusalém, Nova Edição Revista e Ampliada, Ed. de 2002, 3ª Impressão (2004), Ed. Paulus, São Paulo, p 1.237
Gooder, Paula (2000). The Pentateuch: a story of beginnings. T&T Clark.
Carvalho, M. S. Geografia e Imaginário na Idade Média. Publicado em RAE’GA (ano 1, n. 1) Curitiba: Boletim do Departamento de Geografia da Universidade Federal do Paraná. 1998. pp. 45-60.
Davies, G.I (1998). “Introduction to the Pentateuch”. In John Barton. Oxford Bible Commentary. Oxford University Press.
Introducción a la Mitología Mesopotámica. Por Daniel Marín Arcones. 2012.
Física Moderna. Erastotenes: QUEM DISSE QUE A TERRA É PLANA? . 2007
IGEO. A RENASCENÇA DA GEOGRAFIA. UFRJ. id da página: 192.
L. E. Dreyer, A History of Planetary Systems from Thales to Kepler. (1906); unabridged republication as A History of Astronomy from Thales to Kepler (New York: Dover Publications, 1953).
Kuhn, Thomas S.. The Copernican Revolution. [S.l.]: Harvard University Press, 1957. 5–20 p.
Leo Ferrari, Cosmography, in Augustine through the Ages: An Encyclopedia, William B. Eerdmans Publishing Co., Grand Rapids MI, 1999, p.246
Liddell and R. Scott, A Greek–English Lexicon, ninth edition, (Oxford: Clarendon Press, 1940).
Marcus Valério Xavier. A bíblia e o universo aquático. 2011
Marcus Valério Xavier. A falsa inerrância científica bíblica. 2004
Neugebauer, Otto E.. (1945). “The History of Ancient Astronomy Problems and Methods”. Journal of Near Eastern Studies 4 (1): 1–38.
O mito da Terra plana. por Widson Porto Reis , em 30/03/03
O papel de Lactâncio é examinado em detalhes em Elizabeth DePalma Digeser. The Making of a Christian Empire: Lactantius and Rome (em inglês). [S.l.: s.n.], 2000.
Oswald DREYER-EIMBCKE. O descobrimento da Terra: história e histórias da aventura cartográfica. São Paulo: Melhoramentos, 1992. p. 41. A CARTOGRAFIA E A SUA EVOLUÇÃO
Randles, W.G.L. Da terra plana ao Globo terrestre. 1994
Van Seters, John (1998). “The Pentateuch”. In Steven L. McKenzie, Matt Patrick Graham. The Hebrew Bible today: an introduction to critical issues. Westminster John Knox Press.
10 maneiras de saber que a Terra não é Plana. Liberum Ciencia.

37 thoughts on “OH MEU DEUS! A TERRA NÃO É PLANA, MAS ERA, ANTES E DURANTE A IDADE MÉDIA – REFUTAÇÕES QUE SAIRAM PELA CULÁTRA.

  1. Eita quanta baboseira que eu nem li o texto inteiro porque só o início já me deu arrepios!
    Se bem vejamos, o autor da página (Rossetti) parece realmente ter um certo grau de ignorância sim, visto que considera a Flat Earth Society como evidência de que a Bíblia defende a Terra plana. Primeiro, caríssimo vivente (se bem que imagino que tu mesmo não saiba a definição de “ser vivo”),vai ter que achar evidências para mim de que o líder da sociedade é criacionista da Terra jovem, visto que se ele for evolucionista tu estás ferrado.
    A Bíblia não dá aulas sobre astronomia, entenda criatura.
    Pelo que estou a saber, meu caro, você é um biólogo que dá pitaco em tudo, até onde não lhe interessa, mas depois diz que existem áreas que não são do teu domínio.

    • Raul!!! Ignorante aqui é tu meu caro, A Biblia não da aula de Astronomia??? mas oque aconteceu com galileu e Giordano Bruno, entre muitos outros pra terem os fins que tiveram por discordar da posição Cientifica da Biblia, adotada pela igreja católica O autor da Pagina tem formação academica pra dar aulas em qualquer escola do mundo e fazer pesquiza cientifica de campo, e tu Raul? que formação e argumentos científicos tu tem pra refutar os estudos provados aqui??? ,vai la chamar quem tu quiser e venha com argumentos científicos , não com sua tosca opinião aqui, O “Zé Pitaco” que não passa de vossa Pessoa, que fala muito mas não prova ou refuta nada🙂, E nem vou falar como o “deus” pode Inventar um Lindo Arco Iris em plena Existência Humana Animal, Se a Biblia não é um Livro cientifico por que a raça religiosa se mete tanto na vida alheia com base na “ciencia” da biblia??? Vai estudar e ser mais Honesto um pouco meu caro Raul🙂

      • Marinno

        * A Biblia não da aula de Astronomia???
        – Nope.
        * mas oque aconteceu com galileu e Giordano Bruno, entre muitos outros
        – Giordano Bruno não foi morto por nenhuma razão científica e Galileu foi ameaçado por discordar da Igreja.
        * pra terem os fins que tiveram por discordar da posição Cientifica da Biblia, adotada pela igreja católica
        – A Igreja Católica não usou posições científicas da Bíblia e sim de filósofos da Grécia Antiga. Se assim fosse, é estranho que as pessoas praticassem a Astrologia e a Alquimia sendo que isso é contrário à Bíblia.
        * O autor da Pagina tem formação academica pra dar aulas em qualquer escola do mundo
        – Por acaso ele é um biólogo.
        * que formação e argumentos científicos tu tem pra refutar os estudos provados aqui???
        – Tu sequer leu meu comentário? Eu estou afirmando que o cara NÃO provou que a Bíblia diz que a Terra é plana.
        * O “Zé Pitaco” que não passa de vossa Pessoa, que fala muito mas não prova ou refuta nada
        – É Zé Pitaco qualquer um que afirme que não avança em áreas em que não é especializado mas ainda assim o faz.
        * E nem vou falar como o “deus” pode Inventar um Lindo Arco Iris em plena Existência Humana Animal,
        – Não houve uma invenção do arco-íris em Gênesis, se tu deixasse de ir estudar com os teus líderes e fosse estudar Teologia de verdade entenderia.
        * Se a Biblia não é um Livro cientifico por que a raça religiosa se mete tanto na vida alheia com base na “ciencia” da biblia???
        – Não existe raça religiosa, quem afirma tal coisa merece ir direto pra trás das grades sem desculpas. E por que vocês se metem tanto na Bíblia? E não são “os religiosos” que se metem, bobalhão, são algumas exceções.

        Concluindo, posso ver que se sou ignorante tu provou sê-lo em dobro.

    • Raul, termine de ler o texto. Como pretende comentar algo que não leu?!
      Chamar de ignorante não descontroi o que esta no texto. As referências estão citadas. Se não concorda com elas, rebata os autores. Se a sua melhor argumentação é esta, chamar de ignorante e induzir as pessoas a ideia de nao tenho competências para comentar algo só vai demonstrar seu desafeto a minha pessoa, mas nao descontroi a ideia.
      Existe sim o criacionista de terra plana e a terra jovem (mais raros) e existem os criacionistas da terra jovem que nao aceitam a terra plana. Essa distinção foi feita ainda na Creation Research Society, onde tinham ambos os casos e depois se separaram por brigas internas. E claro, existe a os terra-planistas que não falam sobre questão religiosa.
      No Flat Earth Society, fundada por Clark K. Johnson ele assume a Terra plana como criação de Deus. Ele diz:

      “Life is so fleeting, seems to me makes the little difference what I eat, what I wear, just feel I might make my life count…to have done something worthwhile, to be an aid in God’s creation. I can look myself in the mirror without shame, and look the world in the eye…I know I’m doing my ‘bit’, and am true to my vision, so can’t complain.”

      Uma das Clausulas de Clark no preenchimento dos dados pessoais para entrar na Flat Earth Society era “Science is a false religion, the opium of the masses. I myself count it as a begining of Sanity to confess ‘the creation proves there was a Creator’ so a God or Creator…Exists.”
      Como mencionado no texto, existem terra planistas que não se opõem a teoria da evolução, e a outros teorias cientificas…estes, geralmente não são associados a grupos religiosos (não sei se este é o caso dos terra planistas aqui no Brasil), mas eles geralmente rejeitam a gravidade e relatividade.
      De fato,a biblia nao da aulas de astronomia, (nem de geologia, nem de biologia) explique isto para os criacionistas Raul. Exatamente por isto estou mostrando como estes grupos que defendem essas ideias estão errados. Ainda que a maioria dos cristãos na idade média tivesse plena noção da esfericidade da Terra, houve alguns que defenderam uma interpretação literal. Infelizmente, a maioria das pessoas não entendeu o texto, mesmo eu tendo dito que A ideia de Terra Plana não era absoluta na Idade Média, mas muitos líderes religiosos importantes a defendiam, e com uma justificativa teológica, bíblica, literalista, declarada e claramente absurda!”. As pessoas interpretaram como se eu estivesse dizendo “todos os cristãos da idade media eram terra planistas”. Talvez não tenham entendido exatamente por não terem lido o texto inteiro. E na última parte, ainda destaco alguns pontos onde a concepção de terra plana falha a luz da evidencias claras da esfericidade. Citei Erastotenes e Aristoteles, que foram parte da filosofia grega, fundamentais na formação da filosofia cristã. Infelizmente, as pessoas são muito reativas e não leem o texto inteiro.

      Desculpe, mas eu não sabia que religião só podia comentar quem é teólogo. De fato, existem áreas em que eu nao me arrisco exatamente porque nunca entrei em contato.

      • Rossetti

        * Raul, termine de ler o texto. Como pretende comentar algo que não leu?!
        – Eu nem tentei rebater, apenas resolvi questionar uma certa parte que me chamou a atenção.
        * Existe sim o criacionista de terra plana e a terra jovem (mais raros) e existem os criacionistas da terra jovem que nao aceitam a terra plana. Essa distinção foi feita ainda na Creation Research Society
        – Eu sou um criacionista, mas sempre tento ficar atento (rimou!) para não ser enganado, pois já vi que principalmente os Criacionistas da Terra Jovem mentem muito. Ainda assim, valeu por essa do CRS, eu nem sabia disso.
        * Desculpe, mas eu não sabia que religião só podia comentar quem é teólogo.
        – Não foi nem isso que pretendia defender, e sim que se você diz que não comenta áreas em que não é muito especializado, não é uma boa ideia comentar sobre religião.

    • A Bíblia não dá aula de astronomia como a conhecemos hoje, fruto da nossa ciência. Entretanto, a Bíblia mostra as noções astronômicas que os antigos tinham. Está bem claro nela que os antigos acreditavam numa Terra Plana. Todo argumento contrário a isso é uma tentativa de encaixar idéias equivocadas dos antigos com a astronomia moderna.

  2. Seu texto repete o mito da terra plana. Você tenta passar a ideia de q o mito é defendido por pessoas parciais (como o “filósofo de deus”). Não é verdade. Essa teoria é defendida quase q universalmente na academia por autores de diferentes religiões. Stephen Jay Gould era agnóstico. Ronald Numbers tb,
    Santo Agostinho acreditava numa terra esférica. Essa é a visão dos medievalistas.

    Sugiro que leia esse texto sobre o tema:

    http://otaviopinto.com/index.php/2015/09/11/colombo-e-o-mito-da-terra-plana/

  3. “Não é possível afirmar que Isaías acreditava que a Terra fosse esférica unicamente pela citação de Isaías 40:22. É uma interpretação descontextualizada feita por fanáticos que querem defender uma inerrância da bíblia.”
    O uso preconceituoso e acusatório da palavra “fanáticos” acima em si já fornece evidência do objetivo desse artigo. Ciência qualquer um pode fazer. Ciência verdadeira é propriedade de poucos. Por mais que você apoie a teoria da terra plana ou a suposta verdade da terra globo, com curvatura, não deveria nunca usar de palavras que humilham os outros, pois uma das falácias mais notórias é humilhar aqueles que não apoiam nossas supostas verdades…
    Quanto a opinião de que a terra é plana é muito curioso que muitas pessoas tem feito testes de per si para tentar comprovar a existência de uma curvatura em dadas distancias que supostamente deveria existir e que simplesmente não se acha curva nenhuma. Eu não sou cientista nem quero ser o dono da verdade, mas acho isso muito, muito estranho…

    • Então o uso de Isaías para defender uma terra plana não demonstra um erro?
      Então a palavra fanático é uma palavra humilhante e deveria ter outro significado que não fosse pejorativo porque fanatismo pode ser bom?
      Por favor Paulo. Estamos em 2015, com satélites apontados pra quanto é canto de nosso planeta, todo sistema solar e planetas fora dele analisando outros pontos da galaxias onde temos alguma ideia sobre sua orbita, composição e tamanho.
      Como podemos afirmar que a Terra é plana usando Isaías sem demonstrar que esta afirmação não é fanática quando todos os veículos empíricos e testáveis demonstram a esfericidade da terra e de tantos outros planetas?
      Acho que voce não sabe o significado de fanatismo.
      A proposta no texto nunca foi humilhar, mas expor a organização que se funda em cima de discurso conspitatório na defesa de uma tese já ultrapassada, a terra plana. Mas concordo com vc, ciência qualquer um pode fazer. O problema é que o que os terrap lanistas fazem não é ciência, é pseudociência com discurso conspiracionista.

    • Paulo Felix, você estuprou ele com argumentos digamos assim rs… Disse tudo! Fatality! O Tocantins inteiro pra você, pois Palmas é pouco haha. Abraço! Estamos juntos na luta contra a descendência da serpente, os filhos do engano.

      • Exceto pelo fato de que ciência verdadeira é feita pelo método e não por revelação divina rsrsrsrs
        O simples fato de citar a serpente falante indica que estava certo ao citar como a manifestação terraplanista é fruto de fanatismo religioso.
        Estamos junto Charles!!!

  4. Cara honestamente procure entender o conceito. Vc me mostrou “provas” que na verdade comprovam a Terra ser plana. Repara que esses videos que mostram o horizonte da Terra a partir do espaço a deformação das bordas, você percebe que se existe alguma coisa, satélite, uma parte da nave e tal na borda da câmera ela fica deformada, isso por causa do efeito olho de peixe. Já andou de avião? Porque se sim perceba na hora da decolagem como o horizonte, a pista está curvada, isso se repete quando você vê a “curvatura” lá em cima. Já foi provado que a curvatura não existe, sabe como? Procure no Google a tabela OFICIAL que relaciona distancia no horizonte com a queda através da curvatura e veja sua idéia de globo ser destruída. Veja este vídeo pra entender: https://youtube.com/watch?v=xSu94KTbmZA Não torne isso pessoal, mas de verdade pesquise. Porque eu antes dava risada mas agora eu vejo quanto fomos manipulados. Sempre fui obcecado por espaço e tudo relacionado, e sei sempre estudei bastante, as “regras”, teorias, conceitos e tudo mais. Só que hoje eu sei que o globo é uma mentira. O homem nunca foi pra Lua, a NASA é uma farsa. Espero que descubra a verdade e de qualquer forma, parabéns pelo seu trabalho!

    • Voce esta sendo manipulado agora, por um grupo de pessoas sem formação científica básica e sem qualquer publicação a respeito da terra plana e defendendo uma posição conspiracionista. Ou voce esta sendo enganado ou esta enganando os outros.
      Não dei prova alguma de terraplana, sua alegação é um espantalho e subverte os dados do texto.
      O texto pontua uma série de falhas propostas por terra planistas, como ela surge de um conceito mitológico antigo e como tal falácia encontra-se com interpretações bíblicas literais.
      Voce quis entender o que voce gosta de acreditar, não o que o texto realmente diz. Ele critíca o modo dedutivista do observar no horizonte, crítica os contextos adhoc, mostra que se a terra fosse um disco a dinâmica de movimentos seria distinta, mostra processos como eclipses e que se a sombra da terra esta projetada na lua é porque o sol esta na posição oposta, fala de Aristóteles e Erastotenes que a mais de 2 mil anos já sabiam que a Terra não era plana, que não há efeito de câmera, especialmente em aviões onde fotos são tiradas por celular, e claro, as fotos da própria Nasa.
      Eu sugiro voce ler sobre astronomia em qualquer site de Universidade federal do Brasil onde há textos de popularização de ciência básica e abandonar esta visão conspiracionistas onde se prega que tal visão é correta sem que haja o mínimo de evidencia empírica ou publicações científicas.
      Sugiro que pesquise sobre ciência do nosso século e não do século 8 antes de cristo.

  5. Olá, a órbita da lua é circular e está acima do sol em altitude pois é dessa forma que é criada as fases lunares, não está na mesma órbita está numa órbita superior e quando estão alinhados é lua cheia, e quando estão distantes minguante até que estejam opostos quando a lua não aparece.

    Outro ponto: A terra plana já é provada cientificamente, acreditar que a terra é esférica é um ato de burrice, lavagem cerebral, infâmia, rasgar dos documentos produzidos por todos os cartógrafos e historiadores da antiguidade, duvidar da palavra de Deus para acreditar num bando de medíocres levantados por falsas comunidades científicas FECHADAS e discrimatórias (só publicam o que querem) ligadas a ONU, redes de telecomunicação, REDE GLOBO e todo o resto de sociedades secretas que encheram nossos livros de merda e rasgaram o trabalho dos cartógrafos da antiguidade!

    Leia a bíblia

    • Outro ponto: A terra plana já é provada cientificamente, acreditar que a terra é esférica é um ato de burrice“.
      Nunca vi chamar alguém de burro ou reclamar com chingos refutar uma teoria científica.
      Se voce acha que esta certo, boa sorte, continue defendendo a terra-pizza, escreva isto nos concursos públicos escreva la que a terra é plana porque avião em inglês é “AirPLANE” e torça pra conseguir um emprego. kkkk
      Dica: se voce não tem o básico em ciência o problema é seu, não vai conseguir o cargo, e a culpa não vai ser da crise, mas de seu fanatismo e postura pseudocientífica. E faz um favorzinho, não venha xingar os outros pelas suas bobagens.
      Ah, e me desculpe, o mas modelo atual, vigente, em todos os sistemas acadêmicos e científicos do mundo é terra esferóide. Terra plana, sabe, ficou lá atrás…bem atrás….Não há constatação empírica nem respaldo lógico para terra plana. Se continuar lendo a bíblia vai continuar defendendo posturas erradas, portanto, não precisa me mandar ler a bíblia, eu já li, e já fui muito em igreja evangélica, embora na minha época eles não defendessem essas bobagens terraplanistas (ao menos na minha época o evangélico tinha um pouco mais de bom senso. Acho que muita coisa mudou).
      Mas já que vc me deu uma sugestão, abre espaço pra eu te dar uma também: Que tal deixar de ler um pouco SÓ a bíblia e se atualizar. Sabe, estamos em 2016, não vivemos mais pastoreando ovelhas no deserto, não somos Amish.😉
      Pensei nisto, o mundo da voltas!!!!😉

  6. a terra é plana mesmo seus imbecis, todas as supostas fotos da terra são falsos e criados em computador afim de manter a teoria de que a terra é redonda , o heliocentrismo é uma farsa que é sustentada até hoje pela ciência moderna e por todas as agências espaciais, não existe nenhuma prova para afirmar esta suposta teoria o que existe são apenas representações, photoshops, computação gráfica, vídeo aulas, livros de geografia e método de ensino atual que é ensinado nas escolas e faculdades, não existe nenhuma foto verdadeira do que é chamado “sistema solar”. o homem já “enviou muitas sondas e satélites que viajaram anos luzes e mostraram fotos de outros planetas” não teriam eles nenhuma foto verdadeira do que é ensinado hoje? todos nos vemos que é o sol que se move e isso é algo observável, o sol não está a 149.600.000km da terra ele está muita mais próximo dela, o sol não é uma bola de fogo que tem erupções solares e nem é maior do que a terra isso é mentira, em relação a terra o sol é bem menor e ele circula a terra iluminando-a localmente como sempre foi, todos os vídeos em que mostra o sol pegando fogo como se ele fosse feito gazes e tendo “explosões e erupções solares” são falsos e criados em computação gráfica afim de manter essa teoria heliocêntrica. fora as representações e photoshops o que “prova” essa teoria são os chamados cálculos, cálculos esses que foram mudando com o passar o tempo e isso não prova absolutamente nada! assista esse vídeo a partir dos 04:10 é impossível dizer que o sol está a 149.600.000km da terra pelo que é visto nele, esse vídeo PROVA que o heliocentrismo é uma farsa.

    • Não adianta xingar, isto não é argumento assim como nada do que voce disse. Voce não apresentou nenhum artigo, nada que seja palpável de tal forma que suas sugestões são pseudocientíficas, negacionistas e anti-científicas. Não adianta dizer que as fotos são representações, tratadas com photoshops, computação gráfica, etc e tal. Voce mesmo citou um link do You tube, deve ser pau mandado dos terra planistas. Se não esta enganando as pessoas esta sendo enganado.
      De fato, o terra planismo não tem nenhuma foto verdadeira da forma plana da terra, faz uso de representações e só tem poder no facebook dentro de grupos ignorantes e analfabetos em ciência básica.
      Já a ciência tem fotos do espaço, fotos da sombra da esfera da terra sobre a lua. Se voce é ingênuo ou ignorante o suficiente para criar todo este contexto conspiracionista para tentar justificar o injustificavel, certamente se enquadra dentro de um contexto pseudocientifico. E sim, o geocentrismo é uma falácia como demonstrado através de artigos científicos ou mesmo aqui https://netnature.wordpress.com/2016/03/03/geocentrismo-a-volta-do-idiotismo-prodigo/ e claro, o que foi apresentado no presente texto também esta referenciado.
      Voce não apresentou referência alguma e portanto cabe a voce refuta-las com artigos científicos. Não aceito conspiracionismo nem posicionamento religioso. Quero artigos, coerência científica…sem artigos nada feito, pode chorar a vontade!

  7. o globo é uma farsa e essa teoria é sustentada até hoje pela ciência moderna e por todas as agências espaciais, ELES sabem a verdade! até 1500 todos sabiam que a terra era plana e geocêntrica de acordo com as escrituras até o heliocentrismo de Nicolau Copérnico ter sido aceito como verdade absoluta, mas em 1969 por meio da NASA todas as maiores organizações mundiais descobriram que a terra não é um globo e nem tão pouco girava em torno do sol, você acha que eles iriam jogar no lixo quase 500 anos de doutrinação científica?? lógico que não! imaginem a revolta de todas as pessoas que acreditaram em sua vida toda numa mentira, quatro séculos de ilusão, como ficariam os físicos, matemáticos e astrônomos??? a razão pelo qual todos nós nos mantemos da mesma forma em qualquer parte da terra é porque ela é PLANA, nós vemos e observamos no pôr do sol que é ELE que se move não a terra pois a terra é estacionária e sentimos isso, não troque os seus sentidos por fotos falsas, eles fazem MILHÕES de photoshops só para manter essa teoria heliocêntrica que não passa de uma MENTIRA, o sol não é maior que a terra e NUNCA FOI! todas as fotos da terra “esférica” são composições de imagens e nenhuma pessoa vai conseguir tirar a foto da terra inteira é impossível, todas as fotos da terra são falsa a NASA sabe de toda a verdade mas ocultam, pois se revelarem essa verdade o evolucionismo, sistema solar, heliocentrismo, gravidade, relatividade, galáxias e universos tudo isso vai direto pro lixo! cálculos não provam o globo mas foram criados para prova-lo!

    • Então existe uma conspiração mundial em que todo mundo é enganado por farsas de photoshop feitas por um grupo pequeno de pessoas que omitem uma terra plana e lucram com um globo?
      Porque uma terra em forma de globo da mais lucro a uma agência como a NASA do que uma terra plana? rsrsrsrs
      Já ouviu falar em haldol? Faz verdadeiros milagres!!!

    • Algumas perguntas:

      – Como vocês podem dizer que a Terra é plana e que todas as fotos e as representações dela são falsas mas ao mesmo tempo utilizarem mapas de projeções azimutais equidistantes, que são nada mais que a planificação de um globo terrestre centrado em um ponto dele?

      – Se de acordo com alguns terraplanistas nós somos atraídos ao chão devido ao magnetismo terrestre, então por que objetos caem em linha reta e não em direção ao norte? Além disso, objetos metálicos seriam atraídos mais fortemente e consequentemente teriam uma aceleração maior em sua queda.

      – Se a Terra não possui um núcleo rochoso cujo movimento das correntes de sua camada exterior é responsável por gerar o campo magnético, então como este é gerado em uma Terra Plana?

      – Se o Pólo Sul é na verdade um enorme círculo de gelo envolvendo a Terra, então o ponteiro de uma bússola deveria ficar girando sem parar em vez de se alinhar com os pólos. E qual é o dispositivo das bússolas que as fazem apontar para o suposto centro do círculo plano, o Ártico?

      – O que impede a luz do sol de se propagar para todas as direções do plano?

      – Nas aulas de Geografia básica, aprende se que a maior parte da energia recebida pelo Sol é absorvida pela Terra enquanto o resto é refletido de volta para o espaço. Como se dá essas trocas de calor na Terra Plana?

      – A área de uma circunferência é representada pela fórmula A = πR2. Ou seja:
      3,14 x raio da circunferência elevado ao quadrado. Admitindo o raio da Terra Plana como sendo também de 6371km, temos:

      A= 3,14x 40589641
      A= 127.451.472,7 quilômetros quadrados

      A área somada de terra firme e dos oceanos resulta em 510.072.000 de quilômetros quadrados, muito maior que a área de uma circunferência de 6371 quilômetros quadrados. Como explicar a discrepância? Os cartógrafos e órgãos medidores também estão envolvidos na conspiração? Se sim, quais as verdadeiras dimensões da Terra?

    • Apenas um único e simples objeto já destroça seu “arJumento”: Um GPS!!! (procure saber como ele funciona!)
      E eu que achava que essa ignorância de crença em uma Terra plana era coisa de um passado remoto…que lastima!

      • Mas quanta criança nervosa batendo perninha……..sem aomenos pesquisar fora dp paradigma vigente

      • Nelson, o paradigma vigente para ser substituído precisa ser superado com confirmações científicas obedecendo o método. Quem esta batendo perninhas sem evidências científicas e pregações religiosas sao os terraplanistas.
        Quer colocar a terra plana como paradigma vigente, é obrigação de quem defende esta tese apresentar os dados, os artigos e as publicações, caso contrário, o modelo global continuará bem obrigado!

  8. Olá, boa tarde. Bom, primeiramente posso dizer que alguns argumentos são interessantes que contradizem a teoria da terra plana. No entanto, é preciso verificar que alguns argumentos estão centrados em alguns protestantes chamados de “fanáticos”, o que, em tese, desmerece a pessoa em si e não os argumentos que ela apresenta a repeito de algum tema proposto. Segundo, é perceptível cristalinamente que alguns argumentos padecem de experimento científico empírico para que sejam validados, como é o caso do aparecimento da dos prédios quando se esta chegando em uma cidade. O que se percebe é que se trata de distância de perspectiva e não uma curvatura da terra que, em várias experiências relatadas por pessoas, demonstrou que não há curvatura da terra. Infelizmente, não há espaço suficiente aqui para ir contra-argumentando cada item proposto no post, mas, uma conclusão é possível extrair: há bons argumentos a favor da terra esférica, mas que padecem de experimentos empírico comprobatório. Porém, isso também ocorre com a teoria da terra plana. Logo, a escolha pela teoria vai pautar-se pela fé de cada um, assim como é para acreditar na teoria da evolução, que também depende de fé, ou na teoria da criação. Respeito a posição do autor do post, mas ele também precisa de fé para acreditar numa terra esférica, assim como eu também tenho fé numa terra plana. Gostaria de encerrar dizendo que sou absolutamente contra ofensas a qualquer das teorias, pois o respeito deve decorrer das interações humanas e precisamos entender que opinião é algo que pertence ao foro íntimo de cada pessoa, se forem contrariar que isso ocorra no campo das idéias e não das ofensas a esse ou aquele teórico.

    • Terra plana não é teoria científica, é pseudociência….e sim, é constatável sim a curvatura e a estrutura esferoide dela, seja com Newton, Copérnico seja com os registros que os satélites fazem no espaço. Colocar ambas propostas em equivalência é falso, uma é ciência, a outra não é. Terra esferóide é uma estrutura cientificamente constatada e tem funcionalidade. Terra plana é uma argumentação que na maioria das vezes se pauta em registros religiosos ou estruturas conceituais de séculos de atraso.

  9. Mais um abobado batendo perninha com PSEUDO ARGUMENTAÇÃO de garotinho mimado………..Dá pena………teve todo esse trabalho ……..Poderia ter pesquisado COM ISENÇÃO………….mas escreveu sem pesquisar só para expor sua raivinha infantil

    • Nelson, as referências estão no fim do texto e quem esta chorando aqui são os pastores do terraplanismo….é só observar os comentários. Sinto muito por voce, o choro é livre!!!

  10. Vou começar escrevendo que obviamente a terra é plana.
    As escrituras bíblicas estão corretas, o homem jamais pisou na lua, qualquer pessoa que fizer uma pequena pesquisa, encontrará a verdade facilmente. A Nasa é uma farsa, foi criada para esconder a verdade.
    Os maiores cientistas na verdade são pseudo -cientistas que criam teorias mirabolantes para explicar o que ninguém entende de uma coisa que não existe e é evidente.
    Ainda sobre a Nasa, eu mesmo fiz, e qualquer pessoa pode tirar a prova, todas as fotos, TODAS, fotos “oficiais” do site oficial ou da fanpage e de qualquer lugar, fotos oficiais , reais e autênticas da terra, lua e espaço, são absolutamente falsas. Qualquer programa de fotoshop, mesmos os mais simples, como o Picture manager do office, podem ser usados, todas as fotos grosseiramente fotoshopadas.
    Desculpe erros, estou escrevendo rápido, pois posso ficar horas mostrando sobre as verdades. Vou dar Alguns exemplos.
    Estrela Polar, localizada numa constelação a 420 Anos luz daqui, está sempre alinhada ao pólo norte ou centro da terra plana. Oras, como ela pode ficar fixamente la sempre? A Terra gira com velocidade de 1167km/h, gira o sol a uma velocidade de milhares de km/h e o sol por sua vez se projeta a quase 800 mil km/h para os confins da via Lactea… mas milagrosamente a Polaris está sempre lá…
    Outro exemplo, o sol milhares de vezes maior que a Terra a 150 milhões de km de distância da Terra incrivelmente tem tamanho similar (visto da terra) à lua, que está a apenas 320 mil km daqui e tem 1/4 do tamanho da terra.
    Outro, porque a Antártida é tão protegida por potências militares, se só tem gelo lá, porque ninguém à explora?
    Já leu sobre o comandante Byrd? Ja leu sobre os nazistas na Antártida? Ja leu sobre a operação high jump? Porquê dos sete astronautas mortos do desastre do ônibus espacial da Nasa, seis ainda estão vivos, sem sequer serem molestados ou qustionadoaa por qualquer autoridade? Etc, etc, etc….

    • Sim, somos todos maçons reptilianos que manipulamos a verdade para induzir as pessoas a idolatrar Baphomet.
      Por favor não conte a ninguém!😉

      Amigo,acho que voce precisa estudar física (perspectiva) do fundamental II e especialmente do primeiro ano do ensino médio, parar com mania de perseguição da NASA, militares, Nazistas, Byrd e imagens fotoCHAPADAS. Menos conspiração e devaneios e mais estudos. Ah não ser que vc tenha a sorte de ser um profeta que tem uma linha direta com o Deus e recebe informações exclusivas da grande verdade absoluta. rsrsrsrs Acho que vc precisa deixar de escutar o irmão Rubens e estudar.
      Open your book and read it!!!

      • Todo sujeito que dispensa discutir seriamente uma hipótese, e lhe opõe em vez disso um rótulo de “teoria da conspiração”, é um vigarista.
        Continue lendo bastante os livrinhos de 5a série e seja um militante da mentira, os globalistas agradecem.
        Sinto muito amigo, você não está preparado para despertar, sua mente é inerte e dependente do sistema, e você lutará desesperadamente para protegê-lo.

      • Cuidado, vigarista vem de vigário, como é o irmão Rubens. Vem de conto do vigário rsrsr
        Sua alegação não é hipótese, não há dados que corroborem que a NASA é uma farsa (ou vc tem uma linha direta com Deus que te disse isto? rsrs), nem que a escritura bíblica é absolutamente correta, e voce não esta tão aberto assim quando esta se auto-proclamando, afinal, voce disse que “Os maiores cientistas na verdade são pseudo -cientistas que criam teorias mirabolantes para explicar o que ninguém entende de uma coisa que não existe e é evidente“….ou seja, voce partiu de uma negação como certa, sem qualquer tese que possa corroborar sua alegação. Chamou de mentiroso os outros que não compartilham do terraplanismo (os globalistas) pq vc se sente como alguém que tem uma informação privilegiada para explicar o mundo, a Verdade etc. Meu caro, vc é conspiracionista sim! E eu não discuto com conspiracionistas pq toda pessoa que nao concorda com voces é taxada de mentirosa e voces encaixam a pessoa a algum grupo ou entidade ou governo oculto, ou ordem que voces consideram maligno. Por isto, dispenso seus sermões e essas manias de perseguição.
        De fato, vc é o mais mente fechada que passou no blog até agora, que característico de terraplanista, pregando uma série de negações sem qualquer justificativa. Isto é pseudociência clássica.
        Se uma afirmação pode ser dada sem evidências pode ser descartada sem evidencias, meu caro.
        Os livros de quinta serie dizem muito, alias, muito mais sobre ciência e astronomia do que o que voce esta dizendo aqui.
        Acho que em vez de desprezar ou menosprezar os livros, vc deveria le-los e entender física básica e não dizer que Newton e Einstein era ignorantes pq estudam a gravidade, quando voce mesmo parte de uma defesa que é sim conspiracionista. Vai assistir bobagens do youtube: governos ocultos, NASA farsa, projeto Byrd, Haarp Militares protegendo a borda da terra etc e tal. Todas alegações sem qualquer modo de verificabilidade – pseudociência, vc gostando ou não. Sinto muito!
        Alias, se voce tivesse algo a dizer para o mundo apresentaria não obscureceria seu nome.
        Abraço!

  11. Seu burro!! Na imagem não é a “curvatura da terra” que ele esta vendo, mas sim a “circularidade” dela! Sendo ela PLANA porém CIRCULAR, como se fosse uma pízza fazendo uma comparação um tanto pobre digamos. Basta assistir o video e pausar na hora em que aparece a imaginária e inexistente “curvatura”, até uma criança entende isso. Sem falar que as famosas lentes “olhos de peixe” (fisheyes) que os fotógrafos usam que simulam uma curvatura na imagem.. Só não entendo o porquê o tema terra plana causa tanta revolta no meio do GADO, que ao invés de primeiro tentar provar a terra bola molhada giratória, – pois até hoje NINGUÉM conseguiu prová-la, é muito citada, acreditada e até louvada, mas provada não. – ficam ridiculamente TENTANDO refutar uma idéia RACIONAL que é o terra planismo com uma TEORIA que lhes foi doutrinada pelos sistema mundial do engano como o terra globismo digamos assim. #AcordaBrasil!

    • Basta observar qualquer foto da terra tirada de um satélite que esta em torno da terra, notar como as estações do ano são resultado da relação astronômica terra/sol em um sistema heliocêntrico além de todos os argumentos no texto. Alias,eles foram citados exatamente porque terraplanista algum consegue descartar o modelo vigente, a terra em forma esférica. Ou deveria eu ignorar Newton, Copérnico e Einstein e escutar “filósofos” e pastrores de facebook que tem informações exclusivas de astronomia?
      E claro, xingar nunca foi argumento. Seu xingo apenas demonstra que não há nada de racional no que voce diz, e sim, e um apelo emocional (a raiva) por haver um dissonância entre o que a ciência diz e o que sua pseudociência prega.
      Sinto muito por voce Charles!!!

Os comentários estão desativados.