A EVOLUÇÃO FINALMENTE ESTA VENCENDO O CRIACIONISMO

A maioria dos jovens endossa a explicação científica de como os seres humanos evoluíram.

Charles Darwin em 1869. Photo by J. Cameron/Wikimedia Commons.

Charles Darwin em 1869. Foto de J. Cameron/Wikimedia Commons.

Poucos assuntos têm dividido a opinião pública americana tão amargamente como a Teoria da Evolução de Charles Darwin pela seleção natural. Desde que o “Origem das Espécies” foi publicada em 1859, há uma briga entre aqueles que aceitam que os humanos e outros habitantes deste planeta têm evoluído ao longo do tempo, e aqueles que acreditam que nossa espécie foi criada na sua forma atual, sem alterações. Enquanto a maioria das pessoas na Europa e em muitas outras partes do mundo aceitam a evolução, os Estados Unidos está atrás. Hoje, 4 em cada 10 adultos na América acreditam que os seres humanos existem na forma atual desde o início dos tempos, e em muitos grupos religiosos, esse número é ainda maior. Isso é lamentável.

Agora, finalmente, parece haver esperança: pesquisas nacionais  mostram que o criacionismo está começando a decair, e os americanos estão finalmente começando a se posicionar  em favor da evolução. Depois de décadas de batalhas legais, resistência à educação científica, e uma divisão cultural profundamente enraizada, a evolução pode estar prestes a ganhar de uma vez por todas.

As pessoas responsáveis por esta mudança são os jovens. De acordo com um recente relatório do Pew Research Center, 73% dos adultos norte-americanos com idade inferior a 30 anos, expressa algum tipo de apoio na evolução, um salto de 61 % em 2009, o primeiro ano em que a pergunta foi feita. O número de pessoas que acreditavam na evolução puramente secular (ou seja, não dirigida por qualquer poder divino) saltou de 40% , para uma maioria de 51%. Em outras palavras, se você perguntar a um americano mais jovem como os seres humanos surgiram, é provável que você obtenha uma resposta que não tem nada a ver com Deus.

O aumento de pessoas mais jovens apoiando a evolução é “bastante surpreendente”, diz Kenneth R. Miller, um biólogo da Universidade de Brown e um perito do processo judicial marco Kitzmiller vs. Dover, que chutou “Design inteligente” para fora das salas de aula de escolas públicas em 2005 . “Estamos nos movendo na direção certa.”

Não é só os jovens que estão se movendo em favor da evolução secular. A proporção de americanos que acreditam na evolução secular  dobrou desde 1999, de 9% para 19%, de acordo com uma pesquisa Gallup de 2014. Mas é importante frisar que o salto a favor da evolução não corresponde necessariamente a um aumento no número total  dos que acreditam na evolução. Em vez disso, a maior parte desse aumento foi elaborado a partir de americanos que relataram anteriormente que eles acreditavam na evolução guiada por Deus, que, simultaneamente, caiu de 40% para 31%.

Poderiam esses números significar apenas uma imediata mudança que pode ser perdida  em breve e que será eliminada rapidamente da população? Felizmente, existem vários sinais que estes números não refletem uma maré cultural em mutação.

Em primeiro lugar, a América está ficando menos religiosa. Hoje, os americanos mais jovens já não têm os fortes laços com mesma religião organizada que seus pais tiveram. Cerca de 56 milhões de pessoas agora se definem como “nones”, significando que eles se identificam como ateu, agnóstico, ou nada em particular relatadas em pesquisas-nacionais, – um salto de 19 milhões desde 2007, de acordo com a pesquisa do Pew Research Center de 2014. Novamente, é a geração mais jovem que está dirigindo esta mudança: No total,36 por cento dos jovens adultos entre 18 e 24 se identificam como “nones”, e o número de adultos  que não tem filiações religiosas está crescendo rapidamente.

Isso não quer dizer que a religião não ainda exerce uma poderosa influência sobre a identidade americana; ela o faz. No entanto, o fato de que menos pessoas estão se identificando com uma religião organizada é uma boa notícia para a educação científica, porque muitas dessas religiões têm  historicamente se opondo à evolução.

Quem são aqueles que perpetuam a visão de que a evolução é um mito e que os seres humanos têm suas características intactas em toda sua existência, que dura apenas cerca de 10 mil anos? Em geral, eles são americanos mais velhos. Cerca de 34% dos americanos de 50 a 64 anos acreditam no criacionismo. Para os americanos mais de 65 anos, o índice é de 37 %. Do ponto de vista das pessoas que endossam a evolução, isso é uma coisa boa, porque –  não querendo ser insensível, mas as pessoas velhas morrem. Quando os criacionistas idosos morrerem, eles serão substituídos por essa geração mais jovem que consiste cada vez mais de “nones”. O resultado: uma diminuição constante daqueles que se opõem a evolução.

O movimento dos direitos dos homossexuais tem uma palavra para isso: dinâmica geracional. “Que é uma palavra educada para a morte”, diz Evan Wolfson, presidente e principal arquiteto por trás  da Freedom to Marry (Livre para casar). “Essa é nossa arma secreta: Pessoas adultas morrem.”

“Claro, as pessoas de idade que morrem não foi única razão pela qual a America finalmente tomou a decisão histórica este ano para legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo”, Wolfson acrescenta. Para transformar essa maré cultural em um curto período de tempo, os partidários do casamento homossexual tinham de fazer algo muito mais difícil: mudar atitudes e crenças profundamente enraizadas. Da mesma forma, para o movimento por trás da evolução triunfar, os americanos mais jovens, que têm sido levados a acreditar no criacionismo precisam estar abertos para mudar suas mentes. Felizmente, a geração de hoje está crescendo em um momento de maior abertura de suas mentes e vontade para ouvir o pensamento baseada em evidências, diz Wolfson. Ao invés de ser cego pela ideologia, jovens adultos de hoje estão abertos a evidência, fatos e razão. Eles querem “informação, e não ideologia”.

“Os jovens estão crescendo com a mente menos ideologicamente fechada”, Wolfson diz. “Que é o que um monte de anti-evolução, evolução anti-climática, mudança de pensamento anti-clima é: É uma ideologia. É uma recusa a se envolver com a realidade. Esperemos que o que estamos vendo aqui é que as pessoas mais jovens são menos propensas a isso. Eles estão permitindo-se a ver a realidade na frente deles, ao invés de fechar os olhos com base na negação ideológica. … Eles estão crescendo no meio do tema, crescendo em meio à realidade, sendo aberta à realidade, e não simplesmente recusar-se a ver o que está na frente deles. “

Há muitas razões para esta mudança. Um deles é a melhoria da educação científica (mais sobre isso mais tarde). Mas outra é que, em alguns aspectos, eles não têm  escolha, argumenta Daniel Dennett, co-diretor do Centro de Estudos Cognitivos da Universidade Tufts, e co-autor de “Caught in the Pulpit: Leaving Belief Behind”. Ele credita à ascensão da Internet e o fato de que os jovens de hoje estão mais conectados do que nunca. “O que é particularmente corrosiva à religião não são apenas as novas informações disponíveis que podem ser exploradas pelos curiosos,” Dennett escreveu em abril, em um artigo de opinião intitulado “Why the Future of Religion is Bleak” no Wall Street Journal, “mas o conhecimento do ambiente que é compartilhado pela população em geral.”

Para muitos americanos, a evolução esta no ar cultural que respiramos. Sucesso de público deste ano Jurassic-World que toma como premissa a idéia de que os pássaros evoluíram dos dinossauros. Ou considere a televisão mostrar “The Big Bang Theory” que eleva a ciência, incluindo a evolução, muito acima religião. Em um episódio memorável, Sheldon, um teórico da corda, foge de volta para sua casa e sua mãe religiosa no Texas depois de chegar a um ponto baixo de sua carreira. “Esta é minha casa agora”, Sheldon diz a seus amigos, que o seguiram na tentativa de convencê-lo a voltar. “Graças a você, minha carreira acabou, e eu vou passar o resto da minha vida aqui no Texas tentando ensinar evolução para os criacionistas”.

Sua mãe entra na sala. “Olha a sua boca, Shelly,” ela grita.

“Todo mundo tem direito à sua opinião.”

Sheldon: “A evolução não é uma opinião, é verdade.”

Mãe: “E essa é a sua opinião.”

A mãe de Sheldon ri e sai da sala.

A mensagem é clara: o fato da evolução, pelo menos para os espectadores do show, é indiscutível, e criacionismo é pouco mais que uma piada. Percebendo o tipo de absurdo que ele terá que lidar se ficar, Sheldon decide voltar para sua carreira científica.

Naturalmente, a evolução não ganhou ainda – não chega nem perto. Ainda hoje, muitas pessoas poderosas estão ainda promovendo o absurdo criacionista, nomeadamente o governador de Louisiana. Bobby Jindal, assim como Miller e Zack Kopplin têm apontado na Slate. Além disso, não podemos esquecer que um grande bloco de criacionistas da Terra jovem ainda não está se mexendo. Lembra-se que 4 em cada 10 é o número? Para aqueles que frequentam á igreja ou sinagoga pelo menos semanalmente, esse número está mais perto de 50%. Para os evangélicos brancos, é de 60%. Estas percentagens não se alterou em mais de 30 anos.

Um dos maiores desafios para a alfabetização científica é a natureza de retalhos do sistema educacional americano, diz Josh Rosenau, programas e diretor de políticas do Centro Nacional para Educação Científica. Apesar do fato de que a jurisprudência tem estado do lado da evolução e contra o criacionismo há décadas, é impossível saber exatamente o que está acontecendo dentro da sala de aula individual. “Isso é o que torna nosso trabalho tão duro e tão lento”, diz Rosenau. “Mesmo se um professor não está ensinando o criacionismo, isso não significa que ela está ensinando de forma adequada á evolução”.

“O maior problema que tivemos é que os professores auto-censuram”, acrescenta Eugenie Scott, co-fundador da NCSE e um ex-professor de ciências que tem feito parte do debate da evolução vs criacionismo por mais de duas décadas. “Eles estão respondendo esta questão com uma mentalidade de “Há algo errado com a evolução”. Há também muitos professores de todo o país que antecipam que eles estão indo para ensinar uma resposta desfavorável, e então pulam essa seção do livro didático. Desculpe crianças, não temos tempo para cobrir tudo, vamos continuar na fotossíntese”.

Scott é otimista, mas ela é também realista. “Nós não vamos ter ganho enquanto a evolução for ensinada, casualmente, como nós ensinamos a fotossíntese”, diz ele. “E nós estamos muito longe do que isso”.

Wolfson concorda. Só porque as tendências mostram suporte á evolução o impulso não significa que podemos parar de lutar, ensinar, ou falar. “Este não é apenas um dado que deriva ao longo de si próprio”, diz Wolfson. “É algo a ser cultivado e defendido. Nós não ganhamos a liberdade de nos unir só porque tivemos a dinâmica; nós construímos esse impulso. E nós trabalhamos duro para aproveitar a vitória pelo trabalho. O mesmo vale para a educação dos jovens, promovendo uma perspectiva científica e racional de tomada de decisão política. Nada disso acontece por si só. Nós ainda precisamos fazer o trabalho “.

A luta é importante porque nós estamos falando sobre o princípio mais fundamental da biologia moderna. O “Origem das Espécies” foi votado o livro academic mais influente de todos os tempos. Como biólogo Theodosius Dobzhansky escreveu em 1973: “Nada em biologia faz sentido exceto à luz da evolução“. Ascendência compartilhada e adaptação por seleção natural é o que amarra as ciências biológicas em conjunto, dar-lhes forma e significado, e explica por que a vida na Terra se tornou do jeito que está. Tentro ensinar biologia sem evolução seria como tentar ensinar química sem a tabela periódica dos elementos: Ela simplesmente não funciona.

Além disso, a teoria da evolução não existe num vácuo. Além da biologia, evolução é faz sentido e é suportada pelos resultados obtidos em geologia, paleontologia, isótopos químicos, biomedicina, e outros campos. Se queremos ser uma nação de pessoas politicamente e cientificamente alfabetizadas e bem informadas, então nós temos que ensinar a boa ciência, e isso começa com a evolução. “O que torna os Estados Unidos um líder mundial é a nossa tecnologia”, como Bill Nye (o Science guy) disse em um debate público com criacionista Ken Ham em 2014. “Se continuarmos á evitar a ciência … nós não estaremos seguindo para frente, não vamos abraçar as leis naturais, não vamos fazer descobertas, não vamos inventar”.

As tendências refletidas nas pesquisas são uma boa notícia. Vamos esperar que isso signifique que os americanos vão abraçar evolução, independentemente das suas crenças políticas e religiosas, mesmo que o processo de chegada lá seja tão gradual como a própria evolução.

Por: Maria Fernanda S. Cirotto e Victor Rossetti

Fonte: Slate

25 thoughts on “A EVOLUÇÃO FINALMENTE ESTA VENCENDO O CRIACIONISMO

  1. é a seleção natural agindo!!! a geração burra que acredita num ser mágico criando tudo com um abracadabra se extingue, dando lugar a outra com uma explicação bem mais inteligente e consistente!😀

    • Explicação bem mais inteligente ? Qual ? A
      Creditar que aminoácidos em uma atmosfera sem oxigênio simplesmente se reuniram e passaram a criar vida do nada só pode ser mais ” inteligente” na cabeça de jumentos como você. A TE não prova porra nenhuma. O que a TE prega para seus fiéis é a mesma historinha de um lobisomem ou homem que se transforma em animal, a diferença é que no mito do lobisomem não existe 9 fator milhões de anos, que aliás não significam nada. O tempo por si só não é capaz de transformar um organismo em outro. É fácil a militância burra ateísta fazer lavagem cerebral na cabeça de jovens imaturos e sem estrutura intelectual, retórica e epistemológica que sustente visão diferente, diante dos argumentos ad populum e do apelo à autoridade do diploma de pesquisadores. Engraçado é que o design inteligente é feito por cientistas iguais aos cientistas ateus, tão pesquisadores quanto eles. Burros como você caem facilmente.

  2. A forma como algumas pessoas defendem a Evolução é a mesma forma como religiosos defendem suas crenças. Na verdade, a Evolução é apenas mais uma religião com seus fiéis: uns mais fanáticos outros menos. É preciso muita fé para acreditar na Evolução.

    • Não precisa de fé nenhuma para acreditar na evolução, pois os fatos não deixam dúvidas a ser questionadas. E caso você ainda esteja na dúvida os fósseis, o dentre ciso e o apêndice intestinal estao aí pra qualquer um ver.

      • Cuidado Roberto. Quem esta fazendo papel de fanático são voces….olha seu amigo Lúcio ai xingando em vez de argumentar. Sugiro que leia mais e fale menos.
        Segundo, ciência não precisa de fé para se fazer. Se voce não sabe a diferença entre ciência e religião, sugiro que procure alguns livros de filosofia da ciência pra ler. Ciência se faz com paradigmas, que são modelos temporários que podem ser substituídos por outros que explicam mais e melhor.Religião trabalha com fé, verdades absolutas ditas sagradas adquiridas pela tradição e revelação divina (ao menos é o que dizem).
        Se não sabe diferenças básicas como esta, como poderia definir o que é um fundamentalista? Afinal, estas fazendo o papel de um com primazia!!

  3. Encontrar um fragmento de mandíbula, criar um corpo inteiro de argila em volta desse fragmento e apresentá-lo como ancestral do homem…desculpe, isso não é Ciência. Isso é Ideologia, é Concepção Artística, é ver o que se quer ver. E enfiar isso goela abaixo na população estudantil é Fundamentalismo e Militância Pseudocientífica.

    • Errado, voce esta pegando um caso de muito tempo atrás e esta pressupondo que todos os fósseis da evolução humana partem do mesmo princípio. Não meu caro, não há um complô universal contra o criacionismo, o criacionismo classificado como speudociencia conseguiu este titulo por mérito próprio.😉
      A parte Paleoartística só é feita quando as dimensões dos ossos são bem estudadas, e os indivíduos são caracterizados.
      Um fragmento de mandíbula diz muito sobre um animal, ou astragalo, uma forquilha….mas não é suficiente para elaborar um individuo inteiro (isto já foi desmascarado quando um paleoartistia tentou elaborar um hominineo inteiro usando um dente de porco. A ciência desmascarou ele rapidinho). Os neanderthais tem sua paleoarte construída em cima de estudos anatomicos, assim como os outros hominineos. Sim, isto é ciência, talvez voce não esteja acostumado com ciência por ser proponente do design inteligente/criacionismo, mas se estudar, pode aprender.
      Concepções artísticas sem respaldo anatomico ja foram rejeitadas na história da evolução humana, assim como ossos falsificados de hominídeos foram desmascarados pela própria ciência (vide o Piltdown)
      Isto tudo sempre é explicado nas aulas de evolução, de tal modo que as pessoas podem ou não optar por apostar suas fichas na evolução humana.
      Desculpe, mas voce esta invertendo os papéis, é o criacionismo/design inteligente que é considerado pseudociência por todos os principais centros de pesquisa do mundo. Se voce não pode aceitar isto, é com voce, mas não é a sua concepção religiosa que determina o que é e o que nao é ciência. Se voce esta com raiva dos dados apresentados no texto é com voce. Ninguém esta te obrigando a seguir nada, inclusive entrar aqui para comentar essas incoerências. Sabemos muito bem quem sempre faz papel de fundamentalista, o criacionismo esta ai e não me deixa mentir. Mas se voce quiser fazer uma critica a evolução, não adianta xingar, falar que é mentira, complô etc e tal…teoria se derruba com outras teorias e não com dogmas. Se esta insatisfeito apresente artigos científicos, publique-os. Boa sorte
      Abraço!!
      https://netnature.wordpress.com/2014/06/27/teoria-do-designer-inteligente-e-pseudociencia-dizem-os-maiores-centros-de-pesquisa-do-mundo/

      • Desculpe, colega. Quem está xingando é você. Quem está irritado é você. Eu sou da paz. Aliás, porque Fundamentalistas ficam irritados quando são questionados???

      • Eu né? kkkk Olha ai os seus colegas como argumentam😉
        Lucio Satiro disse: Explicação bem mais inteligente ? Qual ? A
        Creditar que aminoácidos em uma atmosfera sem oxigênio simplesmente se reuniram e passaram a criar vida do nada só pode ser mais ” inteligente” na cabeça de jumentos… É fácil a militância burra

        Infelizmente quem veio aqui chorar e irritadiço porque a evolução esta sendo ensinada e sendo mais aceita nos EUA, são voces.
        Sabemos quem são os fundamentalistas meu caro, quem sempre oprimiu o livre pensar ao longo da história e agora esta chorando aqui.
        Sinto muito, mas aqui é lugar de discussão de ciência e não de criacionismo. Se quer falar sobre isto, procure uma página que trabalhe com pseudagens e afirmações informais!!!

  4. Criacionismo, evolução… bobagem. A descoberta da presença do homem há mais de ( vamos diminuir para não chocar) um milhão de anos, homens capazes de uma criatividade até mesmo superior a que estamos vivenciando hoje, dá uma rasteira definitiva no criacionismo ( pelo menos aquele relatado na Bíblia) e nos leva a pensar em outro tipo de criacionismo, em outros moldes que não um absurdo sopro e um pó da terra, repetido em várias outras “criações” que não pode definir a humanidade. Esse criacionismo ao qual se apegam só seria válido sem a presença de outros e a criação de vários homens naquele dia patético dessa citada criação, isto é, brancos, amarelos, vermelhos, negros , e não nessa ordem.
    Quanto a Darwin, vemos que ele se baseou sua teoria da evolução das espécies apenas observando uma região e colocando a sua “descoberta” nos seus moldes, esquecendo-se da maioria dos animais que estão aqui até hoje exatamente como eram há milhares de anos, o que também mostra seu erro, aliás guardado por décadas exatamente por não estar realmente contente com aquilo e mais ainda pela opinião das pessoas, que não admitiam outra forma de vida senão a dada por um ser maquiavélico que, apesar de se dizer onisciente, sempre destruía a criatura, apesar dessa onisciência, o que também nos apresenta algo completamente inútil e que controla tudo até hoje pelo medo de ontem, deuses de todos os tipos, todos querendo ser único, o melhor, o mais poderoso, ciúmes e disputas absurdas pela “audiência”, o que por si só já deveria ter sido esquecido ao mostrar tanta baixaria e assassinatos, como se as mortes aleatórias pudessem ser sinônimo eterno de poder. Pelo que vemos, a sombra assustadora daquele ser que não admitia ser visto, ainda reside nas cavernas úmidas de cérebros não evoluídos, paralisados pelo medo e chantageados por supostos pastores ávidos pelo que o dinheiro desse medo pode proporcionar.
    Assim, vamos pensar em algo mais fantástico. Vamos olhar para o céu com outros olhos, fixando-os nas estrelas, na imensidão, no universo, e ver que não passamos de formiguinhas apavoradas com uma simples rachadura em um local qualquer e que destrói instantaneamente o “formigueiro” mal construído e sem um líder, sem feromônios que nos auxiliem na fuga.

    • Só duas correções Cláudio; Darwin não baseou sua teoria apenas observando uma região. Ele viajou o mundo, coletou, e recebeu coletas de exemplares do mundo todo. Sua amostragem foi bem ampla a bordo do HMS Beagle.
      Ele não se esqueceu que a maioria dos animais tem milhares de anos, ele considerou que as descendências dos animais tem pequenas modificações e por isso ao longo do tempo geológico eles mudariam dando origem a novas espécies. O fato “milhares de anos” esta intrínseco a sua obra. Usou os tentilhões e tartarugas para demonstrar como surgiram!!!😉

  5. Morto na Ciência o criacionismo sempre esteve, na prática jamais nasceu pois nunca foi científico, agora morrendo no meio popular realmente é louvável.
    Quem diria que a própria seleção natural que baseia a Evolução das Espécies também vem baseando a morte da relevância popular dos devaneios criacionistas.

    • Preferir, você pode preferir qualquer divindade que seja…agora, depois de oitenta e qualquer coisa, você já viu ou conheceu alguém que, acreditando em uma divindade, não tenha “evoluído” para a morte?!?😉
      Bom, então seu argumento é totalmente invalido e sem logica!!

  6. Então…só não apareceu até agora nenhum exemplo contemporâneo de que a evolução está acontecendo nos dias atuais. Não tem nenhuma espécie de animal nova surgindo advindo de outra. Então esse papo que a evolução está vencendo o criacionismo é papo furado.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s