REVELADA EVOLUÇÃO PRECOCE DO CÓRTEX CEREBRAL EM NOVO ESTUDO.

Um novo estudo sobre o cérebro da lampreia permitiu que os pesquisadores do Karolinska Institutet, na Suécia, atrasassem o nascimento do córtex no tempo em cerca de 300 milhões de anos para mais de 500 milhões de anos atrás, fornecendo novas ideias sobre a evolução do cérebro. O estudo foi publicado na revista científica Nature Ecology & Evolution.

Lampreia (stock image). Credit: © Andrei Nekrassov/Adobe Stock

O cérebro humano é uma das estruturas mais complexas que a evolução criou. Há muito tepo que se aceita que a maior parte da evolução do cérebro anterior ocorreu em grande parte em mamíferos e que o cérebro de grupos de animais pré-mamíferos mais simples, como peixes e anfíbios, não possui um córtex funcional. O córtex, que é a camada externa do cérebro, controla as funções cerebrais mais complexas, como visão e movimento, e habilidades mais elevadas, como linguagem, memória e emoção.

“Passamos muito tempo estudando a evolução do cérebro usando a lampreia, que é um dos grupos mais antigos de vertebrados existentes”, diz Sten Grillner, último autor do estudo e professor de neurofisiologia do Departamento de Neurociência do Karolinska Institutet. “Aqui fizemos estudos detalhados do cérebro da lampreia, combinando análises neurofisiológicas com técnicas histoquímicas”.

No estudo, os pesquisadores mostram que mesmo a lampreia, que existia centenas de milhões de anos antes dos mamíferos, possui um plano detalhado para o desenvolvimento do córtex, dos gânglios da base e do sistema de dopamina – todos os ingredientes vitais da função cerebral integrativa.

Os pesquisadores também descobriram que o córtex da lampreia tem uma área visual na qual diferentes partes de seu campo visual são representadas. Áreas sensoriais e motoras também foram descobertas.

“Isso mostra que o nascimento do córtex deve ser adiado cerca de 300 milhões de anos”, diz o professor Grillner. “Isso, por sua vez, significa que o plano básico do cérebro humano já foi definido há mais de 500 milhões de anos, ou seja, antes que a lampreia se ramificasse da linha evolutiva que levava a mamíferos e humanos”.

O estudo mostra que todos os principais componentes do cérebro humano também podem ser encontrados no cérebro da lampreia, embora com muito menos células nervosas em cada parte.

“Que partes vitais do cérebro da lampreia são conservadas e organizadas da mesma maneira que no cérebro humano eram inesperadas”, continua ele. “Essas descobertas são cruciais para nossa compreensão de como o cérebro evoluiu e como foi projetado através da evolução”.

O estudo foi financiado com doações do Conselho Sueco de Pesquisa, do Sétimo Programa-Quadro de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico da UE, da Fundação Parkinson e do Instituto Karolinska.

Jornal Referência: Shreyas M. Suryanarayana, Juan Pérez-Fernández, Brita Robertson, Sten Grillner. The evolutionary origin of visual and somatosensory representation in the vertebrate palliumNature Ecology & Evolution, 2020; DOI: 10.1038/s41559-020-1137-2

Fonte: Science Daily

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s