CHIMPANZÉS E A ARTE DA ESCAVAÇÃO.

Alguns chimpanzés criados em cativeiro se mostraram capazes de usar espontaneamente ferramentas para recuperar alimentos enterrados no subsolo, embora nunca tenham observado alguém fazendo a mesma coisa.

Os chimpanzés são capazes de usar espontaneamente ferramentas para cavar alimentos enterrados, mesmo sem nunca terem observado tal comportamento. A descoberta é de um grupo internacional de pesquisadores liderados por R. Adriana Hernandez-Aguilar, da Universidade de Oslo, Noruega, que assinam um artigo na revista “PLoSOne.

Comportamentos complexos têm sido relatados entre chimpanzés selvagens muitas vezes, como o uso de varetas para capturar cupins ou coletar mel, e também, de tempos em tempos, atividades de escavação. Como esta capacidade se desenvolveu não é clara.

Hernandez-Aguilar e seus colegas conduziram experimentos em dez chimpanzés que vivem em cativeiro no zoológico da ilha de Kristiansand, na Noruega, e que nunca viram nenhum comportamento de escavação.

Os pesquisadores cavaram seis buracos em que colocaram frutas, deixando-os abertos por um tempo para que os animais notassem o “presente”. Em um primeiro teste, eles também deixaram alguns objetos (varas e galhos de várias formas e comprimentos) que poderiam ter sido usados ​​para escavar, enquanto nos testes subsequentes eles não deixaram nenhum.

Para alcançar comida enterrada, os chimpanzés usaram uma variedade de diferentes comportamentos de escavação (Motes-Rodrigo et al., 2019).

Nove dos dez chimpanzés escavaram frutos enterrados com sucesso, e oito deles escolheram usar os objetos em vez de cavar com as próprias mãos. Além disso, quando não conseguiam encontrar objetos úteis na vizinhança, os animais procuravam pequenos galhos no mato que pudessem servir ao propósito, preferindo os mais longos, e reutilizando aqueles que parecessem mais adequados.

Dependendo de onde a fruta foi enterrada e do indivíduo, os chimpanzés adotaram uma variedade de comportamentos, usando as ferramentas para sondar o solo, perfurá-lo, “martelá-lo”, pá e ampliar o buraco feito. Os autores também observaram alguns chimpanzés que se alternavam no trabalho de escavação, eventualmente compartilhando os frutos que conseguiram recuperar.

Esses resultados – sugerem os pesquisadores em conclusão – são sugestivos, mas não podem ser extrapolados exatamente para populações de chimpanzés selvagens ou para os ancestrais humanos mais distantes: mais pesquisas serão necessárias antes que conclusões definitivas possam ser tiradas.

Fonte: Le Scienze

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s