AS CAVERNAS QUE PROVAM QUE NEANDERTAIS ERAM CANIBAIS.

Nas profundezas das cavernas de Goyet, na Bélgica, os pesquisadores descobriram a terrível evidência de que os Neandertais não se banqueteavam unicamente de cavalos ou renas, mas mas também uns aos outros.

Reconstrução do homem de Neanderthal. Crédito: domínio público

Reconstrução do homem de Neandertal. Crédito: Domínio público

Ossos humanoides de um recém-nascido, uma criança e quatro adultos ou adolescentes que viveram a cerca de 40 mil atrás mostram sinais claros de corte e de fraturas para extrair a medula de dentro, dizem eles.

“É irrefutável, o canibalismo foi praticado aqui”, diz o arqueólogo belga Christian Casseyas quando ele olha dentro de uma caverna até a metade de um vale neste local na floresta Ardennes.

Os ossos de Goyet datam de quando os Neandertais estavam chegando ao fim de seu tempo na terra antes de serem substituídos pelo Homo sapiens, com o qual eles também se cruzaram.

Uma vez considerados como homens primitivos das cavernas, levados à extinção por humanos modernos mais inteligentes, estudos descobriram que os Neandertais eram seres realmente sofisticados que cuidavam dos corpos dos falecidos e realizavam rituais de enterro.

Mas há um corpo crescente de evidências indicando que eles também comiam seus mortos.

Fragmentos ósseos de Neandertal

Os casos de canibalismo de Neandertal foram encontrados até agora apenas em populações de Neandertais no sul da Europa em Espanha, em El Sidron e Zafarraya, e na França, em Moula-Guercy e Les Pradelles.

As cavernas em Goyet foram ocupadas desde o Paleolítico. As galerias de 250 metros de comprimento foram cavadas no calcário pelo Samson, um pequeno riacho que ainda flui alguns metros abaixo.

Eles começaram a revelar seus segredos em meados do século XIX graças a um dos pais da paleontologia, Edouard Dupont (1841-1911).

Geólogo e diretor do Museu Real de História Natural da Bélgica, ele pesquisou várias cavernas, incluindo a de Goyet em 1867, e coletou uma enorme quantidade de ossos e ferramentas.

Poucos anos depois de Charles Darwin expôr sua teoria da evolução, Dupont publicou os resultados de sua própria pesquisa em seu livro “Man During the Stone Age“.

Mas suas descobertas permaneceram nos arquivos do museu (agora chamado Instituto de Ciências Naturais de Bruxelas) por mais de um século.

Isso foi até 2004, quando o chefe de antropologia do Instituto Patrick Semal descobriu, escondido entre as gavetas do que Dupont achava que eram ossos humanos, uma ponta de mandíbula que claramente pertencia a um Neandertal.

Os cientistas desde então têm meticulosamente feito triagens através de fragmentos que Dupont pensou que eram ossos de animais para ver se há outros vestígios de homens primitivos.

‘Extrair a medula’

Agora, uma equipe internacional liderada por Helene Rougier, antropóloga da Universidade Estadual da Califórnia Northridge nos Estados Unidos, provou a partir dos ossos encontrados em Goyet que os Neandertais eram canibais.

Os ossos mostram traços de corte, “para desarticular e remover a carne”, disse Christian Casseyas, que também conduz turnês para o público nas cavernas.

Os Neandertais “quebraram esses ossos da mesma forma que quebraram aqueles da rena e cavalos encontrados na entrada da caverna, certamente para extrair a medula”, acrescenta.

Rougier, cujo trabalho sobre a caverna belga foi publicado passado pela Scientific Reports, uma revista do grupo Nature, disse à AFP que “de fato, podemos concluir que alguns Neandertais morreram e foram comidos aqui”, que é uma primeira no norte da Europa.

“Alguns desses ossos também foram usados para fazer ferramentas para retocar as bordas de sílex para reforma-los”, diz Rougier.

Mas as razões para o canibalismo continuam sendo um mistério, quanto à medida em que os Neandertais comiam seus mortos.

“Foi sistemático? Foi apenas em certos momentos particulares?” ela pergunta. “Eu não sei como interpretar a razão por trás deste canibalismo, pode ser puramente alimentar, mas também pode ser simbólico … A razão permanece aberta”, diz ela.

Fonte: Phys.Org

Anúncios

2 thoughts on “AS CAVERNAS QUE PROVAM QUE NEANDERTAIS ERAM CANIBAIS.

  1. Olá , obrigado aos tradutores da direita por nos manter informados sobre tantos assuntos importantes . Me desculpem , se ouso contestar , só neste caso do tema acima sobre os supostos neandertais terem praticado a antropofagia , isso no caso se aplica a quem crê no evolucionismo ? pois uso o termo crer é um artigo de fé porque é preciso ter fé no evolucionismo, já que é anticientífico dizer que isto é uma teoria, uma vez que a ciência anda a par no desenvolvimento com outras ciências , e temos por exemplo : os geneticistas a nos dizer que é impossível haver a evolução de Darwin ou mesmo a dos neo -darwinistas. Além do mais, os cristãos nós nos guiamos pela bíblia , ali temos descritos no gênesis que todo o gênero humano proveio de um só casal – Adão e Eva .

    • Primeiro, a tradução não tem absolutamente nada a ver com posição de direita ou esquerda e dispensa discursos ideológicos, seja quais frentes políticas forem.
      Segundo, não sabemos se a antropofagia era presente no contexto dos Neandertais, mas sim como canibalismo. É bastante possível que os neandertais tivessem pensamento simbólicos pelas pinturas e supostos sepultamentos ritualizados, mas não sabemos se de fato eles acreditavam no contexto atropofágico e ritualístico de absorção dos poderes de quem serviu de refeição. Portanto, a principio, a ingestão da carne do seu semelhante não foi com base no carácter religioso mas na necessidade material de sobreviver.
      O terceiro ponto é que a evolução tendo um caráter de teoria, já se mostra como um fato consolidado cientificamente, justamente por ser formada por conjuntos de hipóteses testadas e comprovadas mediante situações experimentais. Não é preciso ter fé para aceitar a evolução pois ela é um fato cientificamente observável. Uma de suas bases foi dada pela justamente pela redescoberta dos trabalhos de Mendel que culminou exatamente na explicação de como a descendência modificada ocorria a partir das leis da genética. A historia da genética é contada também pela sua relação com a evolução biológica. Quem diz que a evolução é impossível de acontecer são exatamente os cristãos que fazem parte de frentes criacionistas pseudocientíficas e que negam evidências da genética, fósseis, moleculares, comportamentais, embrionarias, ecológicas, anatômicas e morfológicas. Nem todo cristão nega os fatos, no NetNature há seguidores que são cristãos e aceitam a teoria da evolução sem que haja contradição com suas crenças pessoais e reconhecem o caráter mítico-religioso do livro de Gênesis sem deixar sua crença em deus de lado, até porque, genéticamente, não há qualquer evidências de que a humanidade possa descender de um unico casal
      Sugiro a voce 2 textos:

      https://netnature.wordpress.com/2016/10/03/de-mendel-a-sintese-estendida-porque-os-biologos-estao-estendendo-a-teoria-da-evolucao/

      https://netnature.wordpress.com/2016/03/14/poderiam-duas-pessoas-repovoar-a-terra-novamente-comentado/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s