UM RARO RÉPTIL GUARDA PISTA SOBRE A EVOLUÇÃO DO PÊNIS

Como outros répteis e mamíferos, embriões de tuatara começam a formação da genitália masculina – mas depois perdem-na.

Na profunda evolução da tuatara, os adultos machos provavelmente perderam seu falo ancestral – uma pista para a antiga história do pênis.

Perdeu – Na profunda evolução da tuatara, os adultos machos provavelmente perderam seu pênis ancestral – uma pista para a antiga história do pênis.

Um raro réptil está lançando luz sob a evolução do pênis – mesmo ele não tendo um.

A tuatara, uma espécie similar ao lagarto da Nova Zelândia, não teve o desenvolvimento de um verdadeiro falo. Ainda no estágio embrionário, inicia-se a formação de pequenos nódulos como os que se transformam na grande diversidade de órgãos que depositam esperma em outros répteis e mamíferos, revelaram os pesquisadores da Universidade da Flórida em Gainsville, na Biology Letters de 28 de Outubro. O pênis da Tuatara se desenvolveu e retraiu, mas o estágio inicial de desenvolvimento suporta a tese de que o pênis evoluiu apenas uma vez em mamíferos e répteis, diz o co-autor do estudo Thomas Sanger.

Com a tuatara (Sphenodon punctatus) à beira da extinção, conservacionistas não permitirão o sacrifício de embriões para o estudo do desenvolvimento peniano. Mas Sanger sabe que há algumas frágeis e velhas lâminas de embriões de tuatara no Museu de Zoologia Comparada de Harvard. Elas vieram de um expert vitoriano em taxonomia das esponjas, que viajou para a Nova Zelândia e acabou demonstrando interesse em amostras de tuatara fornecidas por um amigo que era guardião de um farol.

Sanger fotografou 82 destas delicadas lâminas de um embrião. Então ele e seus colegas separaram digitalmente imagens de tecidos que estavam se degradando com o tempo, e combinaram o resto com uma imagem em 3-D. A imagem revelou um dos nódulos pareados característicos que outros répteis e mamíferos desenvolvem enquanto seus genitais externos começam a surgir.  Nos parentes mais próximos das tuataras, cobras e lagartos, os nódulos crescem em pares de órgãos inseríveis. Para espécies com um único pênis – mamíferos, tartarugas, crocodilianos e alguns pássaros dotados de pênis – os dois gomos se fundem.

“A genitália no mundo animal evolui em uma velocidade impressionante – é o órgão que se desenvolve mais rápido”, disse o biólogo evolucionista Menno Schilthuizen do Centro de Biodiversidade Natural e da Universidade de Leiden , na Holanda. “Quase tudo o que você pode imaginar – e muitas coisas que não pode ou não imaginaria – surgiu e ás vezes desaparece novamente nas regiões inferiores.

Descobrir que a tuatara ainda retém o traço, ainda que breve, do processo de desenvolvimento que inicia a formação do pênis pode resolver um longo debate: se a tuatara perdeu um órgão reprodutivo ancestral ou se seus parentes independentemente ganharam um par. O raro réptil provavelmente perdeu o que eles uma vez compartilharam com as serpentes e os lagartos, pesquisadores concluíram. Outra evidência sugere que a maioria das espécies de pássaro também perdeu um pênis ancestral.  A perda da tuatara se encaixa perfeitamente na hipótese de que alguns pênis desenvolvem apenas uma vez em mamíferos, répteis e aves, as quais se desenvolveram através dos répteis.

Por: Maria Fernanda Cirotto

Fonte: Science News

One thought on “UM RARO RÉPTIL GUARDA PISTA SOBRE A EVOLUÇÃO DO PÊNIS

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s