COMO PROJETOS DE LEI ANTI-EVOLUÇÃO TAMBÉM EVOLUEM

Os criacionistas forneceram um exemplo de descendência com modificação.

Ilustração fotográfica de Natalie Matthews-Ramo. Fotos por Eric Isselée / Shutterstock, Paul S. Wolf / Shutterstock, jlarrumbe / Shutterstock, Harald Toepfer / Shutterstock.

Ilustração fotográfica de Natalie Matthews-Ramo. Fotos por Eric Isselée / Shutterstock, Paul S. Wolf / Shutterstock, jlarrumbe / Shutterstock, Harald Toepfer / Shutterstock.

A camuflagem foi impecável. Com o nome de “Lei da Educação em Ciência Louisiana,” o projeto de lei posou como um documento do lado da verdade e da ciência. Com a pretensão de promover o “pensamento crítico, análise lógica e discussão aberta e objetiva das teorias científicas”, parecia endossar a racionalidade equilibrada. E, negando que eles procuram “promover qualquer doutrina religiosa”, ele habilmente desviou acusações de ser um esforço para substituir o ensino da evolução com as crenças religiosas do criacionismo – que é, claro, exatamente o que o projeto de lei quer.

Na realidade, a Lei da Educação em Ciência da Louisiana procurou minar a educação científica da forma mais insidiosa: dando aos professores a autoridade para ensinar materiais religiosos em sala de aula como uma alternativa para a teoria científica da evolução. Infelizmente, eles usaram. Ao evitar qualquer menção do criacionismo e incentivar uma “análise crítica” da evolução, o projeto de lei contornou alegações de que eles teriam violado a Constituição dos EUA, incentivando o ensino da doutrina religiosa. Em 2008, ele foi passado com sucesso pelo Senado estadual e assinado em lei pelo governador da Louisiana, Bobby Jindal.

Mas como é que os criacionistas pensam de maneira tão perfeita enquadrar sua agenda anti-ciência? Você pode pensar que uma lei como essa veio a este mundo completamente formada, como Adão e Eva no Jardim do Éden. Mas, na verdade, teve um antecessor. Um antepassado, você pode até chamá-lo.

Em que é quase uma ilustração demasiadamente inteligente de como a evolução funciona, um cientista da Universidade Nacional Australiana criou um gráfico para mostrar a evolução dos projetos de lei anti-evolução. O estudo foi publicado na revista Science, sobre o 10º aniversário do julgamento de Kitzmiller v. Distrito Escolar da Zona de Dover, que derrubou o ensino do design inteligente, uma tentativa de mascarar o criacionismo com a linguagem pseudo-científica. Biólogo evolucionista Nick Matzke revelou como esses projetos de lei têm evoluído ao longo do tempo para evitar predadores potenciais, tais como a Constituição e o clamor público.

Sua conclusão: Estes projetos são um exemplo de descendência com modificação. Só podemos supor que Darwin está rolando em seu túmulo.

Árvore filogenética original de Nick Matzke da legislação anti-evolução. Cortesia de Nick Matzke

Árvore filogenética original de Nick Matzke da legislação anti-evolução.
Cortesia de Nick Matzke

Para fazer o gráfico, Matzke realizou uma análise filogenética, acompanhando a língua em 65 projetos desde 2004 que têm procurado limitar ou opor-se ao ensino da evolução. Ele descobriu que essas contas tinham sido diretamente reproduzidas com algumas mutações e modificações. Para a maior parte, todas estratégias empregadas aparentemente são razoáveis – para incentivar os educadores a “ensinar a controvérsia“: É a mesma técnica que tem sido utilizada em projetos de lei que se opõem ao ensino das mudanças climáticas.

A análise de Matzke mostra que, desde que o caso Kitzmiller v. Dover, estes tipos de esforços, infelizmente, não morreu e foram substituídos com um currículo robust de evolução. Em vez disso, eles simplesmente evoluiuram-se tornando-se furtivos, mais sutis, e bem mais maliciosos em suas tentativas de minar á educação científica. A Lei de Educação Ciência de Louisiana, por exemplo, inspirou projetos parecidos no Tennessee (conhecido como o “monkey bill”), Indiana e Oklahoma. (Apenas o Tennessee somente uma passou).

Embora essas contas sejam sorrateiras, o gráfico útil de Matzke mostra que é possível encontrar as raízes comuns destes tipos de esforços anti-ciência. Em suas palavras: “Eles não são projetado terrivelmente inteligentes.” Então, obrigado, Dr. Matzke, por revelar essas contas e o que eles realmente são: religião disfarçada. E obrigado aos criacionistas por fornecer uma ferramenta de ensino robusta para uma teoria vocês alegam que não existe.

Fonte: Slate

One thought on “COMO PROJETOS DE LEI ANTI-EVOLUÇÃO TAMBÉM EVOLUEM

  1. LOL, cladograma da familia criacionistidae(nome novo) kkkkkkkkkkk
    realmente graças a pressao dos seus predadores ,os ceticos, os criacionistas estao evoluindo falacias mais fortes para se proteger da arma mortal dos ceticos, a ciencia.
    KKKKKKKKK
    ótimo artigo como sempre.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s