OS ÚNICOS FÓSSEIS DO MUNDO COM A PELE DE T. rex SUGEREM QUE FOI COBERTO EM ESCAMAS – NÃO PENAS.

Em uma vitória surpreendente para os fãs do Jurassic World, amostras de pele fóssil sugerem que vários tiranossauros eram mais escamosos do que emplumados. 

Esta pele fossilizada vem do pescoço de um Tyrannosaurus rex.

O Tyrannosaurus rex era um animal estranho, um predador com dentes do tamanho de bananas, uma cabeça enorme e braços minúsculos. Dado que muitos dinossauros tinham penas, poderia o T. rex ter sido ainda mais esquisito – um carnívoro gigante com uma plumagem?

Um novo estudo publicado na revista Biology Letters esmaga todos os sonhos de uma galinha tirana: o T. rex estava coberto de escamas. A nova pesquisa “mostra sem questionar que o T. rex tinha pele escamosa”, disse o autor do estudo Phil R. Bell, paleontólogo da Universidade da Austrália, em um e-mail ao The Washington Post.

Quando o T. rex apareceu pela primeira vez na cultura pop, como em 1918 no filme “O Fantasma da Montanha do Descanso”, o dinossauro tinha a pele enrugada e ficou de pé, arrastando a cauda. Os cientistas começaram a desmontar esse equívoco reptiliano no final dos anos 1960 e, em 1993, o “Jurassic Park”, um T. rex horizontal bastante preciso, ameaçava a imagem.

A imagem do dinossauro mudou novamente nas últimas décadas, conforme a evidência de espécies de penas se acumulou. Dois tiranossauróides, Dilong e Yutirano – parentes que antecederam o T. rex por cerca de 50 milhões de anos estavam cobertos de penas. Quanto ao T. rex, os artistas desenharam uma arte conceitual feroz e fofa. Um museu criou sua plumagem animatrônica do T. rex.

Mas isso estava colocando a pena antes do fóssil. “Com todo o hype sobre os terópodes emplumados, é fácil esquecer que, na verdade, a maioria dos dinossauros tinha uma pele escamosa e parecida com répteis”, disse Bell. (Os dinossauros terópodes incluíam tiranossauros e muitos outros dinossauros de duas pernas, bem como ancestrais de pássaros).

Bell e seus colegas examinaram a pele do T. rex e de quatro parentes da história do tiranossauro: Albertosaurus, Daspletosaurus, Gorgosaurus e Tarbosaurus. A pele do tiranossauro é rara, Bell disse, em parte porque os paleontólogos historicamente preferiam esmagar a pele para chegar aos ossos.

A partir desses fragmentos de pele, representando o abdômen do tiranossauro, o tórax, a pelve, o pescoço e a cauda, ​​os pesquisadores não encontraram nada além de escamas. Se existiam penas, elas o faziam apenas ao longo das costas ou espinhas dos animais.

“Isso não exclui as penas nem dos maiores tiranossauros”, disse o paleontologista da Universidade de Londres David Hone, que não estava envolvido na pesquisa, “mas sugere que eles não tinham uma camada completa de penas”.

Os cientistas propõem várias hipóteses para o fato de o T. rex não estar coberto de penas, diferentemente de seus parentes anteriores. “Provavelmente a opção mais provável é o gigantismo”, disse Bell. Dilong de penas era do tamanho de um cachorro grande. T. rex tinha o comprimento de um ônibus da cidade. “Os animais grandes têm problemas para eliminar o excesso de calor, por isso, ser coberto de penas não é uma boa ideia, a menos que você viva em algum lugar frio”. Os elefantes, por exemplo, não são tão peludos quanto os ratos.

Mas Yutyrannus, embora não tão grande quanto o T. rex, não era um cãozinho. “O problema aqui é que temos grandes tiranossauros, alguns com penas, outros sem que vivam em climas similares”, disse Bell. “Então qual é a razão para essa diferença? Nós realmente não sabemos”.

O estudo foi publicado em Biology Letters.

Fonte: Geology In

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s