O CLIMA DA TERRA É MAIS SENSÍVEL AO DIÓXIDO DE CARBONO DO QUE SE PENSAVA

Climas antigos na Terra podem ter sido mais sensíveis ao dióxido de carbono do que se pensava anteriormente, de acordo com nova pesquisa da Universidade Binghamton.

Esta é uma trona moderno do Lago Magadi, Quênia. Crédito: David Tuttle

Esta é uma trona (mineral de evaporito, composto de carbonato de bicarbonato de sódio hidratado (Na3HCO3CO3·2H2O) moderna do Lago Magadi, Quênia. Crédito: David Tuttle

Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Binghamton, incluindo estudante da geologia PhD Elliot A. Jagniecki e professores Tim Lowenstein, David Jenkins e Robert DeMicco examinou cristais nacolite (um mineral carbonato suave, incolor ou branco com a composição de bicarbonato de sódio (NaHCO3), também chamado termocalita) encontrados na formação do Green River de Colorado, formado a 50 milhões de anos, durante um clima de estufa. Eles descobriram que os níveis de CO2 durante este tempo poderiam ter sido tão baixos quanto 680 partes por milhão (ppm), quase a metade dos 1.125 ppm previstos por experiências anteriores. Os novos dados sugerem que previsões passadas subestimaram significativamente o impacto do aquecimento pelo efeito de estufa e que o clima da Terra podem ser mais sensível ao aumento do dióxido de carbono do que se pensava, disse Lowenstein.
“O significado disso é que o CO2 de 50 milhões de anos atrás pode não ter sido tão alto quanto uma vez pensei que era, mas o clima naquela época era muito mais quente do que é hoje”, disse Lowenstein.

Os níveis de CO2 na atmosfera hoje atingiram 400 ppm. De acordo com as projeções atuais, a duplicação do CO2 irá resultar em um aumento na temperatura média global de 3 graus celsius. Esta nova investigação sugere que os efeitos do CO2 no aquecimento global podem estar subestimada.
“Notei que o dióxido de carbono de 50 milhões de anos atrás pode não ter sido tão alto quanto uma vez que pensei que era. Podemos chegar a esse nível no próximo século, e por isso a mudança climática a partir desse aumento pode ser muito grave, muito dramática. CO2 e outras forças climáticas podem ser mais importantes para o aquecimento global do que imaginávamos”.
A única medida direta do dióxido de carbono é de núcleos de gelo, que só voltam a menos de 1 milhão de anos. Lowenstein e sua equipe estão tentando desenvolver maneiras de estimar o antigo dióxido de carbono na atmosfera usando aproximações indiretas. Ele disse que sua abordagem é diferente a que qualquer outra já realizada. “Estas são medições químicas diretas que são baseadas em termodinâmica de equilíbrio”, disse ele. “Estes são experimentos de laboratório diretos, então acredito que eles são realmente confiáveis.
Lowenstein querendo olhar para depósitos nacolite na China para confirmar os resultados encontrados no Colorado.

Fonte: Science Daily

8 thoughts on “O CLIMA DA TERRA É MAIS SENSÍVEL AO DIÓXIDO DE CARBONO DO QUE SE PENSAVA

  1. Se o CO2 a 50 milhões de anos era muito inferior aos dias de hoje e a temperatura muito superior a atual. Logo, conclui-se que o CO2 não tem qualquer relação com o clima.

    • Ola André. Bem, não é só a presença do CO2 que vai determinar a temperatura do planeta. O clima é determinado por múltiplos fatores, e a variação deles altera o clima da terra. Durante milhões de anos o planeta para por ciclos de Glaciação e Interglacial onde a temperatura média do planeta muda, e tudo isto é determinado por diversos fatores climatológicos e até mesmo astrônomicos. O problema é quando o planeta deveria estar entrando em uma Era Glacial e a temperatura média do planeta esta alta, com concentrações altas de CO2 em partes por milhão.
      Os trabalhos de Fourier, Tyndall e o próprio Arrhenius nos anos de 1827 1867 e 1898 demonstraram o papel do Co2 no aumento da temperatura média do planeta. Desde então os dados tem sido corroborados por estudos mais recentes.
      Outra coisa, O CO2 não tem só efeito no clima, ele tem uma contribuição consideravelmente alarmante do ponto de vista da saúde pública Veja os trabalhos do professor Paulo Saudiva). Antes de ser uma molécula que simplesmente aprisiona o infra-vermelho e impede sua liberação por irradiação para o espaço, ele também é o protagonista de problemas cardiovasculares, pulmonares e tem efeito sobre o microclima de cidades (enchentes e inversão térmica). Por exemplo, o monóxido de carbono tem uma afinidade elétrica muito maior que o oxigênio ao sítio de ferro das hemoglobinas de tal forma que ele se liga muito facilmente a ela.
      O monóxido de carbono pode causar a morte em curto prazo e a longo prazo câncer de pulmão. Das 4600 substâncias que existem no cigarro 63 são câncerigenas, uma delas é o monóxido de carbono.
      Espero ter ajudado a esclarecer alguma dúvida. Abraço!!

      • Rossetti, comentei apenas que a reportagem estava mal escrita, pois se contradiz, afirma que antes o CO2 era menor e temperatura maior. Mas vou dar a minha opinião: Vamos considerar que o CO2 fosse realmente o principal responsável pelo aquecimento global. Vejamos a lógica da coisa, 50% das emissões de CO2 da terra vem dos oceanos, uma outra grande parte dos vulcões, o ser humano com todas as suas indústrias, veículos, máquinas etc, produzem cerca de 7% do CO2 da terra, você acha que se reduzirmos cerca de 5% das emissões humanas como foi acordado pelo protocolo de Kioto, iria mudar alguma coisa? O CO2, tem sido tratado pela mídia como se fosse um vilão, um poluente! CO2 é o gás da vida! Nós e os animais não produzimos a comida que ingerimos. Quem o faz são as plantas, via fotossíntese, por meio da qual retiram CO2 do ar e o transformam em amidos, açúcares, fibras dos quais nos alimentamos. Na hipótese absurda de eliminar o CO2, a vida acabaria na Terra. Outra fato que você coloca é a questão que já deveríamos ter entrado na era glacial, bem acho que você sabe que cada era glacial dura em média 100 mil anos e os períodos interglaciais 15 mil anos de média. Como a nossa última era glacial ocorreu a cerca de 17 mil anos, pode ser que realmente já estejamos entrando em uma nova era glacial, mas lembro que era dura 100 mil anos, então você talvez só comece a perceber a diferença talvez daqui a uns 50 mil anos rsrsrs. E pra terminar, o CO2 acompanha a temperatura da terra e não o contrário, quando a terra está mais aquecidas os oceanos expelem mais CO2 e quando a terra passa por períodos mais frios os oceanos absorvem o CO2, afinal onde você acha que esses CO2 se escondem quando a terra se esfria? Por fim, você acertou quando disse que vários fatores influenciam o clima da terra e o principal dele, mas esquecido por muito é a nossa estrela, o nosso querido Sol que controla principalmente a nossa temperatura. Abraços

      • CO2, tem sido tratado pela mídia como se fosse um vilão, um poluente! CO2 é o gás da vida!
        Esta afirmativa vai depender da concentração dele na atmosfera. Este é o problema. É evidente que a concentração deles em partes por milhão aumentou desde a revolução industrial e que o gelo do permafrost mostra concentrações muito mais baixas que as atuais. A revista Química Nova Interativa da Sociedade Brasileira de Química tem um artigo publicado (Ciclos globais de carbono, nitrogênio e enxofre: a importância na química da atmosfera) na qual destaca que o gelo da Antártida nos últimos 200 mil anos apresenta uma concentração de CO2 entre de 200 a 280 g/t e permaneceu oscilando neste parâmetro até o século 19 (Rev Industrial). Nos últimos 130 anos a concentração aumentou de 280 para 360 g/t até 1990. Um aumento de 30%. Recentemente postei um texto falando que estamos em 400 ppm. A taxa de emissão de gases do efeito estufa a partir de queimadas, desflorestamento queima de combustíveis fosseis aumenta 4,3% anualmente. Outros artigos também suportam isto (David HALL e Rossillo CALLE (1989), ” CO2 cycling by biomass: global bioproducvity and problems of deforestation ” y Amazônia: Facts,Problems and Solutions July-August, 1989, São Paulo.). Embora a emissão de gases do efeito estufa pelo homem seja variável e aumenta anualmente a esta taxa, ela Tb depende dos ambientes que regulam o clima. Quando você desmata, não esta só inserindo o carbono fixo da biomassa na atmosfera. Você esta desmatando um local que regula também o clima (temperatura e umidade).

        Ninguem esta dizendo que não vamos mais produzir carbono. A proposta dos protocolos e acordos Internacionais é cessar a taxa em um limiar devido ao aumento constante da concentração. Este CO2 não surge do nada, ele vem fruto de queimadas, desflorestamento e claro das atividades industriais, e claro, ele não é o único responsável pelas mudanças climáticas. Sem cobertura vegetal vc não só perde a manutenção da qualidade do ar como favorece a desertificação ou a criação de microclimas mais quentes pela própria estrutura de centros urbanos e claro, a biomassa daquela floresta que concentrava carbono agora liberou ele para a atmosfera. A queima de hidrocarbonetos (os HCNM) e dos provenientes do carvão e petróleo libera para a atmosfera um carbono fixado a milhoes de anos.
        Quando voce diz “Na hipótese absurda de eliminar o CO2, a vida acabaria na Terra” não corresponde a realidade porque não é possível tirar todo o carbono da atmosfera. A estratégia é limitar a liberação na atmosfera e aprisionar de volta parte da biomassa o que foi liberado para minimizar os efeitos climáticos e assim não torna o gás da vida o protagonista da extinção de tantas outras espécies

        Quanto a eras glaciais, quando voce diz que “então você talvez só comece a perceber a diferença talvez daqui a uns 50 mil anos” …ou talvez nunca vamos perceber, afinal, o clima esta modificando em virtude da mudança da dinâmica dos elementos que o determinam, ou pior, talvez haja uma intensificação dos fenômenos de Era de gelo. Intensificação de fenômenos também é mudanças climática. Fenômenos com por exemplo o El niño e La niña na qual ocorre a alteração de ventos alísios e afeta o regime de chuvas na America do Sul e Indonésia também são intensificados devido mudanças climáticas. Intensificação de furacões ciclones e tornados. O artigo da Nature Increasing frequency of extreme El Niño events due to greenhouse warming, destaca isto, ou Global Warming May Worsen Effects of El Niño, La Niña Events e Global warming will increase intensity of El Nino, scientists say. Temos locais no planeta onde os invernos estão sendomais rigorosos. Mes passado a China bateu 41 negativos. Frios rigososos no Japão e na Europeu. Lembrando que a Europa destruiu grande parte de seu território e se tornou um mosaico de metrópoles.

        Não é somente o Sol que determina a temperatura do planeta. Ele determina quantidade de calor que chega nele, mas 51% da luz fica retida logo na entrada da atmosfera e é emitido para o espaço em forma de infra-vermelho. O principal fator que determina a temperatura do planeta são as correntes oceânicas que vão determinar também regimes de correntes de ar na atmosfera e consequentemente chuvas, por isto eu disse que é dinâmico. E claro, há outros fatores que influenciam, como a porcentagem de terras secas e oceanos em relação ao hemisfério e de cada hemisfério, a porcentagem de área florestada nessas terras secas em relação ás desmatadas criando sistemas de retroalimentação positivo ou negativo.
        Outra coisa, o texto não se contradiz, ele diz que “Eles descobriram que os níveis de CO2 durante este tempo poderiam ter sido tão baixos quanto 680 partes por milhão (ppm), quase a metade dos 1.125 ppm previstos por experiências anteriores. Os novos dados sugerem que previsões passadas subestimaram significativamente o impacto do aquecimento pelo efeito de estufa e que o clima da Terra podem ser mais sensível ao aumento do dióxido de carbono do que se pensava”. Isto pior a situação, uma vez que de acordo com os dados novos do autor, concentrações mais baixas determinaram temperaturas altas a 50 milhões de anos; mais baixas que 680 ppm. Estamos a 400.

  2. Rossetti, você lembra que a pouco tempo o termo mais usado era, “o aquecimento global”? Hoje, aos poucos já estão mudando a nomenclatura para “as mudanças climáticas” porque aí tudo cabe. Se tiver seca, enchentes, terremotos, furacões, tsunamis, extinções de espécies, a culpa sempre será das mudanças climáticas, cada vez mais intensas etc. Vejamos, a terra já passou por temperaturas globais (se é que seja possível medi-las) bem mais altas que as atuais e temperaturas estupidamente mais baixas que as de hoje. São ciclos naturais, e o ser humano não tem poder para interferir nisso. Como você falou, ele interfere no micro clima, formando ilhas de calor etc. Mas isso não tem capacidade de interferir no clima global. Reafirmo o que falei no texto anterior. O CO2 é o gás da vida e nos períodos que ele fica mais elevado a vida humana aumenta e não diminui. Experimentos mostram que em ambientes de estufa onde a concentração de CO2 é muito alta, as plantas por exemplo, se desenvolvem e crescem muito mais. Foram feitas pesquisas com os marinheiros que trabalhavam nos submarinos russos devido a altíssima concentração de CO2 que eles ficavam expostos, essas pesquisas mostraram que eles não tiveram qualquer tipo de problema, muito pelo contrário. Existem inúmeros gases poluentes, mas quando a imprensa quer aterrorizar a população mostrando aquela fumaça preta que sai do escape do carro ou da chaminé das indústrias, falando que aquilo é o CO2 que vai acabar com o mundo etc. não tem compromisso com a verdade, CO2 é um gás invisível e temos sim que investir em tecnologias mais limpas, pois toda aquela poluição que sai das indústrias/automóveis/fábricas, como (enxofre, hidrocarbonetos) etc. faz realmente mal à saúde, mas aquela fumaça preta não é o CO2, como a imprensa passa para a população, da mesma forma que sempre ela mostra aquele gelo ártico caindo ao mar pra dar uma impressão que o gelo está derretendo, quando na verdade o gelo está desmoronando devido a água do mar mais quente entrando em contato com a parte submersa do gelo, aí chega tal ponto que a parte superior do gelo desaba por não suportar o peso, mas a gente nunca vai enxergar aquele gelo pingando como se estivesse derretendo, o ciclo de desmoronamentos ártico é normal e logo depois ele se recupera como vem acontecendo desde 2012, como pode ser conferido por imagens mais atuais de satélite, tudo está dentro de um ciclo normal, daqui a alguns anos ele voltará a diminuir como sempre ocorreu. Já o gelo antártico, só faz aumentar desde que se iniciaram as medições em 1979, se a terra está aquecendo, qual o motivo do gelo antártico está aumentando? Mas sei que daqui a alguns anos ou milhares de anos ele diminuirá bastante, repito, são ciclos. Também não concordo quando você fala que temos que reduzir as emissões de CO2, como te falei, apesar de todas as queimadas e todas indústrias, o CO2 produzido pelos homens é insignificante perto do CO2 produzidos pelas causas naturais. Apenas os insetos produzem mais CO2 que toda atividade humana, apenas um vulcão em erupção (temos vários ativos) produz mais CO2 que todos os humanos no período de um ano. Pra finalizar, não é verdade que hoje aumentou os eventos extremos do tempo, apenas estamos divulgando, filmando e registrando mais. Mas tenha certeza, a china já esteve com temperatura inferior a 41 graus em outras épocas, o nosso oceano atlântico a alguns milhões de anos atrás sequer existia, vivemos em ciclos, uma hora mais quente e outra hora mais frio. Uma nova espécie de vida surgindo e outra entrando em extinção, é o ciclo natural das coisas. Temos que nos preocupar em diminuir a pobreza, fazer saneamento básico, melhorar a tecnologia pra que as indústrias não poluam, mas a preocupação com o clima deve ser no sentido de como convivermos melhor com todos os eventos climáticos que sempre existiram em intensidades menores e maiores que os atuais e sempre existirão.

    • São ciclos naturais, e o ser humano não tem poder para interferir nisso“. Não pode interferir? Se voce mora em um grande centro urbano sabe que a cidade é em geral 5 graus mais quente que em locais próximos a matas. A umidade relativa do ar em centros urbanos é baixa, ondas de calor alteram o regime de chuvas de cidades. Me desculpe, mas voce esta negando coisas que só de abrir a janela é perceptível.

      “”mudanças climáticas” porque aí tudo cabe. Se tiver seca, enchentes, terremotos, furacões, tsunamis, extinções de espécies, a culpa sempre será das mudanças climáticas”. Então quando tiver seca, enchentes, extinções de espécies, chuvas ácidas, formação de smog, intensificação de ciclones não é causado por mudanças climáticas? Todos estes eventos vem se tornando mais frequente e mais intensos. Será mesmo que não são alterações do clima?

      Sim, é possível medir eventos do passado. Desde a concentração de gases aprisionados em atmosfera em permafrost, até datações radiométricas para fósseis. Essas constatações feitas por climatologistas em Vostok, inclusive com brasileiros no programa deixa clara a capacidade que existe de medir eventos do passado e Paleoclima, Paleopalinologia.

      Bom, eu e os artigos reafirmamos o contrário. O CO2 não é favorável a vida quando sua concentração atmosférica aumenta, e devido as razões que levam ele a aumentar. Razão pela qual a vida humana, ecossistemas inteiros ficam fadados a extinção pelo desprendimento do carbono na biomassa e pela sua propriedade atômica vibracional em função da recepção e contenção na atmosfera do Infra-vermelho.

      Como você falou, ele interfere no micro clima, formando ilhas de calor etc. Mas isso não tem capacidade de interferir no clima global.” Quando voce tem um mosaico de microclimas como a Europa, ou grandes centros urbanos das Americas (Só o EUA contribui com 25% da emissão dos gases do efeito estufa), quando voce começa a detectar a presença de agroquímicos nas correntes marinhas nos polos do planeta, quando voce começa a detectar a intensificação de fenômenos naturais determinantes do clima, concentrações crescentes de CO2 de atividades antrópicas incentivadas pelo desflorestamento, acidez dos oceanos por CO2 emitido, me parece bem evidente que a coisa é global. Existe simplesmente um aumento da temperatura média, os efeitos climáticos subsequentemente. Acho que voce esta confundido calor com clima.

      Experimentos mostram que em ambientes de estufa onde a concentração de CO2 é muito alta, as plantas por exemplo, se desenvolvem e crescem muito mais.” Exato, este é um exemplo de retroalimentação, assim como com neve refletem o calor de volta ao espaço. Mas a relação de superfície do planeta com áreas verdes e com grandes centros urbanos e megalópoles é bem clara.
      O que aconteceu com grande parte dos ecossistemas do planeta? Eles estão ainda em pé concentrando a biomassa de carbono ou a maioria deles foi devastado para o desenvolvimento de cidades, inclusive com processos de conurbação?
      Há reflorestamento o suficiente para retirar o carbono da atmosfera? Acho que não!
      O experimento do Tyndall foi algo bem parecido com este estudo. Ele simplesmente constatou que o CO2 age como um isolante do infra-vermelho (coisa que hoje a química ambiental básica compreende muito bem). Ele testou isto em uma câmara de gás feita com um tubo onde inseriu o gás entre um captador de calor e uma vela. O CO2 simplesmente aprisionou o calor dentro do tubo.

      Foram feitas pesquisas com os marinheiros que trabalhavam nos submarinos russos devido a altíssima concentração de CO2 que eles ficavam expostos, essas pesquisas mostraram que eles não tiveram qualquer tipo de problema, muito pelo contrário“. Gostaria de ver este estudo, afinal, não é todo dia que alguém aparece dizendo que CO2 não tem efeito algum na saúde. Eu acho que a OMS discorda, mas se voce tiver o artigo afirmando seria interessante ver a metodologia aplicada.

      A mídia sim, faz terror, mas o fato dela fazer terror não significa que ela esteja conspirando ou inventando a favor de um sistema aquecimentista em um complô contra a verdade de uma farsa de mudanças climáticas. É preciso separar os fatos dos boatos. Para isto tem os artigos científicos que citei a voce. Lembrando que não é só o CO2 o gás responsável por mudanças climáticas e que não é só o carbono que tem efeito na saúde. Smog também tem efeito, chuva acida também, compostos nitrogenados, sulfatados etc e tal.

      o gelo antártico, só faz aumentar desde que se iniciaram as medições em 1979, se a terra está aquecendo, qual o motivo do gelo antártico está aumentando? ” Por isto é mudança climática. Aumento da temperatura média do planeta muda os elementos que determinam o clima. Como eu disse, a China passou por períodos de intensificação do inverno. O El nino e La nina intensificam. Não confunda calor com clima. O clima é determinado por diversos elementos, o calor é um deles, mas não só ele. Gases da atmosfera, dinâmica de correntes marinhas e ventos também afetam. O fato de existir uma temperatura média aumentada não implica que todos os lugares do planeta ficam quentes, mas sim que o clima determinado (multifatorialmente) vai ser alterado. Lembrando que a Terra recebe em média 1.367W (Joules por segundo) de calor em forma de luz vinda do sol. Mas a posição da terra em relação ao sol varia de acordo com a latitude. Portanto, muitas regiões dos extremos do planeta reagiram de forma distintas de acordo com a mudança das correntes marinhas e dos ventos. Não é de esperar que todo local do planeta reaja da mesma forma porque o clima do planeta não é único.

      insignificante perto do CO2 produzidos pelas causas naturais.” Não é insignificante pelo efeito que tem na saúde e porque a liberação desde CO2 é proveniente de biomassa que estava fixa e agora não esta mais. Causas naturais fazem parte de ciclos naturais, causas antrópicas intensificadas desta forma não!

      Registrar é diferente de divulgar. Registro em filme não é a mesma coisa que uma constatação empírica com dados provenientes de estações meterológicas, dados climatológicos de paleoclima, dados de satélite e constatações de problemas de saúde causados pela presença de gases do efeito estufa. Uma coisa é constatação e propor um modelo científico que justifique tais afirmações. Outra coisa é registrar visualmente sem qualquer explicação. Eu posso constatar raios circulares filmando e não conseguir ter um modelo científico que caracterize exatamente este fenômeno.

      a china já esteve com temperatura inferior a 41 graus” A china estava a 41 negativos, abaixo de zero.

      Ciclos de extinção são naturais, mas quando promovidos pelas mudanças do clima, eles são lentos. E nunca foram causado por outra espécie que desflorestou e alterou tanto o clima em um período de tempo tão curto. Esta é a falácia naturalista. “Se é natural é bom”, isto é falso. O fato de sermos uma espécie com praticas predatórias não torna isto característica definidora de nossa espécie e não significa que não podemos mudar este caráter. E ainda que fossemos devastadores por essência, não significa que tal natureza seja boa.

      Temos que nos preocupar em diminuir a pobreza…” Por isto a crise é socioambiental. Parte de um pressuposto econômico de mercantilização da vida e da natureza. Por esta razão toda crise social é acompanhada de uma crise ambiental e vice e versa (chamada de crise civilizatória). Não é possível tratar da questão social e ambiental sem alterar o eixo econômico. Quando voce tem um eixo fundado num sistema em que poucos (1% da população mundial) é dona de 99% do riqueza produzida no sistema econômico entende-se porque a pobreza, a miséria e os recursos naturais são tratados como moeda de troca. Enquanto a natureza for vista como um recurso a ser explorado e as manobras de política publica forem vistas como empecilho para o desenvolvimento do país haverá sempre uma crise ambiental e social.
      Sem mais!!!

      • Rossetti, no mínimo essa discussão valorizou o texto principal. Continuo achando que a terra não mudou o seu ciclo normal de glaciação por 100 mil anos e períodos interglaciais de 15 mil anos. Falando de forma bem grosseira, a terra é um planeta frio que passa por períodos mais quentes. Confesso que gostaria de voltar aqui daqui a uns 50 mil a nos ou 150 mil ou 250 mil ou 2,5 bilhões de anos pra saber se o homem realmente mudou o clima da terra ou seus ciclos continuaram como os de bilhões de anos atrás. Abraço.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s