ENRIQUECENDO A TEORIA DA ORIGEM DA VIDA

Um enantioenriquecimento do aminoácido valina, que poderia lançar luz sobre a origem da quiralidade na Terra, foi alcançado pelos cientistas em Espanha.

A quiralidade é importante em aminoácidos e açúcares, e estão presentes em um único enantiômero em todos os organismos, enzimas e receptores também são quirais. Como os organismos não têm a mesma resposta a diferentes enantiômeros e muitos componentes ativos de medicamentos são quirais, entender a forma de enantiômeros puros pode nos ajudar a compreender como nós evoluímos e ajuda a desenvolver medicamentos futuros.

Cristóbal Viedma, da Universidade Complutense de Madri, e seus colegas foram capazes de amplificar a pureza de um enantiômero sobre outra valina, um dos blocos de construção da vida. Eles escolheram a valina porque foi encontrada em amostras de meteoritos em uma forma não-racêmica e excessos de valores enantioméricos correspondentes foram obtidos em condições interestelares simuladas.

Sem título

Cientistas observam enriquecimento enantiomérico de aminoácido valina em um experimento de sublimação.

A equipe de Viedma sublimou uma mistura racêmica de valina. Quando a valina condensou, formou um conglomerado. Um conglomerado é uma mistura de cristais formados por enantiômeros puros – os cristais puros podem ser extraídos a partir da mistura. O grupo verificou que quando eles continuaram a aquecer o balão, ele hava amplificado o excesso enantiomérico inicial. “Pode-se imaginar processos semelhantes que ocorrem perto de vulcões, onde os gradientes de temperatura são cenários enormes e tais teria sido plausível ter na Terra primitiva”, comenta Viedma.

Até agora, o enantiôenriquecimento tem sido estudado com sistemas sólido-líquido, e apesar das transformações gás-sólido, isso pode ter sido plausível tanto em nosso planeta primitivo quanto em regiões de formação estelar. “É verdade que as transformações gás-sólido podem não ser tão gerais quanto ao equilíbrio sólido-líquido, mas você nunca sabe o que vai vir a ser útil”, diz Viedma. “Este é um projeto interessante em termos de enigma, é intrigante na origem da quiralidade biológica, bem como extensões para a fabricação de substâncias quirais.

“Eu não tenho nenhuma dúvida de que ele vai mudar a minha compreensão de como os cristais crescem de uma maneira profunda”, diz Michael McBride, que estuda a reatividade química e as propriedades físicas de sólidos orgânicos da Universidade de Yale, dos Estados Unidos. “Compreender este comportamento pode ampliar o leque de que podemos controlar em química e ciência dos materiais.”

Assymmetric amplification in amino acid sublimation involving racemic compound to conglomerate conversionCristóbal Viedma, Wim L. Noorduin, José E. Ortiz, Trinidad de Torres and Pedro Cintas, Chem. Commun., 2011, 47, 671

Fonte: The Royal Society of Chemistry

27 thoughts on “ENRIQUECENDO A TEORIA DA ORIGEM DA VIDA

  1. Se a evolução neo-darwiniana, o que é pressuposto que envolve a natureza selecionar organismos inteiros a partir de uma população, se aplica a produtos químicos-primas e

    Se a primeira membrana celular não foi feita com fosfolípidos como todas as células vivas modernas, mas em vez disso apenas com ácidos gordos, e

    Se houvesse um oceano cheio de nutrientes em uma Terra primitiva, e

    Se esses nutrientes contidos apenas fossem produtos químicos e “precursores” corretos, e

    Se esses nutrientes fossem oticamente purificados , enantiomers destros para precursores de DNA e RNA, e sinistros para amino ácidos, , e

    Se esses precursores poderiam, eventualmente, se transformar em produtos químicos da vida real: DNA, RNA, proteínas, vitaminas, colesteróis, e certos carboidratos (embora a química tem mostrado isso não é possível sem máquinas biomoleculares), e

    Se esses nutrientes fossem altamente concentrados em uma pequena área, apesar das forças que levariam à sua difusão, e

    Se ácidos graxos pudessem gerar espontaneamente em uma sopa aguada, e

    Se a concentração de nutrientes tivesse coincidido com uma bolha flutuante de ácidos graxos, e

    Se o oceano tivesse tido o pH adequado necessário para formar “vesículas” (bolhas montadas a partir dos ácidos graxos para servir como recipientes para as novas células), e

    Se a temperatura no oceano que oscilou precisamente para romper a integridade da bolha, permitindo nutrientes entrar (mas não sair!) e

    Se o oxigênio, os radicais livres, outros produtos químicos prejudiciais, luz ultravioleta, electricidade, ou quaisquer movimentos físicos não estivessem lá para perturbar a mistura delicada, e

    Se as altas temperaturas necessárias para induzir a bolha de assimilar pequenos pedaços semelhantes ao RNA, também não quebrar os precursores para baixo antes que “descobrir” como replicar ou pelo menos manter-se, e

    Se as vesículas oleosas de pequeno porte que se formaram fossem expandir espontaneamente de alguma forma, proporcionando espaço interno adequado para abrigar precursores bioquímicos, mas sem perder a integridade estrutural,

    Então teríamos uma bolha contendo substâncias químicas que é perto de uma célula viva como um globo de mesa é para o planeta Terra.

    • Errado, esta presumindo que RNA, DNA, enzimas, membranas, vias metabólicas, colesterois, carboidratos, vesiculas surgiram todos espontaneamente em um único ponto e ao mesmo tempo.
      A biopoese não afirma isto. Ela parte de precursores auto replicantes e a partir desde momento, onde se estabelece uma estrutura molecular autopoietica ela passa a seguir segundo leis darwinianas.
      Infelizmente, para os proponentes do design, existem evidencias, existem modelos que explicam partes desses processos e que avançaram muito nos últimos 15 ou 20 anos tornando viável a Biopoese como uma legitima hipótese para a origem da vida.
      Sugiro que leia mais artigos científicos sobre o assunto Otangelo, e não fique só no se, se,se, se. O “se” sozinho não resolve nada, por isto experimentos como este são feitos. Para não ficar só já conjectura.
      Partir de um pressuposto de que tudo surgiu ao mesmo tempo não é uma premissa da biopoese. Isto que vc esta apresentando não confere com origem da vida.
      Se tivesse acompanhado as postagens aqui talvez tivesse argumentado melhor!

      https://netnature.wordpress.com/2015/10/14/o-fragil-desafio-de-eberlin-falador-passa-mal-pediu-tomou/
      https://netnature.wordpress.com/2015/08/26/inicio-da-vida-recriado-em-laboratorio/
      https://netnature.wordpress.com/2015/08/19/como-estruturas-surgiram-na-sopa-primordial/
      https://netnature.wordpress.com/2015/07/16/a-mae-de-todas-as-enzimas/
      https://netnature.wordpress.com/2015/07/01/evolucao-pre-biotica-promiscuidadeespecificidade-enzimatica-e-o-rna-world-no-modelo-de-replicacao-metabolico/
      https://netnature.wordpress.com/2015/06/17/fases-euteticas-no-gelo-facilitam-a-sintese-pre-biotica-de-acidos-nucleicos/
      https://netnature.wordpress.com/2015/05/06/dissipacao-termodinamica-uma-proposta-da-fisica-para-a-origem-da-vida/
      https://netnature.wordpress.com/2015/05/13/dissipacao-termodinamica-condicoes-pre-bioticas-e-os-mares-arqueanos/
      https://netnature.wordpress.com/2015/05/20/dissipacao-termodinamica-abiogenese-a-sintesereplicacao-de-rnadna-no-arqueano/
      https://netnature.wordpress.com/2015/05/27/dissipacao-termodinamica-entropia-cenarios-para-a-origem-da-vida-armazenamentofidelidade-de-informacao-e-evolucao/
      https://netnature.wordpress.com/2015/04/22/pre-bioticidade-a-sintese-do-cianoacetileno-cianoacetaldeido-e-bases-pirimidicas-e-puricas/
      https://netnature.wordpress.com/2015/03/27/rna-world-mais-facil-de-fazer/
      https://netnature.wordpress.com/2015/03/04/hipotese-de-rna-world-e-reforcada-pelo-ferro/
      https://netnature.wordpress.com/2015/02/18/luca-os-primeiros-passos-para-os-tres-grandes-dominios-da-biologia-parte-i/
      https://netnature.wordpress.com/2015/02/25/luca-os-primeiros-passos-para-os-tres-grandes-dominios-da-biologia-parte-ii/
      https://netnature.wordpress.com/2015/01/28/propriedades-polimericas-e-a-genese-da-vida/
      https://netnature.wordpress.com/2014/09/01/filogenomica-e-origem-das-redes-metabolicas-modernas/

      • Rossetti escreveu :

        A biopoese não afirma isto. Ela parte de precursores auto replicantes e a partir desde momento, onde se estabelece uma estrutura molecular autopoietica ela passa a seguir segundo leis darwinianas.

        Resposta.

        Esta afirmação é um perfeito exemplo de pseudo ciencia.

        Quando certos biólogos discutem as primeiras fases da vida, há uma tendência a pensar muito vagamente. Eles vêem uma maravilha biológica diante deles e eles contam uma história sobre como ela poderia ter chegado a ser. Eles podem até mesmo fazer um desenho para explicar o que entendem por aquilo. Na verdade, a história parece bastante plausível, até que você aumenta o zoom para ver os detalhes. O propósito não é questionar ou humilhar a inteligência destes biólogos. É só que parece que eles não têm considerado as coisas tão detalhadamente e por completo quanto deveriam. Como um desenho dos desenhos animados, a idéia básica é retratada, mas não há nada mais do que espaço em branco onde o profundo detalhe de processos biológicos deveriam estar sendo explicados, especialmente, sendo, que estas explicações existem.

        Não há provas de que as moléculas de RNA já tiveram a ampla gama de atividades catalíticas

        O teórico sobre a origem da vida Leslie Orgel observa que :

        um “mundo RNA” só poderia formar a base para a vida “, se RNA prebiótico tivesse duas propriedades não evidentes hoje: a capacidade de se replicar sem a ajuda de proteínas e uma capacidade de catalisar cada passo da síntese de proteínas.” O mundo RNA é, portanto, um sistema hipotético pelaqual há pouca evidência positiva, e muitoa filosofia materialista:
        “Os eventos precisos que deram origem ao mundo de RNA ainda não estão claros … investigadores propuseram muitas hipóteses, mas a evidência em favor de cada um deles é fragmentária na melhor das hipóteses. Os detalhes completos sobre como o mundo do RNA, e vida, surgiu não pode ser revelado em no futuro próximo.

        A melhor prova reivindicada de um “mundo RNA” inclui o fato de que há genomas e enzymas RNA, e que as células utilizam RNA para converter o código de DNA para proteínas. No entanto, o RNA desempenha apenas um papel de apoio na célula, e não existe um sistema bioquímico conhecido completamente composto por RNA.

        Cientistas especializados no RNA criaram uma variedade de moléculas de RNA que podem desempenhar funções bioquímicas através do que é vulgarmente chamado de “tubo de ensaio evolutivo.” No entanto, “a evolução de ensaio de tubo ” é apenas uma descrição para o que é, na realidade, nada mais do que a engenharia química no laboratório empregando princípios darwinianos; que não implica que existe algum caminho conhecido através do qual estas moléculas poderiam surgir naturalmente.

        A fim que uma molécula possa ser um auto replicador, tem que ser um homopolímero, dos quais o esqueleto tem de ter as mesmas unidades repetitivas; eles têm de ser idênticos. No mundo prebiótico, a geração de um homopolímero foi no entanto impossível.

        Steven A. Benner, Ph.D. Químico de Harvard, proeminente pesquisador da origem da vida e criador da Fundação para a Evolução Molecular Aplicada, foi publicou no Huffington Post em 06 de dezembro de 2013. Nele, ele disse:

        “Temos falhado de forma contínua para proporcionar uma receita que começa a partir das moléculas simples que sabemos estavam presentes na Terra primitiva de RNA”.

        Leslie Orgel:

        Seria preciso um milagre se uma fita de RNA aparecer na Terra primitiva.

        (Dover, 1999, p. 218).

        Eu teria pensado que relevante apontar para biólogos em geral, que não um RNA auto-replicante surgiu até o momento a partir da quatrilhões (10^24) de sequências de RNA sintetizadas artificialmente, aleatóriamente.

        Joyce e Orgel, notam: Parece improvável que uma estrutura com menos de 40 nucleótidos seria suficiente. Suponha-se, então, que “há cerca de 50-mer [molécula de RNA de 50 nucleotídeos de comprimento]”, Joyce e Orgel especulam : uma “replica com 90% de fidelidade. … Seria de esperar que uma tal molécula pudesse ocorrer dentro de uma população de RNAs aleatórios? ”

        Talvez, mas uma tal molécula auto-replicante não será suficiente.

        “A menos que a molécula pode literalmente copiar a si mesmo”, Joyce e Orgel notam “, isto é, agir simultaneamente como modelo e catalisador, deveriam encontrar outra cópia de si mesmo que pode usar como modelo.” Copiar qualquer RNA com sequencia aleatória na sua vizinhança conduzirá a uma catástrofe de erro, tal como a população de RNA irá decair para um conjunto de sequências aleatórias. Mas seria necessário encontrar outra cópia de si mesmo, para que auto-replicação de RNA pudesse acontecer.

        Diante dessas dificuldades, eles aconselham, é preciso rejeitar

        o mito de uma molécula de RNA auto-replicante que surgiu de novo a partir de uma sopa de polinucleótidos aleatórios. Não só é tal noção irrealista à luz de nossa compreensão atual da química prebiótica, mas deve forçar a credulidade até mesmo dos mais otimista do potencial catalítico de RNA.

      • kkkk pseudociencia. Disse o cara que defende designer inteligente e foi reclamar do Michael Shermer por ele criticar pseudociência. Se liga Otangelo, voce nem sabe nada de biopoese (e pelo jeito nem pseudociência). Eu refresco sua memoria (https://netnature.wordpress.com/2014/06/27/teoria-do-designer-inteligente-e-pseudociencia-dizem-os-maiores-centros-de-pesquisa-do-mundo/) Se tivesse lido os links que te mandei de manha não diria isto de Biopoese. Esclareci muitas evidencias sobre RNAworld num texto que até o Eberlin ficou calado e não apresentou resposta. Muitos textos que escrevi usei artigos do Orgel, e muitos dos seus artigos são citados ate hoje justificando a biopoese.
        Leia mais, fale menos!!

      • Outra coisa, não seja desonesto. Orgel argumentou a favor do RNA e até a favor de como blocos de DNA se formaram a partir de precursores.
        Orgel argumenta que não razão científica alguma para rejeitar cianoacetileno e aceitar cianoacetaldeído como uma fonte pré-biótica de citosina (ou vice-versa) e portanto das bases do RNA/DNA. Para ele, esta é em grande parte uma questão semântica, e o campo da química pré-biótica distingui claramente entre a descoberta de novas sínteses, a elucidação dos seus mecanismos e a proposta de cenários que podem os tornam relevantes para a origem da vida. Orgel ainda cita na época que Miller e seus colegas sugeriram, sem fornecer muitas evidências experimentais que poderia haver uma via alternativa pré-biótica para a síntese de cianoacetaldeído (Nelson et al., 2001).
        A partir da estrutura do RNA-World, Orgel (2004) reconhece vários problemas graves relacionados com baixos rendimentos nos passos individuais de síntese de RNA e sua replicação, e é otimista em relação à síntese abiogênica de RNA quando sugere outras rotas para síntese dessas moléculas. Orgel argumentou sim que a partir da primeira molécula de RNA, outras foram sendo geradas e se diversificaram gradualmente, até conseguir carregar as funções que anteriormente eram dos polímeros pré-RNA e formar o Mundo do RNA (Orgel, 2000).
        E pior, Powner e outros pesquisadores (2009) descobriram uma nova rota promissora para a produção de ribonucleotídeo pirimídico, que soluciona o (primeiro) problema de Orgel sobre a dificuldade de produção de ribose e pirimidinas livres; usando o UV (254nm) e um ciclo de aquecimento e resfriamento aumentando a síntese do ribonucleotídeo sobre outros produtos menos endergônicos.
        Orgel, Leslie (November 2000). “A Simpler Nucleic Acid“. Science 290 (5495): 1306–7.

        Ta citando artigos do Orgel na qual lhe convém, voce só esquece de citar artigos posteriores dele onde ele pontua as vias precursoras e onde ele aceita molécula de RNA fazendo as funções que anteriormente eram dos polímeros pré-RNA.
        Vai ler vai!!

        Como vc mesmo disse, Shermer não tem competência pra discutir DNA, então voce como imobiliário que é, como poderia discutir algo que nunca viu. Qual foi a ultima vez que pegou num tubo de ensaio, se é que já pegou algum!!!

  2. Rosseti, eu estava vendo um vídeo no youtube sobre evolução. É uma série de vídeos que um Norte-Americano fez, intitulada Série Fácil de Entender (Teoria da Evolução Fácil de Entender, Seleção Natural Fácil de Entender etc.). Lá nesse vídeo um criacionistas faz alguns comentários que eu gostaria de submeter a sua apreciação:

    “Jhony Miler 1 ano atrás
    Eu com minha humilde profissão de programador, entendo um pouco de linguagem de programação. O DNA, não é um código. Ele contém o código, encriptado e organizado por moléculas. Todos sabemos que a única forma de se produzir informação é por intelecto. Então, há uma enorme diferença em se tratando de informação codificada de um ser vivo para outro. De um organismo que supostamente surgiu de uma sopa onde eu deduzo que o Magaiver deu uma forcinha, a uma espécie complexa, precisaria de um sistema de informação de inteligência artificial para gerar seus próprios códigos para compor órgãos necessários a sobrevivência no meio ambiente. Isso sabemos que não acontece. A vida sim é uma forma de inteligência, mas compor essa vida, precisa de mais que ações ao acaso. Ninguém consegue fazer uma bactéria, átomo por átomo. Nem mesmo uma célula. O vírus sim, sonseguiriam fazer, mas o vírus não é vida. Ele é só um envelope de proteínas que guarda uma mensagem com informação codificada para alterar a programação da celula. Vejam que sempre há uma linguagem semelhante a de informática para falar dessas coisas, e claro, o computador que é bem menos complexo não veio por acaso.”

  3. Então eu argumentei o seguinte com ele:

    “Vinícius Sena Santos 3 horas atrás
    +Jhony Miler, sua afirmação de que todos nós sabemos que informação só se produz através do intelecto é falsa, pois o universo está aí cheio de informação e nós não sabemos quem a fez. Você pode até crer que alguém fez, mas não tem como demonstrar isso. Portanto, não sabemos se a informação não produzida por humanos e que existe no Universo foi feita por alguém, pois nunca vimos ninguém a fazer essa informação.
    Agora, partindo do seu raciocínio e supondo que você esteja a defender a existência do Deus Cristão, digo que Deus também é uma informação. Se informação só é produzida por intelecto, quem foi o intelecto que produziu a informação “Deus”? Já sei! Você vai apelar para a exceção. Vai dizer que Deus é uma exceção a essa regra. Mas, por que o próprio universo não pode ser uma exceção a regra?
    Ninguém consegue fazer um bactéria, nem uma célula ainda, mas não há motivo para crer que não conseguiremos no futuro. E, quanto ao vírus, ele foi recentemente definido como vida.”

  4. Por fim, ele respondeu:

    “Jhony Miler 2 horas atrás
    +Vinícius Sena Santos Exatamente Vinicius: “Ninguém consegue fazer um bactéria, nem uma célula ainda, mas não há motivo para crer que não conseguiremos no futuro”, ou seja,.. mente inteligente de novo. Veja, “Quem” fez é filosofia e religião.. se foi feito ou não por uma mente inteligente é absolutamente comprovável e científico. E cuidado, pois eu não me referi a qualquer informação, quis dizer Informação Codificada. Para criar informação codificada é necessário uma mente que pense em abstrato e possa antever erros de processo, codificação e transcrição. A informação é uma Ciência, e exata. Todo mundo aceita que o DNA é um código, um código apenas pode ser considerado código se passar por no mínimo 5 critérios básicos:

    Característica da informação codificada.

    1. Estatística

    Aqui se incluem questões estatísticas tais como o número de caracteres e o número de palavras num determinado texto.

    2. Sintaxe

    Entendem-se por “Sintaxe” todas as características estruturais da apresentação da informação (código), inclusive as regras para a combinação de caracteres e para a cadeia de caracteres (gramática e vocabulário).

    3. Semântica

    Este termo grego (semantikós = característico, aspecto significativo) refere-se ao significo de uma sequência de caracteres.

    4. Pragmática

    A transmissão da informação acontece com a intenção do emissor de provocar uma determinada reacção no receptor (grego: pragmatike = “arte de agir correctamente”: aspecto da acção).

    5. Apobética

    A informação é enviada com o fim de alcançar um determinado objectivo. Com isso atingimos o nível mais elevado, ou seja, a Apobética (aspecto do objecto, aspecto do resultado; grego: apobeinon = resultado, êxito, efeito).

    Adivinha, o DNA é absolutamente um código. Tudo que tentam explicar sobre como o DNA surgiu.. que inclusive sugerem que partiu de um RNA.. é besteira, pois da onde veio os ácidos nucleicos que compuseram o DNA é irrelevante, pois o que importa é da onde veio a informação.

    Por exemplo, imagine que vc tem um CD do windows. Se eu te perguntar qual a origem do CD vc poderia me dar muitas respostas, como por exemplo: Comprei de um amigo, comprei na loja, um amigo gravou pra mim, baixei e gravei em casa.. e por ai vai.
    Mas se eu perguntasse pra vc: Qual a origem da INFORMAÇÃO do CD.. Então vc só teria uma resposta: Microsoft…
    Da onde veio as os aminoácidos e proteínas do DNA é irrelevante, o que realmente é relevante é da onde veio a informação..

    Sabe aquela história do ovo e da galinha? Essa história se aplica da mesma forma com a Proteína e o DNA, pq sem proteína não tem DNA e sem DNA não tem proteína. O DNA é o manutal de como se fazer uma determinada proteína e a proteína é responsável para codificar e descodificar o DNA. Sem ribossomos e chaperonas que são criadas pelo manual DNA, não existe DNA.. A natureza não pode pensar em abstrato, cite apenas um processo natural que crie informação codificada, não existe nenhum. Pois para isso teria que ter antevidência. Se a natureza fosse capaz de pensar em abstrato, então ela não seria um padrão de regras, seria ALGUÉM. Todo o universo é apenas um ambiente com leis predefinidas e altamente ajustada para reger a matéria.

    Matéria e energia não criam as leis da natureza, elas obedecem.. As leis da natureza, as constantes universais não puderam ser criadas por matéria e energia pois precisariam existir antes para que pudessem reger. Informação é imaterial, não depende de matéria nem energia para existir, matéria e energia apenas transportam informação. Mas informação é imaterial, portanto não pode ser emanada de matéria e energia.”

  5. E depois disse:

    “Jhony Miler 1 hora atrás
    +Vinícius Sena Santos

    Sobre o que falei sobre o vírus, é um ótimo exemplo de inteligência computacional.

    O vírus não é vida, é um envelope de proteínas com uma mensagem dentro. Uma mensagem escrita para hackear uma célula e reprogramá-la para virar uma fábrica, replicando, construindo mais desse vírus.

    O envelope que guarda essa mensagem é munido de mecanismos para burlar a segurança, o firewall da célula.

    Cada vírus é munido de uma determinada técnica para burlar esse sistema de segurança, mas no fundo, a mensagem sempre é a mesma, reprogramar a célula para replicá-lo.

    Como pode ligas de matéria inanimada (proteína) aprender essas técnicas, evoluir e aprimorar maneiras de burlar essa segurança. Primeiro ela teria que ser capaz de aprender, segundo teria que ser capaz de planejar e antever obstáculos.

    É claro que isso é um absurdo. uma liga de oxigênio, hidrogênio, nitrogênio, carbono.. pode pensar? Pode se reagrupar de forma a servirem de “chave” para as “fechaduras” da célula? Como poderia o filamento de DNA ou RNA contido no envelope proteico ser capaz de saber o funcionamento de uma célula para poder acessar e reprogramar?

    Informação é um termo derivado do verbo Latim: informare significando “dar forma à mente”, “disciplinar”, “instruir”, “ensinar”. A informação é geralmente entendida como conhecimento ou fatos que se tenha adquirido.

    A informação é enviada com o fim de alcançar um determinado objectivo. Com isso atingimos o nível mais elevado, ou seja, a Apobética (aspecto do objecto, aspecto do resultado; grego: apobeinon = resultado, êxito, efeito).

    Informação codificada, por lei só pode ser produzida por um intelécto. Informação é uma psicomatéria.. é fruto da mente. Segundo Dr. Gitt, não existe nenhuma lei conhecida através da qual a matéria pode dar origem à informação. Em seu artigo sobre as leis científicas de informação, publicado no Journal of Creation, Dr. Gitt afirma que a informação não é uma propriedade da matéria, é uma entidade não-material de modo que a sua origem é da mesma forma não explicável por processos materiais. Dr. Gitt também aponta que o pré-requisito mais importante para a produção de informação é a própria vontade do remetente, de modo que as informações possam surgir somente através da vontade abrangendo intenção e propósito. Gitt também aponta que, como a informação é nem formada de matéria nem energia (embora possa ser transportada por ambas), constitui uma terceira quantidade fundamental do universo.

    { veja a linguagem usada todo tempo no documentário.. programar,sistemas,infiltrado.. coisa de mente inteligente, o vírus é um agente secreto.. projetado }
    http://www.dailymotion.com/video/xv5l4i_curiosidade-a-celula-humana_tech

    Assim, eu pergunto:

    Como você analisa os argumentos dele? Informação codificada, como ele diz, realmente necessita de mente inteligente?

  6. Novas descobertas desafiam suposições sobre as origens da vida 5

    September 13, 2013
    Para a hipótese ( do mundo RNA ) ser correta, catalisadores de RNA antigos teriam que copiar vários conjuntos de modelos RNA quase tão precisamente quanto enzimas modernas o fazem hoje. Isso é difícil de acreditar; os cientistas calculam que levaria muito mais tempo do que a idade do universo para moléculas de RNA geradas aleatoriamente pudessem evoluir o suficiente para atingir o nível de sofisticação moderna. Dada a idade de 4,5 bilhões de anos da Terra, os sistemas vivos que estivessem funcionando inteiramente mediante o RNA não poderiam ter replicado e evoluido o rápido suficiente ou com precisão suficiente para dar lugar à grande complexidade biológica na Terra hoje.

    A hipótese do mundo do RNA: o pior teoria da evolução inicial da vida 6

    (i) O RNA é uma molécula complexa demais para ter surgido pré-bioticamente;
    (ii) RNA é inerentemente instável;
    (iii) a catálise é uma propriedade relativamente rara apenas de seqüências longas de RNA; e
    (iv) o repertório catalítico de RNA é muito limitado.

    http://phys.org/news/2013-09-assumptions-life.html#jCp
    http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22793875

    • Otangelo, voce continua NÃO LENDO as coisas que voce cita. Por acaso leu o texto e o artigo que voce citou?
      E vem falar que até criança me refuta. Bom, acho que vc ta sabendo menos que as crianças então (rsrsrs) porque as sua citações não refutam nada. Ao contrário, ela corroboram algo ainda maior. Pra ficar mais fácil pra voce, vou deixar em itálico todas as vezes que os artigos que vc citou usam a palavra evolução e defendem-na.😉
      Vou refrescar sua visão primeiro citando o texto da Phys.Org de 2013 no trabalho do Charles Carter.
      Veja o que Carter diz:

      “The RNA world hypothesis is extremely unlikely,” said Carter. “It would take forever.”

      Esta foi a parte que te interessou,mas e o resto do texto. Pq não citou?
      Eu cito pra voce, o que vc mesmo postou. Veja:

      “Carter, who has been an expert in ancient biochemistry for four decades, took a different approach. His experiments are deeply embedded in consensus biology….Carter found that all the enzymes have virtually identical cores that can be extracted to produce “molecular fossils” he calls Urzymes—Ur meaning earliest or original. The other parts, he said, are variations that were introduced later, as evolution unfolded. These two Urzymes are as close as scientists have gotten to the actual ancient enzymes that would have populated the Earth billions of years ago….Our results suggest that there were very active protein enzymes very early in the generation of life, before there were organisms,” The finding also suggests that Urzymes evolved from even simpler ancestors—tiny proteins called peptides. And over time those peptides co-evolved with RNA to give rise to more complex life forms….In this “Peptide-RNA World” scenario, RNA would have contained the instructions for life while peptides would have accelerated key chemical reactions to carry out those instructions….To think that these two Urzymes might have launched protein synthesis before there was life on Earth is totally electrifying,” Carter said. “I can’t imagine a much more exciting result to be working on, if one is interested in the origin of life”.

      Ah, olha só que legal, Carter é a favor de um Pré-RNA-World ou um peptideo-World antecedendo o RNA-world e demonstra como “URZYMES EVOLVED FROM EVEN SIMPLER ANCESTORS”.
      Gostou deste tiro que voce mesmo deu em seu pé?
      Leia mais e fale menos….leia os textos antes de postar como se fosse algo que refuta biopoese.
      Se voce não tem formação na área, ao menos seja honesto e competente nas suas citações.

      Agora vamos sua segunda citação, o artigo do Bernhardt chamado “The RNA world hypothesis: the worst theory of the early evolution of life (except for all the others)a” na qual ele critica sim o RNA-world e oferece alternativas biopoiéticas.
      Ah mas isso vc nao citou porque vc não leu né.
      Então toma isso na sua cara pra aprender a deixar de ser desonesto.
      Primeiro vamos no Abstract, bem no finalzinho dele, onde Bernhardt oferece alternativas:

      “Finally, I will critically discuss an alternative theory to the RNA world hypothesis known as ‘proteins first’, which holds that proteins either preceded RNA in evolution, or – at the very least – that proteins and RNA coevolved. I will argue that, while theoretically possible, such a hypothesis is probably unprovable, and that the RNA world hypothesis, although far from perfect or complete, is the best we currently have to help understand the backstory to contemporary biology”.

      Olha só, ele também é favoravel a peptideo-world quando cita ” ‘proteins first”
      E pior,olha como ele conlui seu artigo:

      “I have argued that the RNA world hypothesis, while certainly imperfect, is the best model we currently have for the early evolution of life. While the hypothesis does not exclude a number of possibilities for what preceded RNA, unfortunately the evolution of coded protein synthesis has drawn a veil over the previous history of proteins. The situation is different in the case of non-coding RNAs such as ribosomal RNA and tRNA, as these were able to replicate prior to the evolution of ribosomal protein synthesis.
      As we have noted previously [5], the proposal that the RNA world evolved in acidic conditions [5,6] offers a plausible solution to Charles Kurland’s criticism [57] that the RNA world hypothesis makes no reference to a possible energy source. As de Duve [87] has noted, “the widespread use of proton-motive force for energy transduction throughout the living world today is explained as a legacy of a highly acidic prebiotic environment and may be viewed as a clue to the existence of such an environment” [87]. Although Russell, Martin and others [23-26] have argued that proton and thermal gradients between the outflow from hot alkaline (pH 9-11) under- sea hydrothermal vents and the surrounding cooler more acidic ocean may have constituted the first sources of energy at the origin of life, the lack of RNA stability at alkaline pH ([5] and references within) would appear to make such vents an unlikely location for RNA world evolution.

      Otangelo. Voce não refuta nem criança. Fale menos e leia mais.
      Ah, e pra variar, voce não apresentou nenhum artigo explicando como a vida surge segundo o Design inteligente. Criticas superficialmente como vc faz qualquer outro criacionista faz, eu quero ver apresentar algo científico produzido pelos proponentes do Design.

      Passar bem, caro analfa!!!

    • Angelo, eu falei isso porque achei que o Otangelo era especialista no assunto do qual estava tratando. Mas, que vi não era biólogo e nem químico. Por isso achei estranho ele tentar debater um conhecimento tão técnico com alguém que é especialista na área, como o Rosseti. Depois percebi que ele tava só no copia e cola.

      • A última vez que Otangelo deu as caras pra falar comigo foi sobre borboletas rsrsrsrs depois dos artigos na cara ele sumiu por 6 meses. Dentre tantas outras!!!

    • Educação é reciproca. Voce sempre foi arrogante e a reciproca é merecida.
      Quando baixar a crista e parar de tentar ganhar no grito, e começar a ler artigos, te tratarei melhor!!!

  7. Acontece que estas são as últimas palavras no texto :

    The study leaves open the question of exactly how those primitive systems managed to replicate themselves—something neither the RNA World hypothesis nor the Peptide-RNA World theory can yet explain. Carter, though, is extending his research to include polymerases—enzymes that actually assemble the RNA molecule. Finding an Urzyme that serves that purpose would help answer that question.

    portanto, nada feito… kkk

    idem. passar bem…. lol

    • Ignorar o resto do que o autor disse não faz sentido. É desonestidade e incapacidade de entender o que o autor disse. Se voce quer argumentar assim, fica mais fácil pra gente.😉
      O autor que voce citou é a favor do Pré-RNA world e ainda parte de um principio evolutivo. Se vc aceita a critica dele,deveria aceitar a solução que ele propõem, mesmo ela sendo evolutiva kkkkkkkkkk

      Portanto, nada feito colega. Voce não só não refutou mas conseguiu citar artigos que corroboram a biopoese por uma via anterior ao RNA-World e evolutiva.
      Viva a Urzima!!!
      Abraços rsrsrs

    • Pra quem não se presta a estudar ciência básica qualquer postagem científica é abobrinha!!!
      Talvez o problema esteja em voce e não nas minhas postagens, afinal, o texto original é da The Royal Society of Chemistry.
      Vai la reclamar pra eles. kkkkkkkk

    • Souza

      tem um texto interssante de um livro ” mainstream” sobre este assunto :

      Alguns trechos do livro

      A origem de replicação e tradução no mundo RNA

      The Logic of Chance: The Nature and Origin of Biological Evolution By Eugene V. Koonin de 2011
      http://www.goodreads.com/book/show/12532911-the-logic-of-chance

      http://reasonandscience.heavenforum.org/t2234-the-origin-of-replication-and-translation-and-the-rna-world

      a própria origem dos primeiros organismos apresenta, pelo menos, uma aparência de um paradoxo, porque um certo nível mínimo de complexidade é necessário para fazer a auto-replicação possível ; replicação de alta-fidelidade requer funcionalidades adicionais que precisam ainda mais informação a ser codificada (Penny, 2005)

      A própria replicase é produzida por tradução dos mRNA respectivo (s), que é mediada pelo aparelho imensamente complexo ribossómico. Assim, o paradoxo dramático da origem de vida é que, para atingir a complexidade mínima necessária para um sistema biológico para iniciar na espiral Darwin-Eigen, um sistema de uma complexidade muito maior parece ser necessária.

      Como tal sistema poderia evoluir é um quebra-cabeça que derrota o pensamento evolucionário convencional, tudo o que é de cerca de sistemas biológicos que se deslocam ao longo da espiral; a solução é obrigada a ser incomum.

      reconstruções genómicas comparativas do repertório de genes do Luca (S) apontam para um complexo sistema de tradução que inclui, pelo menos, 18 dos 20 aminoacil-ARNt sintetases (RAA), vários fatores de tradução, pelo menos 40 proteínas ribossomais, e várias enzimas envolvidas na rRNA e modificação de tRNA. Afigura-se que o núcleo do sistema de tradução já foi totalmente moldado em LUCA (S) (Anantharaman, et al., 2002)

      A origem da vida ou, para ser mais preciso, a origem dos primeiros sistemas replicadores e a origem da tradução continua sendo um grande enigma, e o progresso na solução desses problemas tem sido muito modesto no caso de tradução, quase insignificante.

      Quando se considera a origem das primeiras formas de vida, se enfrenta o problema da galinha e do ovo proverbial: O que veio primeiro, o DNA ou proteína, o gene ou o produto? Nessa forma, o problema pode ser claramente insolúvel devido ao paradoxo Darwin-Eigen: Para replicar e transcrever DNA, são necessárias as proteínas funcionalmente ativas, mas a produção destas proteínas requer replicação precisa, de transcrição, tradução e de ácidos nucleicos. Se uma cola para a tríade do dogma central, é impossível prever o que poderia ser o material de partida para a ciclo-Darwin Eigen. Mesmo a remoção de DNA a partir da tríade e postulando que o material genético original consistia de RNA (reduzindo assim a tríade para uma díade), embora uma ideia importante, não ajuda muito, porque o paradoxo permanece. Para a evolução em direção a uma maior complexidade para decolar, o sistema precisa de alguma forma começar com o ciclo de Darwin-Eigen antes de estabelecer o feedback entre os (RNA) modelos (o componente de informações do sistema replicador) e proteínas (o componente executivo).

      Trinta anos atrás, nenhuma atividade catalítica foi relatada para qualquer molécula de RNA para catalisar qualquer reação ; Agora, estamos conscientes de dezenas de atividades de ribozimas, incluindo algumas, como aminoacilação altamente eficiente, que promovem o sistema de tradução. No entanto, trata-se de todas as boas notícias; o resto é mais como uma ducha fria sóbria.

      • Se o problema está ligado ao paradoxo de Eigen (Eigen, 1979), bem….vamos entender ele passo a passo. Nele a reprodução de longas ribozimas requer longas ribozimas para catalizar sua replicação.
        Há duas soluções possíveis para o problema de integração de informações: ou muitas moléculas de RNA curto cooperaram entre si de forma obrigatória, ou uma ribozima RNA-replicase tem de evoluir de alguma forma “do zero” e manter a sua própria sequência como a de muitas outras, a de ribozimas que colaboram.
        Resultados experimentais recentes mostram que ambas as formas são quimicamente viáveis já de pequenas moléculas de RNA são capazes de cooperar para catalisar a sua própria ligação em uma única fita de (Riley & Lehman, 2003). Ribozimas de RNA replicase foram pesquisadas por décadas, mas foi só muito recentemente que um substancial passo adiante foi dado a esse respeito: em um projeto evolução in vitro (Wochner et al, 2011) uma molécula de RNA de 189 nucleotídeos foi descoberta e era capaz de alongar o seu próprio iniciador de 95 nucleotídeos de uma maneira dirigida por molde. A fidelidade do processo de replicação foi de 99,4%.

        *Riley CA, Lehman N (2003) Generalized RNA-directed recombination of RNA. Chamistry & Biology 10: 1233–1243.
        *Wochner A, Attwater J, Coulson A, Holliger P (2011) Ribozyme-catalyzed transcription of an active ribozyme. Science 332: 209–212.

        Da uma olhadinha nesses texto Otangelo. kkkkkkk
        https://netnature.wordpress.com/2015/07/01/evolucao-pre-biotica-promiscuidadeespecificidade-enzimatica-e-o-rna-world-no-modelo-de-replicacao-metabolico/
        https://netnature.wordpress.com/2014/09/01/filogenomica-e-origem-das-redes-metabolicas-modernas/

      • Vamos por partes.
        a própria origem dos primeiros organismos apresenta, pelo menos, uma aparência de um paradoxo, porque um certo nível mínimo de complexidade
        Mas quem disse que a vida começou com a primeira bacteria? Lembre-se, os passos para a origem da vida começam com replicadores moleculares auto-poiéticos. Primeiro vieram polímeros, depois a primeira célula (https://netnature.wordpress.com/2015/01/28/propriedades-polimericas-e-a-genese-da-vida/). Um LUCA, quando se forma, ja tinha um pequeno que suportaria sua atividade básica e de replicação.

        A própria replicase é produzida por tradução dos mRNA respectivo (s), que é mediada pelo aparelho imensamente complexo ribossómico
        Voce esta partindo de uma célula já formada e complexa como origem da vida, pulando passos anteriores a ela. Em um contexto pré-biótico com replicadores as evidências apontam para uma replicação não-enzimática. E claro, muitas condições do arqueano permitiriam isto, desde componentes catalíticos presentes no oceano, ou em trechos do oceano onde favoreceria a polimerização, ou a singular propriedade termodinâmica do RNA/DNA world em dissipar calor e replicar usando condições ambientais como já destacou Michaelian Karo em 2009 2010 2011 e 2012.

        Como tal sistema poderia evoluir é um quebra-cabeça que derrota o pensamento evolucionário convencional, tudo o que é de cerca de sistemas biológicos que se deslocam ao longo da espiral; a solução é obrigada a ser incomum.
        Quem é o autor desta frase? Incomum não é uma referência a design inteligente, mas a uma proposta que segundo o que voce mesmo citou parte de uma condição evolutiva não convencional, mas que tal sistema pode evoluir. KKKK

        A origem da vida ou, para ser mais preciso, a origem dos primeiros sistemas replicadores e a origem da tradução continua sendo um grande enigma
        Enigmas são bons, é por isto que a ciência vem progredindo todos estes anos e ao contrario do que voce disse em “o progresso na solução desses problemas tem sido muito modesto no caso de tradução, quase insignificante“, a ciência fez mais nos últimos anos (para responder a questão da origem da vida) do que o criacionismo fez em sua vida toda, uma vez que jamais publicou qualquer artigo ou contribuiçã cientifica básica.

        Paradoxo de Eigen já foi citado acima!

        Trinta anos atrás, nenhuma atividade catalítica foi relatada para qualquer molécula de RNA para catalisar qualquer reação
        Meu caro, ribozimas são auto-cataliticas, é dai que veio a ideia de um RNA-World. kkkk
        catalytic RNA enzymes RNAzyme, are RNA molecules that are capable of catalyzing specific biochemical reactions, similar to the action of protein enzymes. The 1982 discovery of ribozymes demonstrated that RNA can be both genetic material (like DNA) and a biological catalyst (like protein enzymes), and contributed to the RNA world hypothesis, which suggests that RNA may have been important in the evolution of prebiotic self-replicating systems. The most common activities of natural or in vitro-evolved ribozymes are the cleavage or ligation of RNA and DNA and peptide bond formation.
        Fedor, M. J. & Williamson, J. R. The catalytic diversity of RNAs. Nat. Rev. Mol. Cell Biol. 6, 399–412 (2005

        O que a ciência faz é tentar entender a ordem dos eventos que correspondem a auto-replicação até a primeira célula. Voce não pode partir da primeira célula para dizer que a vida não pode se originar e esquecer de considerar processos de formação pré-vida (pré-biótico) pois os processos de replicação podem ocorrer naturalmente de forma não enzimática e podem ter evoluído a capacidade enzimática de catalizar a si mesmo, por isto a vida é um sistema auto-poiético e se chama biopoese. Auto-poese é uma propriedade inerente a vida. Ainda que não tenha conseguido entender exatamente quais condições poderia condicionar este tipo de processo, muitos avanços foram feitos, e devagar mas sempre em frente a ciência vai seguir tentando entender e recriar sistemas pré-bióticos que se assemelham as primeiras formas de vida.
        As evidências estão ai, voce não pode nega-las e simplesmente dizer aquilo que convém a sua formação religiosa.
        Sinto muito Otangelo, mas a vida é assim. Existem muitas descobertas que destruíram pré-conceitos que eu defendia, mas não posso fazer nada se as evidências apontam para o outro lado. Cogitar a possibilidade eu devo, e o NetNature faz isto, divulgar os avanços e as possibilidades, não milagres ou dogmas inteligentistas.

        PS: Seus comentários a partir de agora serão rejeitados.
        Tópico fechado!!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s